H. pylori: o que é, como se pega, sintomas e tratamentos

Especialista da área:
atualizado em 29/03/2022

A infecção pela bactéria H. pylori afeta o estômago e pode provocar inflamação, levando ao desenvolvimento de gastrite e úlceras. Os principais sintomas são barriga inchada, queimação e dor na boca do estômago. Vários exames podem detectar a presença da bactéria, permitindo o encaminhamento ao tratamento com antibióticos e remédios para o estômago. 

A H. pylori rompe e penetra a camada mucosa protetora que temos no estômago, permitindo que os ácidos presentes nesse órgão machuquem a parede estomacal, promovendo inflamação e feridas. 

  Continua Depois da Publicidade  

Apenas 20% das pessoas que têm a bactéria manifestam sintomas e precisam ser tratadas. O tratamento é medicamentoso, mas também envolve mudanças de hábitos alimentares. 

Veja mais detalhes sobre a H. pylori, como se pega, os principais sintomas e como é feito o tratamento. 

H. pylori: o que é?

Helicobacter pylori
A bactéria Helicobacter pylori vista por microscópio

A Helicobacter pylori ou H. pylori é uma bactéria que se aloja no estômago e ataca a camada de muco que protege a parede do órgão contra os ácidos produzidos para a digestão dos alimentos. 

Ela se aloja dentro dessa camada, ficando protegida contra a ação dos ácidos e produz substâncias que lhe dão energia para sobreviver nesse ambiente. 

A presença e a ação da H. pylori na parede do estômago ativa o nosso sistema de defesa, que é o sistema imunológico. A resposta inicial desse sistema é a inflamação, que pode dar origem à gastrite. Essa condição de saúde pode ser causada por vários fatores, dentre eles, a bactéria H. pylori. 

  Continua Depois da Publicidade  

As feridas causadas na parede do estômago podem dar origem a úlceras gástricas e duodenais, que provocam dores intensas e sangramento. A H. pylori também é um fator de risco para o desenvolvimento de câncer de estômago e de linfoma do tipo MALT. 

Como se pega a H. pylori?

Uma pessoa pode pegar a bactéria H. pylori pela ingestão de água e alimentos contaminados e pela saliva. Por isso, é comum pessoas da mesma família serem portadoras da bactéria, pois tendem a compartilhar copos e talheres. 

A bactéria está presente, principalmente, em ambientes onde falta saneamento básico, em que a população não tem acesso aos serviços de tratamento de água e esgoto. 

A melhor forma de se prevenir é não compartilhar utensílios pessoais e lavar as mãos após ir ao banheiro e antes das refeições.  

Sintomas causados pela H. pylori

Mais de 50% da população mundial é portadora da H. pylori, mas a maioria não manifesta sintomas. Os motivos pelos quais a maioria é assintomática ainda não está claro. 

Quando a H. pylori provoca sintomas, eles são parecidos com os de várias doenças do estômago e intestino, por isso é importante realizar uma consulta médica, para investigar se a causa de tais sintomas é a bactéria H. pylori. 

  Continua Depois da Publicidade  

De modo geral, as pessoas têm sintomas de gastrite: 

  • Dor na parte superior do abdômen ou “na boca do estômago”.
  • Distensão abdominal, que é a barriga inchada, após as refeições.
  • Queimação e azia 
  • Náuseas e vômitos
  • Arrotos frequentes 
  • Refluxo 
  • Gases 
  • Falta de apetite
  • Saciedade rápida, mesmo após ingerir pouca comida.
  • Perda de peso não intencional 
  • Sangue no vômito e nas fezes
  • Anemia 

Veja mais detalhes sobre os sintomas que a H. pylori pode causar e quando procurar um médico

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da H. pylori é feito com alguns exames, como a endoscopia com biópsia e a detecção respiratória de gás carbônico. 

Na endoscopia com biópsia é feita a retirada de um pequeno fragmento do tecido do estômago ou duodeno, para análises microscópicas em laboratório que permitem identificar a presença da bactéria H. pylori. 

Uma das substâncias que a bactéria produz no estômago é o gás carbônico a partir da uréia do suco gástrico, que pode ser detectado por meio do teste de detecção respiratória. 

Exames de sangue, para detecção de anticorpos contra a bactéria, e de fezes, para a detecção de antígenos da bactéria, também podem ser solicitados para verificar se os sintomas gástricos estão sendo causados pela H. pylori.  

  Continua Depois da Publicidade  

Tratamento medicamentoso para H. pylori

O objetivo do tratamento é combater a bactéria e reduzir a produção de ácidos estomacais. O tratamento com remédios é indicado apenas quando há manifestação de sintomas ou histórico familiar de câncer no estômago. 

O tratamento é feito com antibióticos, que pode ser claritromicina, metronidazol ou amoxicilina e inibidores de bomba de prótons, como o omeprazol, pantoprazol, lansoprazol e o rabeprazol. Esses ativos podem ser combinados em blisters, como o Pyloripac. Em alguns casos, o médico prescreve subsalicilato de bismuto, um antiácido estomacal, para tratar os sintomas.  

O tratamento com antibióticos dura em torno de 7 a 14 dias. Os possíveis efeitos colaterais dos medicamentos incluem:

  • Diarreia ou constipação intestinal
  • Dor de cabeça
  • Alteração do paladar
  • Náuseas
  • Língua e fezes escuras 

A eliminação da bactéria com o tratamento provoca a cura das úlceras que tenham sido causadas pela ação desse microrganismo. 

Se a pessoa tiver o linfoma do tipo MALT localizado apenas no estômago, o tratamento com os antibióticos é capaz de promover a regressão da doença, na maior parte dos casos. 

Dieta para quem tem H. pylori

Probióticos
Alimentos probióticos são ótimas opções para a dieta de quem tem H. pylori

Associado aos medicamentos, são necessárias algumas mudanças nos hábitos alimentares, para que o tratamento seja eficaz. Isso envolve deixar de consumir alguns alimentos e aumentar o consumo de outros. 

Evitar certos tipos de alimentos ajuda a reduzir a produção de ácidos estomacais e controlar a proliferação da bactéria que, consequentemente, diminui a resposta inflamatória e os sintomas associados. 

O que evitar 

  • Alimentos muito condimentados e apimentados
  • Alimentos industrializados
  • Carnes gordurosas
  • Carnes embutidas
  • Frutas ácidas, como laranja, limão e acerola, enquanto estiver com os sintomas. 
  • Cafeína 
  • Leite
  • Bebidas alcoólicas

O que comer 

  • Frutas e vegetais ricos em vitamina C
  • Alimentos ricos em gordura poli-insaturada (ômega-3)
  • Grãos integrais 
  • Probióticos

Veja algumas listas com sugestões sobre o que comer com H. pylori e o que evitar.

Fontes e referências adicionais

Você tem quais dos sintomas citados? Pretende fazer um exame para saber se tem a bactéria? Quais alimentos você pensa em retirar do seu cardápio? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho é especialista em Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Ultrassonografia - CRM 52.104130-4. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

Deixe um comentário