Fisiculturista Sergio Oliva – Dieta, Treino, Medidas, Fotos e Vídeos

Especialista:
atualizado em 16/01/2020

Conhecido como “O Mito”, Sergio Oliva é certamente um dos maiores nomes de todos os tempos do fisiculturismo. Dono de uma genética privilegiada que lhe permitia não somente ganhar facilmente músculos como também adquiri-los nos lugares corretos, Sergio é ainda hoje considerado uma lenda. Talvez sua fama e suas conquistas no bodybuilding fiquem atrás somente de Arnold Schwarzenegger, embora o próprio tenha admitido que Sergio Oliva em seu auge fosse simplesmente “imbatível”.

Cubano, Sergio Oliva fez carreira nos Estados Unidos, onde se sagrou campeão do Mr. Olympia em três diferentes ocasiões, tendo inclusive derrotado o Exterminador na última delas.

De Havana à Flórida

Nascido em Cuba no ano de 1941, Sergio Oliva passou o início de sua adolescência nos canaviais, ajudando o pai a sustentar a família cortando cana. Aos 16 anos, o pai de Sergio sugeriu que seu filho se alistasse no exército de Fulgencio Batista, para lutar contra a instauração do comunismo na ilha caribenha.

Tendo, no entanto, perdido a guerra para Fidel Castro e seus companheiros, Sergio Oliva desistiu de trabalhar nas plantações de cana, preferindo passar seus dias na praia. Em um desses dias foi visto por um agente e acabou sendo convidado a treinar musculação no clube local. Passados alguns poucos meses, Sergio já chamava a atenção pelas cargas que conseguia levantar.

Em 1962, Sergio ficou com o segundo lugar no Campeonato Cubano de Levantamento de Peso, atrás de Alberto Hernandez. Como Hernandez acabou se lesionando após a competição, Sergio Oliva foi escolhido em seu lugar para representar Cuba nos Jogos do Caribe e América Central do mesmo ano.

Os jogos foram realizados na Jamaica, e durante sua estadia no país, Sergio Oliva aproveitou para refugiar-se na embaixada americana, pedindo asilo político. Com o asilo concedido, Sergio mudou-se para Miami, trabalhando inicialmente como técnico de televisores.

Da Flórida para o Topo do Fisiculturismo

Um ano após chegar à Flórida, Sergio Oliva mudou-se para Chicago, onde passou a trabalhar de 10 a 12 horas todos os dias em uma fábrica de aço. Além da longa jornada de trabalho, Sergio ainda frequentava a ACM local, onde encarava outras 2,5- 3 horas de treinos todos os dias.

Ainda em 1963, Sergio venceria seu primeiro título no bodybuilding: Mr. Chicagoland. No ano seguinte, sagrou-se campeão do Mr. Illinois, título seguido por vários outros. Em 1966, Sergio Oliva tornou-se fisiculturista profissional, vencendo o Mr. America e também o Mr. World, duas das maiores competições do bodybuilding mundial.

O maior título de sua carreira, no entanto, viria em 1967, com o primeiro lugar no Mr. Olympia. No ano seguinte, Sergio Oliva sagrou-se novamente campeão do Mr. Olympia – e dessa vez campeão por unanimidade, um recorde mundial que se mantém até hoje.

O terceiro e último título de Sergio Oliva no Mr. Olympia veio em 1969, quando derrotou ninguém menos que Arnold Schwarzenegger, que naquela época já era quatro vezes campeão do Mr. Universo e também vencedor do Mr. Europe.

Sergio Oliva e Arnold Schwarzenegger

sergio-oliva-bodybuilder-wallpaper-20

 

compare

Em sua biografia lançada em 1977, Arnold reconheceu que após seu primeiro encontro com Sergio Oliva, nos anos 60, sua impressão foi de que Sergio era o maior e melhor fisiculturista que ele já tinha visto. O primeiro pensamento do austríaco foi que ele não venceria Sergio, que aos seus olhos lhe parecia enorme e invencível. Apesar disso, Arnold acabaria por derrotar Sergio Oliva, sagrando-se campeão do Mr. Olympia de 1970.

Devido a uma disputa política entre diferentes federações de fisiculturismo, Sergio foi impedido de disputar o Mr. Olympia de 1971, fato que praticamente entregou de bandeja o título a Schwarzenegger. Motivado a derrotar o austríaco, Sergio passou a treinar com Arthur Jones, o inventor do método de treinamento H.I.T. (High Intensity Training ou Treinamento de Alta Intensidade), que pregava treinos mais intensos e de menor duração (exatamente o contrário do que se praticava até então).

Os treinos mostraram resultado e Sergio Oliva chegou ao Mr. Olympia de 1972 na melhor forma de sua vida, com 113 kg de puro músculo. Infelizmente os juízes não tiveram a mesma opinião que Sergio quanto à sua forma, e o cubano acabou perdendo novamente para Arnold.

Como os juízes da competição foram trocados na última hora, e também porque Sergio estava em uma forma espetacular, o resultado do Mr. Olympia de 1972 é considerado até hoje como o mais controverso da história do concurso. Como o Mr. Olympia foi criado e era mantido pelo mesmo empresário de Schwarzenegger, Sergio decidiu se desligar da IFBB em 1973 (a Federação Internacional de Fisiculturismo da qual o Mr. Olympia fazia parte). 

Anos 70-80

Competindo por outras federações de bodybuilding, Sergio Oliva continuaria conquistando títulos, como o Mr. Olympus e o WABBA Professional World Championships. Após 12 anos de afastamento da IFBB, Sergio recebeu um convite para competir novamente no Mr. Olympia de 1984. Sergio Oliva já estava aposentado do fisiculturismo nessa época, mas mesmo assim voltou a treinar e ficou em 8º lugar na competição.

Em 1985, aos 44 anos, Sergio estava em melhor forma que no ano anterior, mas mesmo assim terminou novamente em 8º lugar no Mr. Olympia, uma colocação que muitos sentiram ser injusta.

Após se despedir do fisiculturismo profissional, Sergio Oliva continuou trabalhando como policial, profissão que exerceu por 27 anos na cidade de Chicago.

Sergio Oliva faleceu em Novembro de 2012, após falência dos rins. Sua morte foi a primeira até então de qualquer Mr. Olympia.

Sergio, o injustiçado?

Apesar de seus inúmeros títulos e de sua forma inigualável para a época, Sergio Oliva nunca conseguiu ser campeão do Mr. America. Somado às controvérsias do Mr. Olympia, Sergio e grande parte da comunidade do bodybuilding sempre sentiram que o fato de ter nascido em Cuba e ser negro afetaram suas conquistas profissionais. Embora tenha apresentado o que talvez seja o melhor físico de todos os tempos, ironicamente Sergio Oliva talvez não tenha tido o mesmo reconhecimento de outros fisiculturistas devido a esse mesmo físico, de cor escura.

Medidas de Sergio Oliva

Sergio Oliva ficou conhecido por seu físico proporcional e simétrico, além de uma cintura muito fina. Com 71 cm, a cintura de Sergio Oliva é certamente uma das menores de todo o fisiculturismo até hoje.

Seu formato em V é também um clássico do fisiculturismo, com grandes braços, costas e cintura pequena. Durante toda sua carreira, Sergio Oliva sempre manteve uma diferença de 71 a 76 cm entre seu peito e sua cintura. Em seu auge, no início dos anos 70, o tórax de Sergio chegou a medir 147, 3 cm, e sua cintura somente 71 cm.

Durante o Mr. Olympia de 1968, os braços de Sergio mediram 58,4 cm flexionados e seus antebraços também flexionados chegaram a 53,3 cm, um recorde em competição que se mantém até os dias atuais.

Veja outras medidas de Sergio Oliva:

  • Altura: 1,75 m;
  • Peso: 107- 113 kg;
  • Braços: 51 cm;
  • Cintura: 71 cm;
  • Coxas: 73,7 cm;
  • Panturrilha: 51 cm (Sergio se gabava de ter a panturrilha maior que o braço).

Dieta

Enquanto muitos fisiculturistas de seu tempo seguiam a dieta da proteína, Sergio fazia questão de incluir muitos carboidratos na sua alimentação. A dieta de Sergio Oliva incluía muitos ovos, panquecas de banana, shakes de chocolate e até refrigerante.

Sergio sempre gostou de tomar muito leite com proteínas, chegando a beber quase quatro litros em um único dia!

Além disso, devido ao seu trabalho na fábrica de alumínio (as temperaturas no interior da fábrica eram três vezes maior que a temperatura externa) Sergio transpirava excessivamente, e tomava sete litros de água por dia para repor suas perdas.

Um dia típico na dieta de Sergio Oliva:

– 1ª Refeição

  • 1 xícara de farelo de aveia;
  • 12 claras.

– 2ª Refeição

  • Peixe (225 g);
  • 1 xícara de arroz;
  • Atum.

– 3ª Refeição

  • Salada;
  • 1 xícara de arroz;
  • Bife (340g);
  • Legumes frescos.

– 4ª Refeição

  • 2 xícaras de farelo de aveia;
  • 2 peitos de frango.

– 5ª Refeição

  • Salada;
  • Peixe (225 g);
  • Legumes frescos.

– 6ª Refeição

  • 1 xícara de arroz;
  • 10 claras;
  • Atum.

Treino

Durante a maior parte de sua carreira, Sergio foi adepto de treinos de alto volume, com muitas repetições. O objetivo era realizar diversas séries de cada exercício para levar o músculo à fadiga. Sergio também praticava treinos com grande intensidade, utilizando tanto o drop set como os super sets.

Segunda-Feira: Peito e Costas

  • Série 1– 8 x supino reto (90 kg) + 15 x barra;
  • Série 2– 8 x supino reto (99 kg) + 15 x barra;
  • Série 3– 8 x supino reto (117 kg) + 10 x barra;
  • Série 4– 8 x supino reto (135 kg) + 10 x barra;
  • Série 5– 8 x supino reto (144 kg) + 8 x barra;
  • Série 6– 8 x supino reto (157,5 kg) + 8 x barra;
  • Série 7– 8 x supino reto (171 kg) + 5 x barra.

+ Supersérie de Crucifixo com paralelas: 5 séries de 15 repetições com 36 kg em cada mão.

Terça-Feira: Ombros, bíceps e tríceps

  • Press– 5 séries de 15 repetições com 90 kg;
  • Tríceps francês– 5 x 15 com 90 kg;
  • Rosca direta– 5 x 5 com 90 kg;
  • Rosca Scott– 5 x 10 com 67,5 kg;
  • Rosca Scott com halter alternado– 5 x 5 com 27 kg;
  • Extensão de tríceps sentado– 5 x 5 com 27 kg, em supersérie com tríceps pulley.

Quarta-Feira

  • Abdominal– 10 séries com 50 repetições;
  • Abdominal com elevação das pernas – 5 x 20;
  • Abdominal lateral em pé combinado com barra por trás da nuca– 5 x 200 repetições;
  • Agachamento– 5 repetições x 135 kg, 5 x 180 kg, 5 x 200 kg, 5x 213, 4 x 226 kg;
  • Elevação do calcanhar– 10 x 8 repetições com 136 kg.

Quinta-Feira

– Supino Reto

  • Série 1– 5 repetições com 90 kg;
  • Série 2– 5 repetições com 99 kg;
  • Série 3– 5 repetições com 117 kg;
  • Série 4– 5 repetições com 136 kg;
  • Série 5– 5 repetições com 144 kg;
  • Série 6– 5 repetições com 157,5 kg;
  • Série 7– 5 repetições com 171 kg;
  • Desenvolvimento por trás com barra– 5 séries de 5 repetições com 112,5 kg + supersérie com remada baixa (90 kg);
  • Desenvolvimento com halteres– halteres de 36 kg;
  • Paralelas– 5 séries com 8 repetições (sem peso).

Sexta-Feira

  • Press– 3 x 5 repetições (90 kg);
  • Rosca direta– 3 x 5 (90 kg);
  • Tríceps francês– 3 x 5 (90 kg);
  • Rosca Scott– 3 x 5- (90 kg);
  • Rosca Scott com halteres– 3 x 5 (22,5 kg) em supersérie com tríceps pulley;
  • Barra por trás da nuca– 5 x 5;
  • Barra pegada fechada– 5 x 5 em supersérie com tríceps corda.

Sábado:

  • Abdominais– 5 x 10 repetições;
  • Abdominais com elevação das pernas– 5 x 10;
  • Abdominal lateral em pé combinado com barra por trás da nuca– 5 x 50 repetições.

– Agachamento

  • 3 séries com 3 repetições (136 kg);
  • 2 séries com 3 repetições (180 kg);
  • 3 séries com 20 repetições com (113 kg);
  • Agachamento frontal– 5 x 5 (90 kg);
  • Elevação de calcanhar sentado– 5 x 5 (90 kg).

Títulos

  • 1963 Mr Chicago – 1º. lugar
  • 1964 Mr Illinois – 1º
  • 1964 Mr America – AAU, 7º
  • 1965 Junior Mr America – AAU, 2º
  • 1965 Junior Mr America – AAU, Mais Musculoso
  • 1965 Mr America – AAU, 4º
  • 1965 Mr America – AAU, Mais Musculoso
  • 1966 Junior Mr America – AAU, Vencedor
  • 1966 Junior Mr America – AAU, Mais Musculoso
  • 1966 Mr America – AAU, 2º
  • 1966 Mr America – AAU, Mais Musculoso
  • 1966 Mr World – IFBB, 1º Geral
  • 1966 Mr World – IFBB, Alto, 1º Geral
  • 1966 Mr Universe – IFBB Vencedor
  • 1966 Mr. Olympia – IFBB, 2º
  • 1967 Mr. Olympia – IFBB, Vencedor
  • 1967 Universe – IFBB, 1º Geral
  • 1968 Mr. Olympia – IFBB, Vencedor
  • 1969 Mr. Olympia – IFBB, Vencedor
  • 1970 Mr. World – AAU, Pro- Alto, 2º
  • 1970 Mr. Olympia – IFBB, 2º
  • 1971 Universe – Pro – NABBA, Alto, 2º
  • 1972 Mr. Olympia – IFBB, 2º
  • 1972 Mr. Galaxy – WBBG, 1º
  • 1973 Mr. International/ Mr. Azteca – IFBB, Professional, 1º
  • 1973 Mr. Galaxy – WBBG, 1º
  • 1974 Mr. International – WBBG, Professional, 1º
  • 1975 Mr. Olympus – WBBG, Vencedor
  • 1976 Mr. Olympus – WBBG, Vencedor
  • 1977 Pro World Championships – WABBA, 1º
  • 1978 Mr. Olympus – WBBG, Vencedor
  • 1980 Pro World Championships – WABBA, 1º
  • 1980 Professional World Cup – WABBA, Vencedor
  • 1981 Professional World Cup – WABBA, Vencedor
  • 1984 Mr. Olympia – IFBB, 8º
  • 1984 Professional Mid-States Championships – WABBA 1º
  • 1985 Mr. Olympia – IFBB, 8º

Fotos

2

4

67oliva

download (1)_1

images (1)_1

memories-of-the-myth-greats-pay-tribute-to-sergio-oliva_d

memories-of-the-myth-greats-pay-tribute-to-sergio-oliva_f memories-of-the-myth-greats-pay-tribute-to-sergio-oliva_g

OlivaSergio_4

Vídeos

Um tributo a Sergio Oliva:

Mr. Olympia de 1969- Arnold x Sergio:

https://www.youtube.com/watch?v=Wdhufpmg1LU

Arnold x Sergio- Mr. Olympia de 1972:

https://www.youtube.com/watch?v=FEwQvWXKcTg

Sergio Oliva- O Mito:

Você acredita que Sergio Oliva foi um dos fisiculturistas mais injustiçados da história? Quem você julga ser melhor, ele ou Arnold Schwarzenegger? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 3,00 de 5)
Loading...
Sobre Francisco Santana

Francisco José Santana é personal trainer, formado pela Univer Cidade RJ 2007, com certificação CORE360º treinamento funcional, Certificação Internacional FNS I e II em avaliação funcional, especializações em suplementação nutricional esportiva, Crosstraining - Scientific Sport, Cineantropometria aplicada, Primeiras ações em emergência, Prevenção de Doenças Laborais, Musculação, Ginástica Corretiva, Spinning (Johnny G), Técnica de Tecidos Moles - Miofacial, e Inteligência Emocional - ASICC

Deixe um comentário

3 comentários em “Fisiculturista Sergio Oliva – Dieta, Treino, Medidas, Fotos e Vídeos”

  1. Olhei as fotos Arnold provavelmente ganhou porque era mais detalhado, principalmente braço e coxa, mas pra quem gosta mais de volume sergio realmente seria melhor, exceto pelo biceps eu acho o aspecto geral do físico dele melhor que do Arnold, e pelo que vi treinava pouca perna, só agachava, se fizesse mais algum outro exercicio poderia ter tido mais detalhe, o treino dele é bem diferente do habitual, ele saiu do levantamento olimpico mas o levantamento olimpico não saiu dele, o treino tinha muito do estilo ainda.

  2. Poxa, desculpa mas tenho o livro de Arnold e a história entre eles dois não foi bem assim.

    Alem disso a dieta e treino que foi postado, têm itens que os fisiculturistas nem praticavam na época. Ex deles é o elevação de gêmeos sentado. Pois na época nem se tinham criado aparelhos para panturrilhas ainda. Malhavam panturrilha com os parceiros de treino subindo em suas costas, depois começaram a fazer no leg e por aí foi.