Medindo pressão

Pressão 13×9 é Normal? Alta? O Que fazer

A pressão arterial é vital, pois é ela que força o nosso sangue para fluir no sistema circulatório, levando oxigênio e nutrientes para que sejam liberados através de nossas artérias para os tecidos e órgãos. Além disso, ela fornece glóbulos brancos e anticorpos para a imunidade e hormônios como a insulina e também possibilita que o sangue fresco seja entregue e capaz de absorver os resíduos tóxicos do metabolismo, incluindo o dióxido de carbono, que exalamos a cada respiração, e as toxinas, que eliminamos através do fígado e dos rins.

Embora seja um processo natural do corpo, a pressão arterial pode ser alterada e se tornar perigosamente alta ou muito baixa, e o seu funcionamento inadequado pode trazer prejuízos para a saúde. Por exemplo, será que uma pressão 13×9 é normal ou alta? É o que vamos conferir em detalhes abaixo.

Pressão arterial

A pressão sanguínea é a uma força que move o sangue através do nosso sistema circulatório. Ela é importante para levar o oxigênio e os nutrientes para o sistema circulatório e assim nutrir os tecidos e órgãos. Ela também fornece glóbulos brancos e anticorpos para a imunidade e hormônios como a insulina.

Além disso, proporciona que o sangue absorva resíduos tóxicos do metabolismo, incluindo o dióxido de carbono, que exalamos a cada respiração, e as toxinas, que eliminamos através do fígado e dos rins. O próprio sangue também carrega várias outras propriedades, incluindo sua temperatura e as plaquetas da coagulação que impedem a perda de sangue após uma lesão.

O seu funcionamento ocorre da seguinte maneira: o sangue flui através do corpo devido a uma diferença de pressão que é mais alta no início de sua jornada, quando entra na aorta, e é mais baixa no final de sua jornada, ao longo de ramos progressivamente menores de artérias.

Essa diferença de pressão é o que faz com que o sangue flua em torno de nossos corpos. As artérias afetam a pressão sanguínea, e o estreitamento pode eventualmente bloquear o fornecimento, levando a condições perigosas, incluindo derrame e ataque cardíaco.

O acompanhamento da pressão arterial é feito para entender se ela está baixa, normal ou elevada. Durante as leituras da pressão sanguínea, são analisadas a pressão sistólica em primeiro lugar e a pressão diastólica em segundo. A pressão sistólica é a mais alta, causada pela contração do coração, enquanto a diastólica é a menor pressão nas artérias, durante o breve período de “repouso” entre os batimentos cardíacos.

Uma leitura de pressão arterial é considerada normal quando a pressão mostra um número superior (pressão sistólica) entre 90 e 120 e um número inferior (pressão diastólica) entre 60 e 80. A American Heart Association (AHA) considera pressão normal quando ambos os seus números sistólicos e diastólicos estão nestes intervalos.

As leituras da pressão sanguínea são expressas em milímetros de mercúrio. Esta unidade é abreviada como mm Hg. Uma leitura normal seria qualquer pressão arterial abaixo de 120/80 mm Hg e acima de 90/60 mm Hg em um adulto.

Pressão 13×9 é normal?

Como citado acima, os números acima de 120/80 mm Hg não são considerados adequados. Então, não se pode dizer que uma pressão 13×9 é normal – essa condição já significa que você precisa tomar precauções e adotar hábitos saudáveis para o coração.

Mas, para determinar se uma leitura da pressão arterial de 13×9 é perigosa para a saúde, primeiro é preciso entender o que esses números significam. Você geralmente será diagnosticado com hipertensão estágio 1 se a sua pressão arterial sistólica atingir entre 130 e 139 mmHg e hipertensão estágio 2 se o número diastólico é 90 mm Hg ou superior, ou seja, é um sinal de alteração, e não de normalidade.

Porém, para receber um diagnóstico de pressão alta é necessário obter uma média de seus números durante um período de tempo. Apenas uma leitura não caracterizará um diagnóstico de pressão alta. Um médico pode ajudar a medir e rastrear a pressão arterial para confirmar se está alta.

Principais causas da hipertensão arterial

As causas que provocam a hipertensão nem sempre são claras, mas é fato que algumas coisas podem provocar essa condição. Você terá um risco aumentado de pressão alta se:

  • Já tem uma idade superior a 65 anos;
  • Está com sobrepeso ou apresenta um quadro de sobrepeso;
  • Tem histórico familiar de pressão alta;
  • Come muito sal e poucas frutas, legumes e verduras;
  • Não pratica atividades físicas;
  • Bebe muito álcool, café ou outras bebidas à base de cafeína;
  • Fuma;
  • Não dorme muito ou tem a qualidade do sono comprometida.

Se essas condições descrevem o seu perfil, fazer mudanças saudáveis ​​no estilo de vida pode ajudar a reduzir suas chances de obter pressão alta e ajudar a reduzir a pressão arterial, se ela já existe.

Riscos da hipertensão arterial

A pressão arterial muito alta sobrecarrega os vasos sanguíneos, o coração e outros órgãos, como o cérebro, os rins e os olhos. A hipertensão persistente pode aumentar o risco de várias condições graves e potencialmente fatais, como:

  • Doença cardíaca.
  • Ataques cardíacos.
  • Insuficiência cardíaca.
  • Doença arterial periférica.
  • Aneurismas aórticos.
  • Doença renal.
  • Demência vascular.

Qualquer redução na pressão alta já é benéfico e ajuda a reduzir o risco dessas condições.

O que fazer?

Não dá para dizer que uma pressão 13×9 é normal, mas está próxima disso. Um tratamento para pressão alta envolve mudança nos hábitos alimentares e início, continuidade ou retomada da prática de atividades físicas.

Provavelmente, ao tomar essas medidas, você já teria normalizado a pressão arterial. Porém, quando essas medidas não são suficientes, pode ser necessária uma intervenção com medicamentos, especialmente se o paciente já estiver com alto risco de doença cardíaca.

Aqueles com menor risco podem ser acompanhados em três a seis meses após a adoção de hábitos mais saudáveis. Veja o que fazer em caso de pressão alta:

1. Acompanhe a sua pressão em casa

Pesquisadores descobriram que a monitorização ambulatorial da pressão arterial, que envolve a realização de várias leituras de pressão arterial durante um período de tempo, é uma boa maneira de confirmar a hipertensão medida em um consultório médico, pois muitas pessoas têm pressão arterial mais alta quando vão a um consultório médico, uma condição chamada hipertensão clínica isolada ou hipertensão do avental branco. Verifique a pressão arterial regularmente. Isso servirá como um segundo método para confirmar.

2. Invista no emagrecimento

Se estiver acima do peso, saiba que o excesso de aumenta o risco de pressão alta, enquanto emagrecer pode diminuir. Estudos mostram que uma leve perda de peso pode prevenir a hipertensão em 20% em pessoas com excesso de peso com hipertensão estágio 1.

3. Exercite-se regularmente

O exercício ajuda a perder peso e também a baixar a pressão arterial. Então, procure exercitar-se com mais frequência, pois a consistência é fundamental para manter uma leitura saudável da pressão arterial. É melhor se exercitar 30 minutos todos os dias do que apenas algumas horas nos fins de semana.

4. Reduza o consumo de sódio

Algumas pessoas são sensíveis ao sódio, então elas não devem consumir mais de 2.300 mg por dia. Os adultos que já têm hipertensão podem precisar limitar sua ingestão de sódio a 1.500 mg por dia.

A melhor forma de reduzir o consumo de sódio é não adicionar sal nos alimentos. Procure usar ervas e especiarias para temperar os alimentos e trazer mais sabor aos pratos.

5. Diminua a ingestão de gordura saturada e trans

Procure incluir na dieta alimentos com baixo teor de gordura saturada, trans e colesterol, pois as dietas que contêm carnes e laticínios ricos em gordura, gordura trans (encontradas em algumas margarinas, salgadinhos e doces) e colesterol podem levar à obesidade, doenças cardíacas e até câncer.

6. Coma frutas, legumes e verduras

Coma muitas frutas, legumes, grãos integrais, peixe e laticínios com baixo teor de gordura. Estudos mostram que a pressão alta pode ser reduzida e evitada com a dieta. Inclua alimentos com alto teor de proteína à sua dieta. Aumente as porções de frutas e vegetais adicionando uma porção de cada vez. Você pode adicionar uma porção de frutas na hora do almoço e uma porção de legumes no jantar.

7. Beba com moderação e pare de fumar

Reduza sua ingestão de álcool. Dependendo da sua situação, talvez você precise parar de beber completamente. O excesso de álcool aumenta a pressão arterial. Sendo assim, evite totalmente ou limite o consumo de bebidas alcoólicas para não mais que dois drinques por dia para homens e um drinque por dia para mulheres. Também é importante desistir ou abster-se de fumar. Fumar é incrivelmente prejudicial para a saúde do seu coração.

8. Diminua a cafeína

A cafeína pode causar um pico instantâneo na pressão sanguínea, embora para muitas pessoas não cause um aumento duradouro, pois ela costuma ter um efeito mais forte sobre as pessoas que não a consomem regularmente. Se suspeitar que é sensível à cafeína, reduza a quantidade e verifique se diminui a pressão arterial.

9. Controle o estresse

O estresse pode desencadear a pressão alta. Isso é possível porque ele provoca reações que elevam a pressão sanguínea, além de condicionar a beber álcool ou ingerir alimentos não saudáveis, que também afetam negativamente a pressão. Vários estudos evidenciam que o estresse crônico pode contribuir para a hipertensão, então encontrar caminhos para gerenciar o quadro pode ajudar.

Caso as mudanças realizadas nos hábitos de vida não forem suficientes para baixar a pressão sanguínea, o medico pode receitar uma medicação.

Medicamentos para pressão alta

Se você for diagnosticado com pressão alta, seu médico pode recomendar um ou mais medicamentos para manter a pressão sanguínea controlada. A medicação recomendada dependerá de quão altao é a sua pressão arterial e a sua idade. Eles geralmente precisam ser tomados uma vez por dia e os mais comuns são:

  • Inibidores da ECA – como enalapril, lisinopril, perindopril e ramipril.
  • Bloqueadores dos receptores da angiotensina-2 (BRA) – como candesartana, irbesartana, losartana, valsartana e olmesartana.
  • Bloqueadores dos canais de cálcio – como amlodipina, felodipina e nifedipina ou diltiazem e verapamil.
  • Diuréticos – como indapamida e bendroflumetiazida.
  • Betabloqueadores – como atenolol e bisoprolol.
  • Alfa-bloqueadores – como doxazosina.
  • Inibidores da renina – como o aliscireno.
  • Outros diuréticos – como a amilorida e a espironolactona.

Tenha em mente que a pressão arterial controlada é crucial para prevenir complicações como doenças cardíacas e derrames. Ela pode ser obtida através de uma combinação de hábitos de vida saudáveis ​​e medicamentos, quando necessário.

Outro fator importante é o peso. Se você está acima, a perda é essencial para gerenciar essa condição. Vale reforçar que uma leitura única da pressão arterial não necessariamente classifica sua saúde e traz o seu diagnóstico. Dessa forma, uma média de leituras de pressão arterial tomadas ao longo do tempo são as mais precisas.

É por isso que muitas vezes é ideal ter sua pressão arterial medida por um profissional pelo menos uma vez a cada 6 meses, mas você precisa de um acompanhamento mais próximo se suas leituras forem altas.

Referências adicionais:               

Você imaginava que uma pressão 13×9 é normal? Qual foi a última medida de pressão arterial sua? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*