Olhos secos – Causas e tratamento

Especialista:
atualizado em 22/09/2020

Olhos secos podem incomodar bastante e até prejudicar as atividades cotidianas. Veja aqui quais são as causas dos olhos secos e o tratamento para a condição.

Sentir os olhos secos é comum em certas situações. Por exemplo, quando o clima está muito seco ou quando o ar condicionado está ligado, é normal a irritação e a vermelhidão nos olhos. No entanto, se a secura é frequente, é importante ficar atento.

A falta de lubrificação nos olhos é a principal causa de olhos secos. Além de ser ruim, os olhos secos podem causar visão borrada e outros problemas de visão.

A longo prazo, a síndrome dos olhos secos pode ocorrer e tornar a secura nos olhos um problema crônico.

Os sintomas que surgem junto com os olhos secos podem incluir, por exemplo:

  • Ardência ou queimação;
  • Coceira nos olhos;
  • Sensibilidade à luz;
  • Olhos vermelhos;
  • Dificuldade para dirigir à noite;
  • Corpo estranho nos olhos;
  • Desconforto ou dificuldade para usar lentes de contato;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Desconforto para ver tv ou para olhar para telas;
  • Visão turva;
  • Fadiga ocular.

Causas de olhos secos

olho seco e irritado

A lágrima humana é uma mistura complexa que contém água, muco e ácidos graxos. Para que o olho fique lubrificado e protegido, é importante que a produção de lágrimas seja boa.

Além disso, há outras causas como o envelhecimento e doenças pré-existentes que podem causar o olho seco. Veja abaixo quais são elas:

Composição inadequada da lágrima

Certamente, ingredientes complexos compõem a lágrima. Dessa forma, qualquer alteração em sua composição pode causar a secura nos olhos.

A obstrução das glândulas lagrimais meibomianas, por exemplo, é uma dessas causas. Essas glândulas ficam na borda das pálpebras e liberam um óleo importante para a formação da lágrima.

Quando há uma obstrução nas glândulas, elas não liberam a quantidade certa de óleo. Assim, a composição da lágrima é afetada e os olhos podem ficar irritados e secos.

Algumas causas da obstrução dessas glândulas incluem a blefarite (inflamação na borda das pálpebras), além de doenças de pele como a rosácea.

Produção insuficiente de lágrimas

A ceraconjuntivite seca é a redução da produção de lágrimas. A produção natural de lágrimas reduz com o envelhecimento. Além disso, outras causas possíveis são:

  • Lesão na glândula lacrimal;
  • Cirurgia ocular a laser;
  • Condições médicas como diabetes, artrite reumatoide, lúpus, problemas na tireoide, falta de vitamina A, esclerodermia e síndrome de Sjögren;
  • Uso de remédios como, por exemplo, anti-histamínicos, descongestionantes, antidepressivos, contraceptivos e remédios usados no controle da acne, hipertensão e distúrbios neurodegenerativos.

Alta evaporação de lágrimas

Há casos em que o olho seco é diretamente impactado pelas condições ambientes, de trabalho ou da própria estrutura ocular.

As causas mais comuns de perda lacrimal pela evaporação são:

  • Expor-se ao vento, fumaça ou baixa umidade do ar;
  • Realizar atividades que fazem você piscar menos, como ler, dirigir ou usar a tela do computador ou celular por muito tempo;
  • Ter problemas relacionados ao formato das pálpebras como o ectrópio (pálpebras dobradas para fora) e o entrópio (pálpebras dobradas para dentro).

Fatores de risco

Idade

Depois que envelhecemos, parte da lubrificação da superfície ocular se perde. É por isso que ter mais de 50 anos de idade pode aumentar o risco de olhos secos.

Sexo

De acordo com as estatísticas, as mulheres sofrem mais com aos olhos secos do que os homens. De fato, o uso de anticoncepcionais, a gravidez e a menopausa podem ter relação com a qualidade da lágrima das mulheres.

Uso de lentes de contato

É provável que as lentes de contato também deixem os olhos secos e irritados. Aliás, quanto mais horas você passa usando lentes de contato, maior é o risco de sofrer com a secura.

Clima seco

Visto que o clima tem grande influência na lubrificação dos olhos, é importante se proteger ao ar livre.

Tempo seco, excesso de exposição ao sol forte e ventania, por exemplo, podem elevar as chances de ter olhos secos.

O que fazer

O olho seco não tratado causa complicações e danos ao longo da vida, como:

  • Infecções oculares;
  • Lesões na córnea;
  • Dificuldade para ler e dirigir, por exemplo.

Dessa forma, é melhor consultar um bom oftalmologista para tratar a causa dos olhos secos.

Remédios

A depender da causa dos olhos secos, um oftalmologista pode sugerir o uso de um dos seguintes remédios:

Colírios anti-inflamatórios

A ciclosporina (Restasis) é um colírio para olho seco muito usado para reduzir a inflamação na superfície dos olhos.

Colírios corticosteroides são anti-inflamatórios um pouco mais fortes que também podem ser usados.

Lágrimas artificiais

Os lubrificantes oculares ou lágrimas artificiais ajudam a lubrificar os olhos e diminuir a secura. A hidroxipropilcelulose (Lacrisert), por exemplo, é um colírio desse tipo.

Plugues de silicone

Os plugues de silicone são usados para tampar os dutos lacrimais, que fazem a drenagem das lágrimas.

Eles podem ser aplicados para fechar parcial ou totalmente esses dutos. De fato, parar a drenagem faz com que seus olhos fiquem lubrificados por mais tempo.

Outros tratamentos para olhos secos

A vitamina A e o ômega 3 são nutrientes que contribuem com a composição das lágrimas.

Assim, se você tiver deficiência em algum deles, comer mais alimentos ricos em vitamina A e ômega 3 pode ajudar a tratar os olhos secos.

A saber, alimentos com muita vitamina A incluem a cenoura, o brócolis e o fígado. Por sua vez, o ômega 3 é encontrado em peixes, óleos vegetais e nozes.

A troca de lentes de contato por tipos menos agressivos e mais úmidos, por exemplo, também pode auxiliar no tratamento.

Além disso, se a causa do olho seco é uma condição pré-existente (como uma deficiência nutricional, por exemplo) é importante tratar a causa.

Há ainda outras opções. Converse com seu oftalmologista sobre os tipos de colírios que sejam bons para o seu caso.

Mudanças no estilo de vida e dicas de prevenção

Embora possam existir causas médicas para os olhos secos, a maioria delas é apenas pequenos problemas no estilo de vida.

Sentir o olho seco de manhã, por exemplo, pode ser resultado do uso de ventilador ou do ar condicionado durante a noite.

Já o olho seco à noite pode ser resultado de tudo que você fez durante o dia: como usar o celular e não fazer pausas no trabalho, por exemplo.

De fato, observar a sua rotina e o que pode estar influenciando a secura dos seus olhos é um exercício fundamental.

A partir dessas observações, você pode implementar algumas mudanças, como por exemplo:

  • Beber mais água;
  • Descansar os olhos das telas, especialmente algumas horas antes de dormir;
  • Piscar mais vezes;
  • Umidificar o ambiente quando o clima estiver seco;
  • Usar óculos de sol ao ar livre;
  • Evitar o fumo;
  • Alimentar-se melhor.

Fique atento à sua saúde ocular

Por fim, os olhos são muito sensíveis e precisam de cuidado. Por isso, não espere o seu olho seco piorar para buscar atendimento médico.

Aos primeiros sinais de desconforto, irritação e secura, vá até o oftalmologista, pois quanto antes você iniciar o tratamento dos olhos secos, mais fácil será controlar a condição.

Fontes e referências adicionais:

Você já teve problemas com olhos secos? Fez o quê para melhorar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Haroldo Vieira de Moraes Junior

Dr Haroldo se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1981. Em seguida concluiu Mestrado em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1986 e Doutorado em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Pos-Doutorado no National Eye Institute do National Institutes of Health (NIH/NEI) durante 1998/1999 e Livre Docente em Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP (2001), atualmente é Professor Titular de Oftalmologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Oftalmologia clinica e cirúrgica, atuando como Coordenador de Pos-Graduacao em Oftalmologia com área de atuação em inflamação ocular (uveites, sarcoidose e toxoplasmose). Dr. Haroldo é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário