Angina (dor no peito) – O que pode ser e tratamento

Especialista da área:
atualizado em 30/03/2021

Saiba o que pode ser a angina (dor no peito) e o que ela significa. Além disso, veja quais são os principais tipos e como é o seu tratamento.

  Continua Depois da Publicidade  

A dor no peito pode surgir em vários momentos e nem sempre ela tem um significado ruim. Mas é muito importante estar atento aos sinais do seu corpo a fim de diagnosticar ou prevenir doenças cardiovasculares.

Em geral, a dor no peito relacionada a problemas cardíacos indica que o coração está recebendo menos sangue do que deveria.

A maioria das pessoas que sofrem de angina relatam que a dor surge principalmente durante a prática de atividades físicas.

Veja então o que pode ser essa dor no peito e quando o tratamento é necessário. 

Tipos de angina

Antes de mais nada, a angina é um sintoma e não um problema de saúde. Por isso, é preciso considerar se existem outros sintomas além da dor no peito, como por exemplo:

  • Falta de ar;
  • Suor;
  • Náusea;
  • Fadiga;
  • Desconforto no peito ou nos braços.

Além disso, é importante saber se você já tem um problema cardíaco que pode estar por trás da dor.

Existem alguns tipos de angina. Os principais são a estável e a instável. Há ainda a microvascular e a variante, que são menos comuns.

1. Angina estável

Geralmente, a angina estável segue um padrão e ocorre depois de esforço físico ou situação de estresse. No entanto, a dor no peito passa com um remédio ou com o repouso.

2. Angina instável

A angina instável não tem um padrão e, por isso, pode ser mais grave. Esse tipo pode acontecer em repouso. Além disso, a dor dura mais tempo e pode não melhorar com remédios.

  Continua Depois da Publicidade  

Na suspeita de angina instável, é importante procurar um médico imediatamente, pois o quadro pode evoluir para um ataque cardíaco.

3. Angina microvascular

É parecida com a angina instável, pois pode ocorrer em atividades cotidianas. A dor pode durar bastante tempo e ser bem intensa. Um fato curioso é que esse tipo de dor no peito afeta mais as mulheres e os remédios não melhoram a dor.

4. Angina variante (ou de Prinzmetal)

Por fim, trata-se de um tipo raro de angina que pode ocorrer durante o repouso ou até mesmo durante o sono. Ele é causado por um espasmo das artérias do coração, o que pode causar dor.

Felizmente, o problema pode ser aliviado com remédios, mas em alguns casos pode ocorrer arritmia cardíaca.

O que pode ser

mulher com angina

Muitas coisas podem causar dor no peito, mas as principais causas são:

Estreitamento das artérias 

De fato, o estreitamento das artérias faz com que menos sangue passe por elas. Dessa forma, o coração passa a receber menos sangue do que está acostumado. Em algumas pessoas, isso pode desencadear desconforto e pressão no peito.

Aterosclerose 

A doença arterial coronária (aterosclerose) é a principal causa de dor no peito. Esse é um tipo de estreitamento das artérias causado pelo acúmulo de placa nas paredes das artérias do coração.

Outros problemas que podem estreitar as artérias são os espasmos repentinos da artérias e a doença microvascular coronariana.

  Continua Depois da Publicidade  

Coágulos de sangue

A angina instável pode resultar da formação de um coágulo de sangue nas artérias ao redor do coração. Por sua vez, esse coágulo pode bloquear ou prejudicar o fluxo de sangue, causando a dor no peito.

Ansiedade

A dor no peito também pode resultar de causas não cardíacas – como a ansiedade, por exemplo. De fato, o estresse emocional é capaz de alterar a necessidade de oxigênio do coração, causando sintomas físicos como a angina.

Tratamento

O diagnóstico é feito por exames do coração e também por uma análise clínica dos sintomas.

Se uma doença cardíaca for associada com a dor no peito, você pode ser orientado pelo seu médico a fazer um tratamento medicamentoso, que pode incluir remédios como por exemplo:

  • Vasodilatadores;
  • Betabloqueadores;
  • Anticoagulantes como a heparina;
  • Antiplaquetários como a aspirina;
  • Estatinas;
  • Bloqueadores dos canais de cálcio.

Aliás, confira também todos os remédios para o coração mais usados.

Em alguns casos, o médico pode indicar uma cirurgia. Um exemplo de procedimento cirúrgico para angina é a angioplastia – que é a desobstrução de artérias coronárias. 

Para evitar episódios de angina e, consequentemente, problemas de saúde cardíaca, vale seguir as dicas:

  1. Evitar o fumo;
  2. Perder peso se você estiver acima do peso ideal;
  3. Exercitar-se de acordo com a recomendação médica;
  4. Reduzir o estresse;
  5. Controlar a pressão arterial;
  6. Evitar as bebidas alcoólicas;
  7. Descansar após as refeições.

Lembre-se de que há vários fatores de risco que aumentam as chances de dor no peito e de problemas cardíacos relacionados. Alguns deles são justamente a obesidade, o sedentarismo e o tabagismo – que podem ser controlados com a adoção de hábitos de vida mais saudáveis.

Por fim, além de ajudar a melhorar a função cardíaca e reduzir a dor no peito, as dicas acima podem melhorar a sua qualidade de vida como um todo.

Fontes e Referências Adicionais

Você já sentiu uma dor no peito durante uma atividade física? Sofre de algum problema cardíaco? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário