Home » Saúde » Estômago » Azia na Gravidez – O Que Tomar? Como Aliviar? Chá? O Que Fazer?

Azia na Gravidez – O Que Tomar? Como Aliviar? Chá? O Que Fazer?

Azia na gravidez

A azia é observada em muitos casos de gravidez. Esse desconforto atinge de um quarto até metade das mulheres grávidas em todo o mundo.

  Continua Depois da Publicidade  

Geralmente, esse problema afeta as gestantes no primeiro ou no segundo trimestre da gravidez e persiste até o fim da gestação. Por ser um problema persistente, complicações podem ocorrer se a azia não for tratada.

As gestantes em geral têm muito medo de tomar qualquer tipo de medicamento por receio de as substâncias fazerem mal ao bebê. Mas já está na hora de desmistificar isso e entender que as grávidas não devem sofrer por um problema relativamente simples de ser resolvido porque querem evitar um remédio a qualquer custo.

Existem sim medicamentos perigosos, mas é possível tratar condições como a azia na gravidez sem colocar o desenvolvimento do bebê em risco. Aqui, você vai aprender como aliviar a azia na gravidez através de tratamentos seguros e encontrar dicas para alívio natural do refluxo ácido.

Azia na gravidez

A azia, chamada também de refluxo ácido, é um desconforto sentido por muitas mulheres gestantes.

  Continua Depois da Publicidade  

Mulheres que sentem muita azia durante a gestação e não cuidam do problema podem desenvolver complicações de saúde como doença do refluxo gastroesofágico, dificuldade para engolir, sangramento esofágico e perda de peso.

Além do risco de desenvolver outros problemas de saúde, o desconforto de sentir azia diariamente não deve ser ignorado e precisa ser tratado para uma gravidez mais tranquila e prazerosa.

A azia pode ser causada por vários fatores e na gravidez os sintomas podem ser mais intensos. Ela acontece porque o esfíncter esofágico interior – músculo localizado na parte inferior do esôfago, responsável por prevenir o refluxo ácido – fica fraco durante a gestação por causa das alterações hormonais como o aumento dos níveis de estrogênio e progesterona. Esse enfraquecimento permite que o ácido gástrico volte.

Essa fragilização do esfíncter esofágico interior aumenta a incidência de azia na gravidez. Geralmente, logo após o parto o músculo se fortalece novamente e a azia cessa.

Outro fator que contribui para a ocorrência de azia gestacional é a alteração na posição de alguns órgãos abdominais para acomodar o feto e a pressão abdominal gerada por ele, condições que também contribuem para o refluxo ácido.

Os principais sintomas relacionados a uma azia incluem:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Sensação de estar doente;
  • Arrotos frequentes;
  • Ardor ou dor no peito;
  • Inchaço abdominal ou sensação de plenitude;
  • Ânsia de vômito.

Em geral, esses sintomas são observados logo após ingerir alimentos ou tomar algum líquido, mas também há casos em que a azia ocorre um bom tempo após o consumo desses produtos alimentícios quando há problemas de indigestão.

O que tomar?

Existem medicamentos que prejudicam o feto, mas também há aqueles que podem ser tomados com segurança. Os remédios que não interferem na saúde do feto e ajudam a aliviar a azia na gravidez incluem antiácidos dos mais diversos tipos.

No entanto, os antiácidos podem afetar a absorção de ferro, que é um nutriente essencial para evitar a anemia na grávida e para promover o desenvolvimento do bebê. Assim, é importante monitorar os níveis de ferro no sangue para providenciar um suplemento vitamínico, se necessário.

  Continua Depois da Publicidade  

Antiácidos que contêm magnésio devem ser evitados no fim da gravidez, já que há evidências que sugerem que o mineral pode retardar o trabalho de parto. Porém, esse é um risco apenas imediatamente antes do trabalho de parto. Durante os outros meses da gravidez, esses antiácidos podem ser utilizados normalmente.

Os antiácidos usados podem incluir medicamentos compostos por hidróxido de alumínio como o Mylanta, ácido algínico, sucralfato (Carafate) ou por uma combinação de antiácidos, como no caso do Gaviscon. A ação do antiácido consiste em neutralizar o ácido no estômago, enquanto que os alginatos como o ácido algínico servem para aliviar a indigestão resultante do refluxo ácido.

É indicado tentar primeiro um desses antiácidos ou o ácido algínico cerca de 1 hora após as refeições e antes de dormir. Apenas o sucralfato deve ser tomado cerca de meia hora antes das refeições, já que ele atua revestindo e protegendo as paredes do esôfago e do estômago. Como muitas grávidas apresentam problemas para ir ao banheiro, pode ser preciso alternar entre o uso de antiácidos contendo magnésio e alumínio para evitar possíveis efeitos adversos como constipações e diarreias.

Se o tratamento com um antiácido isolado não surtir efeito, o médico pode sugerir uma combinação de antiácidos que pode ter um resultado melhor.

Outros medicamentos que podem ser usados para tratar a azia na gravidez incluem:

  • Inibidores da bomba de próton como o lansoprazol, o rabeprazol, o esomeprazol e o pantoprazol;
  • Antagonistas de H2 como a ranitidina, a famotidina e a cimetidina (Omeprazol);
  • Metoclopramida para tratamento de doença do refluxo ácido.

Dificilmente os medicamentos acima são receitados para as grávidas, pois os antiácidos costumam dar conta do recado.

Os remédios são seguros?

A azia pode e deve ser tratada com medicamentos que são pouco absorvidos pelo corpo, o que impossibilita malefícios ao feto.

Os antiácidos contendo alumínio, por exemplo, são inofensivos para o feto porque a pequena quantidade do mineral que é absorvida pelo corpo da gestante é eliminada.

Já o magnésio, como já mencionado anteriormente, pode interferir no trabalho de parto e retardá-lo, mas isso não deve ser motivo de preocupação no início ou no meio da gravidez.

Embora os antiácidos possam interferir na absorção normal do ferro, não é comum observar deficiências nutricionais por causa do uso desses medicamentos. Além disso, a deficiência em ferro é facilmente identificada em exames de sangue de rotina e pode ser tratada com suplementos sem grandes dificuldades.

Quando os antiácidos não fazem efeito, os antagonistas de H2 são uma escolha segura e eficaz contra a azia. O único que não deve ser usado por grávidas é a nizatidina, pois existem estudos em animais que sugerem a ocorrência de efeitos adversos em fetos quando utilizado em altas doses.

Os inibidores da bomba de próton também são considerados seguros para as gestantes e seus bebês. No entanto, por existirem poucos estudos sobre o medicamento, ele deve ser a última opção a ser considerada no tratamento.

A metoclopramida é utilizada apenas em alguns casos de doença do refluxo ácido quando nenhum outro tratamento foi eficaz. Isso porque esse medicamento pode causar efeitos adversos neurológicos graves para a saúde.

O que fazer?

Como aliviar a azia sem remédios? A azia pode melhorar de forma significativa ao adotar algumas medidas, como:

1. Dormir com a cabeça levemente inclinada para cima em relação ao resto do corpo

Ficar com a cabeça elevada, principalmente se você for dormir com a barriga cheia, evita que o ácido volte para o esôfago. O ideal, no entanto, é fazer a última refeição pelo menos 3 horas antes de dormir, mas sabemos que nem sempre isso é possível, então use um travesseiro mais alto.

2. Evitar o estresse

É essencial descansar durante a gravidez e evitar situações estressantes. Isso porque muitas pessoas sofrem de azia quando estão estressadas. Dessa forma, pratique atividades relaxantes e prazerosas sempre que puder para aliviar a raiva ou o estresse quando eles surgirem.

3. Deitar-se sobre o lado esquerdo do corpo

Nessa posição, é mais difícil para o ácido estomacal voltar para o esôfago, o que ajuda a evitar a azia.

4. Ingerir refeições menores e mais frequentes

Optar por refeições pequenas e com maior frequência em vez de apenas 3 refeições diárias muito volumosas pode ajudar a evitar a azia. Isso porque o seu estômago não vai ficar tão cheio e vai manter constante a produção de ácidos estomacais.

5. Evitar consumir alimentos que agravam a azia

É importante evitar alimentos que pioram os sintomas de azia, tais como produtos gordurosos, chocolate, refrigerante, café, chá, sucos cítricos e álcool.

6. Esperar um pouco para se deitar logo depois de comer

Se possível, faça sua última refeição da noite cerca de 2 a 3 horas antes de se deitar, como mencionamos acima. Isso evita que você vá dormir com o estômago muito cheio e se sinta mal durante a noite.

7. Ter hábitos saudáveis de alimentação

A indigestão é mais comum quando estamos com o estômago muito cheio. Apesar da pressão social de que as grávidas devem comer por 2, não é bem assim. Comer muito durante a gravidez pode sobrecarregar o seu sistema digestivo além de poder causar problemas como a obesidade.

O ideal é comer até se sentir satisfeita e priorizar alimentos naturais e saudáveis em uma dieta bem equilibrada que contemple todos os grupos nutricionais.

8. Usar roupas confortáveis

Roupas apertadas para mulheres com azia na gravidez podem piorar mais a condição, já que a pressão no abdômen pode piorar o refluxo ácido. Assim, opte por roupas mais folgadas e confortáveis durante a gestação.

9. Mascar chiclete

Esse hábito pode ser útil em alguns casos, já que ele estimula a produção de saliva, que contém bicarbonato, que é capaz de neutralizar o ácido no esôfago. Mas lembre-se de escolher versões sem açúcar.

10. Manter uma postura ao se alimentar

A postura também é importante durante as refeições. Sentar-se em linha reta enquanto come elimina pressão do seu estômago e evita o refluxo ácido.

11. Não fumar

O hábito de fumar deve ser evitado durante a gravidez pois as substâncias do cigarro fazem mal para o bebê. É sempre bom lembrar que, ao fumar, a mãe pode aumentar o risco de o bebê nascer prematuro, de ele nascer com baixo peso e de ocorrer a síndrome da morte súbita do lactente – quando o bebê morre subitamente quando está dormindo.

Além disso, o tabagismo também agrava problemas de azia na gravidez pois prejudica a digestão e relaxa os músculos localizados na extremidade inferior da garganta, facilitando a volta do ácido gástrico.

12. Tomar chá

Para aquelas grávidas que mesmo sabendo que os antiácidos não fazem mal para o bebê querem evitar o uso de medicamentos durante a gestação, a ingestão de chás com propriedades medicinais para azia é uma boa opção.

Algumas sugestões incluem o chá de gengibre, o chá de espinheira-santa, o chá de alcaçuz e o chá de funcho.

Evite a todo custo chás com alto teor de cafeína, pois eles podem piorar a azia.

Considerações

É muito comum as grávidas sentirem azia em alguma etapa da gravidez. Os riscos aumentam se a mulher já apresentava problemas de indigestão antes da gestação, se já esteve grávida antes ou se está nos meses finais da gravidez. Assim, o mais indicado é evitar os alimentos que atuam como gatilhos para a azia e adotar as outras dicas mencionadas acima para evitar o acúmulo de ácido estomacal e, desta forma, prevenir a azia.

Ao tomar qualquer tipo de medicamento durante a gravidez, sempre o faça sob orientação médica. Nunca inicie o tratamento por conta própria sem recomendação médica.

Referências Adicionais:                                              

Você sente ou sentia muita azia na gravidez? Tem receio de tomar medicamentos que possam prejudicar a saúde do bebê? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*