Por Que Ser Magro Não Significa Ser Saudável

Especialista:
atualizado em 06/07/2020

De acordo com o Ministério da Saúde, 53,8% dos adultos brasileiros estão acima do peso ou obesos.

Mas é difícil estimar quantos estão dentro de uma faixa de peso saudável, mas têm dietas ou estilos de vida sedentários, o que pode causar problemas de saúde significativos que muitas vezes passam desapercebidos porque a pessoa parece estar “saudável”.

Como julgamos a saúde pelo peso?

Estatísticas de obesidade muitas vezes tomam estimativas de gordura corporal usando o índice de massa corporal (IMC). Embora o IMC não esteja perfeitamente correlacionado com a porcentagem de gordura corporal, é um método rápido e fácil de coletar dados usando apenas a altura e o peso da pessoa. Se o IMC for maior que 25, uma pessoa é considerada “com excesso de peso”. Se estiver acima de 30, é considerada “obesa”. Mas o IMC não nos diz o quão saudável alguém está por dentro.

Usando medidas de estilo de vida adicionais, como dieta e frequência de exercícios durante o último ano, pode-se estimar quantas pessoas que não estão acima do peso correm o risco de ser assim no futuro ou têm estilo de vida pouco saudável.

Se você não está acima do peso, um estilo de vida saudável é importante?

Muitas pessoas pensam que, se conseguirem se manter magras enquanto comem mal e não se exercitam, está tudo bem. Mas embora você possa parecer saudável do lado de fora, você pode ter os mesmos problemas de saúde que as pessoas com sobrepeso e obesidade têm por dentro.

Ao considerar os fatores de risco associados a doenças cardíacas, derrame ou câncer, geralmente pensamos em indicadores de saúde como tabagismo, colesterol, pressão arterial e peso corporal. Mas a dieta pobre e a inatividade física também aumentam o risco de doenças cardíacas e têm uma influência importante no desenvolvimento de alguns tipos de câncer.

Portanto, mesmo que você não fume e não esteja acima do peso, ficar sem se exercitar e comer mal aumenta o risco de desenvolver doenças cardíacas.

Poucas pesquisas foram feitas para comparar como dieta e exercício contribuem para o desenvolvimento de doenças cardíacas em indivíduos com excesso de peso e em indivíduos magros, mas não saudáveis. No entanto, um estudo mediu o risco de diferentes fatores de estilo de vida associados a complicações após síndrome coronariana aguda – uma redução súbita no fluxo sanguíneo para o coração.

Verificou-se que a adesão a uma dieta saudável e ao regime de exercícios diminuiu pela metade o risco de ter uma complicação maior (como acidente vascular cerebral ou morte) nos seis meses após o incidente inicial, em comparação com a não adesão.

Dietas não saudáveis são ruins para o seu corpo, mas e para o seu cérebro?

Pesquisas recentes também mostraram que o consumo excessivo de alimentos ricos em gordura e açúcar pode causar efeitos negativos no cérebro, causando déficits de aprendizado e memória. Estudos descobriram que a obesidade está associada a deficiências no funcionamento cognitivo, avaliada por uma série de testes de aprendizagem e memória, como a capacidade de lembrar uma lista de palavras apresentadas alguns minutos ou horas antes.

Notavelmente, esta relação entre peso corporal e funcionamento cognitivo estava presente mesmo após o controle de uma série de fatores, incluindo o nível de educação e as condições médicas existentes.

Um estudo realizado na Universidade de Oxford descobriu que adultos saudáveis que receberam uma dieta rica em gordura (75% da ingestão de energia) por cinco dias apresentaram atenção, memória e humor prejudicados em comparação com um grupo de controle com dieta pobre em gordura.

Outro estudo conduzido na Universidade Macquarie também descobriu que comer um café da manhã com alto teor de gordura e açúcar por dia durante apenas quatro dias resultou em déficits de aprendizado e memória semelhantes aos observados em indivíduos com sobrepeso e obesidade.

Esses achados confirmam que os resultados de estudos com roedores mostrando formas específicas de memórias podem ser prejudicadas após apenas alguns dias em uma dieta contendo água com açúcar e alimentos como bolos e biscoitos.

O peso corporal não foi muito diferente entre os grupos que consumiram uma dieta saudável e aqueles que consumiram dietas ricas em gordura e açúcar. Portanto, isso mostra que as consequências negativas da ingestão inadequada de alimentos podem ocorrer mesmo quando o peso corporal não mudou visivelmente. Esses estudos mostram que o peso corporal nem sempre é o melhor preditor de saúde interna.

Ainda não sabemos muito sobre os mecanismos através dos quais esses alimentos ricos em gordura e açúcar prejudicam o funcionamento cognitivo em períodos tão curtos. Um mecanismo possível é a alteração dos níveis de glicose no sangue pela ingestão de alimentos com alto teor de gordura e açúcar. Flutuações nos níveis de glicose no sangue podem prejudicar o metabolismo da glicose e a sinalização da insulina no cérebro.

Muitas pessoas usam o peso corporal baixo para desculpar a alimentação não saudável e a inatividade física. Mas o peso corporal não é o melhor indicador de bem-estar interno. Um indicador muito melhor é a sua dieta. Quando se trata de sua saúde, é o que está do lado de dentro que conta e você realmente é o que você come.

Você acredita ser uma pessoa saudável ou não? Isso é demonstrado pela sua aparência, ou ela pode enganar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

1 comentário em “Por Que Ser Magro Não Significa Ser Saudável”

  1. Realmente gostei muito do seu artigo e quero colocar essas dicas em pratica. Esse ano estou focado nos meus objetivos e quero ter uma qualidade de vida melhor e saudavel! Obrigado por me ajudar 😉