5 mentiras sobre a creatina em que você não deve acreditar

Especialista da área:
atualizado em 19/05/2021

A creatina é um aminoácido presente nos músculos e no cérebro. Mas, algumas pessoas usam a creatina na forma de suplemento para obter ganhos de força, massa muscular e performance nos treinamentos.

  Continua Depois da Publicidade  

Embora seja um suplemento famoso, ainda é possível escutar certas mentiras sobre a creatina, que geram receio a seu respeito. Conheça algumas delas e entenda por que elas não são verdades:

1. A creatina engorda

Peso corporal

O que a creatina faz é atrair mais água para a célula muscular, para que essa célula mais hidratada possa trabalhar melhor, favorecendo a hipertrofia (ganho) muscular.

Essa maior presença de água nas células musculares pode refletir em um aumento de peso na balança, quando a pessoa se pesa algumas semanas após iniciar o uso do suplemento. Mas isso não significa que houve um ganho de peso em forma de gordura.

Aliás, ao fazer uma análise de composição corporal, percebe-se que o percentual de gordura não aumentou. Ou seja, o que houve foi um inchaço intramuscular, devido à maior presença de água.

2. A creatina dá celulite

Então, quer dizer que esse inchaço vai fazer a celulite aparecer mais? Afinal, quando uma pessoa fica mais inchada, a celulite também se torna mais evidente. Calma: não é esse tipo de inchaço que a creatina provoca.

Ela não causa um inchaço intersticial (na região embaixo da pele), mas sim intramuscular (não visual), para deixar o músculo mais forte e favorecer a explosão muscular. É por isso que pessoas que fazem musculação ou esportes de explosão recorrem à creatina.

3. A creatina causa problemas nos rins

A confusão ocorre porque o nome da creatina lembra muito a creatinina, um marcador de problemas renais, cujos níveis podem ser avaliados em exames de sangue. Além disso, ao começar a tomar a creatina, algumas pessoas aumentam discretamente o seu nível de creatinina.

Entretanto, não é para o marcador crescer muito ou ficar acima dos níveis normais. Aliás, estudos que acompanharam pessoas que usam a creatina a médio e longo prazo observaram que não houve alterações renais relacionadas ao uso do suplemento.

Mas atenção: quem tem histórico pessoal ou familiar de problemas renais deve consultar o médico antes de começar a tomar creatina. Se você se preocupa com essa questão, fique atento com o que faz mal para os rins.

  Continua Depois da Publicidade  

4. Mulher não pode tomar creatina

Mulher com suplemento

Não há contraindicações neste sentido. Aliás, muitas atletas femininas ou mulheres que buscam a construção muscular usam o suplemento sem problemas. A creatina não é hormônio e também não é anabólico.

É claro que o suplemento pode ser contraindicado para uma mulher por outras questões de saúde, independentes do fato de ser mulher.

5. A creatina faz mágica

Para ter o resultado que se espera com o suplemento, não basta usá-lo e esperar a mágica acontecer. É preciso fazer um treinamento de força adequado, para efetivamente alcançar a construção muscular.

Além de tomar creatina e treinar, outro ponto fundamental é ter uma dieta voltada ao bulking (ganho de massa muscular).

Dica de ouro

Para saber se a creatina é realmente indicada e segura para os seus objetivos e saúde, consulte um médico e/ou nutricionista. O profissional saberá te orientar e indicar como (em qual dosagem) usar o suplemento para alcançar suas metas sem ter problemas de saúde.

Vídeo

Por fim, não perca o vídeo a seguir! A nossa nutricionista também fala a respeito das cinco grandes mentiras sobre a creatina:

Fontes e referências adicionais

Você usa creatina? Então, conte-nos sobre a sua experiência com o suplemento!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Alexandre Seraphim

Dr. Alexandre Seraphim é Nutrologista - CRM 52.978779. Formou-se médico pela Universidade do Grande Rio e é pós-graduado em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia. Possui diversos cursos na área de emagrecimento, hipertrofia e medicina ortomolecular que o qualificam ainda mais como um grande especialista da área. Atualmente, exerce sua especialidade em uma clínica localizada na Barra da Tijuca e também em Bangu, ambas no Rio de Janeiro. Para mais informações, entre em contato com ele em sua conta oficial no Instagram (@dr.alexandre.seraphim).

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário