Grávida pode tomar Eno?

Especialista da área:
atualizado em 15/12/2021

É bem comum sentir azia na gravidez, mas as grávidas não podem tomar qualquer remédio, mesmo que ele pareça inofensivo como o Eno.

  Continua Depois da Publicidade  

O Eno é um remédio muito usado para aliviar a azia, o refluxo e a má digestão. De fato, o pó efervescente reage com o ácido estomacal em excesso, aliviando o mal estar.

Por sua vez, a azia é um problema que afeta muitas grávidas, em uma ou mais etapas da gravidez. Isso ocorre porque os hormônios da gestação, como a progesterona, relaxa a musculatura do útero para permitir a sua expansão.

Porém, esse relaxamento combinado com o crescimento do bebê pode pressionar o esfíncter que separa o estômago do esôfago, fazendo com que o ácido do estômago volte para o esôfago com mais frequência.

Assim, mesmo mulheres que nunca tiveram refluxo ou azia podem ter esses sintomas durante a gestação.

Grávida pode tomar Eno?

Grávida enjoada

De acordo com as informações encontradas na bula do remédio, o sal de frutas Eno não deve ser usado por gestantes sem o aval de um médico. É importante que antes de tomar qualquer remédio, a grávida consulte seu obstetra para saber quais podem ser usados com segurança.

Além disso, a dose e a frequência de uso de certos remédios pode ser diferente para as gestantes.

  Continua Depois da Publicidade  

Ao tomar Eno sem prescrição médica durante a gravidez, você pode colocar em risco a absorção de alguns nutrientes e medicamentos. Isso porque ao reduzir a acidez do estômago, o Eno também interfere na absorção de certas substâncias. 

Além disso, o Eno contém bicarbonato de sódio em sua composição e não há estudos suficientes para atestar a eficácia e segurança desse composto quando ingerido por grávidas ou lactantes. Sendo assim, o ideal é evitar o uso.

Vale lembrar que algumas gestantes podem ter problemas de saúde que restrinjam o uso do sal de frutas, já que o Eno não é indicado para quem apresenta pressão alta, problemas no fígado, doenças do coração ou alergia a algum componente da fórmula. 

O medicamento também pode causar efeitos colaterais desagradáveis que incluem:

  • Arrotos
  • Flatulência
  • Distensão abdominal
  • Irritação gastrointestinal

Esses efeitos são observados principalmente em quem toma mais do que dois envelopes de Eno por dia. A dose exagerada também pode causar agitação, sede, fraqueza, boca seca, tontura, dor de cabeça, pressão baixa e taquicardia.

Dicas e cuidados

Sal de frutas

Se você optar por tomar o Eno ou seu médico recomendá-lo, não use o remédio por mais do que 14 dias. Além disso, não se esqueça de diluir o pó em água antes de tomar, já que o pó puro pode causar irritação gástrica e até problemas intestinais mais graves. 

  Continua Depois da Publicidade  

O Eno até pode ser usado durante a gestação, mas com cautela e com baixa frequência. Isso porque tomar sal de fruta com frequência aumenta o risco de constipação e a grávida já está mais sujeita à prisão de ventre do que as demais mulheres.

O ideal mesmo é procurar um antiácido que não contenha bicarbonato de sódio, carbonato de sódio ou ácido cítrico em sua composição. Aqueles que são feitos à base de sais de cálcio ou magnésio são mais seguros durante a gestação.

Algumas dicas práticas para reduzir a azia e refluxo durante a gravidez incluem um cuidado maior com a alimentação. Assim, é importante ter refeições fracionadas ao longo do dia e evitar conversar durante a mastigação para não engolir muito ar.

Praticar atividades físicas também ajuda a diminuir o desconforto. Além disso, evite comer e se deitar logo em seguida.

Se nada disso te ajudar e a acidez do estômago persistir e te incomodar muito, não deixe de perguntar ao seu médico o que fazer para aliviar os sintomas. 

Fontes e referências adicionais

O que você faz para melhorar a azia? Já teve esses problemas na gravidez? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhum voto ainda)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho é especialista em Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Ultrassonografia - CRM 52.104130-4. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

Deixe um comentário