Alimentos Bociogênicos – O Que São e Lista

Especialista:
atualizado em 27/12/2019

Conforme o próprio nome já entrega, os alimentos bociogênicos são aqueles que podem provocar o bócio. Veja a seguir em maiores detalhes o que são e quais são os principais.

A condição é identificada como uma dos problemas na tireoide e pode ser diagnosticada através de um exame de cintilografia da tireoide.

O bócio

O que é o bócio? Essa condição é descrita como o alargamento anormal da glândula tireoide, que produz hormônios e fica localizada na base do pescoço. Geralmente a doença é indolor, embora um bócio grande possa provocar tosse e dificuldades para engolir ou respirar.

Além desses sintomas, o bócio pode causar uma sensação de aperto na garganta, rouquidão e um inchaço perceptível no pescoço, que pode ser particularmente evidente quando a pessoa faz a barba ou coloca maquiagem.

Entretanto, quando a condição é provocada por outras doenças, outros sinais (associados a esses problemas de saúde) também podem ser experimentados. Por outro lado, não são todas as pessoas atingidas pelo bócio que vão apresentar sintomas.

Este alargamento anormal da glândula tireoide pode ser provocado por uma série de fatores como: deficiência de iodo, hipertireoidismo/doença de Graves (condição em que há a produção excessiva do hormônio tiroxina da tireoide), hipotireoidismo/doença de Hashimoto (condição em que ocorre uma baixa produção hormonal na tireoide), desenvolvimento de nódulos na tireoide, inflamação, gravidez ou câncer na tireoide.

Entretanto, ser diagnosticado com o bócio não significa exatamente que a glândula tireoide do paciente não esteja funcionando apropriadamente. É possível que, mesmo alargada, a tireoide produza quantidades normais de hormônios.

Por outro lado, também é possível que haja uma produção de bastante ou de muito pouco tiroxina e tri-iodotironina – que é outro hormônio produzido pela glândula tireoide.

Lista de alimentos bociogênicos

Agora que já sabemos o que são os alimentos bociogênicos, chegou a hora de conhecermos quais alimentos já foram apontad0s como bociogênicas.

Os seguintes alimentos contêm substâncias bociogênicas que bloqueiam a captação de iodo pela glândula tireoide:

  • Repolho;
  • Couve-de-bruxelas;
  • Nabo;
  • Couve;
  • Mandioca;
  • Brócolis;
  • Couve-flor;
  • Soja;
  • Amendoim.

Os isotiocianatos, compostos encontrados na composição dos vegetais crucíferos, já foram acusados na internet de serem bociogênicos. Alguns exemplos de vegetais crucíferos incluem: couve, brócolis, rúcula, agrião, repolho couve-flor, couve-de-Bruxelas, acelga, rabanete, nabo, mostarda e raiz forte (wasabo).

A justificativa apresentada é que esses tais isotiocianatos interferem na capacidade do organismo para absorver o iodo, que é conhecido como um mineral fundamental para o funcionamento da glândula tireoide.

Ao lado dos isotiocianatos, as isoflavonas e o flúor também são apontados como agentes bociogênicos.

Além de serem encontrados nos vegetais crucíferos, essas substâncias podem estar presentes em uma série de alimentos como:

  • Derivados da soja (leite de soja, tofu, proteína de soja, carne de soja);
  • Batata-doce;
  • Sementes oleaginosas (amêndoa, castanha de caju, noz, semente de abóbora e de linhaça);
  • Uva;
  • Pera;
  • Pêssego;
  • Morango;
  • Espinafre;
  • Chá.

Por outro lado, os crucíferos são extremamente saudáveis e devem fazer parte da nossa dieta diária. Os vegetais crucíferos têm inúmeros benefícios: muitos nutrientes, fibras, poucas calorias, efeito detox, ação imunoestimulante, ação reguladora e protetora do intestino, ação prebiótica.

A preocupação a respeito dos efeitos negativos dos vegetais crucíferos em relação à glândula tireoide é decorrente de pesquisas conduzidas em animais.

De acordo com os resultados desses trabalhos, os isotiocianatos poderiam interferir na síntese de hormônio da tireoide ou na captação de iodo por parte da glândula.

No entanto, isto não foi confirmado em estudos com seres humanos e o consenso científico atual é que os vegetais crucíferos só poderiam ser prejudiciais para a tireoide em casos de deficiência severa de iodo ou uma ingestão de iodo insuficiente.

Alguns alimentos podem promover um efeito bociogênico no organismo caso sejam consumidos de maneira excessiva, em uma quantidade realmente muito elevada, ou nas situações em que a pessoa tiver uma ingestão bastante baixa de iodo.

Na realidade, é quase impossível consumir vegetais crucíferos suficientemente para prejudicar a tireoide. Houve um caso isolado de uma mulher de 88 anos que desenvolveu bócio e hipotireoidismo agudo depois de comer um quilo e meio de bok choy (acelga chinesa) crua, diariamente e por vários meses, acreditando que isto poderia ajudar na sua diabetes – aí sim houve uma ingestão excessiva e prejudicial.

Já conforme uma matéria da endocrinologista Laura Ward, presidente do Departamento de Tireoide da SBEM na gestão 2011/2012, alimentos como soja, repolho, nabo e couve devem ser consumidos somente uma ou duas vezes a cada semana, mas não diariamente, por quem sofre com problemas na glândula tireoide.

Entretanto, a especialista também relatou à SBEM que não é costumeiro proibir a ingestão de determinados alimentos para as pessoas que possuem esses tipos de problemas.

De acordo com Ward, geralmente o ideal é que o paciente mantenha uma alimentação saudável e equilibrada e somente em situações particulares como a realização de exames ou em tratamentos específicos é que existe a recomendação de uma dieta direcionada.

Portanto

Se você quer evitar o bócio ou problemas na tireoide ou já sofre com uma dessas condições, antes de excluir possíveis alimentos bociogênicos da dieta, principalmente se tratarem-se de comidas saudáveis, consulte o médico.

O profissional é qualificado para avaliar quais alimentos realmente precisam deixar de ser consumidos ou passar a ser ingeridos com menor frequência para o benefício do tratamento.

Se for o caso do médico determinar a retirada ou a limitação do consumo de alguns alimentos na sua dieta, então será fundamental ter o auxílio de bom nutricionista para saber como montar as refeições de modo que o fornecimento de nutrientes ao organismo não saia prejudicado.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já conhecia os alimentos bociogênicos? Pretende evitá-los na sua dieta por conta desse possível efeito? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário