5 Alimentos Estranhos para Repor as Energias Antes, Durante e Após o Treino

Especialista:
atualizado em 30/01/2020

Que é necessário cuidar da dieta e consumir alimentos específicos antes, durante e depois do treino para colaborar com a construção muscular e repor as energias gastas na execução dos exercícios, provavelmente não é nenhuma novidade para você. Mas você saberia dizer exatamente que tipo de comida deve estar presente na alimentação nesses períodos?

De acordo com a nutricionista e porta-voz da Academia de Nutrição e Dietética dos Estados Unidos, Joy Dubost, é preciso consumir carboidratos para obter combustível e repor as energias no treinamento e das proteínas e dos carboidratos para reabastecer e construir músculos.

Tendo essa informação em mente, muitas pessoas chegam a diversas possibilidades e combinações no cardápio e algumas podem ser inclusive um tanto quanto estranhas e bizarras e que nem sempre valem a pena, como as que você irá conferir na lista a seguir:

1. Grilo e outros insetos 

É isso mesmo o que você acabou de ler. Para quem tem o estômago forte e o paladar corajoso, o grilo e outros insetos são uma alternativa de fonte de proteínas para o período de recuperação pós-treino.

E eles são uma excelente forma de fornecer o nutriente ao corpo, tendo em vista que possuem todos os aminoácidos essenciais e são classificados como uma proteína completa. Isso sem contar que esses bichinhos também são fontes de fibras.

Por enquanto pode ser mais complicado encontrar suplementos feitos à base de grilo e outros insetos à venda, mas não se surpreenda – e nem diga que a gente não te avisou – se um dia esse tipo de produto se tornar mais popular.

2. Refrigerante

Ignorando os prejuízos que esse tipo de bebida já demonstrou poder causar à saúde como o aumento de peso, maior risco de surgimento de ataques cardíacos, crescimento dos níveis de triglicerídeos (gordura encontrada no sangue), osteoporose e diabetes tipo 2, existem atletas que utilizam refrigerantes como a Coca-Cola para obter energia.

A bebida é capaz de reabastecer o corpo por conta de sua enorme quantidade de açúcar, que fornece a energia. Entretanto, quando o treinamento é muito intenso, e feito por mais de uma hora, as necessidades do corpo não serão supridas somente com a energia do açúcar.

Segundo a nutricionista Joy Dubost, ainda é preciso que o organismo receba eletrólitos, que podem ser ingeridos através das bebidas esportivas, e proteínas. Desse modo, ela afirmou que essa não é uma forma de fornecer combustível ao corpo que ela recomendaria aos seus pacientes.

No entanto, se mesmo assim você quiser dar uma chance ao refrigerante na sua dieta, a orientação da especialista é que você certifique-se que não está acima do peso e que o seu organismo está em dia com as suas necessidades nutricionais. “Veja como o seu corpo responde e como você se sente”, indicou Joy Dubost.

3. Chocolate amargo

O chocolate amargo, que já é conhecido com um aliado da saúde se consumido sem exageros, por conta de sua boa dose de antioxidantes, também pode reduzir o estresse oxidativo (excesso de radicais livres) relacionado à prática de exercícios físicos.

Pesquisas realizadas em ratos mostraram que um antioxidante derivado do cacau, a epicatequina, estimulou o crescimento de novos capilares nas mitocôndrias desses animais, permitindo que eles conseguissem se exercitar por mais tempo que o normal. Entretanto, ainda não foram encontradas evidências fortes o suficiente para indicar que o mesmo efeito possa ser experimentado pelos seres humanos.

Para quem deseja integrar o chocolate à dieta antes, durante e pós-treino, a dica é escolher um que tenha de 70 a 80% de cacau, para obter uma maior quantidade de antioxidantes, e não extrapolar no tamanho das porções ingeridas.

4. Cerveja

Por conter carboidratos e eletrólitos, a cerveja pode parecer uma alternativa de bebida para recuperar as energias perdidas em decorrência de um treinamento mais pesado. Entretanto, é preciso ressaltar que o seu consumo não vale a pena.

Em primeiro lugar porque uma pesquisa divulgada no ano passado na publicação PLoS One identificou que o álcool atrapalha a recuperação muscular. E em segundo, a gente não pode esquecer os malefícios que o exagero do álcool pode causar ao organismo, como tontura, vômito, dor de cabeça, gastrite, aumento da pressão arterial, problemas no coração e pâncreas, hepatite, cirrose e distúrbios do sistema nervoso.

5. Ovo cru

Quem assistiu aos filmes de Rocky Balboa certamente se lembra do personagem de Sylvester Stallone consumindo ovo cru. E assim como ele, tem gente de ingere os ovos sem cozinhar e consegue adquirir de maneira bastante rápida uma boa quantidade de proteínas para auxiliar no crescimento muscular.

O problema é que esse benefício não compensa tanto, se levarmos em consideração que comer ovo cru pode causar diarreia, vômito e cólicas abdominais durante até sete dias.

Há ainda que se lembrar da presença da Salmonella no ovo cru, um gênero de bactérias que pode trazer infecção ao organismo, com sintomas desagradáveis como náusea, sangue nas fezes, febre acima de 38º C, arrepios, diarreia intensa, dor de barriga e dor de cabeça.

Você já utilizou alguma dessas maneiras estranhas de receber energia antes ou depois da atividade física? Conhece alguém que defenda o uso de alguma? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário