O Que suas Fezes Revelam Sobre sua Saúde – Tipos e Cuidados

Você sabia que pode ser muito importante para a sua saúde observar as suas fezes antes de dar a descarga? Algumas características das fezes como sua textura, sua cor e o seu cheiro, assim como a frequência das suas evacuações, podem dar pistas de como anda a sua saúde.

Através de observações como essas, é possível ter ideia se algo está errado com a saúde, sendo possível identificar uma desidratação ou falta de fibras na dieta, por exemplo.

  Continua Depois da Publicidade  

Aqui, vamos mostrar o que suas fezes revelam sobre sua saúde e você vai se surpreender com o que é possível descobrir apenas dando uma simples olhada no vaso sanitário antes de apertar a descarga.

Fezes

Ler este artigo pode ser desagradável para algumas pessoas, mas é preciso admitir que as fezes são parte do nosso dia a dia e é preciso deixar o “nojo” de lado e observar mais todas as coisas que acontecem com o seu corpo, incluindo as fezes.

As fezes são compostas basicamente de alimentos não digeridos, proteínas, sais, bactérias e outras substâncias que são produzidas e eliminadas através do intestino. Embora nossas fezes não sejam idênticas todos os dias, é possível identificar alguns sinais que indicam que algo não vai tão bem.

O que suas fezes revelam sobre sua saúde?

Cada indivíduo no planeta Terra apresenta fezes diferentes, mas há alguns fatores básicos que são aproximadamente similares para todos e que compõem um “cocô saudável”, tais como a cor, a forma, o tamanho, a consistência, a frequência e o tempo de evacuação.

De acordo com o gastroenterologista Anish A. Sheth da University Medical Center of Princeton nos Estados Unidos, prestar atenção nas fezes pode dar informações sobre a quantidade de fibras que o indivíduo está ingerindo ou sobre problemas de saúde como uma doença inflamatória intestinal ou até mesmo algum tipo de câncer.

Abaixo, mostramos algumas das características mais comuns encontradas em fezes saudáveis e alguns indicativos que podem sugerir problemas de saúde.

Cor

Fezes saudáveis costumam apresentar variações da cor marrom que se devem à presença de bilirrubina, que é um pigmento formado por meio da quebra dos glóbulos vermelhos no organismo que é eliminado pelas fezes.

– Fezes pretas ou amarelas

Qualquer alteração de cor para tons muito escuros ou tons de amarelo pode indicar problemas no processo digestivo. O cocô preto, por exemplo, pode indicar o uso de medicamentos contendo bismuto, a ingestão de suplementos de ferro ou sugerir a presença de um sangramento no trato gastrointestinal superior. As fezes amarelas podem indicar a presença de gordura, o que tem a ver com a má absorção de nutrientes ou com a doença celíaca.

– Fezes pálidas

  Continua Depois da Publicidade  

Apresentar fezes de cor clara por muitos dias seguidos, por exemplo, pode indicar a presença de uma pedra no ducto biliar, um distúrbio no fígado ou um câncer no pâncreas. Isso geralmente acontece por causa de um bloqueio que impede a passagem da bile, um fluido digestivo muito importante para a digestão que é produzido no fígado e na vesícula biliar.

– Fezes vermelhas

Vale ressaltar que o uso de alguns medicamentos ou a ingestão de certos alimentos como a beterraba, por exemplo, podem alterar a cor das fezes, deixando-as vermelhas ou mais escuras sem representar um risco à saúde. Em outros casos, a cor vermelha pode ser observada devido a algum sangramento no trato intestinal inferior ou por causa de uma hemorroida.

– Fezes verdes

A cor verde, por exemplo, pode ser observada no cocô junto com tons de marrom se você comer espinafre ou outro alimento que tenha essa cor. Se não for o caso, pode ser um sinal de infecção ou significar que as fezes estão passando muito rápido através do trato digestivo.

Assim, se a cor mudar por vários dias sem o consumo de nenhum produto específico ou se sangue for encontrado nas fezes, é sinal de que há algum problema de saúde que deve ser investigado por uma equipe médica.

Cheiro

É normal que as fezes apresentem um odor desagradável. Tal cheiro se deve à presença de compostos conhecidos como mercaptanos e que contêm enxofre em sua composição.

Alguns alimentos podem fazer com que mais dessas substâncias sejam formadas no processo digestivo, o que pode fazer com que as fezes fique mais fedidas. É o caso de alimentos como o repolho, a batata doce, a cebola, o feijão e a couve de Bruxelas, por exemplo.

Porém, fezes com cheiros extremamente desagradáveis podem indicam a presença de um sangramento gastrointestinal ou um problema na digestão de gorduras por causa de problemas em órgãos como o fígado e o pâncreas.

Formato

Embora a forma seja o aspecto que mais pode variar nas fezes, o mais comum é que o cocô apresente um formato de “salsicha”. Mas tudo bem se as suas fezes apresentarem um formato um pouco diferente disso, pois há uma escala que falaremos mais adiante sobre os formatos que elas podem adotar.

Tamanho

Apesar do tamanho das fezes também poder variar, não é normal elas serem muito pequenas. As fezes devem ter pelo menos alguns centímetros de comprimento e não devem causar desconforto ou dor na hora da evacuação.

Consistência

A consistência das fezes deve ser firme e “macia”. Se elas forem duras ou moles demais, pode haver um problema relacionado à falta ou ao excesso de fibras na dieta ou a problemas de saúde como a má digestão.

  Continua Depois da Publicidade  

A presença de muco nas fezes, por exemplo, pode ser um sinal de síndrome do intestino irritável ou de doença celíaca.

Tempo de evacuação

Sabe aquelas pessoas que ficam dezenas de minutos no banheiro tentando evacuar? Isso não é normal. Um cocô saudável deve sair com facilidade e não deve demorar mais do que 1 minuto para sair do intestino.

Como algumas pessoas têm um ritual e gostam de ficar um pouco de tempo a mais no banheiro na hora de evacuar, é considerado saudável permanecer no banheiro no máximo por 15 minutos durante a evacuação. Mais tempo do que isso pode indicar uma constipação, por exemplo.

Frequência

A frequência de ir ao banheiro pode variar de pessoa para pessoa, mas em média, uma pessoa com o sistema digestivo saudável tende a ir ao banheiro em dias alternados ou diariamente até 3 vezes por dia. Se uma pessoa fica sem evacuar por 2 dias ou mais seguidos, é provável que ela sofra de constipação.

Tipos de fezes

Existe uma escala chamada de escala de fezes de Bristol que é um indicador de como o formato ou a consistência do cocô pode ter a ver com problemas na digestão. Tal escala é dividida em 7 tipos de fezes, que vamos conhecer agora.

Tipo 1

A aparência das fezes do tipo 1 são pequenos pedaços bem duros e separados entre si que se parecem com nozes e que podem ser difíceis de passar pela cavidade anal.

Esse tipo de cocô não deve ser observado com frequência e indica que a pessoa está sofrendo de constipação grave.

A falta de fibras na dieta não permite o acúmulo de pedaços maiores de fezes, o que justifica os pedaços pequenos. De acordo com especialistas, o indicado é consumir cerca de 25 a 35 gramas de fibras dietéticas por dia.

Uma hidratação inadequada também pode resultar nesse tipo de fezes, já que o corpo não está recebendo as quantidades necessárias de líquidos que têm papel essencial no processo digestivo.

Tipo 2

Trata-se de um cocô em formato de “salsicha” irregular, como se fossem várias bolinhas de fezes grudadas entre si.

O tipo 2 de fezes também não deve ser observado com frequência e pode indicar constipação leve ou moderada.

Tipo 3

O tipo 3 é considerado as fezes dos sonhos. Uma pessoa que tem um sistema digestivo ótimo apresenta fezes nesse formato com frequência.

O tipo 3 é um tipo de fezes que tem formato de “salsicha” regular e que pode apresentar algumas rachaduras em sua superfície. Geralmente, ele é “macio” e passa pela cavidade anal com facilidade.

Tipo 4

O tipo 4 apresenta um formato semelhante a uma cobra, que pode ser parecido com a “salsicha”, mas com algumas curvas suaves.

Ele pode ser um pouco mais macio do que o do tipo 3, mas ainda assim é considerado um cocô normal e saudável que pode ser observado a cada 1 ou 3 dias.

Tipo 5

São cocôs pequenos assim como os do tipo 1, mas que ao contrário deles são suaves e passam facilmente através da cavidade anal. Apesar de pequenos, eles apresentam bordas bem nítidas e firmes.

Esse tipo de fezes pode indicar que o indivíduo não está ingerindo a quantidade ideal de fibras e precisa aumentar o consumo de fibras dietéticas por meio do consumo de vegetais e cereais, por exemplo.

Tipo 6

O tipo 6 é muito macio com bordas irregulares e pouco firmes. Ou seja, é um tipo de cocô pouco consistente que pode indicar uma diarreia leve ou que você ingeriu mais fibras do que precisava naquele dia.

Nesses casos, o indicado é aumentar a ingestão de água para prevenir a desidratação.

Tipo 7

As fezes do tipo 7 são a famosa diarreia. Trata-se de um cocô completamente líquido que geralmente te causa um grande desconforto gastrointestinal.

Esse tipo de fezes é observado quando o cocô não é saudável. Isso acontece quando as fezes se movem muito rapidamente pelo sistema digestivo e não formam um cocô saudável. Tal fato pode acontecer pelo excesso de fibras, por uma doença ou pela ingestão de alimentos contaminados ou que causam alergia, por exemplo.

Algumas condições de saúde que costumam causar diarreia incluem infecções virais, intolerâncias alimentares ou doenças gastrointestinais como a doença de Crohn ou a colite.

Cuidados

Além do que já foi discutido acima, há alguns outros sinais nas fezes que podem indicar problemas de saúde.

– Limpeza

Ter que limpar o ânus muitas vezes depois de evacuar é um deles. Apresentar fezes com textura parecida com um gel e que são difíceis de limpar pode indicar um sangramento gastrointestinal ou uma hemorroida. Nestes casos, é muito importante procurar um médico para avaliar a situação.

– Dor

Se você sente dor durante as evacuações, 2 são as possíveis causas. A primeira é que você está sofrendo de constipação, o que dificulta muito a saída do cocô e pode causar dor. A segunda é que todo o esforço para evacuar tenha causado hemorroidas ou lacerações no músculo esfincteriano. Qualquer que seja o motivo, o problema deve ser tratado adequadamente para aliviar a dor e facilitar a evacuação.

– Dieta

Cuidado especial deve ser tomado com a dieta que adotamos no nosso dia a dia, pois ela tem tudo a ver com a nossa saúde digestiva.

A dieta adotada pela maioria das pessoas hoje é rica em alimentos processados e pobre em nutrientes e fibras. Essa insuficiência de fibras na dieta é o principal fator que causa constipação em grande parte da população.

O ideal seria se todas as pessoas ingerissem 35 gramas de fibras por dia. Isso pode ser feito facilmente através da inclusão de pequenas porções de leguminosas, frutas, grãos integrais e legumes na dieta diariamente. Além disso, beber de 1,5 a 2,0 litros de água por dia pode ajudar a facilitar a digestão e a aliviar a prisão de ventre.

Quando procurar um médico?

Pequenas alterações nas fezes podem acontecer sem significar que você precisa correr para o médico. Geralmente, algumas mudanças podem ser observadas quando você come alguma coisa diferente durante o dia ou se não se hidratou muito bem, por exemplo.

No entanto, alguns sinais ajudam a identificar quando a visita ao médico é necessária. Casos em que um médico deve ser consultado quando é observada:

  • Uma perda de peso anormal;
  • A presença de sangue nas fezes;
  • Uma diarreia que perdura por mais de um dia;
  • Um histórico familiar de doença inflamatória intestinal.

Além disso, é importante buscar apoio médico quando alterações nas fezes são notadas logo depois de o indivíduo retornar de uma viagem internacional, pois isso pode indicar que ele contraiu alguma doença infecciosa no país visitado.

Uma vez ou outra é normal o cocô mudar um pouco, mas se as alterações forem observadas por mais de 2 dias, é essencial consultar um profissional. Casos de constipação ou diarreia crônicas podem prejudicar muito o organismo, causando até uma obstrução intestinal ou prejudicando a absorção de nutrientes e a hidratação.

Na próxima vez que for ao banheiro, dê uma espiada para ver se está tudo bem. Trata-se de uma maneira simples de monitorar a sua saúde e que não custa nada.

Fontes e Referências Adicionais:

Você costuma ir ao banheiro quantas vezes por dia? Já tinha noção do que suas fezes revelam sobre a sua saúde? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário