Especialista da Área:

Lordose – O Que é, Sintomas, Exercícios, Tipos e Tratamento

Lordose é a curvatura natural que todas as pessoas possuem, com finalidades diversas. No entanto, quando essa curva é excessivamente acentuada, pode representar um problema que ocasiona dor e desconforto, mais precisamente a região lombar.

Neste artigo, você irá obter mais informações sobre o que é lordose, quais os sintomas que permitem diagnosticá-la, os tipos e quais exercícios podem ser utilizados como tratamento.

  Continua Depois da Publicidade  

O problema que atinge a região lombar e cervical das pessoas e que pode ter causas diversas, também pode desencadear dores e limitações nos movimentos devido ao desconforto que provoca. No entanto, existem tratamentos disponíveis que ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas. Saiba mais:

O Que é Lordose Exatamente?

Lordose é o nome que se dá à curva excessiva que algumas pessoas têm na coluna, mais especificamente na região lombar da coluna vertebral.

Próxima à região do pescoço, na parte superior e inferior das costas, a coluna de todos se curva. Esse movimento de S que a coluna é capaz de fazer é chamado de curva lordótica quando envolve o pescoço e a região lombar, e curva cifótica quando envolve a região superior das costas.

Essas curvas têm diversas funcionalidades no corpo, como apoiar o peso da cabeça, absorver impactos, ajudar a flexionar as pernas, estabilizar e manter a postura e alinhar a cabeça sobre a pélvis.

A lordose, propriamente dita, é uma condição que acomete mais de 150 mil pessoas anualmente só no Brasil, e é identificada quando a curva lordótica é muito arqueada para dentro.

Tanto a região lombar quanto a região próxima ao pescoço são afetadas nesses casos, levando à pressão na coluna e desencadeando desconforto nos indivíduos. Quando o caso é muito grave, ou quando não é tratado adequadamente, com os exercícios fisioterapêuticos, a capacidade de movimentação pode ser comprometida.

Tipos de Lordose

Atualmente são categorizados 2 tipos de lordose, que são identificados a partir do nível da curva que há na coluna. São eles:

Hipolordose

Hipolordose é o nome que se dá quando o arqueamento na curva lordótica é muito reduzido. Isso pode, até mesmo, tornar as regiões lombares e cervicais retas, comprometendo a mobilidade das pessoas.

Hiperlordose

A hiperlordose é diagnosticada quando a curva lordótica é excessivamente arqueada para dentro, ou seja, em direção ao abdômen. Por causa da alteração na anatomia natural que essa condição proporciona, faz com que a região abdominal fique mais saliente, assim como os glúteos.

Causas de Lordose

As principais causas desencadeantes de lordose são divididas em cinco grupos, são eles:

  Continua Depois da Publicidade  

Má Postura

Esse tipo de lordose se manifesta devido à má postura que algumas pessoas têm. É mais comum que ocorra em pessoas com excesso de peso e falta de condicionamento muscular em regiões específicas do corpo, como no estômago, abdômen e nas costas.

Quando uma pessoa projeta seu peso muito à frente, em direção à região do estômago, automaticamente puxa as costas para frente. Quando os músculos do estômago e das costas estão fracos, eles não conseguem suportar a coluna e a força do peso faz com que ela também se curve para a frente.

Causas Neuromusculares

Os casos de lordose neuromuscular estão associados a diversos distúrbios que podem levar a muitos tipos de complicações na curvatura da coluna vertebral. Quando há um desequilíbrio no sistema neuromuscular, a curva lordótica pode ser projetada para frente na região lombar.

Lordose Traumática/Congênita

A lordose também pode se manifestar em decorrência de fraturas ósseas. Quando há uma lesão nos ossos da coluna vertebral a ruptura pode ocorrer, fazendo com que haja o desvio na região da coluna vertebral baixa.

Isso é especialmente comum em crianças devido a lesões esportivas, em pessoas que sofrem acidentes automobilísticos ou quedas de locais altos, como árvores ou escadas, por exemplo.

O problema também pode ser de origem congênita, ou seja, de nascença, que ocorre quando há problemas na formação das vértebras e como eles se desenvolvem com o crescimento, tornando-os deformados e fracos.

Pós-cirurgia de Laminectomia

A laminectomia é um procedimento cirúrgico no qual partes das vértebras são removidas para dar acesso à medula espinhal ou às raízes nervosas.

No entanto, quando esse procedimento é feito removendo vários níveis das vértebras, algumas complicações como a lordose podem ocorrer. Isso faz com que a curva normal da coluna cause instabilidade. A laminectomia é uma cirurgia comum em pessoas – sobretudo crianças – com tumores na medula espinhal e que precisam realizar o procedimento para sua remoção.

Em decorrência disso, a hiperlordose pode ser desencadeada, tornando a região lombar excessivamente arqueada para dentro, ou seja, em direção à região abdominal.

Contratura da Flexão do Quadril

Esse é um tipo de lordose muito específico que ocorre em decorrência de contratura das articulações do quadril, fazendo com que a coluna seja puxada para fora do seu alinhamento natural.

Essa contratura pode ser desencadeada por inúmeros fatores, tais como desequilíbrio muscular, infecções, distúrbios diversos, além de problemas congênitos como paralisia cerebral.

Outras Causas

Além das causas mencionadas acima, a lordose também pode se manifestar em decorrência de outros fatores como:

  Continua Depois da Publicidade  

– Osteoporose: A osteoporose é identificada como uma doença óssea que proporciona a perda da massa óssea, tornando-a mais frágil e, portanto, aumentando o risco de fraturas. A osteoporose é uma condição que torna as pessoas mais suscetíveis à lordose e que atinge principalmente idosos.

– Espondilolistese: Trata-se de uma condição da coluna vertebral na qual uma das vértebras inferiores desliza para a frente no osso abaixo. Normalmente, essa complicação é tratada com fisioterapia ou, nos casos mais graves, com cirurgia.

– Osteossarcoma: O osteossarcoma é um câncer ósseo que normalmente se desenvolve na região da canela, próximo ao joelho, na parte posterior da coxa ou no osso da parte superior do braço próximo ao ombro e pode ser um fator desencadeante para a lordose.

– Acondroplasia: A acondroplasia é um dos tipos mais comuns de nanismo. Em decorrência do sobrepeso e da má distribuição que o nanismo proporciona, casos de lordose podem ocorrer.

– Obesidade: O excesso de peso faz com que a coluna seja pressionada mais do que o normal. Em decorrência disso, pequenas lesões podem ocorrer, fazendo com que um quadro de lordose seja desencadeado.

– Fatores genéticos: O histórico familiar também pesa para a promoção de desvio patológico da coluna lombar. Dessa forma, pessoas que possuem familiares com essa complicação estão mais propensas a desenvolverem a lordose.

Além disso, fatores como gestação, exercícios praticados incorretamente e uso frequente de sapatos de salto são outras variáveis que tornam uma pessoa mais suscetível à complicação óssea.

Sintomas

A lombalgia é o nome que se dá a episódios de dores nas costas. Esse é um dos sintomas mais típicos da lordose. Quando a dor é insistente e recorrente, deve-se procurar auxílio médico ou fisioterapêutico para tratar a condição.

Além disso, quando a lombalgia se manifesta assim que uma atividade física é praticada, sobretudo as que envolvem a extensão da coluna, pode ser um indicativo de lordose.

Outro sintoma que auxilia no diagnóstico é a curvatura da coluna. Quando ela forma um S, sendo excessivamente inclinada para dentro na região lombar, é sinal de que a lordose pode ter acometido o paciente.

Ademais, outros sintomas que podem se manifestar é formigamento, dores, sensação de fisgada na região lombar, baixo controle da bexiga, fraqueza e dificuldade em manter o controle muscular abdominal.

Como a Lordose é Diagnosticada?

O diagnóstico de lordose é feito mediante exame clínico. Não há exames laboratoriais que permitem a averiguação da doença.

No entanto, um médico ou fisioterapeuta é capaz de avaliar um paciente de perfil, de costas e de frente para averiguar a situação. A análise clínica é feita levando em consideração a flexibilidade da coluna, a amplitude de movimento, o alinhamento da coluna e possíveis anormalidades.

Além disso, exames de raio-X podem ser solicitados para que desvios no alinhamento da coluna vertebral sejam verificados. É possível também recorrer a exames como a radiografia, que permite ao médico analisar o grau de arqueamento da curva lordótica, além de verificar a existência de lesões que possam indicar casos mais graves.

Em alguns casos especiais, é necessário se valer de exames como a ressonância magnética e a tomografia para tornar o diagnóstico mais assertivo e, dessa maneira, indicar o tratamento mais adequado.

Tratamento Para Lordose

A maioria das pessoas com lordose não precisa de tratamento médico. Nos casos mais simples, a intervenção fisioterapêutica é suficiente, pois, com os exercícios corretos a situação é capaz de ser atenuada, pois ajudará na amplitude dos movimentos.

No entanto, quando o caso é mais grave e a curvatura da coluna é demasiadamente intensa, outros tratamentos à base de medicamentos (que auxiliam nos episódios de dor e inchaço), sessões diárias de fisioterapia, suplementação de vitamina D, perda de peso e uso de aparelhos podem ser prescritos.

Nos casos mais severos e de ordem neurológica, intervenções cirúrgicas também podem ser necessárias.

Algumas recomendações costumam ser prescritas aos pacientes diagnosticados com lordose, como cuidado ao carregar peso, evitar sedentarismo, optar por sapatos confortáveis e que possuam boa sustentação, evitar automedicação, mesmo para dores, sempre utilize medicamentos prescritos pelo seu médico.

Exercícios Recomendados

Um dos exercícios mais recomendados para tratar a lordose é feito de forma a alinhar a pelve com auxílio da bola de pilates. Nesse exercício, trabalha-se a espinha eretora, o glúteo máximo e o reto abdominal.

Para fazê-lo, é necessário sentar-se na bola de pilates com as pernas abertas um pouco mais largas do que a largura do quadril. Os ombros precisam estar projetados para trás e a coluna sem pressão. Os joelhos precisam estar em um ângulo de 90 graus. Para isso, é necessário escolher a bola que melhor se adeque ao tamanho de sua perna.

O exercício consiste em inclinar os quadris e rodar a parte inferior das costas com o abdômen contraído. Durante a prática, imagine que o osso púbico está indo em direção ao abdômen.

Em seguida, é necessário inclinar os quadris na direção oposta e curvar as costas, projetando o cóccix para fora. Mantenha-se nessa posição por 3 segundos e volte à posição inicial. Repita esse movimento 10 vezes, divididos em 3 séries.

Outro exercício recomendado para alinhar a coluna, e que trabalha o abdômen transversal e o reto abdominal, é conhecido como abdominal crunch.

Para realizá-lo, é necessário deitar-se de costas em um colchonete com as pernas dobradas e com as mãos para trás da cabeça. Leve o abdômen em direção à coluna vertebral, contraindo o músculo.

Em seguida, levante seu tronco poucos centímetros do chão, mantendo o abdômen contraído. Repita 10 sessões até completar 3 séries.

Além disso, você também pode procurar o auxílio de fisioterapeutas para prescrever exercícios próprios ao seu quadro e ajudá-lo na execução correta.

Referências adicionais:

Você já conhecia a lordose? Conhece alguém que já passou por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é médico ortopedista formado pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Tem experiência de trabalho prévio com a Confederação Brasileira de Vela, Cisne Negro Companhia de Dança, Escola de Dança do Teatro Municipal de São Paulo, Equipe de Ginástica Artística de Guarulhos. Já trabalhou como Médico nos Jogos Panamericanos Rio 2007, e foi Médico do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Trabalhou junto a organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão e no Haiti, e junto a organização Expedicionários da Saúde no Haiti. Dr. João Hollanda é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário