Colírios para conjuntivite: principais opções e como usar

Especialista da área:
atualizado em 17/04/2022

O colírio para conjuntivite mais apropriado para o seu caso depende do tipo de conjuntivite que está afetando o seu olho. 

A conjuntivite é uma inflamação que acomete a conjuntiva dos olhos, deixando-os bastante irritados. A causa pode ser uma infecção bacteriana, viral ou uma reação alérgica, e costuma durar de 7 a 15 dias.  

  Continua Depois da Publicidade  

É muito importante contar com a prescrição médica do colírio que você utilizará nos olhos, pois eles são específicos para cada tipo de inflamação. A escolha errada do colírio pode prejudicar a saúde dos seus olhos e piorar o estado da conjuntivite. 

Veja quais são as principais opções de colírios para cada tipo de conjuntivite e como usá-los. 

Colírios para conjuntivite alérgica

Conjuntivite alérgica
Alergias como ao pólen podem desencadear conjuntivite alérgica

A conjuntivite alérgica é tratada com colírios antialérgicos, que contêm anti-histamínicos. Esse tipo de colírio é desenvolvido para aliviar o comichão nos olhos e, também, para diminuir a vermelhidão e o lacrimejamento. 

A propriedade anti-histamínica refere-se ao bloqueio da ação da histamina nos olhos, uma substância liberada quando entramos em contato com algum alérgeno, que varia de pessoa para pessoa, e pode ser pólen, ácaro, mofo, poeira, pelo de animais, entre outros. 

A ação dos colírios anti-histamínicos costuma ser rápida e durar por um longo tempo. Para informações mais específicas quanto ao tempo de duração do efeito, consulte a bula. 

  Continua Depois da Publicidade  

Os casos leves de conjuntivite alérgica podem ser tratados com o fumarato de cetotifeno, encontrado com o nome comercial Octifen®. Este colírio age rapidamente no alívio dos sintomas e seu efeito dura de 8 a 12 horas. 

Este colírio não pode ser aplicado enquanto você estiver usando lentes, por isso, retire-as antes da aplicação e espere 15 minutos para recolocá-las, após o uso do medicamento. 

A dose recomendada é de 1 gota, que deve ser aplicada no canto interno de cada olho, 2 vezes ao dia, pela manhã e à noite. A dose máxima é de 1 gota em cada olho, 4 vezes ao dia. 

Outra opção é utilizar colírios com a substância olopatadina, vendida com o nome comercial Patanol®. O tempo médio para o colírio começar a agir nos sintomas é de apenas 3 minutos.

A dose recomendada é 1 gota em cada olho, 2 vezes ao dia. Deve-se esperar de 6 a 8 horas entre uma aplicação e outra. Lembre-se de tirar as lentes antes de aplicar o colírio e esperar 15 minutos para recolocá-las, após o uso do remédio. 

Colírios anti-inflamatórios não esteroidais, como o trometamol cetorolaco (Cetrolac®), e com corticosteróides, como o acetato de prednisolona (Ster®), possuem ação mais potente do que os anti-histamínicos, mas só devem ser usados com o acompanhamento de um oftalmologista. 

  Continua Depois da Publicidade  

O uso desses tipos de colírio não deve ultrapassar algumas semanas, pois podem provocar glaucoma, catarata e te deixar mais suscetível a infecções oculares. 

Colírios para conjuntivite bacteriana

Para tratar a conjuntivite bacteriana, são usados colírios antibióticos. O tratamento com esse tipo de colírio tem duração de 7 a 10 dias e só deve ser feito com prescrição médica, seguindo as orientações do profissional, quanto à dose e ao tempo de uso. 

Geralmente, a fórmula do colírio contém a combinação de um antibiótico com um corticoide, como a dexametasona. O corticoide atua na redução da inflamação, ativando uma resposta anti-inflamatória, que poderia ser maléfica para o tratamento da conjuntivite bacteriana, se a fórmula não contivesse um antibiótico junto. 

Dessa forma, a inflamação é tratada com o efeito anti-inflamatório do corticoide e a bactéria causadora da infecção é combatida com o antibiótico. 

O Maxitrol® contém dexametasona, sulfato de neomicina e sulfato de polimixina B, sendo os dois últimos antibióticos. 

É importante tomar cuidado para não encostar a ponta do colírio no olho ou nos dedos, para evitar a contaminação do frasco com a bactéria. A dose recomendada é de 1 a 2 gotas, de 4 a 6 vezes ao dia. 

  Continua Depois da Publicidade  

Outro exemplo de colírio antibiótico é o Vigadexa®, que contém a combinação do antibiótico cloridrato de moxifloxacino com dexametasona. A dose recomendada é de 1 gota, 4 vezes ao dia, por até 7 dias. 

O Cilodex® também é um combinado de antibiótico com dexametasona, sendo seu princípio ativo o cloridrato de ciprofloxacino. Deve ser aplicada de 1 a 2 gotas, 6 vezes ao dia, com intervalo de 4 horas entre as doses, por até 7 dias. 

O Zypred® contém uma associação de gatifloxacino (antibiótico) com prednisolona, um anti-inflamatório. A dose recomendada é de 1 gota, 4 vezes ao dia, por até 7 dias. 

Também há opções de colírios antibióticos não associados aos anti-inflamatórios, como o Biamotil® e o Zymar®. O médico ou médica oftalmologista é quem avalia o caso e faz a prescrição do antibiótico mais adequado. 

Colírios para conjuntivite viral

O tratamento da conjuntivite viral geralmente não envolve o uso de colírios específicos. Recomenda-se lavar os olhos com soro fisiológico, para mantê-los lubrificados. Se você fizer essa lavagem ou uma compressa com o soro fisiológico gelado, os sintomas de inchaço, coceira e sensação de areia nos olhos tendem a aliviar mais rápido. 

Existem colírios desenvolvidos para a lubrificação dos olhos, por exemplo o Moura Brasil®, com composição de cloridrato de nafazolina e sulfato de zinco heptaidratado. Esse colírio tem ação vasoconstritora, então atua diminuindo a vermelhidão e o lacrimejamento dos olhos. O tempo médio de início de ação é de 5 minutos. A dose indicada é de 1 a 2 gotas, até 4 vezes ao dia. 

Também podem ser usados colírios que são como lágrimas artificiais, pois reduzem a sensação de areia nos olhos. Um exemplo desse tipo de colírio é o Lacril®, cuja dose usual é de 1 a 2 gotas, quantas vezes forem necessárias no dia. 

Se você perceber que a conjuntivite não melhora em 15 dias e está afetando a sua visão, procure um oftalmologista, pois você pode necessitar de medicações anti-inflamatórias e imunomoduladoras, na forma de colírios ou pomadas oftalmológicas. O uso desse tipo de medicamento deve ser feito apenas com o acompanhamento de um especialista.

Colírios para conjuntivite: como usar

Colírio
Existem algumas dicas para seguir e usar o colírio corretamente

Pingar colírio nos olhos pode ser um desafio para algumas pessoas e o medo associado com a tarefa pode induzir a erros comuns, como encostar a ponta do frasco nos olhos ou tocá-lo com as mãos sujas. 

Saber como usar corretamente o colírio, pode garantir uma resolução mais rápida do problema e até impedir que você passe a conjuntivite de um olho para o outro, no caso de estar com apenas um dos olhos inflamado.

Antes de aplicar o colírio: 

  1. Lave bem as mãos com água e sabão, para garantir que estejam livres de microrganismos.  
  2. Abra o frasco, sem tocar no aplicador. Repouse a tampa virada para cima, em uma superfície limpa ou sobre um lenço de papel. 
  3. Se você usa lentes de contato, retire-as antes de aplicar o colírio. 

Para aplicar o colírio: 

  1. Incline a sua cabeça para trás.
  2. Puxe, delicadamente, a pálpebra inferior.
  3. Pingue a quantidade de gotas recomendada dentro dos olhos, e não na pálpebra. Lembre-se de não encostar o frasco nos olhos. 
  4. Comprima o canto interno do olho com o dedo indicador, previamente limpo, por 1 minuto. Fazendo isso, você evita que a gota seja absorvida no ducto lacrimal e atinja outras estruturas, como a garganta. Isso evita os efeitos colaterais do colírio em outras partes do corpo e garante que o medicamento tenha completa ação nos olhos. 
  5. Mantenha os olhos fechados por 1 a 2 minutos, sem apertá-los.
  6. Gire os olhos, com as pálpebras fechadas, para espalhar o medicamento. 
  7. Feche bem o frasco depois de usar. 
  8. Aguarde 15 minutos para colocar as lentes. 

Caso você esteja usando mais de um colírio, deve haver um intervalo de 5 minutos entre as aplicações. Se o médico também receitou uma pomada oftalmológica, a sua aplicação também deve respeitar o intervalo de 5 minutos e deve ser aplicada por último, ou seja, depois do colírio. 

Fontes e referências adicionais

Você já usou algum tipo de colírio para tratar a conjuntivite? Qual colírio você usou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Haroldo Vieira Junior

Dr Haroldo Vieira de Moraes Junior é Oftalmologista - CRM 380377 RJ. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1981. Em seguida concluiu Mestrado em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1986 e Doutorado em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Pós-Doutorado no National Eye Institute do National Institutes of Health (NIH/NEI) durante 1998/1999 e Livre Docente em Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP (2001), atualmente é Professor Titular de Oftalmologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Oftalmologia clinica e cirúrgica, atuando como Coordenador de Pós-Graduação em Oftalmologia com área de atuação em inflamação ocular (uveites, sarcoidose e toxoplasmose). Dr. Haroldo é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário