Dor no nervo ciático

Dor no Nervo Ciático – O Que é, Sintomas e Tratamento

Uma dor muito forte e aguda que começa no fim das costas e vai irradiando até os pés. Essa é a dor no nervo ciático que prejudica o dia a dia de várias pessoas.

Vamos explicar o que é a dor no nervo ciático, quais são os principais sintomas e, o mais importante, mostrar tratamentos através do uso de medicamentos e também algumas maneiras de aliviar a dor naturalmente que são eficazes para tratar a condição.

Nervo ciático – O que é 

A dor no nervo ciático é uma dor que irradia através da lombar ou da parte superior das coxas até os pés. O termo ciática também é usado para se referir a dor no nervo. Normalmente, essa dor afeta apenas um lado do corpo. Trata-se de uma dor muito forte que pode interferir nas atividades diárias de quem sofre com ela.

O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano e qualquer problema que envolve ele traz consequências sérias, se a causa da dor não for tratada. Além de inflamação ou compressão no nervo, essa dor pode ser um sinal de problemas mais sérios como estenose espinhal ou síndrome do piriforme.

Apesar de ser extremamente desconfortável e até debilitante, a dor no nervo ciático pode ser tratada com o uso de remédios, de métodos não cirúrgicos e até de alguns métodos naturais que serão abordados nesse artigo.

Sintomas

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, a dor no nervo ciático não é um problema de saúde e sim um sintoma de algum outro problema.

Essa dor pode variar muito sua intensidade e pode estar associada a outros sintomas como:

  • Dor ao longo da lombar até as nádegas;
  • Dor na parte de trás da coxa e na panturrilha;
  • Desconforto para caminhar;
  • Ardência;
  • Formigamento e dormência nos membros inferiores;
  • Fraqueza muscular;
  • Dor ao espirrar ou tossir;
  • Dor ao dormir;
  • Rigidez nos pés;
  • Dificuldade de locomoção.

Possíveis causas

A dor no nervo ciático é mais provável de acontecer em pessoas acima de 30 anos de idade e pode afetar tanto pessoas sedentárias quanto indivíduos extremamente ativos fisicamente como os atletas.

As dores normalmente duram cerca de 6 semanas, podendo desaparecer e voltar novamente depois de um tempo. Em alguns indivíduos, o próprio organismo se recupera sozinho ao se livrar da inflamação no tecido que causa irritação e dor no nervo ciático sem precisar de nenhum tratamento. No entanto, se a dor perdurar por mais de 6 semanas, é indispensável buscar um tratamento. Algumas pessoas podem sentir dores crônicas para o resto da vida se a causa do problema não for detectada e tratada.

1. Hérnia de disco

Na maioria dos casos, a ciática ocorre por causa de uma hérnia de disco. As vértebras da espinha são separadas e protegidas por discos planos, flexíveis e redondos. Quando um disco se desgasta por causa do uso excessivo ou por uma lesão, os nervos ao redor podem ficar pressionados devido à ausência de proteção. Quando o nervo afetado é o nervo ciático, a pessoa sente muita dor.

Vale ressaltar que nem todos que têm hérnia de disco desenvolvem dor no nervo ciático. Isso vai depende muito do nível de desgaste e do nervo afetado.

2. Estenose espinhal

Nesse caso, ocorre um estreitamento da medula espinhal inferior que faz com que ele exerça uma pressão sobre a medula e sobre os nervos presentes na coluna vertebral, incluindo o nervo ciático.

3. Esporão ósseo na coluna vertebral

Um esporão ósseo é uma protuberância óssea que se forma nas bordas dos ossos. Isso acaba deixando os ossos maiores, fazendo com que eles tenham menos espaço e acabem comprimindo a medula óssea e o nervo ciático.

4. Inflamação

Todas as condições mencionadas acima podem resultar em uma inflamação no nervo ciático, o que causa muita dor enquanto a inflamação não for controlada.

No entanto, estudos afirmam que a inflamação também pode acontecer quando não há compressão do nervo. A causa não é bem definida, mas é possível que fatores pró-inflamatórios em excesso no organismo também possam desencadear inflamações nos nervos e causar dor no nervo ciático.

Outras causas menos comuns incluem:

  • Espondilolistese: condição em que um disco desliza comprimindo a vértebra e o nervo próximos a ele;
  • Lesões: uma queda ou lesão na espinha durante uma atividade física pode resultar na ciática;
  • Tumor na coluna: alguns tumores podem comprimir a raiz do nervo ciático.
  • Infecções: infecções ou condições inflamatórias na coluna podem causar a dor no nervo.
  • Síndrome da cauda equina: condição rara em que os nervos da parte inferior da medula espinhal são afetados e que precisa de tratamento médico imediato.

Fatores de risco

Alguns fatores podem aumentar o risco de algumas pessoas sofrerem de dor no nervo ciático em algum momento da vida.

  • Idade: a maioria das pessoas com ciática tem entre 30 e 50 anos de idade.
  • Diabetes: pessoas com diabetes são mais propensas a infecções e danos nos nervos.
  • Obesidade: estar acima do peso ou grávida pode colocar pressão extra sobre a coluna e aumentar o risco de desenvolver hérnia de disco.
  • Ocupação: realizar trabalhos braçais muito pesados ou por longos períodos de tempo pode danificar os discos presentes na coluna vertebral.
  • Sedentarismo: embora a ciática possa afetar pessoas fisicamente ativas, pessoas sedentárias têm maior probabilidade de desenvolver inflamação no nervo ciático.

Diagnóstico

Muitas vezes, é difícil distinguir a dor no nervo ciático da dor sentida por pessoas que sofrem de artrite, o que pode dificultar um pouco o diagnóstico. Para ser mais preciso, o diagnóstico ideal precisa ser composto por uma bateria de exames que inclui exames físicos e de imagem.

O exame físico é feito para analisar sua força muscular e seus reflexos, além de testar alguns movimentos que são difíceis de ser feitos quando se tem dor no nervo ciático, como levantar uma perna de cada vez, agachar e levantar ou andar na ponta dos pés.

Os exames de imagem são feitos para detectar a presença de hérnias de disco ou esporões ósseos, por exemplo. Assim, é possível que o médico solicite testes de imagem como:

  • Raio-X: pode revelar protuberâncias ósseas que podem estar pressionando o nervo ciático.
  • Ressonância magnética: é usada para imagens mais completas e detalhadas que são capazes de identificar hérnias de disco e outros problemas.
  • Tomografia computadorizada: ajuda a distinguir melhor a imagem e identificar com precisão a medula óssea e os nervos.
  • Eletromiografia: esse teste detecta impulsos nervosos produzidos pelos nervos da coluna em resposta a estímulos musculares. Ele ajuda a identificar compressões nos nervos causados por hérnia de disco ou estenose espinhal, por exemplo.

Além desses testes, a análise do histórico médico pessoal também pode ajudar bastante o profissional da saúde a indicar o tratamento mais adequado.

Como tratar

Quando os sintomas de dor são leves e não duram mais do que 4 a 8 semanas, geralmente o tratamento não é necessário.

Analgésicos de venda livre e remédios caseiros podem aliviar dores mais leves, mas geralmente um tratamento com medicamentos mais fortes prescritos por um médico é necessário.

Tratamento com medicamentos

Medicamentos analgésicos como ibuprofeno, acetaminofeno e naproxeno sódico são úteis apenas para alívio imediato das dores.

Outros tipos de medicamentos prescritos para ciática incluem:

  • Relaxantes musculares;
  • Anti-inflamatórios;
  • Narcóticos;
  • Esteroides;
  • Antidepressivos tricíclicos;
  • Medicamentos anticonvulsivos.

O uso de alguns desses medicamentos como os antidepressivos e esteroides, por exemplo, pode causar efeitos colaterais graves, e por isso devem ser evitados a menos que o médico indique ser a melhor opção.

Tratamento cirúrgico

Apenas pessoas com ciática muito grave ou que têm outros problemas de saúde como alterações no funcionamento normal no intestino ou na bexiga são candidatos a realizar o procedimento cirúrgico.

Além disso, se a dor durar por mais de 3 meses e nenhum outro tratamento surtir efeito, pode ser preciso realizar um procedimento cirúrgico para corrigir e remover parte da hérnia de disco ou do esporão ósseo, por exemplo, que está comprimindo os nervos e causando a inflamação.

Os procedimentos cirúrgicos mais usuais são:

  • Laminectomia lombar: alargamento da medula espinhal na parte inferior das costas de modo a diminuir a pressão sobre o nervo ciático.
  • Discectomia: remoção parcial ou total de hérnia de disco.

Tratamentos alternativos e naturais

Há também tratamentos alternativos que envolvem técnicas de fisioterapia, acupuntura e quiropraxia para aliviar as dores.

– Fisioterapia

A fisioterapia ajuda a aliviar as dores e a prevenir novas lesões. Nesse tratamento, são incluídos exercícios para corrigir a postura, fortalecer os músculos das costas e melhorar a flexibilidade em geral.

– Compressas

O uso de compressas frias na parte inferior das costas nos primeiros dias da dor ajuda a combater a inflamação. Se a dor durar mais de uma semana, você pode aplicar compressas quentes para aliviar.

– Atividades físicas

Embora algumas vezes a dor seja tão debilitante, é importante se manter em movimento para reduzir a inflamação. Escolha atividades como alongamentos, yoga e pilates. Se possível, pratique atividades físicas que sejam acompanhadas ou ministradas por fisioterapeutas ou profissionais especializados.

Alongar a coluna de forma adequada ajuda a melhorar a postura e reduzir a rigidez, a dor e a inflamação no nervo.

Segundo um estudo de 2015 publicado no periódico científico no Journal of back and musculoskeletal rehabilitation, a prática de atividades como yoga é segura e eficaz para pessoas com ciática.

– Quiropraxia

Pesquisas indicam que ajustes quiropráticos na espinha podem ser eficazes para tratar a dor no nervo ciático. Um estudo publicado em 2010 na revista científica Journal of Manipulative Physiological Therapie mostrou que quase 60% das pessoas com ciática que não observaram bons resultados através de outros tratamentos foram beneficiadas pela quiropraxia.

A quiropraxia é uma técnica segura desde que exercida por um profissional qualificado que envolve o estudo detalhado do problema e a correção da postura e da realização de outros ajustes na medula óssea.

– Acupuntura

O tratamento para dor nas costas por meio de acupuntura é aprovado pelo Food and Drug Administration nos Estados Unidos. Além disso, vários estudos científicos atestam que a acupuntura é capaz de aliviar dores crônicas como a dor no nervo ciático.

Massagens terapêuticas também podem ajudar devido à sensação de relaxamento e liberação de endorfinas que aliviam a dor.

Tratamento indicado de acordo com a intensidade da dor

Se você for diagnosticado com dor no nervo ciático aguda, o tratamento mais recomendado inclui:

  • Uso de analgésicos;
  • Prática de atividades físicas leves como caminhar, alongar ou fazer ioga, hidroginástica ou pilates;
  • Aplicação de compressas frias nos primeiros dias e quentes nos dias seguintes no local da dor.

Se você tem ciática crônica, o tratamento pode incluir:

  • Outros medicamentos listados acima além de analgésicos que devem ser prescritos por um médico;
  • Tratamento alternativo ou complementar como fisioterapia, acupuntura ou quiropraxia;
  • Terapia psicológica para ajudar a lidar com as dores frequentes no dia a dia.

Alterações no estilo de vida e dicas de prevenção

Além de não deixar de praticar atividades físicas, é importante adotar bons hábitos como ter uma boa alimentação. Uma dieta nutritiva e saudável é capaz de combater processos inflamatórios e reduzir significativamente as dores no nervo ciático.

Além disso, medidas como reduzir o estresse, evitar o aumento de peso, evitar ficar sentado ou sem se movimentar por longos períodos, não fumar e evitar a exposição à poluição podem ajudar a reduzir o risco de inflamações no corpo. Dormir bem também é essencial para ter uma vida saudável.

Manter a boa postura em suas atividades diárias e perder excesso de peso podem ajudar não só a reduzir as dores, mas também a evitar inflamações futuras no nervo ciático.

Referências adicionais:

Você já sofreu dor no nervo ciático alguma vez? Como foi o tratamento recomendado pelo médico? As dores foram resolvidas ou são crônicas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*