Bronquite Crônica – O Que é, Sintomas e Tratamento

Especialista:
atualizado em 19/05/2020

A bronquite crônica é um dos problemas respiratórios que prejudicam muito a respiração e afetam a qualidade de vida. Entenda aqui o que é a bronquite crônica, quais são os sintomas e qual é o tratamento disponível para a doença.

Doenças e alergias que afetam o sistema respiratório têm se tonado cada vez mais comuns. Isso tem a ver com o nosso estilo de vida e com o alto nível de exposição aos poluentes encontrados no ar.

Em meio a tantas doenças, pode ser difícil entender o que é bronquite e diferenciar quadros de bronquite crônica de outras condições como a asma ou até mesmo de uma gripe ou crise alérgica forte. Abaixo, você vai sanar essas e outras dúvidas e saber tudo o que precisa para identificar a bronquite e tratá-la da melhor forma.

O que é a bronquite crônica

A bronquite é uma inflamação que afeta o revestimento dos tubos brônquicos que compõem as vias aéreas dos pulmões e que servem para transportar o ar para dentro e fora dos pulmões.

A condição se torna crônica quando o revestimento desses tubos fica repetidamente irritado e inflamado. A irritação e inchaço constantes danificam as vias aéreas e causam um acúmulo cada vez maior e mais frequente de muco, dificultando bastante a circulação e ar pelos pulmões.

Além das dificuldades respiratórias que vão piorando sem o tratamento adequado, a inflamação também pode danificar os cílios, que são estruturas semelhantes aos pelos que ajudam a manter a passagem de ar livres de germes. Porém, quando danificadas, essas estruturas não conseguem evitar a passagem de microrganismos e de substâncias irritantes, tornando o local fértil para infecções bacterianas e virais, por exemplo.

A bronquite aguda dura por, no máximo, três semanas, mas a bronquite crônica vai e volta com muita frequência. Para ser considerada crônica, os sintomas da bronquite devem estar presentes por pelo menos um período equivalente a três meses do ano por ao menos dois anos seguidos.

Causas e fatores de risco

Estimativas indicam que mais de 90% das pessoas com bronquite crônica tem um histórico de tabagismo. A inalação constante da fumaça do cigarro pode danificar as vias aéreas e os pulmões, aumentando o risco de desenvolver bronquite crônica.

O fumo passivo também contribui para o desenvolvimento da doença. Outras possíveis causas incluem:

  • Exposição à poluição do ar;        
  • Contato frequente com fumaça;
  • Inalação de gases tóxicos;
  • Infecções pulmonares frequentes devido a um sistema imunológico fraco.

Ao contrário do que muita gente pensa, a bronquite crônica não é causada por vírus ou bactérias. A maioria dos especialistas concorda que a principal causa de bronquite crônica é mesmo o tabagismo. A poluição do ar e seu ambiente de trabalho também podem desempenhar um papel. Isto é especialmente verdade se você também fuma.

Veja ainda se a bronquite é contagiosa e se você pode fazer alguma coisa para evitar pegar a doença.

Principais diferenças entre a bronquite aguda e a bronquite crônica

A bronquite aguda se dá a partir de um resfriado ou de uma infecção respiratória e melhora em poucos dias. Ou seja, os sintomas são passageiros.

Já na bronquite crônica, o problema é mais sério e nunca surge de repente. A bronquite crônica vai se desenvolvendo lentamente e é caracterizada por crises recorrentes que podem durar várias semanas, meses ou anos. Nesse caso, a inflamação constante no revestimento dos tubos brônquicos resulta no acúmulo de muco nas vias aéreas que prejudica muito a respiração.

A presença do muco restringe o fluxo de ar que entra e sai dos pulmões, causando dificuldades respiratórias sérias e gerando a produção de mais muco.

O tratamento é essencial para que a condição respiratória de uma pessoa com bronquite crônica não piore ainda mais, sob o risco de desenvolver complicações como o enfisema – um tipo de doença que afeta os pulmões.

A bronquite crônica é uma das doenças do grupo de doenças pulmonares obstrutivas crônicas, que são condições que bloqueiam o fluxo de ar nos pulmões, causando sérias dificuldades respiratórias. O enfisema pulmonar também é uma delas. De acordo com dados da American Lung Association, apenas nos Estados Unidos são mais de 11 milhões de pessoas com esse grave problema de saúde.

Sintomas da bronquite crônica

Quem sofre de bronquite crônica geralmente se queixa de uma tosse persistente que produz um muco espesso. Outros sintomas da doença incluem:

  • Chiado no peito;
  • Falta de ar;
  • Dor no peito;
  • Muco que pode ser amarelo, verde ou branco.

Sintomas adicionais podem incluir:

  • Febre;
  • Fadiga;
  • Arrepios;
  • Desconforto no peito;
  • Mau hálito;
  • Congestão sinusal.

Quanto mais longo é o período de inflamação e irritação nos tubos brônquicos, mais pesada e persistente se torna a tosse, e a quantidade de muco também aumenta. A falta de ar e o cansaço podem prejudicar ou até impossibilitar a prática de atividades físicas.

Conforme a doença progride, a pele e os lábios podem ficar azulados em decorrência da falta de oxigênio na corrente sanguínea. O fluxo de sangue insuficiente também pode causar edemas periféricos ou inchaços nas pernas e nos tornozelos.

Além disso, outros problemas de saúde ou fatores ambientais podem atuar como gatilhos para crises graves como:

  • Infecção do trato respiratório como um resfriado ou uma gripe;
  • Outros tipos de infecções;
  • Problemas no coração;
  • Exposição a substâncias irritantes como poeira, pólen ou poluição.

Embora um único episódio de bronquite geralmente não seja motivo de preocupação, ele pode levar a pneumonia em algumas pessoas. 

Diagnóstico

Além de perguntar sobre um possível histórico de tabagismo, o médico vai ouvir os seus pulmões com o auxílio de um estetoscópio, e alguns testes adicionais podem ser solicitados como:

Teste de função pulmonar: é um teste que envolve várias medidas da quantidade de ar que entra e sai dos pulmões para avaliar se o funcionamento dos pulmões está satisfatório.

Radiografia de tórax: trata-se de um exame de imagem do tórax que registra o estado dos pulmões e de outros órgãos do local para descartar outras causas da sua dificuldade respiratória, como a insuficiência cardíaca, por exemplo.

Tomografia computadorizada: outro exame de imagem que é muito mais detalhado do que o anterior e oferece um panorama completo sobre as vias aéreas.

Teste de escarro: exame em que o muco que você elimina dos pulmões por meio da tosse é analisado para verificar a presença de bactérias ou de outros agentes infecciosos.

Tratamento da bronquite crônica

A bronquite crônica deve ser tratada de acordo com a gravidade dos sintomas. Um médico pode prescrever medicamentos específicos, mas você também pode aliviar alguns sintomas com remédios caseiros.

Medicamentos

– Broncodilatador

É um remédio que atua relaxando e abrindo as vias aéreas dos pulmões, facilitando a respiração e aliviando os sintomas da bronquite crônica. Geralmente, o broncodilatador é administrado com o auxílio de um inalador ou de um nebulizador para que o princípio ativo do medicamento atinja os pulmões imediatamente.

Considere ter um nebulizador para aliviar a tosse em sua casa, principalmente se você tem crises frequentes de bronquite.

– Teofilina

A teofilina é um medicamento antiasmático de uso oral que também relaxa os músculos das vias aéreas, causando a sua expansão e melhorando a respiração.

– Esteroides

Os esteroides costumam ser a terceira opção de prescrição. Eles podem ser inalados ou então administrados na forma de comprimidos. Eles atuam como anti-inflamatórios que reduzem o inchaço e a inflamação, facilitando a respiração.

– Antibióticos

A bronquite crônica não pode ser tratada com antibióticos, mas se uma infecção paralela for identificada, o uso do antibiótico pode ser necessário juntamente com outro remédio para tratar a bronquite.

– Oxigenoterapia

Essa é uma terapia indicada em casos mais graves de bronquite em que os níveis de oxigênio no sangue estão muito baixos e comprometem as funções vitais do corpo. Nesse caso, o oxigênio é inalado 24 horas por dia no hospital, ou então, com o uso de um dispositivo portátil em sua casa.

– Reabilitação pulmonar

Trata-se de um conjunto de técnicas que tem como objetivo melhorar a respiração e o bem estar do paciente com bronquite crônica. A reabilitação pulmonar é baseada em exercícios, aconselhamento nutricional e técnicas de respiração que ajudam a inspirar melhor o ar.

– Cirurgia

Uma cirurgia pode ser feita para remover sacos de ar que estão sem função nos pulmões para que mais espaço seja disponibilizado para a entrada de ar. Quando o pulmão está gravemente comprometido, pode ser sugerido um transplante de pulmão.

Remédios caseiros

– Umidificadores

O uso de umidificadores de ar pode ajudar a aliviar a tosse e a facilitar a eliminação do muco acumulado nas vias aéreas. É importante seguir as orientações de limpeza do fabricante para evitar o crescimento de bactérias e fungos no aparelho.

– Atividade físicas

Praticar atividades físicas podem ajudar no fortalecimento dos músculos respiratórios. O ideal é se exercitar pelo menos três vezes por semana durante 30 minutos.

Caso sua dificuldade respiratória seja muito grave, converse com seu médico para que ele te indique um tipo de exercício físico de baixa intensidade que você possa fazer para fortalecer o sistema cardiorrespiratório aos poucos.

– Respiração

Tentar técnicas de respiração diafragmática pode ajudar bastante no alivio dos sintomas da bronquite crônica. Respirar fundo pelo nariz e expirar lentamente pela boca faz com que o ar fique mais tempo nos seus pulmões e ajuda a regular a respiração, especialmente durante crises de falta de ar.

Dicas de prevenção e considerações

São muitos os fumantes que têm bronquite crônica, mas que ignoram a doença porque acham que é só uma tosse normal de quem fuma. Porém, é muito importante procurar um médico mesmo se sua suspeita de bronquite for infundada, pois os danos aos pulmões podem ser irreversíveis e comprometer sua capacidade respiratória para o resto da vida.

Sendo assim, procure um médico se você apresentar tosse que dura mais do que três semanas, tiver febre alta, expelir muco com sangue e sentir falta de ar ou chiado no peito.

Se você não tem bronquite crônica e quer garantir que não contraia a doença, siga as seguintes dicas:

  • Evite fumar e evite também o contato direto com a fumaça do cigarro;
  • Fique o mais longe possível de qualquer tipo de fumaça ou substâncias irritantes presentes no ar;
  • Use máscaras de proteção caso você tenha contato com fumaça ou compostos tóxicos no seu ambiente de trabalho.

Felizmente, a bronquite crônica se desenvolve lentamente e é possível identificar os sintomas precocemente antes de danos graves ocorrerem nos seus pulmões.

Referências adicionais:

Você já conhecia a bronquite crônica? Conhece alguém que passe por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário