Grávida Pode Comer Pipoca?

Especialista:
atualizado em 27/12/2019

Para muitos, um desejo de grávida não é um pedido – e sim uma ordem! Mas antes da mulher sair devorando tudo que tem vontade, é preciso saber se o alimento não pode fazer mal para ela ou o bebê. Por exemplo, se o desejo em questão for de pipoca, ela está liberada? Veja a seguir se grávida pode comer pipoca ou se ela deve evitá-la, mesmo tendo esse desejo durante a gestação.

Aproveite também para saber se comer pipoca engorda ou emagrece, confira os alimentos que grávidas devem evitar e aprenda a fazer pipoca de forma saudável.

A grávida pode comer pipoca?

A pipoca está presente na lista dos lanches saudáveis que uma mulher pode comer enquanto está grávida. A justificativa? O fato do alimento ser rico em fibras, que ajudam a manter o corpo saciado.

Entretanto, é preciso saber como preparar e consumir a pipoca. Além de não comer porções excessivas do alimento, para assegurar que a sua pipoca seja mais saudável, o ideal é deixar de lado as versões que são preparadas com muito óleo e dar preferência à pipoca que é estourada sem óleo.

Também é recomendado que a futura mamãe rejeite as pipocas com manteiga e sal adicionado.

O problema com o sal

Se a grávida pode comer pipoca, é bastante importante que ela realmente tome cuidado ao utilizar o sal para temperar o alimento. Se não conseguir ficar sem o sal, o ideal é que acrescente poucas quantidades do ingrediente na pipoca.

Também é importante que a futura mamãe não acrescente outros ingredientes ricos em sódio para temperar a sua receita de pipoca, como o Sazón, por exemplo.

Enquanto ¼ de colher de chá de sal apresenta 581,25 mg de sódio, um sachê de 5 g de Sazón tempero para salada é composto por 890 mg do mineral.

Tudo isso para evitar uma ingestão excessiva de sódio, um mineral que em excesso é bastante prejudicial para todas as pessoas, inclusive para uma mulher grávida.

Ainda que o corpo humano necessite do sódio para o funcionamento adequado dos músculos e o controle da pressão arterial e do volume do sangue, conforme informou o Centro Médico da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, a ingestão de uma quantidade elevada do nutriente não é nada boa para o organismo.

De acordo com a instituição, os adultos saudáveis não devem consumir mais do que 2,3 mil mg de sódio diariamente, indivíduos com pressão arterial alta não devem ingerir mais do que 1,5 mil mg do mineral a cada dia e quem tem insuficiência cardíaca congestiva, cirrose do fígado e doença renal podem precisa consumir quantias muito menores do que essas.

Já a Associação Americana do Coração recomenda que o ideal é que os adultos limitem a sua ingestão de sódio para 1,5 mil mg do nutriente por dia.

A Academia Nacional de Medicina dos Estados Unidos determinou que o consumo adequado de sódio durante uma gestação deva ser de 1,5 mil mg por dia.

Entretanto, é fundamental que cada gestante conte com o acompanhamento médico durante toda a gestação para saber qual o limite de ingestão de sódio indicado para o seu caso, em particular, porque o surgimento de algumas situações ou doenças em uma gravidez podem exigir cortes no consumo do mineral.

A Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos alertou que o excesso de sódio pode provocar problemas como retenção de líquidos, endurecimento dos vasos sanguíneos, pressão arterial alta, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca.

A interferência na pressão arterial é algo particularmente prejudicial dentro de uma gestação.

Fuja das pipocas de micro-ondas

Esse é um bom conselho não somente para as gestantes, mas para todas as pessoas. Conforme informações, as pipocas de micro-ondas são conhecidas como fontes de gorduras trans.

De acordo com a Escola Médica da Universidade de Harvard nos Estados Unidos, as gorduras trans são o pior tipo de gordura alimentar e o consumo de alimentos ricos na substância aumenta os níveis do colesterol ruim – o LDL – na corrente sanguínea – ao mesmo tempo em que diminui as taxas do colesterol bom – o HDL.

Como se não bastasse, as gorduras trans criam inflamação, fator ligado a problemas como doença cardíaca, acidente vascular cerebral (AVC), diabetes e outras condições crônicas, alertou a instituição.

Essas gorduras também contribuem com o desenvolvimento da resistência à insulina, que aumenta os riscos de desenvolver a diabetes do tipo 2, completou a Escola Médica de Harvard, que também salientou que mesmo pequenas quantidades de gorduras trans podem fazer mal para a saúde.

Mais importante do que saber se a grávida pode comer pipoca

É entender como toda a alimentação e rotina da mulher que espera um neném devem funcionar. Para isso, é fundamental que a futura mamãe conte com um acompanhamento individualizado e frequente com médico e com o nutricionista como forma de garantir a sua saúde e o bom desenvolvimento do bebê.

Até porque cada gestação pode apresentar diferenças e nos casos de uma gravidez de risco ou em que a mulher tenha alguma doença, as orientações em relação à dieta podem necessitar ser modificadas.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você imaginava que grávida pode comer pipoca ou não? Conhece alguém que possa confirmar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário