Cólicas menstruais

Cólicas Menstruais Muito Fortes – Causas e O Que Fazer

As cólicas menstruais são dores que afetam as mulheres mensalmente devido ao ciclo menstrual. Algumas sentem dores suportáveis, outras têm a sorte de não sentir nada e outras sofrem com cólicas muito fortes todos os meses. Mas sentir dores extenuantes durante a menstruação é normal?

Vamos falar sobre as causas de cólicas menstruais muito fortes e mostrar algumas dicas de como proceder para aliviar esse desconforto.

Por que as mulheres sentem cólicas menstruais?

O corpo da mulher é biologicamente programado para reproduzir. Assim, todos os meses, o organismo feminino se prepara para uma possível gravidez. Quando o óvulo não é fecundado, a mulher menstrua para eliminar o tecido endometrial formado nas paredes do útero.

Com isso, o útero se contrai para que o tecido endometrial seja eliminado mensalmente quando o óvulo não é fecundado. Ao contrair o útero, os vasos sanguíneos são comprimidos, o que temporariamente prejudica o suprimento normal de sangue e, consequentemente, de oxigênio. Com oxigênio limitado, substâncias que causam dor e as prostaglandinas são liberadas em resposta a um processo inflamatório, o que aumenta ainda mais a contração uterina e a dor sentida durante a menstruação. Além disso, outros sintomas podem ser desencadeados como náuseas, cãibras e diarreias.

Embora algumas mulheres mal percebam essas contrações, muitas sofrem com dores nesse período, que podem variar de dores leves a cólicas insuportáveis. Mas como diferenciar uma cólica “normal” de uma anormalidade no organismo?

Principais sintomas de cólicas menstruais

As cólicas menstruais em geral caracterizam-se por dores abdominais que podem ou não se espalhar para outras partes do corpo como as costas e as covas. Porém, a intensidade e a duração das dores variam muito de pessoa para pessoa e podem variar também de um mês para o outro.

Assim, para saber se algo está errado, é importante que a mulher se conheça. Ou seja, se você sempre sentiu cólicas menstruais leves e, de repente, os sintomas se intensificaram, provavelmente algo não está bem. No entanto, se a sua menstruação sempre veio acompanhada com dores fores, pode ser que essa seja uma característica do seu organismo e não um problema de saúde.

Em qualquer um dos casos, é importante consultar um ginecologista periodicamente para tirar quaisquer dúvidas e realizar exames de rotina.

Geralmente, as cólicas comuns são facilmente aliviadas com o uso de algum remédio analgésico ou anti-inflamatório de venda livre, por exemplo, e duram de 3 a 4 das no início do ciclo menstrual ou a partir de 24 horas antes do início da menstruação.

Os principais sintomas incluem:

  • Dor na região abdominal inferior antes e/ou durante a menstruação que varia de leve a forte e que pode irradiar para a região das costas ou das pernas;
  • Náuseas e vômitos;
  • Estresse emocional;
  • Sudorese;
  • Dor de cabeça;
  • Tontura;
  • Inchaço;
  • Cãibras;
  • Diarreia ou constipação.

Quando não há uma causa além da menstruação, as dores tendem a reduzir naturalmente com o passar dos anos. Algumas mulheres notam melhorar após ter filhos, por exemplo.

Algumas pessoas são mais propensas a sentir dor durante a menstruação. São elas:

  • Mulheres com menos de 20 anos de idade;
  • Meninas com puberdade precoce antes dos 11 anos;
  • Mulheres que apresentam sangramento intenso na menstruação (menorragia);
  • Mulheres com menstruação irregular (metrorragia);
  • Mulheres com histórico familiar de cólicas menstruais fortes;
  • Mulheres que nunca engravidaram.

Os principais sinais de que cólicas menstruais muito fortes podem ser algo mais grave incluem:

  • Períodos menstruais irregulares;
  • Sangramento fora dos ciclos menstruais;
  • Dor durante o ato sexual;
  • Corrimento vaginal espesso ou com odores.

Causas de cólicas menstruais muito fortes

Como já mencionado, algumas mulheres sentem cólicas menstruais muito fortes sem ter nenhum problema de saúde. Isso ocorre porque algumas pessoas são mais sensíveis à ação das prostaglandinas e sentem dores mais intensas. Porém, outras pessoas podem ter cólicas mais fortes como um sinal de que há algum problema no organismo que precisa ser investigado e diagnosticado para descobrir o que pode ser a causa da dor.

Quando a menstruação é a única responsável pela cólica, a condição pode ser chamada de dismenorreia primária. Porém, dores anormais que não passam após o uso de anti-inflamatórios ou que ocorrem fora do período menstrual não são casos de dismenorreia primária. Nesses casos, as cólicas menstruais podem ser conhecidas por dismenorreia secundária, denominação que indica que há uma causa além da menstruação ocasionando as dores.

As possíveis causas de cólicas menstruais muito fortes ou dismenorreia secundária são:

1. Miomas

Os miomas são tumores benignos que crescem na parede uterina. Eles são muito comuns e cerca de 70% das mulheres apresentam pelo menos um mioma em algum momento da vida. As mulheres negras ou que apresentam histórico familiar de miomas têm um risco mais alto de sofrer com a condição.

A presença desses tumores benignos no útero causa menstruações com maior fluxo de sangue e mais doloridos do que o normal.

2. Endometriose

A endometriose é uma condição em que o tecido endometrial (revestimento do útero) cresce além do necessário e parte dele acaba crescendo para fora do útero em locais como os ovários, a bexiga ou as trompas, por exemplo. Esse tecido acumulado fora do local de origem é eliminado através do sangramento vaginal e pode causar dores pélvicas e cãibras durante a menstruação. Além disso, a endometriose pode causar cistos e cicatrizes nos ovários.

3. Adenomiose

A adenomiose é mais comum em mulheres entre 30 e 40 anos de idade. Trata-se de uma condição em que o revestimento do útero começa a invadir o músculo do órgão. Assim como na endometriose, tal tecido se desprende todos os meses e é eliminado através da menstruação. As cólicas fortes surgem devido à contração do útero em uma tentativa de se livrar desse tecido.

4. Aborto espontâneo

Algumas mulheres sofrem aborto espontâneo logo no início da gravidez. Algumas delas nem chegam a perceber que estavam grávidas. A dor sentida durante um aborto espontâneo é semelhante à de uma cólica menstrual muito forte.

5. Doença inflamatória pélvica

Nessa doença, o útero, as trompas e os ovários são infectados por bactérias. A presença desses micro-organismos causa uma inflamação que é responsável pelas dores mais intensas durante o ciclo menstrual. Geralmente, a transmissão da bactéria ocorre através de relações sexuais sem proteção adequada.

6. Uso de dispositivo intrauterino (DIU)

O dispositivo intrauterino é um tipo de anticoncepcional feito de cobre e plástico que é encaixado dentro do útero. O uso desse método também pode causar dores menstruais mais fortes principalmente durante os primeiros meses de utilização.

7. Estenose cervical

Na estenose cervical, a abertura do colo do útero da mulher é muito pequena e acaba limitando o fluxo menstrual. A dificuldade para liberar todo o tecido endometrial e o acúmulo de resíduos na região uterina acaba causando muita dor.

8. Defeito no útero

Algumas vezes, o útero da mulher pode não ter sido formado corretamente. Além de causar dores menstruais muito fortes, a má formação do útero pode causar problemas como infertilidade e relações sexuais dolorosas.

O que fazer

A primeira coisa a ser feita é determinar se a sua dor é causada apenas pela menstruação ou tem outra causa, e a partir disso tratar a condição.

Não hesite em procurar um médico se observar:

  • Dor muito forte ou fora do padrão normal;
  • Ciclos menstruais irregulares;
  • Piora progressiva dos sintomas;
  • Fluxo sanguíneo além do normal.

Diagnóstico

O diagnóstico deve ser feito por um ginecologista, que pode solicitar:

  • Histórico médico;
  • Descrição dos sintomas;
  • Exames físicos, incluindo o pélvico, para analisar anormalidades nos órgãos reprodutivos;
  • Exames de imagem como ultrassom, tomografia computadorizada, ressonância magnética e laparoscopia – o ultrassom serve para verificar os órgãos, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética servem para dar mais detalhes e a laparoscopia é uma biópsia usada para diagnosticar condições mais graves como miomas, custos e endometriose através da inserção por incisões abdominais de uma fibra ótica com uma câmera acoplada;
  • Exames de sangue ou de urina.

Tratamento

Em casos de dismenorreia primária, o tratamento consiste em:

  • Analgésicos de venda livre como ibuprofeno, naproxeno sódico, aspirina ou paracetamol, por exemplo;
  • Anti-inflamatórios não esteroides como as antiprostaglandinas que ajudam a reduzir a inflamação;
  • Suplementos de cálcio, magnésio, vitamina D, vitamina E, vitaminas do complexo B e ômega 3;
  • Acupuntura ou acupressão;
  • Pílulas anticoncepcionais prescritas por um médico para impedir a ovulação e reduzir a intensidade ou até mesmo eliminar as cólicas menstruais devido ao afinamento do endométrio que não exige tantas contrações uterinas e à redução da liberação de prostaglandinas.

Se a dor não passar ou diminuir de intensidade após 3 meses de tratamento, pode ser necessário um diagnóstico mais completo.

Dicas de como aliviar

As cólicas menstruais muito fortes podem ser aliviadas através de alguns hábitos ou truques para amenizar a dor, tais como:

  • Terapia de calor por meio de compressas quentes na área abdominal inferior ou banhos quentes;
  • Exercícios físicos, que ajudam a liberar endorfina e melhorar a oxigenação através da circulação sanguínea;
  • Redução do estresse;
  • Dieta saudável rica em frutas e legumes e com baixa ingestão de sal, açúcar, álcool, cafeína e gordura;
  • Sono suficiente;
  • Prática de atividades como yoga ou Pilates;
  • Estimulação elétrica nervosa transcutânea através de dispositivo que alivia as dores através de impulsos nervosos;
  • Fitoterapia;
  • Massagens no abdômen inferior.

Não importa qual seja o motivo da sua cólica, é importante tratar a causa e procurar maneiras de aliviar as dores. Muitas vezes, sentir cólicas menstruais muito fortes prejudica a produtividade, o humor e o bem-estar em geral. Mesmo que você ache que é normal, investigue e procure meios de reduzir a dor pois você nenhuma mulher merece ou precisa viver com ela. 

Referências adicionais:

Você costuma sentir cólicas menstruais muito fortes? Já teve um diagnóstico das prováveis causas? Que tipo de tratamento seu médico passou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*