Remédios para Pressão Alta Mais Usados

Especialista:
atualizado em 06/07/2020

A hipertensão é uma doença crônica onde a pressão arterial está, na maior parte das vezes, sempre alta. Abaixo, você se aprofundará sobre o problema da pressão alta, sobre qual é a máxima para chamarmos uma pressão de alta e os remédios para pressão alta mais usados para cuidar dessa desordem no sistema cardiovascular.

Não é incomum alguém passar mal e detectarmos, com um aparelho adequado, que a sua pressão está muito além do aceitável. A não administração correta dos medicamentos, doses de medicamentos não ajustadas, ou até mesmo o desconhecimento da pressão alta  podem causar uma crise. Aprenda o que fazer de imediato quando acontecer uma crise hipertensiva.

Caso você esteja procurando alternativas mais naturais para tentar reduzir o seu problema de pressão alta, vale a pena conhecer os 10 melhores alimentos para pressão alta. Eles podem acabar se tornando um grande aliado no seu combate contra a pressão alta ao longo da sua vida.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um em cada três adultos sofre de problemas de pressão alta, uma condição que causa metade de todas as mortes por derrame e por problemas cardíacos. Somente no Brasil, existem atualmente 17 milhões de pessoas com hipertensão arterial, o que gera muitos gastos públicos.

Sabemos que estar acima do peso pode trazer inúmeros problemas de saúde. Síndrome metabólica, diabetes melito tipo 2, doenças respiratórias, doenças do trato digestório e muitas outras. Mas, além disso, você precisa entender de uma vez por todas a relação da hipertensão com a obesidade.

O que é o problema de pressão alta?

A pressão alta também é conhecida como hipertensão arterial e é uma condição que pode não apresentar sintomas iniciais, mas que pode trazer muitas complicações ao paciente, podendo causar outras doenças como a insuficiência renal, a insuficiência cardíaca, o derrame, perda de visão, infarto do miocárdio, entre outros.

A pressão alta não tem cura, mas pode ser controlada através do uso de remédios para hipertensão e também com algumas mudanças no estilo de vida.

A medida da pressão é dada por dois números. O primeiro e maior deles refere-se ao valor da pressão quando o coração está contraído (chamada de pressão sistólica) e o valor menor se refere à pressão quanto o coração está relaxado (chamada de pressão diastólica). Quanto maior forem estes números, maior será o esforço realizado pelo coração para conseguir bombear sangue para todo o corpo e isto aumenta os riscos de doenças cardíacas e problemas em outros órgãos. A pressão é considerada alta quanto está acima de 140 x 90.

Muitos fatores podem influenciar no aumento da pressão arterial, entre eles o excesso de peso corporal, a falta de atividade física, a alimentação rica em gorduras e sal, o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas, além de fatores emocionais como o excesso de estresse e ansiedade. Outros fatores estão relacionados à idade (pessoas idosas possuem maior propensão a ter hipertensão arterial), predisposição genética, entre muitos outros.

Apesar de não apresentar sintomas aparentes no início do problema, com o agravamento do mesmo podem surgir alguns sintomas, entre eles tontura, dores de cabeça, palpitações, insônia, cansaço excessivo, falta de energia e disposição para as atividades de rotina, entre outros. A hipertensão arterial é considerada uma doença silenciosa e os exames de rotina podem ajudar na identificação do problema quando ainda não existem sintomas.

As melhores formas de reduzir a obesidade são cuidar da alimentação, fazendo exercícios aeróbicos e tendo boas horas de descanso. Mas agora que você já sabe da relação da obesidade com a hipertensão, precisa saber se quem tem pressão alta pode fazer academia. Antes de se matricular, informe-se e consulte seu médico.

Sintomas e Causas da Hipertensão

A hipertensão é um problema de saúde que se desenvolve ao longo de vários anos. A grande questão é que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, os sintomas da pressão alta são invisíveis. Isso significa que você não nota sintomas até que a situação esteja realmente grave. Mesmo sem sintomas, a pressão alta está ali causando danos aos vasos sanguíneos e a vários órgãos como o coração, o cérebro, os rins e os olhos.

Os sintomas de pressão alta avançada podem incluir:

  • Falta de ar;
  • Dor de cabeça;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Rubor na face;
  • Hemorragia nasal;
  • Dor no peito;
  • Tontura;
  • Palpitações cardíacas;
  • Sangue na urina;
  • Alterações na visão.

Tais sintomas são graves e precisam ser avaliados por um médico assim que forem notados pois eles caracterizam uma crise hipertensiva que é uma situação de emergência.

Como é praticamente impossível detectar os sintomas da pressão alta precocemente, muitos médicos indicam que pessoas com histórico de hipertensão ou de doença cardíaca na família ou que já notaram alterações na pressão em consultas de rotina tenham um aparelho próprio para monitorar a pressão em casa.

Ainda não se sabe com precisão o que causa a pressão alta, mas os especialistas conhecem dois tipos da doença: a hipertensão primária e a hipertensão secundária.

Hipertensão primária

O tipo que afeta a maioria das pessoas é a hipertensão primária, que é aquela que vai se desenvolvendo ao longo do tempo sem uma causa concreta. Diversos fatores podem contribuir para o desenvolvem da hipertensão primária, como:

Pré-disposição genética: certas pessoas têm uma tendência mais alta de desenvolver hipertensão e isso pode ocorrer por causa de mutações genéticas que acontecem nas células ou devido a anormalidades genéticas que são herdadas dos pais;

Fatores ambientais: Muitas escolhas que fazemos no dia a dia podem impactar o ambiente ao nosso redor e influenciar a nossa saúde. Exemplos claros disso são a adoção de uma dieta pouco nutritiva e a falta de atividade física. Ambos podem levar à obesidade e ao aumento da pressão arterial;

Alterações físicas: mudanças no padrão de comportamento do corpo também podem causar hipertensão. Alterações na função renal que ocorrem por causa do envelhecimento podem prejudicar o equilíbrio natural do corpo de sais e líquidos e resultar em um aumento na pressão sanguínea, por exemplo.

Hipertensão secundária

A hipertensão secundária é aquela que surge rapidamente e que pode se tornar mais grave do que a hipertensão primária. Esse tipo de hipertensão é desencadeado por outros problemas de saúde que podem incluir:

  • Alterações no funcionamento da tireoide;
  • Cardiopatias congênitas;
  • Apneia obstrutiva do sono;
  • Doença renal;
  • Problemas da glândula adrenal;
  • Tumores endócrinos;
  • Abuso ou uso crônico de álcool ou de substâncias ilícitas;
  • Efeitos colaterais de certos medicamentos.

Fatores de risco

Há ainda alguns fatores de risco que podem elevar o risco de você sofrer de hipertensão em algum momento na vida. São eles:

  • Idade: a pressão alta é mais comumente observada em idosos com mais de 60 anos de idade, já que conforme envelhecemos as artérias podem endurecer e ficar mais estreitas por causa do acúmulo de placas de gordura.
  • Etnia: alguns grupos étnicos como os afro-americanos são mais propensos a sofrer de hipertensão segundo dados publicados em 2015 no American Journal of Medical Sciences; 
  • Sexo: um estudo de 2018 publicado no periódico Current Opinion in Nephrology and Hypertension indica que os homens podem ter um risco maior de ter hipertensão do que as mulheres;
  • Estilo de vida: ter um estilo de vida sedentário e optar por uma dieta rica em sal e gorduras e pobre em vitaminas e minerais (especialmente o potássio) pode aumentar as chances de hipertensão além de outras doenças.

Quais os remédios para pressão alta mais usados?

A hipertensão arterial é considerada uma doença silenciosa, exercendo uma tensão acima do normal pelo sangue nas paredes das artérias e gerando muito problemas de saúde quando não tratada adequadamente. Em função da ausência de sintomas no início do desenvolvimento do problema, muitas pessoas descobrem a doença de forma tardia e normalmente já apresentam algumas complicações no organismo.

O principal tratamento para a pressão alta é a mudança de estilo de vida. É fundamental que o paciente tenha uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes e que tenha baixo consumo de sal e de gorduras na dieta. A redução de peso é importante para os casos em que o paciente esteja acima do peso ideal, assim como a prática de exercícios físicos para auxiliar no controle da pressão e também ajudar na redução do estresse, que pode ser um dos fatores agravantes.

Além disso, o uso de remédios para pressão alta é recomendado principalmente para os casos mais avançados. Existem diversos tipos de medicamentos aprovados para o controle dos níveis de pressão arterial.

Veja, a seguir os principais nomes e uma lista de remédios para hipertensão mais usados:

1. Medicamentos diuréticos

Os medicamentos diuréticos são bastante utilizados para o tratamento da hipertensão, sendo uma das melhores opções. Estes remédios para pressão alta podem ser utilizados de forma isolada ou podem ser usados em conjunto com outros medicamentos. Existem diversos tipos de diuréticos que podem ser utilizados: os tiazídicos, os diuréticos de alça e os poupadores de potássio.

Os nomes de diuréticos tiazídicos mais usados são hidroclorotiazida, clortalidona, indapamida e metolazona. Entre os efeitos colaterais mais comuns deste grupo estão o aumento dos níveis de glicose em diabéticos, a elevação do ácido úrico, redução do sódio sanguíneo, redução do potássio sanguíneo e desidratação.

O grupo dos diuréticos de alça é utilizado como remédio para o problema, porém não são tão efetivos, sendo, porém, mais recomendados para alguns casos. Na lista destes medicamentos, o mais usado é a furosemida, que pode apresentar efeitos colaterais semelhantes ao grupo anterior.

Por último, no grupo dos poupadores de potássio, que são considerados diuréticos fracos, porém não são indicados para todos os casos de hipertensão. Entre os nomes mais usados deste grupo está a espironolactona, que pode causar diversos efeitos colaterais, entre eles o aumento do potássio no sangue que pode gerar graves arritmias cardíacas.

2. Medicamentos inibidores da enzima conversora angiotensina (IECA)

Esta classe de remédios para hipertensão é bastante utilizada para o tratamento da pressão alta há muitos anos. Estes medicamentos podem ser utilizados de forma isolada ou em conjunto com outros.

Atuam inibindo a enzima conversora de angiotensina que converte a angiotensina em angiotensina II. Esta última, por sua vez, é um potente vasoconstritor e estimula a produção de uma substância chamada de aldosterona, que é responsável pela retenção de sódio e água nos túbulos renais.

Ao inibir esta enzima, estes medicamentos produzem uma vasodilatação periférica, reduzindo, assim, a pressão arterial. A lista de nomes desta classe de medicamentos inclui a benazepril, a captopril, cilazapril, enalapril, lisinopril, perindopril e o ramipril.

3. Medicamentos antagonistas do receptor da angiotensina II (ARA II)

Tanto os medicamentos IECA quanto os medicamentos ARA II possuem o objetivo de impedir a ação da angiotensina II, porém, enquanto a primeira classe impede a sua formação no organismo, a segunda impede o seu funcionamento.

A angiotensina II é um hormônio que se liga às paredes dos vasos, promovendo sua contração e causando um aumento na pressão arterial. Este hormônio também atua nos rins, causando maior absorção do sódio e também influenciando no aumento da pressão.

A lista de nomes desta classe de medicamentos inclui a candesartana, a irbesartana, a losartana, a olmesartana, a telmisartana e a valsartana.

Quais os principais remédios caseiros para pressão alta?

Existem muitas alternativas de remédios caseiros para pressão alta que podem ser usados de forma prática no dia a dia e que ajudam bastante no controle do problema. Veja, a seguir, alguns deles:

  • Limão: Esta fruta mantém os vasos sanguíneos menos rígidos, ajudando a manter a pressão arterial mais baixa;
  • Alho: O alho, assim como o limão, ajuda a relaxar os vasos sanguíneos e também estimula a produção de óxido nítrico no organismo. Além disso, o alho possui uma substância chamada de alicina que auxilia no controle do colesterol e que também estimula a redução da pressão arterial;
  • Banana: Esta fruta possui muitos benefícios, contendo alto teor de potássio e magnésio e ajudando na redução dos efeitos do sódio;
  • Água de coco: A água de coco tem propriedades diuréticas e também estimula a redução dos níveis de sódio no organismo, auxiliando no controle da pressão arterial;
  • Laranja: Esta fruta é rica em vitamina C e possui propriedades diuréticas, auxiliando na eliminação do sódio e na redução da pressão arterial;

Veja mais: Melhores alimentos para pressão alta.

Vídeos:

Conclusão

A pressão alta é uma condição que pode não apresentar sintomas iniciais, mas que pode trazer muitas complicações ao paciente, podendo causar outras doenças. A pressão alta não tem cura, mas pode ser controlada através do uso destes remédios para pressão alta e também com algumas mudanças no estilo de vida.

Fontes consultadas:

https://www.webmd.com/hypertension-high-blood-pressure/guide/blood-pressure-causes#1

https://www.medicalnewstoday.com/articles/150109.php

https://www.medicalnewstoday.com/articles/159283.php

https://www.healthline.com/health/high-blood-pressure-hypertension

https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/hypertension

Referências adicionais:

Você conhece alguém que precisa tomar algum destes remédios para pressão alta que selecionamos acima? Já foi diagnosticado com hipertensão? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (31 votos, média: 3,90 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário