Espinha inflamada

Como Secar Espinha Inflamada – Dicas e Cuidados

Espinhas ou acnes são um problema para muitas pessoas, especialmente para aquelas com pele oleosa demais. Pior ainda fica a situação da pele quando essas espinhas inflamam. O que fazer quando isso acontece? Como secar espinha inflamada?

A acne é uma condição causada geralmente pelo acúmulo de oleosidade, células mortas, impurezas ou bactérias nos poros da pele. Assim, sempre que os poros ficam obstruídos por algo, as espinhas costumam dar o ar da graça. Em alguns casos, a acne fica inflamada, o que aumenta a vermelhidão e causa dor e inchaço. Como se não bastasse o incômodo, o lugar preferido das espinhas é a pele do rosto. Muitas vezes, tentamos de tudo para reduzir a inflamação e secar a espinha o mais rápido possível.

Aqui você vai encontrar várias dicas e cuidados relacionados com a pele afetada por espinhas e saber como secar espinha inflamada, além de entender se essa é uma medida eficaz ou não para que a pele fique livre de espinhas e saudável.

Espinhas inflamadas

Popularmente chamada de espinha, a acne ocorre quando os poros da pele ficam entupidos, seja devido à oleosidade em excesso ou até mesmo à presença de impurezas na pele ou de bactérias. Essas espinhas podem inflamar ou não.

As espinhas inflamadas tendem a ser mais profundas na pele, inchar mais e causar dor. Para saber se sua espinha está realmente inflamada ou não, preste atenção nos seguintes sintomas:

  • Sensibilidade ao toque;
  • Lentidão para cicatrizar;
  • Vermelhidão excessiva;
  • Inchaço ao redor;
  • Presença de pus.

Já a acne não inflamatória, conhecida também como acne comedonal, não costuma ficar inchada nem apresenta pus. Além disso, esse tipo nunca é causado por bactérias.

Tipos de inflamação

Antes de mais nada, é importante saber identificar qual tipo de inflamação você apresenta. Os principais tipos de acne inflamatória incluem:

  • Comedões inflamados: são cravos inchados com a pontinha branca;
  • Pápulas: são inchaços de cor avermelhada cheios de pus que surgem na superfície da pele, mas que não apresentam a pontinha branca;
  • Pústulas: são parecidos com as pápulas, mas são maiores;
  • Nódulos: são pequenos inchaços cheios de pus, mas que ficam abaixo da superfície da pele e são sensíveis ao toque;
  • Cistos: os cistos são um tipo de acne inflamada bem grave que são uma espécie de nódulos maiores e que são extremamente sensíveis ao toque.

Além do rosto, a espinha inflamada pode afetar também outras partes do corpo como a pele do pescoço, do peito, das costas, dos braços, dos ombros e do tórax.

Algumas causas e cuidados com espinhas

Sofrer com espinhas na adolescência é normal já que durante a puberdade as glândulas sebáceas produzem mais sebo, podendo resultar no acúmulo de oleosidade e no surgimento de espinhas. Porém, as espinhas podem surgir em qualquer idade devido ao entupimento dos poros.

Mesmo as espinhas não inflamadas podem ficar infectadas quando são estouradas. Por esse motivo, o ideal é resistir à vontade de estourá-la e procurar outros meios de se livrar dela.

A principal causa de espinhas é a presença de bactérias como a Propionibacterium acnes, que é encontrada naturalmente na pele. Embora ela seja inofensiva para a maioria das pessoas, quando há um bloqueio nos poros pode ocorrer uma proliferação excessiva dessa bactéria, o que causa uma resposta do sistema imunológico para combater esse grande número de bactérias que resulta em inflamação. Estourar uma espinha inflamada pode ser perigoso porque as bactérias encontradas na superfície podem entrar no organismo através da ferida.

Se você sofre constantemente com acne inflamada e apresenta mais de uma inflamação ao mesmo tempo, pode ser que você tenha acne cística, que é um tipo de acne mais grave que precisa de tratamento dermatológico adequado para controlar a inflamação e evitar cicatrizes na pele.

Além da acne cística, a rosácea é uma condição inflamatória que pode resultar em espinhas inflamadas que ardem na pele. Assim, se você apresenta espinhas inflamadas com frequência, é sempre válido consultar um dermatologista para ter certeza do que você está lutando contra.

Como tratar

O modo correto de tratar as espinhas inflamadas está diretamente relacionado com o tipo de inflamação. Assim, vamos dar algumas dicas de como tratar os tipos mais comuns de inflamação antes de mostrar as dicas específicas para quem procura como secar espinha inflamada.

1. Tratando as pápulas

As pápulas ocorrem quando o poro se rompe, permitindo que impurezas, células mortas e bactérias entrem na camada mais profunda da pele, a derme. Em alguns casos, a tentativa de arrancar um cravo pode causar uma pápula na pele.

Não é recomendado apertar ou tentar estourar a espinha pois isso só vai piorar a inflamação. Grande parte das pápulas se cura por si só e não deixa cicatrizes.

O tratamento mais comum é usar peróxido de benzoíla para ajudar no processo de cicatrização. Se o problema não melhorar em algumas semanas, o ideal é consultar um dermatologista.

2. Tratando as pústulas

As pústulas podem ter a pontinha branca ou amarelada onde se concentra o pus e costumam ser maiores do que as pápulas.

Mais uma vez, não é indicado estourar a espinha para remover o pus e sim tratar com peróxido de benzoíla ou ácido salicílico para ajudar a secar a espinha. Em casos mais graves, o médico pode recomendar o tratamento com cremes retinoides.

3. Tratando nódulos

Os nódulos surgem numa camada mais profunda da pele e, por isso, podem ser mais difíceis de tratar. Nesses casos, os poros se rompem na derme e infectam a região ao redor, que incha e dói.

Apesar de também conter pus, o nódulo fica mais profundo e não é possível ver sinais de pus na superfície da pele.

Você pode usar gelo para reduzir o inchaço e a dor e usar injeções de cortisona se o dermatologista indicar tal tratamento.

4. Tratando cistos

Os cistos são lesões ainda maiores e mais inflamadas em que surge pus líquido ou sangue na superfície da pele. Como eles ocorrem na derme e vão “caminhando” para a superfície, todo o tecido da pele dessa região é danificado e o risco de cicatrizes é bem alto.

A ocorrência de muitos cistos pode indicar que você tem acne cística. Nesse caso, o tratamento deve ser feito com medicamentos como a isotretinoína para controlar o processo inflamatório ou tratamentos alternativos propostos por um dermatologista.

Como secar espinha inflamada

Embora o tratamento precise ser seguido de acordo com orientações de um dermatologista, existem momentos em que surge uma espinha e você tem um evento importante para ir ou simplesmente não quer ficar com uma espinha inchada e cheia de pus no rosto. Nessas horas, tudo o que queremos é um método eficaz para secar as espinhas rapidamente e diminuir o inchaço, facilitando a aplicação de um corretivo ou maquiagem que esconda o pequeno problema.

Separamos algumas dicas especiais de como secar espinha inflamada. As opções são as seguintes:

1. Sal marinho

Misturar uma colher de chá de sal marinho com duas colheres de sopa de água morna e aplicar a solução preparada diretamente sobre a pele é uma das opções. A água salgada vai matar quaisquer bactérias presentes na pele e secar a espinha. É importante deixar a solução agir na pele sem enxaguar.

2. Peróxido de benzoíla

O peróxido de benzoíla é capaz de matar bactérias do tipo P. acnes que podem causar a acne inflamatória. Esse produto é facilmente encontrado em farmácias ou em lojas online em várias concentrações. Segundo pesquisa publicada em 2009 no Journal of Drugs in Dermatology, usar peróxido de benzoíla em concentração de 2,5% é tão eficaz quanto concentrações mais altas entre 5 e 10% e é menos irritante para a pele.

Além disso, ele ajuda a remover células mortas e a deixar a pele mais brilhante e com aspecto jovem.

Em concentrações muito altas, ele pode ressecar muito a pele e deve ser usado com muita cautela.

3. Ácido salicílico

O ácido salicílico também elimina as bactérias que causam as espinhas inflamadas. Ele promove a renovação celular através da remoção das células mortas, permitindo que novas camadas de pele mais saudáveis sejam formadas. Para evitar ressecamento excessivo, o ideal é aplicar pequenas quantidades do produto diretamente sobre a espinha com o rosto previamente limpo e seco.

4. Óleo de árvore de chá

Segundo estudo publicado no periódico The British Journal of Dermatology, o óleo de árvore de chá, chamado também de óleo de melaleuca, é um óleo essencial com propriedades bactericidas e anti-inflamatórias que ajudam a matar as bactérias que estão causando a inflamação. Basta aplicar algumas gotas do óleo sobre a espinha e deixar agir até secar.

Só não se esqueça de lavar o rosto e aplicar um protetor solar antes de se expor ao sol.

5. Aspirina

A aspirina é um medicamento anti-inflamatório que pode ser útil para secar as espinhas. Há relatos de que triturar alguns comprimidos de aspirina e misturar o pó obtido com um pouco de água até formar uma pasta pode ajudar na redução da inflamação.

Para isso, cubra totalmente a espinha com essa pasta e deixe secar. Em seguida, lave o rosto e seque normalmente. Além de combater a inflamação, esse método ajuda a secar a espinha e deixá-la menos perceptível.

6. Adstringentes caseiros

Produtos adstringentes podem fazer a pele se contrair e, além disso, alguns contêm propriedades antibacterianas que ajudam a tratar a causa do problema. O peróxido de benzoíla e o ácido salicílico são alguns exemplos de adstringentes que já citamos anteriormente. Mas existem também alguns produtos caseiros que podem ser usados com essa mesma propriedade, que incluem:

  • Suco de limão:O ácido cítrico presente no limão mata as bactérias que causam a acne. Só é preciso tomar cuidado para não se expor ao sol ou deixar agir por muito tempo, já que o limão é extremamente ácido e pode manchar a pele. Deixe agir por apenas alguns minutos, à noite se possível, e depois lave com água em abundância.
  • Casca de banana: Algumas pessoas afirmam que cascas de banana ajudam a aliviar picadas de insetos e que podem ser úteis também na diminuição do tamanho de algumas espinhas inflamadas. Basta esfregar suavemente a casca de banana sobre a região afetada.
  • Chá verde:
  • O chá verde tem efeito antioxidante que ajuda a combater os sinais de envelhecimento e que também tem ação adstringente. Aplique um pouco do chá morno sobre a pele e deixe agir por alguns minutos.
  • Avelã de bruxa:A avelã de bruxa ou Hamamelis é uma planta medicinal usada para cicatrizar feridas. Existem extratos de avelã de bruxa que podem ser aplicados na pele, mas procure versões que não contenham álcool em sua composição para não ressecar demais.

7. Óleo de ovo

O óleo de ovo é um óleo extraído das gemas do alimento que é eficaz tanto na remoção das espinhas quanto na prevenção de cicatrizes. É importante aplicar suavemente sobre a pele limpa e deixar agir por uma hora antes de lavar o rosto.

Outros tratamentos

Apesar de serem úteis em alguns casos, os tratamentos mencionados acima não funcionam da mesma forma para todas as pessoas. Se o seu problema com espinhas for recorrente, provavelmente será necessário um tratamento específico indicado por um dermatologista que irá avaliar o seu caso individualmente.

Pode ser necessário o uso de remédios prescritos ou cremes de uso tópico para reduzir a inflamação. Alguns dos tratamentos disponíveis incluem:

– Isotretinoína

A isotretinoína é derivada da vitamina A e é um dos melhores medicamentos para o tratamento da acne inflamatória. No entanto, seu uso pode resultar em alguns efeitos colaterais indesejados e só devem ser usados sob orientação médica nos casos em que outros tratamentos não funcionaram.

Se estiver grávida ou amamentando, não é indicado usar nada que contenha isotretinoína por causa de possíveis danos ao feto.

– Creme de cortisona

Produtos contendo cortisona podem auxiliar na redução da vermelhidão causada pela espinha inflamada devido à sua ação anti-inflamatória. No entanto, é importante tomar cuidado com efeitos adversos que esse produto pode causar, podendo em alguns casos resultar em mais acne.

– Retinoides tópicos

Os cremes retinoides também são derivados da vitamina A. Eles são facilmente encontrados em vários cremes e produtos antienvelhecimento e também em medicamentos para espinhas. O retinoide ajuda a remover as células mortas da pele e a promover uma leve descamação, renovando as células epiteliais e tratando a acne.

Devido à descamação, é importante não esquecer do filtro solar antes de se expor ao sol, já que o produto tende a deixar a pele menos protegida até que a nova camada de pele seja formada.

– Antibióticos orais

Quando o quadro é muito grave e causado por bactérias, o dermatologista pode optar pelo uso temporário (normalmente por 7 dias) de antibióticos orais para controlar a proliferação dos micro-organismos. Esse tratamento é geralmente indicado para casos de acne cística generalizada.

– Antibióticos tópicos

Já os antibióticos tópicos são cremes ou pomadas que contêm baixa concentração de antibióticos que podem ser aplicados diretamente sobre a pele até 2 vezes ao dia por um período máximo de 2 meses. Eles são indicados para casos menos graves de espinhada inflamada como nódulos, pústulas ou pápulas.

– Terapia hormonal

Há casos em que a espinha surge por causa de um desequilíbrio hormonal. Existem medicamentos que podem ser prescritos para controlar a função hormonal que ajudam a reduzir a acne. A espironolactona, por exemplo, é um remédio antiandrógeno que ajuda no tratamento de acne cística e nódulos causados por níveis elevados de hormônios andrógenos no corpo.

O uso de pílulas anticoncepcionais pode funcionar como um tratamento “off-label” para mulheres que sofrem de espinha inflamada especialmente durante a menstruação.

Dicas e cuidados

– Mantenha o rosto limpo

Lave o rosto 2 vezes ao dia, de preferência antes de dormir e ao acordar, para deixar os poros limpos e desobstruídos. Não se esqueça de usar uma toalha limpa para secar o rosto.

Para manter o rosto ainda mais limpo, além da água e sabão diários, use um esfoliante facial pelo menos uma vez por semana e hidrate o rosto após cada lavagem para evitar ressecamento da pele. Uma pele desidratada tende a produzir mais oleosidade, o que consequentemente gera mais espinhas.

1. Lave as mãos

Inconscientemente, levamos as mãos ao rosto várias vezes ao dia. Assim, é importante lavar as mãos com frequência para evitar que bactérias ou outras impurezas penetrem nos poros da pele.

2. Faça exercícios físicos

O exercício ajuda a aliviar o estresse e a promover o bem-estar. Apesar do mecanismo ainda não ser totalmente compreendido, alguns estudos indicam que condições inflamatórias como a espinha podem ser desencadeadas por estresse.

Além disso, a prática regular de atividade física traz diversos outros benefícios para a saúde.

Se você for propenso a desenvolver espinha inflamada, tome banho assim que puder após os exercícios, já que o suor acumulado na pele pode entupir os poros e causar mais espinhas.

3. Cuidado com a alimentação

A inflamação também tem muito a ver com o que comemos diariamente. Alimentos que contêm muita gordura ou açúcar, por exemplo, podem aumentar os processos inflamatórios e agravar as espinhas inflamadas.

O álcool também pode piorar a espinha porquel além de desidratar o corpo, ele contém muitos açúcares em sua composição.

Assim, opte por uma dieta equilibrada e balanceada e deixe aquele docinho ou aquela cervejinha apenas para ocasiões especiais.

4. Use protetor solar

Proteja sua pele sempre que for sair e se expor ao sol. A exposição sem proteção aos raios solares pode piorar a acne, deixando-a mais visível e escura.

5. Não fique mexendo nas espinhas

Por mais tentador que seja, não fique cutucando, espremendo ou coçando as espinhas. Ao fazer isso, você só vai deixar o local mais inchado e espalhar a inflamação.

6. Cuidado com a maquiagem

Se sua pele é sensível a espinhas, opte por maquiagens livres de óleo e jamais durma sem remover a maquiagem do rosto e lavar muito bem a pele.

7. Use compressas de gelo

O gelo ajuda a contrair os vasos sanguíneos, o que reduz a inflamação no local. Com a redução da inflamação, o inchaço e a vermelhidão também diminuem. Você pode aplicar compressas de gelo algumas vezes por dia durante 10 minutos após lavar o rosto.

8. Não misture vários tipos de tratamento

Jamais misture os ingredientes mencionados acima com o intuito de potencializar os efeitos e secar a espinha inflamada mais rápido. O que você vai conseguir é uma pele muito irritada e sensível, além do risco de surgirem manchas e descamação excessiva.

A mesma dica serve para a quantidade do produto que você vai usar. Siga a orientação médica ou do rótulo do produto e não use mais do que a quantidade recomendada.

9. Procure um dermatologista

Ter uma espinha de vez em quando é normal, mas se essa for uma situação recorrente ou se os tratamentos indicados não forem capazes de amenizar o problema em algumas semanas, procure ajuda médica.

O dermatologista é o profissional qualificado para te ajudar a diagnosticar e passar como secar espinha inflamada de forma correta e segura, assim como todo o tratamento no geral.

Referências adicionais:

O que você achou dessas dicas de como secar espinha inflamada que separamos acima? Precisa melhorar nos cuidados da pele? Tem sofrido muito com acne? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*