Home » Suplementos » Massa Muscular » Arginina: O Que é, Para Que Serve, Efeitos Colaterais e Como Tomar

Arginina: O Que é, Para Que Serve, Efeitos Colaterais e Como Tomar

Arginina

O que é a tão falada arginina, afinal? A arginina é um aminoácido básico, também conhecido como ácido 2-amino-5-guanidino-pentanoico ou l-arginina. Considerada como aminoácido semi-essencial, a arginina é sintetizada numa quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo.

  Continua Depois da Publicidade  

As proteínas que são ingeridas sofrem um processo de degradação que as transforma em arginina, sendo possível, assim, sua absorção e utilização no ciclo da ureia, dentre outras funções.

Para Que Serve

A arginina possui como uma de suas principais funções o transporte de nitrogênio em humanos e animais, fazendo parte da síntese de moléculas muito importantes. Sua importância está na manutenção dos responsáveis pela defesa imunológica e na cicatrização de feridas.

Esse aminoácido possui inúmeros benefícios, sendo seu consumo por meio do suplemento uma excelente maneira de estimular a produção de linfócitos (o qual possui papel importante na defesa do organismo). Além disso, a arginina ajuda a inibir o crescimento de diversos tipos de tumores; estimula a secreção do hormônio de crescimento, ajuda a cicatrizar ferimentos; inibe a perda de massa muscular após cirurgias; trata problemas e doenças do fígado; ajuda na produção de esperma e na construção de novas células dos ossos e tendões, tratando artrite e desordens do tecido conjuntivo.

A arginina ainda está presente no processo de síntese do óxido nítrico, o qual produz a vasodilatação, levando mais sangue e oxigênio para tecidos e órgãos, contribuindo com a saúde destes. Pesquisas demonstram, inclusive, que a arginina é eficaz para reduzir sintomas de ansiedade.

  Continua Depois da Publicidade  

Efeitos Colaterais

Não há muitos efeitos colaterais a curto prazo gerados pela suplementação com l-arginina, porém, se for consumida de maneira errônea, alguns efeitos negativos poderão surgir. Esse suplemento é contraindicado para diabéticos, pessoas com problemas cardíacos, mulheres grávidas ou amamentando. 

Papel anabólico

Em resumo, pode-se dizer que a arginina tem importante atuação na síntese proteica no organismo, além de agir na perda de gordura, já que seu armazenamento torna-se limitado. Isso explica-se pelo fato de que há uma melhora da retenção de nitrogênio.

A l-arginina ainda funciona como intermediária da síntese do fosfato e da creatina, importantes agentes na explosão de força durante os treinos, ajudando também na recuperação dos músculos após o período de atividade, fornecendo um maior fluxo sanguíneo para as regiões que foram mais tensionadas.

Um dos principais alvos de estudo quando se cita a arginina é o próprio óxido nítrico, sendo este o responsável pela vasodilatação e pelo melhor transporte de sangue e oxigênio pelo organismo. O NO2 é estimulado logo após a suplementação com arginina, por isso é aconselhável consumi-la antes dos exercícios físicos. Além disso, essa suplementação ainda auxilia na estimulação de hormônios de crescimento (GH) responsável pelo estímulo ao aumento de massa magra. Algumas vitaminas, como a nicotinamida e a riboflavina, além do cálcio, são importantes compostos para a formação de NO2.

Para concluir, pode-se dizer que a arginina aumenta a capacidade de realização dos exercícios, contribuindo, também, com a produção de proteínas.

Como Tomar

É recomendável consumir a arginina duas vezes ao dia: a primeira dose, logo ao amanhecer; a segunda, após o treino. Os médicos costumam recomendar de 50 mg a 30 g do suplemento diariamente. Para entender essa grande diferença de quantidade, deve-se entender o tipo físico do atleta, seus hábitos alimentares e seu nível de condicionamento físico.

  Continua Depois da Publicidade  

A arginina pode ser encontrada em diversos alimentos que consumimos no dia a dia, como por exemplo, os feijões. Com a alimentação balanceada, o ser humano consegue consumir até 5g de arginina diariamente. Não é aconselhável manter dosagens altas por muito tempo, pois isso pode gerar tensões no fígado e alguns prejuízos renais.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências

  Continua Depois da Publicidade  

Você já experimentou a suplementação de arginina? Como foram seus resultados? Você a considera um omportante suplemento? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (224 votos, média: 3,88 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

38 comentários

  1. E enquanto ao rins, alguma contra indicação?

  2. Sou Marilza estou com câncer maligno no sangue e já estou fazendo quimioterapia no baço e medula óssea fiz 6 seções de quimioterapia agora estou bem e deve ser o período de Remissão e tenho herpes e pedra nos rins, se eu consumir Arginina vou piorar?

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*