Tipos de Aminoácidos – Funções, Benefícios e Dicas

Especialista:
atualizado em 14/06/2016

Os aminoácidos são moléculas orgânicas formadas por diferentes quantidades e ligações entre átomos de carbono, oxigênio, hidrogênio e nitrogênio. Na natureza existem mais de cem mil tipos de aminoácidos, porém o nosso corpo utiliza somente 20 tipos deles. Através de ligações peptídicas, as moléculas de aminoácidos formam as proteínas, por esta razão as células do nosso corpo precisa destes vinte tipos de aminoácidos para produzir as proteínas que precisamos para manter o bom funcionamento do nosso organismo.

Alguns tipos de aminoácidos são produzidos pelo nosso próprio corpo, e são chamados de não-essenciais; outros precisam ser adquiridos através de comidas e, se necessário, suplementos. Estes recebem os nomes de essenciais. Atente para o fato de que o nome essencial ou não-essencial não é determinado pelo valor nutricional de cada um, somente pela forma como é produzido.

Atualmente, os aminoácidos andam muito conhecidos para as pessoas que praticam exercícios físicos e querem ganhar mais músculos, pois como nossos músculos precisam de certos tipos de proteína para crescerem e se restaurarem, muitas pessoas recorrem a alimentos com alta concentração de proteínas, como carnes e iogurtes, ou a suplementos que contêm leucina, isoleucina e valina (ou os chamados BCAAs), que são os aminoácidos que possuem essa função.

A seguir, cuidadosamente, vamos descrever todos os vinte tipos de aminoácidos que são necessários para o nosso organismo e, para facilitar, vamos dividi-los nos grupos descritos anteriormente: essenciais e não-essenciais. Vamos explicar suas funções e o benefício de cada um. No fim, vamos deixar algumas dicas para quem está pensando em aumentar a ingestão de aminoácidos em seu dia-a-dia.

Funções e benefícios de todos os tipos de aminoácido

– Aminoácidos essenciais

A seguir vamos elencar os aminoácidos essenciais, que são aqueles tipos de aminoácidos não produzidos pelo nosso corpo, logo precisamos ingeri-los através de comidas e/ou suplementos com suas proteínas correspondentes.

  1. Fenilalanina: A fenilalanina auxilia nosso cérebro a transmitir, mais eficientemente, sinais entre os neurônios, através da produção de norepinefrina. Desta forma, ele pode ajudar a melhorar sintomas relacionados a depressão, artrite, enxaqueca, obesidade e até mesmo doenças mais graves como esquizofrenia e Parkinson;
  2. Histidina: É um aminoácido responsável pela produção de histamina, que é utilizada para sintomas alérgicos. E como ele é encontrado em grande quantidade na hemoglobina do sangue, ainda pode ser utilizado em artrites, úlceras e anemia;
  3. Isoleucina: Junto com a leucina e a valina, que veremos mais a seguir, formam o grupo chamado BCAA (branched chain amino acids, em inglês) ou aminoácidos de cadeia ramificada, que são os mais conhecidos por atletas, pois eles fornecem bastante energia durante a prática de exercícios físicos quando reagem juntos e ajudam na recuperação muscular. Este aminoácido, separadamente, também ajuda a regular o nível de açúcar no sangue e, ainda, ajuda na reparação da pele, músculos, tecidos e até ossos;
  4. Leucina: É muito semelhante à descrição da isoleucina. É recomendada para a recuperação de cirurgias, pois, junto com a valina e a isoleucina, ajuda na cicatrização, e também é recomendada para quem pratica exercícios físicos, pois ajuda a fornecer energia. Separadamente, a leucina pode auxiliar na redução do nível de açúcar no sangue e a aumentar o hormônio responsável pelo crescimento;
  5. Lisina: É um aminoácido que auxilia na absorção de cálcio, logo é uma substância que tem ligação com a formação do colágeno e do hormônio de crescimento. Em países subdesenvolvidos, em que os níveis de proteína dependem da ingestão de arroz ou de alimentos produzidos com farinha, a lisina pode ser raramente consumida, podendo acarretar em problemas de crescimento. Nestes casos, é necessária a introdução de um suplemento no cardápio. A Lisina ainda pode ajudar na produção de anticorpos que podem reduzir o nível de triglicérides e no combate a herpes;
  6. Metionina: Este aminoácido possui funções múltiplas, pois tem função antioxidante e ainda é uma boa fonte de enxofre. Desta forma, ele auxilia na desintoxicação de gordura do fígado e artérias, ajudando na fluidez do sangue; evita doenças no cabelo, pele e unhas; diminui a fraqueza muscular; e ainda pode ajudar em tratamento de pessoas com esquizofrenia, pois ajuda no melhor funcionamento do cérebro;
  7. Treonina: A maior função da treonina é balancear a quantidade de proteína no nosso organismo e formar substâncias que são importantes para a beleza, como por exemplo, a produção de colágeno, elastina e esmalte dos dentes. Quando combinado com outro aminoácido chamado ácido aspártico, que veremos mais para a frente, pode prevenir o acúmulo de gordura e ajudar no seu metabolismo;
  8. Triptofano: É um aminoácido que ajuda a produzir aminas importantes. Entre suas funções principais estão o relaxamento e o controle de peso. Desta forma, os benefícios do triptofano são numerosos, como redução da ansiedade e insônia, um equilíbrio maior do humor, auxílio em casos de depressão e de enxaqueca, ajuda na eficácia do sistema imunológico, redução do apetite e aumento da liberação do hormônio de crescimento;
  9. Valina: Este tipo de aminoácido já foi citado anteriormente como sendo um BCAA, ou seja, os tipos de aminoácidos mais utilizados por atletas. Em conjunto com isoleucina e a leucina, a valina ajuda na reparação de tecidos, pele, músculos e ossos e ainda é fonte de energia. Além disso, a valina pode ser benéfica no tratamento de doenças hepáticas.

– Aminoácidos NÃO-essenciais

A seguir, vamos descrever os tipos de aminoácidos que são chamados de não-essenciais, ou aqueles que podem ser produzidos pelo nosso próprio corpo, a partir de outras substâncias.

  1. Ácido AspárticoSua função está ligada à produção de energia pelas células do nosso corpo. Desta forma ele pode auxiliar em casos de depressão e cansaço, no rejuvenescimento de células, na formação de células de metabolismo e na proteção do fígado, pois o ajuda a expulsar toxinas indesejadas;
  2. Ácido Glutâmico: Este tipo de aminoácido pode ser encontrado no trigo e na soja e sua maior função é a de gerar energia, principalmente acelerando o processo de recuperação depois de exercícios físicos. Isto acontece porque ele fornece energia e ajuda no transporte de potássio para o nosso sistema nervoso central, através do metabolismo de açúcares e gorduras; desta maneira, ele ajuda no controle do humor e pode ser até mesmo usado para tratamentos de epilepsia e retardo mental;
  3. Alanina: Este aminoácido auxilia o fígado na síntese da glucose, que é uma substância que gera energia para o nosso corpo, ajudando no fornecimento de energia para os exercícios físicos para que os músculos absorvam as proteínas que precisam; ajuda, também, a fortalecer o sistema imunológico, principalmente na saúde do fígado, e algumas pesquisas dizem ainda que pode ajudar no metabolismo do álcool;
  4. Arginina: É um tipo de aminoácido que tem relação direta com a circulação sanguínea, equilibrando ou expandindo as veias para ajudar na fluidez do sangue. Outras funções da arginina incluem a de eliminar o excesso de amônia do organismo, ajudando na desintoxicação de álcool do fígado, e a de aumentar a imunidade do organismo. Pode, ainda, ajudar a diminuir o crescimento de tumores. Assim como outros tipos de aminoácidos, a arginina pode também ajudar no crescimento e na reparação muscular, e auxiliar o pâncreas a liberar a insulina;
  5. Cisteína: A função principal da cisteína é a de ser antioxidante, ajudando na desintoxicação do corpo, como por exemplo protegendo o fígado e o cérebro de danos ligados ao álcool, cigarro e drogas; também protege o corpo contra danos de radiação e pode ainda auxiliar no tratamento de artrite. Uma outra função é ajudar na recuperação de queimaduras graves e recuperação de cirurgias, pois auxilia na formação muscular e regeneração da pele;
  6. Glicina: É utilizada para a produzir componentes da hemoglobina e ajuda a armazenar glicogênio, que libera a glicose que produz energia. Desta forma, é benéfica para o sistema imunológico e para a reparação de tecidos;
  7. Glutamina: É um dos tipos de aminoácidos mais abundantes no nosso organismo. Sua função é a de manter saudável as funções do trato digestivo e os músculos. Assim, pode ser benéfico também para a cura de úlceras e para evitar a perda muscular após longos períodos de repousos, devido a alguma doença grave. É essencial na saúde do fígado e pode ajudá-lo na digestão do álcool;
  8. Ornitina: Este aminoácido ajuda a retirar o excesso de amônia do sangue, mantendo o fígado mais saudável; estimula a secreção de insulina, auxiliando na construção de músculos, e contribui para a liberação do hormônio do crescimento;
  9. Prolina: Sua função principal é a de produção de colágeno, desta maneira é benéfica para a elasticidade da pele, oferecendo uma aparência mais jovial. Também ajuda na cicatrização de articulações, tendões e alguns músculos do coração;
  10. Serina: É um aminoácido ligado ao metabolismo equilibrado de gorduras e ácidos graxos, pode auxiliar no crescimento dos músculos e a manter o sistema imunológico mais resistente;
  11. Tirosina: A tirosina ajuda na produção de adrenalina, dopamina e melanina. Desta maneira, é um aminoácido que tem a possibilidade de regular o humor, diminuir a fadiga crônica e depressão, suprimir o apetite, reduzir a gordura no corpo e até mesmo deixar os cabelos e pele com aparência mais saudável.

Dicas alimentares

  • Para os atletas que gostariam de ingerir mais BCAA, vamos deixar aqui os alimentos mais recomendados, que são as carnes magras, que podem incluir peixe, frango e peru; ovos, leite, ervilha, e a proteína de arroz;
  • Você pode encontrar em casas de suplementos para atletas muita variedade de produtos que possuem os BCAAs e eles podem vir em diversos sabores. Normalmente são recomendados para serem ingeridos antes ou durante os exercícios físicos, mas não é comprovado cientificamente que estes aminoácidos, separadamente, podem ser muito mais eficientes do que outros suplementos de proteína, como o whey protein, que pode fornecer as proteínas que você precisa, incluindo os BCAAs, e ainda as outras substâncias contidas nele;
  • Se você está procurando tomar aminoácidos por sua atividade física principal ser a musculação (ou semelhantes), o ideal é ingerir os aminoácidos durante o exercício físico, pois isto pode ajudar na recuperação dos músculos e a proporcionar um melhor resultado final;
  • Se você está procurando tomar aminoácidos porque você é um corredor, o ideal é ingerir estes tipos de aminoácidos um pouco antes e um pouco depois da corrida. Se for uma corrida de longa distância, tomar um aminoácido solúvel em água durante a corrida pode ser uma boa pedida;
  • Normalmente é melhor tomar os aminoácidos com o estômago vazio, pois algumas comidas podem inibir a absorção deles;
  • Os tipos de aminoácidos podem ser separados em grupos de sabor, e caso você necessite ou já tome suplementos de um ou mais deles, isso poderá ser um pouco desagradável. Então, em alguns casos, se você tem um paladar mais doce, tente misturar os aminoácidos mais amargos com outros produtos mais doces ou cítricos, pois ambos podem ajudar um pouco a amenizar o amargor. Entre eles, temos o ácido cítrico, o ácido ascórbico, a sucralose ou stevia. Ou você também pode misturá-los em sucos naturais, como a limonada ou o suco de laranja.

A seguir separamos os tipos aminoácidos em grupos pelo seu sabor:

Os aminoácidos Arginina, Histidina, Isoleucina, Leucina, Metionina, Fenilalanina, Triptofano, Tirosina e Valina possuem um gosto amargo.

A Lisina já possui um gosto mais salgado. O Ácido Aspártico possui um gosto azedo e a Alanina, Glutamina, Glicina, Prolina, Serina e Treonina possuem um gosto mais doce.

Como dissemos acima, você pode tentar diluir alguns aminoácidos em sucos ou em água, misturando-os a outras substâncias, porém alguns tipos de aminoácidos podem ser facilmente diluídos em água, e outros não.

Vamos deixar aqui eles separados por grupos:

  • A Arginina, o Ácido Aspártico e a Lisina são rapidamente solúveis em água e são chamados de hidrofílicos.
  • A Glutamina, Histadina, Metionina, Serina, Treonina, Tirosina e Triptofano são solúveis em água.
  • Já os hidrofóbicos, ou os que não são solúveis em água, são: Alanina, Glicina, Isoleucina, Leucina, Fenilalanina, Prolina e Valina.

Quais destes tipos de aminoácidos você precisa ou já utilizou a suplementação por algum motivo ou desejo? Obteve resultados satisfatórios? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (13 votos, média: 4,23 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

2 comentários em “Tipos de Aminoácidos – Funções, Benefícios e Dicas”

  1. Boa tarde, no caso eu pratico exercícios físicos todos os dias ( caminhada básica , abdominais, agachamentos entre outros ) e tenho medo de começar a tomar BCAAS e ele me proposionar muita energia e meu treino nao for pesado o bastante para gastar estas energias fazendo com que eu engordo, devo toma-los quando entrar na academia ou nao tem nada haver ?

  2. Por favor, Eu apreciaria por receber,
    a alguma informação,
    a respeito de como elevar*
    a minha hormonal (Lh) produção.

    *afim de, a superabundar a Tst (testosterona), a promovera impulsivos estímulos, afim de gerenciar, tanto a construção, quanto, por conseguinte, a tonificação dos mesmos membros musculares do meu organismo.