Lisina – O Que é, Para Que Serve, Alimentos Ricos e Suplemento

Especialista:
atualizado em 18/09/2020

A lisina, também conhecida como l-lisina, é um aminoácido essencial, o que quer dizer que o corpo não a fabrica naturalmente e que ela precisa ser ingerida através da dieta. Esse aminoácido essencial é conhecido por suas propriedades antivirais e sua ação na produção de anticorpos e na saúde do sistema imune. A maioria das pessoas consome lisina em quantidades suficientes através da dieta, mas há casos de deficiência de lisina e condições de saúde que podem precisar fazer uso da suplementação desse aminoácido.

Para que serve? Os benefícios da Lisina

A lisina é usada na medicina alternativa para várias condições. A seguir você encontra alguns de seus benefícios.

  • Herpes

Herpes é uma doença viral que pode causar feridas tanto na boca, na herpes oral, quanto nos genitais, na herpes genital. A lisina pode fazer com que os ferimentos surjam com menos frequência e que também se curem de forma mais rápida. A suplementação com 1 a 3 gramas diárias de lisina pode limitar as ocorrências do aparecimento de ferimentos, e tomar o aminoácido quando os ferimentos começam pode reduzir o tempo que eles levam para se curar.

  • Cálcio

A suplementação com lisina pode ajudar o trato gastrointestinal a absorver mais cálcio, além de diminuir a quantidade do mineral que é eliminada pela urina. Embora não se saiba se isso ajuda a reduzir a ocorrência de osteoporose, sabe-se que a suplementação conjunta de lisina e arginina, outro aminoácido, ajuda a estimular o crescimento de novas células ósseas. Essa suplementação também ajuda a aumentar a produção de colágeno, que é importante para manter a saúde das juntas, cartilagens, tendões e pele.

  • Ansiedade

Em dietas que não contêm muitos alimentos ricos em lisina, pode ocorrer deficiência desse aminoácido. Sintomas dessa deficiência podem incluir níveis mais altos de estresse e ansiedade. Em uma publicação do Proceedings of the National Academy of Sciences, cientistas reportaram que ao suplementar dietas com base de cereais com a lisina, reduz-se os níveis de estresse e ansiedade crônicos. Portanto, se há uma falta de lisina na sua dieta, usar esse aminoácido pode ajudar a melhorar sua saúde mental.

  • Saúde do sistema imune

A lisina é usada há muito tempo para melhorar a função imune do corpo. Estudos recentes mostram que a deficiência de lisina pode causar deficiência do sistema imune, o que quer dizer que se você não consome lisina suficiente, você pode acabar ficando doente com mais frequência.

  • Criação e reparo muscular

Aminoácidos em geral são usados pelo corpo para criar e reparar os músculos após os exercícios ou quando sofremos algum tipo de ferimento muscular, como distensões. Assim, é importante que se consuma a quantidade adequada de lisina para ajudar no reparo e criação de músculos.

Outros benefícios da l-lisina incluem:

  • promove crescimento e desenvolvimento normal ao aumentar a produção de colágeno;
  • ajuda na produção de proteínas, como enzimas, anticorpos e hormônios;
  • ajuda a transformar ácidos graxos em energia, ajudando na redução de peso;
  • promove a saúde da pele ao aumentar a produção de colágeno;
  • pode ser usada contra infecções virais;
  • pode aliviar enxaquecas e outros tipos de dor e inflamação;
  • em conjunto com a vitamina C, pode diminuir dores no peito relacionadas a doenças cardíacas.

Deficiência de Lisina

A deficiência de lisina pode ser causada por dietas com base em grãos e cereais, com muito pouca ou nenhuma proteína animal, transtornos alimentares e problemas na absorção de proteínas. Os sintomas desse tipo de deficiência incluem náusea, fadiga, tontura, anemia e perda de apetite.

Alguns problemas de saúde estão relacionados à deficiência de l-lisina, como por exemplo, formação de pedras nos rins, produção baixa de hormônios da tireoide, asma, infecções virais crônicas, crescimento e desenvolvimento anormal e problemas no sistema reprodutivo.

Para evitar ou tratar a deficiência de lisina, a pessoa deve evitar uma dieta rica em açúcares, aumentar a ingestão de arginina, outro aminoácido, consumir alimentos ricos em proteínas, como sardinhas, bacalhau, castanhas, legumes, carne vermelha e laticínios e iniciar a suplementação do aminoácido lisina.

Fontes alimentares de lisina incluem queijo, ovos, peixe, leite, batata, carne vermelha, produtos de soja e levedura.

Suplementos de lisina

As pessoas que geralmente tomam os suplementos de lisina são veganos, que não comem qualquer alimento que contenha proteína animal, atletas altamente ativos e fisiculturistas. Pessoas com condições como ferimentos grandes, queimaduras, condições envolvendo perda de proteína e infecções virais também precisam tomar o suplemento desse aminoácido.

O suplemento de l-lisina não precisa de receita médica, mas é aconselhado que se consulte um médico antes de tomar qualquer medicamento ou suplemento. O suplemento de lisina deve ser tomado com cuidado para evitar efeitos colaterais como náusea, cólicas abdominais, diarreia e dor de estômago.

As doses recomendadas de suplemento podem variar dependendo da condição a ser tratada, mas costuma ser, em média, 12 miligramas de lisina por quilo de peso por dia. No caso do tratamento da herpes, as doses são maiores, ficando entre 3 e 9 gramas de lisina por dia.

Doses excessivas de lisina podem levar à deficiência de arginina, formação de pedras na vesícula e níveis elevados de colesterol e triglicérides; portanto, consulte seu médico para saber se você precisa do suplemento e qual é a dose adequada.

Você já experimentou tomar algum suplemento de lisina? Por quê, qual foi a necessidade para tal? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (244 votos, média: 3,74 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário