Desidratado

7 Sintomas da Desidratação e Como Evitar

A desidratação ocorre quando os fluidos do nosso corpo, especialmente a água, saem mais do que a quantidade que entra em nosso organismo. Normalmente, perdemos um volume diário de água por processos naturais como suor, urina, fezes e em forma de vapor da respiração, e junto com a água perdemos sais e outros componentes essenciais.

A água tem muitas funções importantes para o bom funcionamento do corpo, por isso a desidratação em alguns casos pode se tornar um problema grave.

Alguns sintomas podem indicar que o seu corpo não está repondo os fluidos perdidos em quantidades suficientes e você está ficando desidratado. Veja quais são os sintomas da desidratação mais comuns aqui.

1. A sede

O aumento da sede é o mecanismo mais comum para avisar que o seu corpo precisa aumentar o volume de água ingerido ,embora seja importante ressaltar que, em alguns casos, como por exemplo em idosos, só se percebe a sede quando já se está em um quadro de desidratação, o que faz com que a sede não seja um sintoma preciso para algumas pessoas.

2. Boca, lábios, língua seca e olhos secos sem lágrimas

Com a diminuição da água no corpo, a produção de saliva também diminui, levando ao ressecamento dos lábios e sensação de boca seca.

Os olhos secos sem lágrimas são um dos principais sintomas da desidratação em crianças e bebês.

3. Mudanças na cor da urina

A urina é um ótimo meio de avaliar o seu nível de hidratação diária, basta você observar a sua coloração – quanto mais clara, mais hidratado você estará.

Então, em quadros de desidratação, a sua urina estará escura e com odor forte, pois os rins reservam a água em forma de urina, o que permite que as toxinas sejam eliminadas e a água retida. Dessa maneira, os rins conseguem continuar exercendo as suas funções em momentos de escassez de fluídos.

4. Diminuição do volume da urina

A diminuição no volume da urina também é um dos sintomas da desidratação. Um mecanismo do corpo avisar que está precisando de líquido é reter a água que ainda resta no organismo. Para adultos, urinar menos que 3 a 4 vezes no dia pode ser um sinal de desidratação e um alerta para bebês se a fralda se mantiver seca por 3 horas.

5. Cansaço, sonolência e fraqueza

Junto com a água, vão embora também eletrólitos, entre eles potássio e sódio. A perda desses minerais desregula as funções normais do organismo, fazendo com que o corpo fique fraco e cansado. Por isso, em vez de hidratar o corpo somente com água, dê preferência a uma bebida que reponha esses minerais com uma fórmula balanceada de eletrólitos, como por exemplo o soro caseiro ou os soros disponíveis na farmácia que já vêm prontos para beber.

6. Dor de cabeça

O nosso corpo todo é afetado pela falta de líquido, não seria diferente com o nosso cérebro. Com a perda de fluídos, o cérebro sofre uma retração, o que o distancia do crânio, fazendo com que os receptores de dor na membrana que protegem o cérebro (meninges) sejam acionados.

Daí, aquela dor irritante que parece que alguém esta martelando a sua cabeça. Hora de parar o que está fazendo e tomar bastante água!

7. Tontura

A tontura é um dos sintomas da desidratação que ocorre pela hipotensão e diminuição do volume sanguíneo no corpo, causados pela falta de líquido no organismo.

Outros sintomas da desidratação

Além dos citados acima, existem outros sintomas da desidratação, porém eles são perceptíveis em quadros mais severas, sendo eles:

  • Olhos profundos;
  • Cansaço extremo (principalmente em crianças, geralmente são muito ativas e ficam apáticas);
  • Moleira afundada (um sinal vermelho para bebês)
  • Pela seca (pouca elasticidade, quando você puxa a pele com um beliscão e a pele volta bem devagar para o lugar);
  • Palpitações (aumento da frequência cardíaca);
  • Hipotensão (quando a pessoa tenta levantar a pressão cai);
  • Febre;
  • Convulsão;
  • Delírio, inconsciência e coma;
  • Volume sanguíneo baixo / Choque hipovolêmico (A perda severa de fluídos pode ocasionar na mais grave complicação da desidratação, podendo ser fatal).

Como evitar a desidratação

  1. Tratando-se da prática de exercícios físicos, você deve ingerir muito líquido antes, durante e após o treino. Procure tomar água a cada 15/20 minutos. Se o seu treino durar mais de uma hora e você suar muito, um isotônico pode te ajudar a se manter hidratado e repôr os minerais.
  2. Evite dietas à base de proteína, e se você estiver fazendo uma, aumente o seu consumo diário de água – é indicado tomar de 8 a 12 copos por dia.
  3. Em dias muito quentes no verão, tome muita água, incentive as crianças a tomarem bastante líquido e se a criança não for muito adepta a água, ofereça também picolés de frutas, dando preferência aos naturais.
  4. Evite bebidas alcoólicas, incluindo a cerveja e o vinho. O álcool aumenta os sintomas da desidratação.
  5. Consumir muito café também contribui com a desidratação, já que possui propriedades diuréticas.
  6. Evite também bebidas com açúcar, principalmente em quadros de diarreia e vômito, em que o consumo de açúcar pode agravar o quadro.
  7. Em casos de diarreia e vômito, ingira muito líquido, especialmente bebidas que reponham os eletrólitos, como o caso do soro caseiro.
  8. Para bebês, crianças e idosos, a desidratação pode ser potencialmente perigosa, já que eles ficam desidratados rapidamente e muitas vezes não conseguem se comunicar e informar como estão se sentindo. Então, atenção redobrada aos sintomas.
  9. Também é valido lembrar que frutas e vegetais têm uma boa quantidade de água e contribuem com a hidratação do corpo.
  10. Para facilitar a sua vida, carregue sempre uma garrafinha de água junto de si, assim ficará mais fácil de lembrar que você precisa de água.
  11. Outra dica são aplicativos que você pode baixar gratuitamente no seu celular, que controlam e avisam sobre a quantidade diária de água que você está consumindo.

Agora que você já sabe que a desidratação pode ser mais séria do que você imaginava, além de tomar esses cuidados acima para evitar a desidratação, fique atento às possíveis causas e sintomas da desidratação, sempre aumentando o consumo de água em casos como: alguma doença, por exemplo, diarreia, vômito, diabetes, mudanças no clima, principalmente no verão, e ao praticar exercícios físicos.

Você costuma perceber quais sintomas da desidratação quando está com a condição? Costuma tomar bastante água no seu dia a dia? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*