Maquiagem

Metilparabeno Faz Mal? Para Que Serve?

O metilparabeno é uma substância que pode ser encontrada em cremes, maquiagens e outros produtos cosméticos. Ele faz parte da família dos parabenos, compostos que são utilizados como um preservativo solúvel em água que pode ser encontrado em produtos farmacêuticos, produtos de higiene, alimentos e bebidas.

Será o que o metilparabeno faz mal? Para que serve essa substância, por que ela é utilizada em adoçantes e produtos industrializados?

Para que serve o metilparabeno?

Antes de descobrirmos se o metilparabeno faz mal, vamos conhecer como a substância atua e qual a sua serventia. O componente atua como um agente antibacteriano e antifúngico, que aumenta o tempo de prateleira dos produtos, prevenindo o aparecimento de bolor, levedura, o crescimento de bactérias e a deterioração dessas mercadorias.

Isso significa dizer que o metilparabeno serve para aumentar o tempo de validade dos produtos nos quais é inserido. Enquanto alguns alimentos recebem parabenos de origem natural, outras possuem parabenos que foram sintetizados quimicamente.

De acordo com o microbiologista Alain Ménard, da Green Beaver Company, empresa da área de cuidados pessoais, parabenos como o metilparabeno são amplamente utilizados devido ao fato de serem baratos e eficientes.

O metilparabeno faz mal à saúde?

A substância é rapidamente absorvida por meio da pele e através do trato digestivo quando os alimentos que a utilizam como um conservante são consumidos. Mas será que se trata de um componente que não traz prejuízos ao organismo ou será que o metilparabeno faz mal?

Uma pesquisa dinamarquesa identificou a presença de parabenos – grupo de compostos do qual o metilparabeno faz parte – na urina e no sangue de homens jovens e saudáveis poucas horas depois deles terem feito a aplicação de produtos cosméticos que tinham o metilparabeno em sua composição.

Câncer de mama

Em relação ao câncer de mama, algumas pesquisas já indicaram que o composto pode aumentar as chances de desenvolvimento da doença ou acelerar o crescimento de tumores na região.

Por mais que a indústria cosmética considere que poucas doses do componente sejam inofensivas, uma pesquisa do ano de 2004 publicada no Journal of Applied Toxicology (Jornal de Toxicologia Aplicada, tradução livre) mostrou de 18 de 20 tumores na mama mostraram altas concentrações de parabenos.

Vale lembrar que o metilparabeno faz parte desse grupo de compostos, que são conhecidos por simular a ação do estrogênio no organismo, ainda que de maneira fraca, e afetar o crescimento do tecido mamário.

A pesquisadora de ciência biomolecular e professora de oncologia da Universidade de Reading, na Inglaterra, Philippa Darbre, explicou que já é sabido há mais de 25 anos que a exposição ao estrogênio está associada ao desenvolvimento e à progressão do câncer de mama.

Assim, ela concluiu dizendo que a exposição a longo prazo a substâncias químicas como os parabenos pode sim ter um impacto nesse sentido. A preocupação da pesquisadora refere-se especialmente aos cremes e desodorantes aplicados abaixo dos braços ou próximos aos seios.

Segundo a professora, pesquisas já identificaram que aproximadamente 55% de todos os tumores nos seios são desenvolvidos na região superior e externa dos seios, a parte que fica mais próxima das axilas.

Por outro lado, o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos rejeita parcialmente a ideia de que os parabenos presentes em produtos cosméticos possam estar relacionados ao desenvolvimento do câncer de mama, ainda que mais pesquisas sejam necessárias para total esclarecimento.

Saúde da pele

Além disso, a aplicação de cremes que contêm a substância na pele pode causar danos, caso haja a exposição aos raios UVB, que atingem as camadas mais superficiais da pele. Isso causa o estresse oxidativo, que danifica as células da pele, e é responsável pelo aparecimento de diversas doenças, incluindo o câncer.

Saúde dos olhos

Existem colírios que possuem o metilparabeno em sua fórmula. O perigo que esses produtos trazem é o risco de danificar o revestimento dos olhos, assim como a córnea.

Mas e os alimentos? 

Percebeu que falamos mais sobre produtos cosméticos do que a respeito dos alimentos? De acordo com o que o PhD que atua na área de ciência dos alimentos, Sean O’Keefe, uma pesquisa publicada no ano de 2013 afirmou que existem múltiplas formas pelas quais o organismo humano é exposto ao metilparabeno e outras formas de parabenos.

O estudo trouxe a conclusão de que a maioria dos alimentos possui algum nível de parabenos, porém, eles também identificaram que a dieta é uma fonte minoritária desses componentes.

O posicionamento das empresas e dos órgãos reguladores

Órgãos reguladores da segurança de alimentos e produtos dos Estados Unidos, do Canadá e da Europa consideram que os níveis limitados de parabenos encontrados em produtos de cuidados pessoais não constituem uma preocupação.

Por outro lado, mesmo com a liberação da presença do grupo de componentes nas mercadorias, algumas empresas trabalham para encontrar e fabricar produtos que não carreguem os parabenos em sua composição.

Isso é uma forma de satisfazer a demanda dos consumidores, que provavelmente entram em contato com informações distorcidas a respeito dos conservantes e sentem-se mais seguros quando não utilizam mercadorias que trazem a substância em sua composição.

O microbiologista Alain Ménard declarou que tem certeza de que nos próximos 10 anos os parabenos como o metilparabeno não serão mais utilizados. E que o motivo para isso essa mudança estará mais relacionado à demanda dos consumidores do que ao aumento de evidências que o metilparabeno faz mal à saúde humana.

Fontes adicionais:

Você imaginava que o metilparabeno faz mal? Utiliza algum produto que contém esta substância? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 4,20 de 5)
Loading...
Publicidade
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Publicidade

6 comentários

  1. Não sabia e adorei saber, eu uso adoçante que vivem essa substância😱 confesso que fiquei com medo embora pelo que entendi não está totalmente provado que ele cause câncer, que é a minha maior preocupação… Mas em todo caso vou evitar… Muito boa a matéria, muito obrigada…

  2. O absurdo é ter visto essa substância em vitaminas, como o ADEFORTE(ADE). Estava pesquisando exatamente porque li na bula que o composto do ADEFORTE é óleo de amendoim + metilparabeno.

  3. Eu já sabia disso tudo , esqueceram de falar que , age igual ao estrógeno podendo afeminar os homens e as crianças também, e que sendo igual ao estrógeno ajuda a desenvolver o apetite e fsz engordar.

    • Alma, Obrigado pela informação. Já tinha lido que vitamina D e E geravam ginecomastia, quando tomados por longos períodos, mas não sabia que era por causa do metilparabeno, que tem efeito similar ao estrógeno. Terrível mesmo.

      • Olá amigo , é terrível mesmo estamos sendo bombardeados com substâncias químicas nos nossos alimentos do dia a dia, todos fabricantes sabem disso tudo, e mesmo assim adicionam isso e outros componentes químicos piores, quer dizer isso é alarmante também, eu tenho uma teoria, eu creio que por isso aumentou a homossexualidade, afinal os parabenos estão em tudo inclusive remédios, vitaminas , alimentos, proteores solares, cremes dermatologicos, maquilagens etc etc,eu creio que talvez seja para controle populacional mundial.Abraço.

  4. Graça a essa matéria, acabei de descobrir que até em algumas marcas de adoçante 100% Stévia contém essa substância. É um absurdo, pois pagamos mais caro por esse produto por ser mais natural e adicionam um produto nocivo à saúde, inacreditável.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*