Gordura localizada

10 Tipos de Tratamento para Gordura Localizada Mais Usados

Perder peso não é fácil, muito menos quando se trata de gordura localizada. Devido à dificuldade de perder esse tipo de gordura, diversos tratamentos para gordura localizada são divulgados frequentemente. Abaixo, vamos mostrar os tipos de tratamento para gordura localizada mais usados e explicar como funcionam com o intuito de esclarecer suas dúvidas sobre o assunto.

É possível eliminar a gordura localizada?

A gordura localizada é uma das maiores vilãs de quem deseja ficar em boa forma. Áreas como cintura, barriga, coxas, bumbum e braços são os locais em que a gordura mais gosta de se estabelecer e isso incomoda muita gente.

A melhor maneira de perder gordura é sempre através de exercícios físicos e uma dieta equilibrada. Porém, a gordura localizada é mais difícil de alcançar. Isso porque quando você faz exercícios e tem uma alimentação especial para perda de peso, o corpo irá queimar gordura como um todo e nunca irá focar em apenas uma região.

Tentando suprir essa lacuna, hoje existem muitos tipos de tratamento para gordura localizada que prometem remover essa gordura sem grandes esforços.

Tratamentos cirúrgicos

Apesar de serem tratamentos cirúrgicos, os dois primeiros itens dessa lista não deixam de ser uma opção para a remoção de gordura localizada. Assim, vamos começar falando de métodos cirúrgicos e em seguida mostrar outras opções menos invasivas de tratamento para gordura localizada.

1. Lipoaspiração tumescente

A lipoaspiração é um dos procedimentos cosméticos mais comuns no mundo e mais eficazes na remoção permanente de gordura localizada. Esse método de remoção de gordura funciona muito bem para gordura localizada por se tratar de um método cirúrgico e não de um tratamento prolongado.

Quando você vai acumulando gordura, as células adiposas vão aumentando de tamanho e volume. A lipoaspiração surge como uma técnica de sucção que serve para remover a gordura de áreas isoladas como a gordura abdominal, por exemplo. A lipoaspiração reduz a presença dessas células na região ao remover camadas superiores de gordura.

Na lipoaspiração tumescente, o cirurgião injeta uma solução salina juntamente com lidocaína epinefrina na região onde a gordura está localizada, facilitando a sucção com menor perda de sangue e promovendo a redução da dor após a cirurgia.

Por ser um método cirúrgico, existem riscos sérios envolvidos com essa prática, como risco de infecções, contornos irregulares no corpo, flacidez na pele e coágulos sanguíneos que podem ser formados nos pulmões ou nas pernas caso algo dê errado.

2. Lipoaspiração assistida a laser ou assistida por ultrassom

Com a tecnologia, vão surgindo métodos de tratamento para gordura localizada cada vez menos invasivos. Esse é o caso da lipoaspiração a laser. Trata-se de um método recente aprovado pela FDA (Food and Drug Administration – Órgão que Regulamenta práticas relacionadas com alimentos, fármacos e procedimentos de saúde em geral nos Estados Unidos), que é bem semelhante à lipoaspiração tradicional, mas menos invasivo.

Esse procedimento também é um método cirúrgico, mas que normalmente não precisa de anestesia. Porém, o método pode gerar algumas dores ou hematomas por alguns dias após o tratamento. O procedimento consiste em aplicar o laser na parte profunda da gordura para tentar destruir as células adiposas. Ao alcançar o alvo, o laser seria o responsável por tornar a gordura líquida e mais facilmente removida.

O laser também atua nas camadas superiores da pele estimulando a produção de elastina e colágeno para diminuir o aspecto flácido que pode ser observado.

A remoção da gordura é feita apenas no final do procedimento através de cânulas inseridas na pele para esse fim. Também pode ser preciso algumas sessões de drenagem linfática para remover quaisquer excessos de fluidos no organismo.

É um método interessante que causa menos dor, promove uma recuperação mais rápida e é menos invasivo do que uma lipoaspiração comum.

Outro método parecido utilizado é a lipoaspiração assistida por ultrassom. Nesse caso, ondas ultrassônicas são aplicadas na região para romper as paredes celulares das células de gordura, tornando-as líquidas e facilitando a remoção, assim como na cirurgia a laser.

Tratamentos não cirúrgicos

Quem não quer se submeter aos riscos e à demorada recuperação de procedimentos cirúrgicos pode tentar os métodos de tratamento para gordura localizada não cirúrgicos e menos invasivos, que apesar de suas limitações, também são muito utilizados e prometem bons resultados.

3. Lipocavitação

A remoção de gordura localizada por ultrassom é uma técnica não invasiva que usa ondas ultrassônicas de baixa frequência e alta energia para “quebrar” as células de gordura. Cerca de três ou quatro sessões são necessárias para alcançar um bom resultado.

Chamado em algumas clínicas estéticas de cavitação, ultrassom ou ultracavitação, esse tratamento para gordura localizada faz com que as células adiposas sejam destruídas. Isso ocorre devido à alta energia gerada pelas ondas de ultassom que geram uma vibração nas células de gordura até que elas sejam destruídas.

Para que ocorra a eliminação natural dessa gordura localizada do organismo, é possível que o profissional faça massagens linfáticas para facilitar a saída da gordura.

4. Intradermoterapia com fosfatidilcolina

A intradermoterapia é um tratamento para eliminação de gordura localizada invasivo. Trata-se da aplicação de uma injeção contendo medicamentos ou substâncias que promovem a quebras das células de gordura. A composição dessas injeções pode variar de paciente para paciente de acordo com orientação médica, mas geralmente é uma combinação de ácidos graxos e glicerol.

Mais recentemente, também têm sido usadas injeções de fosfatidilcolina que são compostas por ácidos graxos, glicerol e o mineral fósforo. Estudos indicam que a fosfatidilcolina é capaz de promover a lipólise (quebra da gordura) no organismo através de um método invasivo bem mais seguro do que uma lipoaspiração, por exemplo.

5. Radiofrequência

A radiofrequência é uma técnica que emite ondas de frequências baixas com alta energia usada para remover a gordura localizada. Ela funciona promovendo o aumento da temperatura da pele e dos tecidos musculares até cerca de 40ºC. Esse aumento da temperatura é capaz de quebrar as células adiposas, facilitando sua eliminação pelo organismo.

Podem ser necessárias várias sessões para observar os resultados e sessões adicionais de massagens ou drenagens linfáticas para remover a gordura. Também é indicado que a pessoa pratique exercícios de alta intensidade após as sessões, pois isso irá facilitar a queima das células de gordura danificadas.

6. Mesoterapia

A mesoterapia é um método bem rápido e pouco invasivo que consiste em injeções aplicadas localmente que servem para destruir a gordura acumulada. Esse método de remoção de gordura usa medicamentos convencionais ou homeopáticos, além de vitaminas, enzimas, hormônios, minerais e aminoácidos aplicados diretamente na camada da mesoderme da pele.

A técnica consiste no uso de agulhas muito finais que promovem uma série de microinjeções na mesoderme, estimulando as células adiposas a se quebrarem e a liberar a gordura. Além de remover gordura localizada, o método também é adotado para o tratamento da celulite.

Em alguns casos, a terapia a laser é indicada em conjunto com a mesoterapia para acelerar a eliminação da gordura localizada, já que várias sessões do tratamento são necessárias para obtenção de resultados.

É importante ressaltar que, apesar da maioria dos compostos usados nas injeções serem aprovados para uso terapêutico, o método em si ainda não é aprovado pelo FDA nos EUA e não há estudos científicos suficientes sobre sua eficácia como tratamento para gordura localizada.

Um método parecido muitas vezes usado como sinônimo de mesoterapia é a injeção de lipólise. Neste caso, o profissional injeta substâncias como fosfatidilcolina e desoxicolato na pele para quebrar a gordura. Mas também existem poucas evidências científicas sobre a eficácia do método.

Nem a mesoterapia nem a injeção de lipólise são recomendadas pela Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (American Society for Plastic Surgeons) dos EUA.

7. Criolipólise

Ao contrário da radiofrequência, a criolipólise aposta nas baixas temperaturas. A criolipólise é uma técnica que submete a pele à baixas temperaturas (cerca de 10ºC). Essa temperatura baixa é responsável por destruir as células de gordura localizada, facilitando a remoção da mesma através do próprio sistema linfático do organismo.

Essa é uma técnica eficaz porque a baixa temperatura causa a morte celular das células gordurosas. Para facilitar a remoção da gordura “morta”, é importante praticar atividades físicas ou sessões de drenagem linfática.

8. Endermologia

A endermologia é uma técnica que consiste em sugar a pele. Através desse procedimento, uma bomba de vácuo gera uma espécie de sucção que promove um descolamento temporário da pele em relação às camadas de gordura localizada. Isso permite uma melhoria da circulação sanguínea na região, a eliminação de fluidos acumulados no local e a quebra de células de gordura.

Esse método também ativa o sistema linfático, o que facilita a drenagem desses fluidos e células gordurosas destruídas localmente.

9. Carboxiterapia

A carboxiterapia consiste em injetar gás carbônico na pele onde a gordura localizada está presente. Essa injeção de dióxido de carbono melhora a circulação sanguínea, melhorando também a chegada de nutrientes e oxigênio na região, o que promove a produção de colágeno e estimula a queima de gordura na região, destruindo as células adiposas no local. 

Apesar de ser um pouco invasivo devido ao uso de injeções de gás, é um procedimento seguro que precisa de algumas sessões que dependem de avaliação individual para produzir os resultados esperados.

10. Cremes

Muitos fabricantes oferecem cremes redutores de medidas que prometem queimar a gordura localizada. E é realmente enorme a quantidade de produtos encontrados no mercado que prometem a queima de gordura localizada para os consumidores. Porém, mesmo sendo um método usado por muitas pessoas, esse tipo de tratamento não funciona e é simples explicar o motivo:

A perda de gordura deve ocorrer dentro do organismo através de um déficit calórico ou por meio de procedimentos invasivos ou cirúrgicos. Não existe nenhum tipo de creme que quando aplicado na pele resulte em perda milagrosa de gordura localizada.

Dicas

Além dos tipos de tratamento para gordura localizada mostrados neste artigo, é essencial ter uma dieta saudável e equilibrada combinada com a prática de atividades físicas.

Assim, mantenha uma dieta com déficit calórico focando em alimentos proteicos e fibras, que ajudam a aumentar a sensação de saciedade, e pratique exercícios como musculação para construir, fortalecer e tonificar os músculos, o que pode ser benéfico para perda de gordura. Para aumentar o déficit calórico, pratique atividades aeróbicas pelo menos 2 vezes por semana.

Se realmente quer perder gordura, não se esqueça de eliminar alimentos processados, açúcar e fast food do seu plano alimentar. Esses produtos são os maiores responsáveis para que seu corpo armazene mais gordura ao invés de eliminar.

Mesmo optando por um ou mais dos tratamentos para remoção de gordura localizada, mantenha hábitos saudáveis para evitar o acúmulo de gordura no organismo novamente.

Referências Adicionais:

Você já experimentou ou tem vontade de fazer algum tipo de tratamento para gordura localizada? Conhece alguém que tenha feito um com bons resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (13 votos, média: 4,08 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Um comentário

  1. já fiz lipocavitação e não senti resultados significativos. já fiz também hidrolipo, essa, sim, mostrou bons resultados com dieta. agora, acho que só com plástica mesmo, idade avançando fica mais difícil.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*