5 sintomas de úlcera no estômago e como tratar

Especialista da área:
atualizado em 03/05/2021

As úlceras no estômago são bastante dolorosas. Saiba então quais os sintomas de úlcera no estômago e como tratar essa ferida.

  Continua Depois da Publicidade  

Uma úlcera estomacal é uma ferida no revestimento do estômago que pode causar muita dor e desconforto. Ela é um tipo de úlcera péptica (que afeta o estômago ou o intestino delgado) chamada também de úlcera gástrica.

Mas não se prenda ao nome da doença, e sim aos sintomas de alerta para iniciar o tratamento o quanto antes.

Aliás, se você sente dor de estômago com frequência, vale a pena ir ao médico para saber se você tem uma úlcera e começar a tratá-la.

A boa notícia é que é fácil tratar uma úlcera. Por outro lado, quanto mais você demorar para obter o diagnóstico, mais difícil será o tratamento.

Existem duas causas principais por trás de uma úlcera no estômago:

  • Infecção pela bactéria Helicobacter pylori (H. pylori);
  • Uso de anti-inflamatórios como a aspirina, o naproxeno ou o ibuprofeno durante muito tempo.

Sintomas de úlcera no estômago

mulher com dor no estômago

É provável que você apresente uma série de sintomas por causa de uma úlcera estomacal. A intensidade de cada um vai depender da resposta do seu organismo à úlcera e também à gravidade da ferida.

1. Inchaço estomacal

O inchaço no estômago e a sensação de plenitude é um sinal de que você pode ter uma úlcera.

No entanto, esse sintoma não é determinante para o diagnóstico. Ou seja, é preciso que você sinta esse desconforto por muitos dias ou que você tenha outros sintomas para suspeitar de uma úlcera no estômago.

2. Mal estar

É comum sentir um mal estar no estômago. Aliás, essa sensação ruim pode resultar em náuseas e vômitos.

  Continua Depois da Publicidade  

Além disso, algumas pessoas podem notar uma perda de peso associada aos episódios de náusea, falta de apetite e vômito.

3. Dor

O principal sinal de úlcera estomacal é a dor abdominal. Ela pode ocorrer ao redor do estômago (na região do umbigo) ou mais próximo do peito.

Na maioria dos casos, a dor é mais intensa quando o estômago está vazio e melhora quando você come alguma coisa.

Ainda assim, muitas pessoas deixam de se alimentar por causa da dor – o que acaba piorando o desconforto a médio e longo prazo.

4. Queimação

A azia é a sensação de queimação no peito muito comum em pessoas com úlceras estomacais. De fato, os ácidos digestivos que danificam o revestimento do estômago também irritam as paredes do esôfago, causando a queimação.

Além disso, algumas pessoas podem sentir arrotos e sofrer episódios de refluxo ácido por causa da ferida no estômago.

5. Fezes escuras ou vermelhas

Dependendo da ferida, é possível que ocorra um sangramento. Como resultado, você pode observar sangue nas fezes. Portanto, fique atento a fezes vermelhas ou mais escuras do que o normal.

Por fim, veja também o que suas fezes têm a dizer sobre a sua saúde.

  Continua Depois da Publicidade  

Como tratar a úlcera estomacal

Tratamento da úlcera estomacal

Antes de mais nada, é importante que você relate os sintomas para o seu médico. Assim, ele vai poder te avaliar e pedir os exames necessários para obter o diagnóstico correto, como o exame de endoscopia digestiva alta, por exemplo.

Caso você realmente tenha uma úlcera estomacal, o tratamento deve ser iniciado.

Certamente, o tratamento pode ter variações de acordo com o seu quadro clínico. Mas na maioria dos casos, as opções incluem:

  • Antibióticos para eliminar a infecção causada pela bactéria H. pylori;
  • Inibidores da bomba de prótons para reduzir a produção de ácido estomacal;
  • Bloqueadores do receptor H2 que atuam controlando a produção de ácido gástrico;
  • Suplementos de bismuto para agir como um antiácido;
  • Probióticos para facilitar a eliminação de bactérias nocivas como a H. pylori;
  • Interrupção no uso de anti-inflamatórios.

Há ainda muitas mudanças na dieta e no estilo de vida que podem contribuir com o tratamento da úlcera gástrica, como por exemplo:

  1. Evitar a automedicação;
  2. Lidar melhor com o estresse;
  3. Parar de consumir bebidas gaseificadas e bebidas alcoólicas;
  4. Reduzir o consumo de cafeína, que aumenta a produção de ácido gástrico;
  5. Ter uma dieta mais saudável rica em frutas e vegetais;
  6. Evitar alimentos que irritam o estômago, como os alimentos ácidos ou picantes, por exemplo.

Mais opções de tratamento e dicas

Quando os remédios não surtem o efeito desejado, o médico pode contar com estratégias adicionais de tratamento, como por exemplo:

  • Transfusão de sangue;
  • Cirurgia para remoção da úlcera;
  • Cirurgia para estancar um sangramento, se houver;
  • Procedimento para redução da produção de ácido estomacal.

Embora a dieta não seja capaz de curar uma úlcera no estômago, comer alimentos mais leves ajuda a aliviar os sintomas de úlcera no estômago além de melhorar a saúde como um todo.

Além disso, é fundamental lavar bem as mãos e higienizar os alimentos antes do preparo para diminuir o risco de contaminação pela H. pylori.

Por fim, evitar se automedicar e seguir as orientações de um profissional de saúde de sua confiança é essencial para evitar o desenvolvimento de úlceras gástricas causadas pelo uso inadequado de medicamentos.

Vídeo

Você sabia que uma gastrite não tratada pode evoluir para uma úlcera estomacal? Confira então no vídeo abaixo com a nossa nutricionista quais são os sintomas de gastrite que você precisa prestar atenção se quiser se prevenir contra uma úlcera:

Fontes e Referências Adicionais

Você já teve algum sintoma de úlcera gástrica? Chegou a procurar um médico por isso? Então, comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho é especialista em Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Ultrassonografia - CRM 52.104130-4. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário