Dieta da Mente

A Dieta da Mente – Como Funciona, Cardápio e Dicas

Para o neurologista e nutricionista dos Estados Unidos, David Perlmutter, os carboidratos, principalmente aqueles que são encontrados em alimentos que possuem glúten, não somente provocam o aumento do peso como também matam o cérebro lentamente.

Ele é o idealizador da Dieta da Mente, que foi detalhada em seu livro chamado “A Dieta da Mente: a surpreendente verdade sobre o glúten e os carboidratos – os assassinos silenciosos do seu cérebro”, publicado pela editora Paralela.

Como funciona a dieta da mente? 

O método proposto pelo americano considera até os grãos integrais, tidos como saudáveis, e seus derivados como vilões, determina um alto consumo de gorduras e libera a ingestão de alimentos ricos em colesterol. 

A proposta de Perlmutter é o retorno a dieta do período Paleolítico, com um cardápio composto por 75% de gorduras, 20% de proteínas e 5% de carboidratos. Para ele, problemas como depressão, doenças degenerativas como o Alzheimer e enxaqueca são resultados do potencial inflamatório de bebidas e alimentos com glúten como cerveja, pães, bolos e biscoitos.

O médico acredita que os carboidratos, que são açúcares, estão altamente associados ao surgimento de distúrbios cognitivos. Além disso, baseando-se no fato de que pessoas com diabetes do tipo 2 possuem maiores chances de desenvolver a doença de Alzheimer, ele afirma que o problema é uma nova espécie de diabetes, devido à relação que ele atribui entre o distúrbio e os carboidratos.

Quanto ao alto consumo de gorduras, a dieta da mente prega que não há problemas, caso elas não estejam acompanhadas da ingestão de carboidratos. Para o americano, os carboidratos também trazem um processo de oxidação no organismo. Quando o LDL – também chamado de colesterol ruim – oxida, ele provoca o acúmulo de gorduras nas artérias.

Outras premissas do programa alimentar são: fazer jejuns com duração de 24 a 72 horas e consumir suplementos como cúrcuma, ácido alfa-lipóico, DHA, resveratrol, vitamina D, probióticos e óleo de coco como maneira de auxiliar a melhoria das funções cerebrais.

O sono também é um aspecto que recebe atenção do médico. Para ele, é importante manter hábitos regulares de sono, identificar elementos que atrapalham dormir, alimentar-se em horários regulares e jantar três horas antes de se deitar, tomando cuidado com as comidas difíceis de serem digeridas.

Perlmutter também aconselha fazer um pequeno lanche antes de dormir porque a hipoglicemia (diminuição dos níveis de açúcar no sangue) pode causar insônia, tomar cuidado com estimulantes como produtos ricos em cafeína e deixar o quarto confortável, silencioso e livre de aparelhos eletrônicos que estimulam os olhos e o cérebro.

Cardápio da dieta da mente

Em seu livro, David Perlmutter traz algumas opções de cardápio para as refeições do dia a dia. Confira:

Café da manhã

  • Fritada de queijo gruyére e queijo de cabra ou;
  • Omelete de óleo de coco com cebola, tomate, pimenta, abacate e salsinha ou;
  • Mix com nozes moídas e sem sal, coco ralado, frutas vermelhas e leite integral ou leite de amêndoas.

Almoço ou jantar

  • Frango ao limão ou;
  • Frango ao vinagrete de mostarda ou;
  • Peixe assado ao Chardonnay (vinho branco) ou;
  • Filé glaceado ao vinagre balsâmico ou;
  • Costela bovina com cebolas, cenouras, aipo, alho, farinha de amêndoas, pimenta, azeite de oliva, molho de tomate, vinho tinto italiano, laranja-baía, tomilho e salsinha ou;
  • Carpaccio de atum com cebola roxa, salsinha e pimenta rosa ou;
  • Bife de Wagyu (boi de origem japonesa) com couve-de-bruxelas, alecrim, alho, pimenta, caldo de galinha e azeite de oliva ou;
  • Sardinhas grelhadas com tomate, rúcula e queijo pecorino ou;
  • Pargo-vermelho (peixe de carne branca) com aipo, azeitona preta, pepino, abacate, tomate amarelo, azeite de oliva, limão e vinagre de vinho tinto ou;
  • Gazpacho de iogurte e abobrinha com peito de frango marinado ao açafrão ou;
  • Sopa de tomate e repolho roxo;
  • Salmão com cogumelos, alho, azeite de oliva, chalotas, gengibre, óleo de gergelim e coentro ou;
  • Cordeiro grego ao limão ou;
  • Frango assado ou;
  • Peixe ao endro e limão siciliano ou;
  • Sopa de brócolis com creme de castanha de caju.

Opções de saladas 

  • Salada de ervas variadas ao vinagre balsâmico ou;
  • Salada niçoise com tomate, pimentão verde, cebolinha, rúcula, ovos cozidos, peixe cozido, anchovas, azeitonas pretas, ervilhas, manjericão e pepino ao vinagrete ou;
  • Salada verde com queijo de cabra, nozes torradas sem sal, mirtilo, óleo de amêndoas, vinagre balsâmico ou vinho tinto, mostarda e pimenta ou;
  • Salada de rúcula ao limão com queijo parmesão ou;
  • Salada de couve com queijo feta, pimentão assado, azeitona preta, alcachofra e molho de leitelho.

Opções de acompanhamentos 

  • Legumes da estação assados ou;
  • Vagem ao molho de alho ou;
  • Cuscuz de couve-flor ou;
  • Espinafre cozido com azeite de oliva, alho, limão siciliano e pimenta desidratada.

Além disso, os alimentos que integram o grupo das gorduras saudáveis, das proteínas, dos vegetais, das frutas e legumes com pouco açúcar e das ervas, temperos e condimentos podem ser consumidos livremente. No entanto, a preferência é que eles sejam orgânicos e integrais.

Já itens como grãos sem glúten, legumes como feijão, lentilhas e ervilhas, cenoura e chirívia, frutos doces integrais como as frutas vermelhas, leite de vaca e nata, queijo cottage, iogurte e kefir, adoçante estévia natural, chocolate com pelo menos 70% de teor de cacau e vinho tinto podem ser ingeridos com moderação.

A dieta da mente entende como moderação o consumo de quantidades pequenas desses alimentos e bebidas uma vez por dia ou de duas a três vezes por semana.

Método é controverso

Ao conhecer como funciona a dieta da mente, não fica difícil concluir que ela é uma tanto quanto ousada, não é mesmo? E que apresenta diretrizes que não correspondem tão bem ao que entendemos como uma dieta equilibrada.

Tanto que alguns especialistas não concordam com as premissas do plano alimentar. Os críticos da dieta da mente argumentam que, apesar do livro que explica o método trazer informações, ele apresenta poucos fatos verdadeiros, traz um discurso apelativo e não pode ser sustentado a longo prazo.

A especialista Julie Miller Jones afirma que as conclusões apresentadas pelo médico americano são errôneas e explica que existem programas alimentares como a dieta do Mediterrâneo, que mesmo prevendo o consumo de carboidratos, diminuem os riscos de desenvolvimento de doenças neurodegenerativas como a demência.

E isso não somente por se tratar de uma dieta extremamente restritiva, mas também por prescrever o consumo de alimentos que não são baratos ou encontrados com facilidade.

O conselho deixado pelos especialistas para manter longe os problemas de saúde que prejudicam o cérebro é aliar uma dieta equilibrada à prática de atividades físicas.

Cuidados importantes 

Antes de começar a seguir qualquer programa alimentar, é fundamental recorrer ao médico e ao nutricionista para se certificar de que a dieta em questão é realmente apropriada para o seu caso e garantir que não trará problemas à saúde.

Isso se torna especialmente importante quando falamos de uma dieta restritiva como a dieta da mente. Por mais que os carboidratos sejam apontados como os vilões da boa forma, eles são importantes para o organismo, principalmente no que se refere à obtenção de energia.

O que você achou do cardápio e de como funciona a Dieta da Mente? Já conhecia esse plano alimentar? Arriscaria segui-lo, mesmo sabendo das controvérsias que apresenta? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (32 votos, média: 3,53 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*