Artroscopia de Joelho – O Que é, Tempo de Recuperação, Fisioterapia e Dicas

A artroscopia pode ser usada para ajudar no diagnóstico de problemas articulares que afetam as articulações de locais como o joelho, o ombro, o tornozelo, o quadril, o pulso e o cotovelo, por exemplo.

A articulação do joelho é uma das mais frágeis do nosso corpo. Por suportar grande parte do peso corporal, ela acaba sendo prejudicada com mais facilidade do que outras articulações, principalmente quando o indivíduo é um atleta de alto desempenho ou está acima do peso ideal.

A artroscopia de joelho é um procedimento cirúrgico que serve para diagnosticar problemas que afetam especificamente a articulação do joelho.

Nesse artigo, vamos dar detalhes sobre a técnica, sobre o tempo de recuperação após o procedimento e também dar dicas de como fortalecer essa articulação.

Anatomia básica do joelho

O joelho humano apresenta a maior e mais complexa articulação do corpo. Os ossos que o compõem são a parte inferior do fêmur, a porção superior da tíbia e a patela, chamada também de rótula.

Outras estruturas do joelho que compõem a sua articulação são:

  • Articulação sinovial: é o revestimento fino que cerca a articulação do joelho e que libera um fluido responsável por lubrificar a cartilagem e diminuir o atrito durante os movimentos.
  • Menisco: um tipo de cartilagem que atua como amortecedor entre o fêmur e a tíbia. Ele ajuda a amortecer e a estabilizar a articulação.
  • Cartilagem articular: cobre as extremidades do fêmur, da tíbia e a parte detrás da patela para que os ossos do joelho possam deslizar uns sobre os outros sem causar danos e sem precisar dobrar ou esticar a perna durante todos os movimentos.
  • Ligamentos: os ligamentos são essenciais para ligar um osso no outro. Eles mantêm os ossos juntos e o joelho estável.

Artroscopia de joelho – O que é?

A artroscopia de joelho é uma cirurgia capaz de diagnosticar e também de tratar problemas nas estruturas do joelho, principalmente aqueles que afetam as suas articulações. O procedimento consiste basicamente em uma incisão muito pequena através da qual é inserida uma câmera pequena no joelho, chamada de artroscópio. Essa câmera permite visualizar o joelho por dentro e identificar qualquer tipo de problema no membro.

Também é possível acoplar pequenos instrumentos cirúrgicos no próprio artroscópio para fazer pequenas correções durante o procedimento, tornando a técnica bem completa, já que pode tanto diagnosticar quanto tratar problemas no joelho.

Dentre os principais problemas no joelho que podem ser detectados por meio de uma artroscopia estão a patela (ou rótula) desalinhada e o menisco rompido. Rompimentos de ligamentos na articulação também podem ser identificados e reparados em uma artroscopia.

Aplicações da artroscopia

A artroscopia no joelho é uma ferramenta interessante que alia diagnóstico e tratamento em um único procedimento. Ela pode ser indicada para pessoas que sentem muita dor no joelho ou que sofreram algum tipo de lesão física.

Assim, ela pode ser útil na detecção e tratamento de problemas de saúde como:

  • Cartilagem danificada;
  • Dor ou rigidez articular persistente;
  • Acumulo de fluidos;
  • Fragmentos soltos de ossos ou cartilagem;
  • Revestimento de juntas inflamadas;
  • Cisto de Baker;
  • Patela em posição inadequada;
  • Fraturas nos ossos do joelho;
  • Revestimento da articulação sinovial inchado;
  • Ligamentos rompidos ou cruzados.

As vantagens de optar por uma artroscopia de joelho no lugar de outro tipo de cirurgia é que ela:

  • causa menos danos aos tecidos;
  • exige menos cortes e menos pontos;
  • tem um tempo de cicatrização rápido em relação a outras cirurgias mais invasivas;
  • reduz o risco de infecções e outras complicações cirúrgicas;
  • causa menos dor após a cirurgia.

Procedimento

Antes do procedimento, é importante avisar à equipe sobre qualquer tipo de medicamento, suplemento ou ervas que esteja tomando. Pode ser necessário interromper o uso de medicamentos que interferem na coagulação normal do sangue como o ibuprofeno e a aspirina, por exemplo.

Um jejum de 6 a 12 horas também pode ser solicitado pelo médico antes da cirurgia.

Após a aplicação de um anestésico local, regional (da cintura para baixo) ou geral, são feitas pequenas incisões no joelho. Em seguida, uma solução salina estéril é bombeada através das incisões para expandir o joelho e facilitar a visualização da articulação.

Depois de corrigidos os problemas nas articulações, a solução salina é drenada e as incisões são suturadas.

Tempo de recuperação

O procedimento é bem seguro e os riscos associados a ele são muito baixos.

O procedimento costuma ser completado em menos de 1 hora e é possível ir para casa no mesmo dia da cirurgia com um curativo no local.

Logo após a artroscopia de joelho, você deverá tomar um analgésico indicado pelo médico para aliviar a dor e o desconforto. Além de analgésicos comuns, os medicamentos que podem ser prescritos pelo cirurgião incluem anti-inflamatórios não esteroides, anestésicos de uso local ou opioides.  

Em alguns casos, anticoagulantes como a aspirina também podem ser prescritos para evitar a formação de coágulos sanguíneos.

A perna do joelho operado deve ficar elevada e uma compressa de gelo deve ser aplicada no joelho nas primeiras horas para reduzir o inchaço e diminuir a dor.

O tempo de recuperação vai depender da gravidade do problema e da complexidade do reparo realizado. Mas, em geral, a recuperação costuma ser bem mais rápida do que a da cirurgia tradicional no joelho, que é bem mais invasiva. A maioria das pessoas leva 6 semanas para ter uma recuperação total das articulações, mas alguns conseguem retornar as atividades rotineiras em cerca de 2 semanas.

Ainda assim, é essencial seguir as orientações médicas para uma boa recuperação. Algumas delas são:

  • Usar muletas ou evitar apoiar o pé no chão durante o tempo recomendado pelo seu médico;
  • Comprometer-se a realizar os exercícios de reabilitação;
  • Não dirigir após a cirurgia e ficar de 1 a 3 semanas sem tocar no volante.

Atividades leves podem ser retomadas em 1 a 3 semanas após o procedimento. A maioria das atividades físicas mais pesadas pode ser retomada em 6 ou 8 semanas após a artroscopia ou até bem antes disso dependendo do seu caso.

Exercícios de alto impacto devem ser evitados por um pouco mais de tempo por precaução. Vale a pena, por exemplo, trocar a corrida por uma prática que agrida menos as articulações como a natação ou o ciclismo. O tempo de recuperação pode ser um pouco maior apenas em casos em que for preciso fazer uma reconstrução de ligamentos.

Fisioterapia

A execução de exercícios físicos específicos é essencial para a boa recuperação do joelho. O cirurgião provavelmente irá recomendar alguns exercícios ou indicar um fisioterapeuta para te ajudar nessa fase.

Os exercícios são indispensáveis para ajudar a restaurar a amplitude do movimento e para fortalecer os músculos. Os objetivos da fisioterapia são:

  • Auxiliar no controle da dor;
  • Reduzir o inchaço e o sangramento nas articulações, quando houver;
  • Recuperar a amplitude normal dos movimentos articulares do joelho;
  • Ativar os músculos e corrigir qualquer tipo de desalinhamento da patela;
  • Recuperar a força normal dos membros inferiores;
  • Voltar a caminhar normalmente sem “vícios” ocasionados pela lesão anterior;
  • Aprimorar ou recuperar o equilíbrio e a coordenação para o dia a dia;
  • Treinar movimentos específicos de alto impacto nas articulações como correr, agachar, pular ou ajoelhar.

A escolha dos exercícios deve ser feita, de preferência, por um fisioterapeuta de acordo com a recuperação do paciente e com a condição que foi tratada na artroscopia.

De uma forma geral, os exercícios durante as primeiras semanas não devem envolver o uso de pesos e devem ser focados nos movimentos e em alongamentos suaves. Ao longo do tempo, a dificuldade dos exercícios pode ser aumentada.

Riscos da artroscopia

Qualquer tipo de intervenção cirúrgica tem seus riscos. Na artroscopia, apesar de raros, há os seguintes riscos:

  • Reação alérgica à anestesia ou aos medicamentos usados antes ou após a cirurgia;
  • Infecção;
  • Lesão ou dano à cartilagem, aos ligamentos, aos vasos sanguíneos, ao menisco ou aos nervos do joelho;
  • Sangramento excessivo durante a operação;
  • Formação de coágulo sanguíneo na perna;
  • Rigidez no joelho;
  • Dificuldades respiratórias por causa do anestésico utilizado.

Ao observar sinais de infecção como febre ou constatar sintomas como dificuldade extrema para apoiar o pé no chão, piora no inchaço ou na vermelhidão da articulação, sangramento ou pus nas incisões ou dor ou inchaço na panturrilha que se estende por toda a perna, é indicado procurar o seu cirurgião imediatamente.

O que pode causar dor no joelho após a cirurgia?

Mesmo sendo uma cirurgia pouco invasiva e com poucos riscos, pode ser que algumas pessoas ainda sintam dor mesmo após a recuperação da artroscopia de joelho. As principais causas de dor costumam ser:

– Inchaço

O inchaço costuma ser o principal sintoma após uma artroscopia de joelho. O inchaço persistente é mais difícil de tratar, pois ele surge devido a uma inflamação prolongada que pode causar dor.

Alguns meios de reduzir o inchaço incluem o uso de compressas de gelo, a administração de remédios anti-inflamatórios, o uso de faixas de compressão ou por meio da fisioterapia.

– Reabilitação inadequada

O processo de reabilitação deve ser seguido à risca para fortalecer toda a musculatura e as articulações da região, além de possíveis mudanças na mecânica natural do joelho devido à lesão que foi tratada.

Quando há uma lesão no joelho, é bem provável que a pessoa – sem perceber – desenvolva um modo de andar diferente para compensar o problema e não sentir dor. O ponto é que esse mecanismo para proteger a articulação e diminuir a dor pode ser a causa de dor após a cirurgia de correção.

Isso porque a pessoa se acostuma a se movimentar de uma forma diferente, o que causa problemas de postura e novas dores após a artroscopia.

Por isso que a reabilitação é tão importante. Através dela, é possível identificar essas anormalidades mecânicas e corrigi-las para que o paciente volte a adotar a postura correta.

– Artrite

Geralmente, pessoas com artrite apresentam danos na cartilagem da articulação que não podem ser totalmente reparados através de uma artroscopia.

Nesses casos, a dor pode ser sentida mesmo após a cirurgia de artroscopia no joelho, sendo necessário o uso de medicamentos para controle da dor e da inflamação.

– Infecção

Infecções podem ocorrer mesmo em procedimentos minimamente invasivos como é o caso da artroscopia de joelho. Os principais sintomas de infecção podem incluir inchaço persistente, vermelhidão ao redor das incisões, febre, calafrio, suor ou sensação de calor.

Apesar de não ser um sintoma comum de infecção, o paciente pode sentir dor. O tratamento pode requisitar o uso de antibióticos ou até mesmo de uma cirurgia adicional para “limpar” o local.

– Osteonecrose espontânea

Essa é uma complicação da artroscopia que é observada em mulheres de meia idade. Trata-se de uma condição que causa inflamação no osso e que pode causar muita dor, especialmente quando o indivíduo está realizando uma atividade física.

O uso de medicamentos ou de acessórios para ajudar na locomoção como bengalas e muletas pode ser necessário para aliviar a dor durante pelo menos os primeiros meses após a artroscopia.

Dicas

Mantenha o local das incisões sempre limpo e seco e só mexa no curativo quando seu médico permitir. Descansar também é indispensável para que seu corpo tenha tempo de se recuperar de forma eficiente.

Aplique compressas de gelo durante os primeiros dias de recuperação por cerca de 20 minutos a cada 2 ou 4 horas para reduzir o inchaço e a dor. Tenha o cuidado de nunca aplicar o gelo diretamente sobre a pele e sempre envolver o gelo em um pano limpo ou usar bolsas de gel próprias para isso, evitando danos à pele.

A grande vantagem da artroscopia é que ela é um procedimento cirúrgico pouco invasivo que permite que os médicos vejam a articulação do joelho e corrijam problemas mais simples sem a necessidade de realizar um procedimento muito invasivo e com um ótimo tempo de recuperação em relação a outras cirurgias no joelho.

Ainda que exista a possibilidade de complicações, a maioria delas pode ser tratada e dificilmente os riscos serão fatais. Mesmo assim, é importante considerar todos os riscos associados ao procedimento, já que algumas pessoas sentem dor depois da recuperação, o que pode ser desconfortante e gerar outro problema no lugar do anterior.

Referências adicionais:

Você já precisou realizar uma artroscopia de joelho? Qual foi o tempo de recuperação e como ela se desenrolou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...

1 comentário em “Artroscopia de Joelho – O Que é, Tempo de Recuperação, Fisioterapia e Dicas”

  1. Eu fiz a artroscopia do joelho faz 12 dias, deu tudo certo…durou 2 horas a cirurgia…dormi uma noite no hospital e no outro dia fui para casa..otimo médico e agora estou de repouso.

Deixe um comentário