Dieta para Úlcera – Melhores Alimentos e Dicas

Especialista:
atualizado em 06/02/2020

Veja a seguir como deve ser uma dieta para úlcera, quais são os melhores alimentos que devem ser consumidos e mais algumas dicas de tratamento.

As úlceras são feridas que podem ser provocadas por problemas como infecções, lesões e doenças. Elas demoram para sarar e também podem ser recorrentes.

Essas feridas podem aparecer em diversos formatos e se desenvolver em regiões internas ou externas do corpo como pernas, pés, estômago, intestino, esôfago, genitália, boca e até os olhos.

Por exemplo, uma úlcera péptica é uma ferida que surge no revestimento do estômago, intestino delgado ou esôfago, possivelmente causada por uma infecção bacteriana ou pelo uso de longo prazo de medicamentos anti-inflamatórios não-esteroidais.

Dor estomacal ardente, intolerância a alimentos gordurosos, azia, náusea, vômito (em alguns casos com sangue), fezes pretas ou com sangue escuro, dificuldade para respirar, sensação de desmaio, perda de peso sem explicação, mudanças no apetite e sensação de inchaço ou arroto são apontados como sintomas de uma úlcera péptica, embora boa parte das pessoas acometidas pela condição possam não apresentar sinais.

Enquanto algumas úlceras vão embora por conta própria, outras podem provocar sérios problemas caso não sejam tratadas.

A dieta para úlcera

Ao desconfiar que tem uma úlcera, é fundamental procurar o auxílio médico rapidamente, já que além da possibilidade de gerar complicações, conforme acabamos de aprender, a ferida pode estar associada a um problema de saúde mais grave, que pode exigir um tratamento imediato e/ou profundo.

Entre outros fatores, o tratamento de uma úlcera pode envolver mudanças na alimentação. Por exemplo, uma dieta para úlcera estomacal cheia de frutas, principalmente as ricas em vitamina A e vitamina C, vegetais e grãos integrais pode auxiliar a aliviar a condição.

Por regra, uma dieta destinada ao pacientes com úlcera é baseada em alimentos naturais, rica em frutas, vegetais e alimentos integrais. Além disso, ela deve ser pobre em produtos industrializados e processados, como embutidos, e refrigerantes.

Essa dieta tem o objetivo de facilitar o processo de digestão, fazendo com que os alimentos passem mais rapidamente pelo estômago, alem de estimularem menos a produção do ácido estomacal.

Deixar de consumir alimentos ricos em vitamina A e vitamina C pode fazer com que seja difícil para o corpo curar uma úlcera. Entretanto, médicos alertam que as frutas cítricas podem provocar a azia em algumas pessoas. Portanto, pode ser melhor deixá-las de lado na dieta para úlcera.

Ingerir alimentos probióticos como iogurte, missô e chucrute é outra tática que pode ajudar a aliviar uma úlcera estomacal.

A instituição também aconselha a limitar ou evitar o consumo de bebidas alcoólicas porque o álcool pode irritar e causar erosão no revestimento mucoso do estômago e dos intestinos, provocando inchaço e inflamação.

Além disso, ao contrário do que se pode imaginar, as comidas picantes não provocam úlceras, entretanto, elas podem piorar os sintomas da condição, completou a organização.

Especialistas recomendam ainda que os pacientes com úlcera estomacal conversem com o médico a respeito do consumo do leite. Embora, em alguns casos, tomar leite possa amenizar uma dor de úlcera, mais tarde a bebida causará um excesso de acidez que traz justamente o efeito contrário: o aumento da dor.

Por sua vez, também é aconselhado evitar as frituras e a comer lentamente, mastigando bem cada alimento.

Lista com outros alimentos que devem ser consumidos

Abaixo segue alguns exemplos de alimentos que podem se encaixar em uma dieta para úlcera. São eles:

  • Pães integrais;
  • Cereais;
  • Macarrão;
  • Arroz integral;
  • Carnes magras;
  • Feijões;
  • Ovos;
  • Nozes;
  • Azeite de oliva.

Não comer logo antes de dormir, parando de se alimentar pelo menos duas horas antes de ir para a cama, e fazer refeições frequentes, porém pequenas, são estratégias que também podem beneficiar a dieta para úlcera.

Recomenda-se fazer seis refeições menores em vez de três grandes e evitar a comilança em excesso porque refeições menores serão mais confortáveis e amenas ao estômago.

Lista com outros alimentos que devem ser evitados

Uma dieta para úlcera deve limitar o consumo de alimentos que irritam o estômago, já que alguns podem piorar sintomas como dor no estômago, inchaço, azia ou indigestão.

Encontramos uma lista com essas comidas e bebidas, que podem agravar os sintomas da condição, porém advertimos que nem todos os alimentos afetam todas as pessoas da mesma maneira.

Na lista a seguir, você confere quais itens foram apontados como propensos a piorar os sinais da úlcera:

  • Bebidas com cafeína;
  • Leite com chocolate;
  • Café normal ou descafeinado;
  • Chá de hortelã;
  • Chá preto ou chá verde – mesmo sem cafeína;
  • Suco de laranja ou toranja;
  • Pimenta preta;
  • Pimenta malagueta;
  • Semente de mostarda;
  • Noz-moscada;
  • Produtos laticínios feitos à base de leite integral ou creme;
  • Chocolate;
  • Queijos apimentados/picantes/temperados;
  • Carnes altamente gordurosas e temperadas como linguiça, bacon, salame e frios;
  • Produtos do tomate como massa de tomate, suco de tomate e molho de tomate;
  • Alimentos ricos em gorduras ruins, sal e açúcar.

Atenção

Como cada quadro de úlcera é diferente do outro e cada paciente pode reagir de uma maneira a determinada comida ou bebida, o ideal é que se tenha um acompanhamento do médico e do nutricionista para montar uma dieta para úlcera, que contribua com o alívio dos sintomas e a melhoria do caso.

Precisamos lembrar ainda que este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir as opiniões e orientações profissionais e qualificados do médico e do nutricionista.

Vídeos:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já precisou fazer uma dieta para úlcera específica? Como foi diagnosticada e como se deu o tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho é especialista em Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Ultrassonografia - CRM 52.104130-4. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

Deixe um comentário