Exame de Cintilografia da Tireoide – O Que é, Para Que Serve, Indicações e Preparo

Sintomas de problemas na tireoide precisam ser investigados por meio de exames para que qualquer disfunção na glândula seja detectada e corrigida por meio de tratamento médico. Conheça a seguir tudo sobre o exame de cintilografia da tireoide, como ele funciona, para que ele serve e muito mais.

Exames da tireoide são importantes já que alterações no funcionamento da glândula podem afetar todo o resto do corpo. A cintilografia é um exame mais específico que ajuda a identificar e localizar nódulos na tireoide além de outros problemas que podem afetar a tireoide.

Detalhes sobre o preparo, as indicações e para que serve esse exame são encontrados nesse artigo para que você saiba o que esperar desse tipo de exame e entenda o seu significado.

Exame de cintilografia da tireoide – o que é?

A glândula tireoide é essencial para manter os hormônios do organismo em equilíbrio e preservar a saúde de outros tecidos e órgãos.

O exame de cintilografia da tireoide é um teste de imagem que escaneia toda a glândula.

Essa varredura só é possível com o uso de alguma substância radioativa que atua como um corante que permite a obtenção de uma imagem nítida da tireoide.

Tanto o elemento químico tecnécio quanto o iodo radioativo podem ser usados nesse exame devido à grande afinidade deles pela glândula tireoide. O iodo radioativo – em pequenas quantidades – é geralmente o material escolhido para identificar problemas mais comuns como o hipertireoidismo ou o hipotireoidismo. Já o tecnécio é o mais indicado para detectar nódulos.

Tanto as células normais quanto a maioria das células cancerosas da tireoide absorvem o iodo naturalmente. Assim, a substância radioativa tende a se acumular no tecido da tireoide e, com uma câmera especial que detecta emissões radioativas, é possível visualizar o estado da sua tireoide.

Para que serve

Além de avaliar o funcionamento da tireoide de uma forma geral, o exame de cintilografia serve principalmente para investigar anormalidades detectadas em exames físicos ou em exames de sangue.

O teste é capaz de ajudar no diagnóstico das seguintes condições:

  • Inflamação ou inchaço na tireoide;
  • Cistos, nódulos ou outros crescimentos anormais na glândula;
  • Bócio, que é um aumento do tamanho da tireoide;
  • Hipertireoidismo;
  • Hipotireoidismo;
  • Câncer de tireoide.

O exame também é útil para monitorar o tratamento após o diagnóstico.

Indicações

Uma cintilografia da tireoide só é indicada para pessoas que:

  • Apresentam alteração significativa em um ou mais hormônios da glândula em um exame de sangue;
  • Tem nódulos ou bócios palpáveis através de um exame físico na tireoide;
  • Constataram anormalidade em uma ultrassonografia da tireoide;
  • Precisam planejar um tratamento com iodo radioativo;
  • Se encontram em tratamento e precisam monitorar a evolução do quadro.

Preparo para o exame

Para que o resultado do exame seja o mais preciso possível, é importante seguir algumas recomendações.

Quanto ao uso de medicamentos:

Se você estiver usando qualquer tipo de medicamento, é necessário avisar o médico pois alguns remédios podem interferir no exame.

Medicamentos para a tireoide podem precisar de ajustes na dose por 4 ou 6 semanas antes do teste. O uso deles também pode ser totalmente interrompido se essa for a orientação médica.

Alguns remédios para o coração ou qualquer coisa que contenha iodo também pode precisar de ajustes.

Remédios que podem afetar os resultados incluem:

  • Anti-histamínicos;
  • Remédios para a tosse;
  • Estrogênio;
  • Corticosteroides;
  • Barbitúricos;
  • Hormônio adrenocorticotrópico;
  • Solução de lugol;
  • Fenotiazinas;
  • Tolbutamina;
  • Nitratos.

Quanto ao uso de suplementos e vitaminas:

É recomendado suspender temporariamente o uso de multivitamínicos ou de suplementos contendo iodo.

Quanto à alimentação:

É melhor evitar ingerir alimentos ricos em iodo por pelo menos 1 semana antes de fazer o exame já que eles também podem alterar os resultados. Assim, não é indicado consumir:

  • Sal iodado;
  • Tempero que contém sal iodado;
  • Marisco;
  • Laticínios;
  • Sushi;
  • Algas marinhas como a kelp.

Quanto à realização de outros exames:

Outros exames de imagem que também usam iodo radioativo não devem ser feitos antes de uma cintilografia porque podem ocorrer alterações nos resultados.

O indicado é dar um intervalo de algumas semanas entre os exames para evitar problemas.

Outras recomendações:

O jejum por pelo menos 2 horas antes do exame pode ser necessário. Siga as orientações do laboratório em que você fizer o exame.

Além disso, é preciso remover qualquer acessório de metal como joias e cintos antes do exame.

O exame

O exame de cintilografia é um pouco demorado, pois é preciso medir a quantidade de tecnécio ou de iodo radioativo absorvida em determinados intervalos de tempo.

Em geral, quando o exame é feito com o tecnécio, a radiação é medida 2 horas depois de injetar o tecnécio por via intravenosa.

No caso do iodo radioativo, é preciso obter 2 imagens depois que o paciente toma o iodo radioativo por via oral. A primeira imagem é registrada 2 horas depois da administração do iodo e o paciente é liberado para ir embora. Mas, no dia seguinte, 24 horas depois do início do exame, é preciso retornar ao laboratório para fazer mais uma medida.

Riscos

A cintilografia de tireoide é um exame seguro, pois a quantidade de radiação utilizada é bem baixa. O único risco está relacionado com reações adversas ao iodo radioativo. Ainda assim, a reação é bem leve e consiste no rubor cutâneo temporário.

O exame é contraindicado para mulheres grávidas ou lactantes para não colocar em risco o desenvolvimento do bebê, já que, para eles, mesmo pequenas doses de radiação podem ser muito prejudiciais.

As lactantes podem fazer o exame desde que suspendam a amamentação por pelo menos 2 dias depois da cintilografia para ter certeza que todo o iodo foi eliminado do seu sistema.

Interpretando o resultado de uma cintilografia da tireoide

Um exame de cintilografia com resultados normais não mostra uma imagem clara da tireoide, mas indica os locais da glândula que absorveram maiores quantidades de radiação.

Uma absorção alta pode indicar uma tireoide hiperativa e uma absorção baixa pode sugerir uma tireoide hipoativa produzindo menos hormônios do que deveria.

A maioria dos tipos de câncer da tireoide absorvem bastante iodo e, dessa forma, o exame também ajuda a diagnosticar e localizar tumores na glândula.

Através de uma cintilografia, o médico é capaz de identificar várias condições de saúde como:

  • Hipertireoidismo;
  • Doença de Graves (um tipo de hipertireoidismo);
  • Tireoidite silenciosa (inflamação na tireoide);
  • Bócio nodular coloide devido à falta de iodo na glândula;
  • Bócio nodular tóxico que é o aumento de um nódulo em bócio pré-existente.

É fundamental seguir o tratamento indicado pelo médico em casos de anormalidades.

As alterações hormonais provocadas pela disfunção da glândula tireoide podem afetar várias outras funções essenciais para o funcionamento adequado do seu corpo. Assim, é indispensável monitorar a sua saúde e cuidar bem da sua glândula.

Vídeos:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já sabia para que sere o exame de cintilografia da tireoide? Conhece alguém que já passou por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário