Creatinina Alta – O Que Significa, Sintomas, Dieta e O Que Fazer

Especialista:
atualizado em 22/01/2020

A creatinina pode mostrar informações importantes sobre o nosso metabolismo e, principalmente, sobre a saúde dos rins.

Monitorar os níveis de creatinina no sangue é muito importante para descobrir problemas de função renal, já que a maioria dos casos de doenças renais não causam sintomas perceptíveis.

Apesar disso, nem sempre altos níveis de creatinina significam que há algo de errado com os rins. Aqui, vamos explicar o que significa uma alteração no teste de creatinina, quais são os principais sintomas de creatinina alta e o que fazer para reduzir os níveis do composto no sangue.

Creatinina

A creatinina é um produto residual da creatina, uma proteína encontrada principalmente nos músculos que é usada para produção de energia durante o exercício físico. A creatinina é constantemente produzida por nossas células musculares e, em seguida, entram na corrente sanguínea, passam pelos rins e saem pela urina.

Quando nossos rins estão saudáveis, a creatinina e outros resíduos presentes no sangue são naturalmente filtrados e eliminados por meio da urina. Porém, se os rins apresentam algum problema, pode ocorrer um aumento no nível de creatinina devido ao seu acúmulo no sangue.

A creatinina pode ser medida através de um exame de sangue que normalmente é solicitado por um médico quando há suspeita ou confirmação de:

  • Diabetes do tipo 1 ou 2;
  • Doença renal;
  • Problema que afeta os rins como a pressão arterial alta, por exemplo.

Outra alternativa é medir os níveis de creatinina presentes na urina para uma avaliação mais detalhada de possíveis problemas renais. Altos níveis de creatinina na urina são normais e significam que os rins estão filtrando o sangue adequadamente. Já níveis baixos de creatinina na urina podem indicar que a substância não está sendo filtrada e está se acumulando no sangue.

Na maioria dos laboratórios de análises clínicas, a creatinina é medida em miligramas por decilitro (mg/dL) ou em micromols por litro (µmol/L). Independentemente da unidade adotada, é importante considerar os intervalos de referência normais informados pelo laboratório em que o exame foi processado.

Geralmente, o nível normal de creatinina no sangue (creatinina sérica) em um adulto varia de acordo com o sexo. O intervalo de referência é de 60 a 110 µmol/L ou 0,70 a 1,20 mg/dL para homens adultos e de 45 a 90 µmol/L ou 0,50 a 1,00 mg/dL para mulheres adultas.

Creatinina alta – O que significa

Você deve estar suspeitando que apresentar creatinina alta em um exame significa que o funcionamento dos seus rins está comprometido. No entanto, a creatinina alta pode significar várias outras coisas. As principais causas de creatinina alta são destacadas abaixo.

1. Problemas nos rins

O principal objetivo de um teste de creatinina é verificar o funcionamento dos rins. Geralmente, rins danificados não são capazes de filtrar a creatinina, fazendo com que os níveis da substância no sangue fiquem altos.

Rins danificados têm muita dificuldade de remover a creatinina do sangue. Assim, muito médicos utilizam o teste de creatinina para calcular a taxa de filtração glomerular, que indica a quantidade de sangue que passa pelos rins por determinado período de tempo.

Isso funciona como um ótimo indicador da função renal, já que uma taxa abaixo de 60 indica doença renal e um nível igual ou menor que 15 sugere um quadro de insuficiência renal.

2. Desidratação

A desidratação grave pode colocar a saúde dos rins em risco e afetar os níveis normais de creatinina no sangue.

3. Prática de exercícios intensos

A creatina é encontrada nos músculos e os ajuda na produção de energia durante os exercícios. Assim, é normal que pessoas que pratiquem exercícios intensos regularmente apresentem creatinina alta no sangue mesmo tendo rins absolutamente saudáveis.

Nesse caso específico, o aumento da creatinina é um indicativo de degradação muscular decorrente do esforço físico e não de um problema renal.

É normal, por exemplo, que pessoas mais musculosas apresentem níveis mais altos de creatinina do que o considerado normal, já que essas pessoas estão constantemente causando pequenos danos as suas fibras musculares para manter ou aumentar a massa muscular.

4. Baixo fluxo sanguíneo

Um fluxo sanguíneo baixo causado por problemas na circulação pode resultar em danos nos rins. A longo prazo, isso pode desencadear outros problemas como pressão arterial baixa, desidratação, insuficiência cardíaca, perda de sangue ou constrição das artérias.

5. Alta ingestão de proteínas

Pessoas que querem aumentar a massa muscular acabam algumas vezes ingerindo proteínas em excesso, mas isso não é bom para o corpo. A ingestão de muita proteína pode sobrecarregar a função renal, aumentando os níveis de creatinina no sangue.

Segundo estudo científico publicado em 2018 no periódico StatPearls, a ingestão de carne vermelha pode aumentar o nível de creatinina no sangue em até 30%, já que quando a carne é cozida antes da ingestão a creatina já é convertida em creatinina, o que faz com que os níveis do composto aumentem no sangue quase que instantaneamente após a ingestão da proteína.

6. Uso de determinados medicamentos ou suplementos

O uso de alguns medicamentos como antibióticos como o trimetoprin e bloqueadores de H2 como a cimetidina podem desencadear um aumento temporário nos níveis de creatinina no sangue. A boa notícia é que eles não danificam os rins e apenas fazem com que os níveis de creatinina fiquem temporariamente altos no sangue.

De acordo com estudo publicado em 2012 no periódico The Permanente Journal, medicamentos como a cefoxitina, a cefazolina, os barbitúricos, a acetilcisteína e a flucitosina podem aumentar os níveis de creatinina no sangue e interferir no resultado do exame.

O consumo de suplementos proteicos como a creatina, por exemplo, também pode resultar no mesmo efeito.

7. Bloqueio no trato urinário

Assim que sai dos rins, a urina passa pelo trato urinário através dos ureteres até a bexiga e a uretra. Um bloqueio em qualquer um desses locais pode fazer com que a urina volte para os rins, aumentando os níveis de creatinina no sangue.

Isso acontece porque tal bloqueio limita a filtração do sangue e a eliminação de urina e pode prejudicar a capacidade dos rins de funcionar do modo correto. Os especialistas chamam isso de hidronefrose no meio médico.

O bloqueio geralmente é causado por pedras nos rins, aumento da próstata ou tumores na região, causando uma obstrução nos rins e no trato urinário.

8. Outras condições de saúde

Doenças como a diabetes, a gota a hipertensão arterial, doenças hereditárias ou doenças autoimunes como o lúpus podem prejudicar o funcionamento dos rins e aumentar a creatinina no sangue.

A cetoacidose diabética, por exemplo, é uma complicação da diabetes que pode resultar em desidratação grave, o que danifica os rins e eleva os níveis de creatinina. As altas quantidades de acetoacetato produzidos por causa da cetoacidose diabética também pode interferir no resultado do teste.

A rabdomiólise, caracterizada pela morte de células musculares, causa a liberação de creatinina no sangue. Junto com ela, pode ser liberada outra proteína encontrada nos músculos – a mioglobina – que pode prejudicar os rins e aumentar ainda mais os níveis de creatinina por causa do dano.

Sintomas

Apenas a creatinina alta no sangue não é capaz de produzir sintomas. Sinais de problemas só são observados quando os rins estão danificados. Nesse caso, podem ocorrer sintomas como:

  • Fraqueza;
  • Inchaço ou edema;
  • Retenção de fluidos;
  • Confusão mental;
  • Desidratação;
  • Náusea e vômito;
  • Pele seca;
  • Falta de ar.

O que fazer

Antes de achar que está com os rins comprometidos, avalie junto com seu médico as possíveis causas da creatinina alta. Além disso, exames adicionais de sangue e de urina devem ser solicitados para ajudar a determinar a causa exata da alteração.

Um deles é o exame de ureia, que também indica problemas renais. Como a ureia também é filtrada pelos rins, a presença de altas quantidades no sangue – condição conhecida como uremia – pode confirmar o diagnóstico de doença renal. Assim, se o indivíduo apresentar ureia e creatinina alta, é mais provável que ele sofra de algum dano renal do que apenas ter a creatinina alta.

Se todos os exames apresentarem resultados normais e não houver nenhum sintoma anormal, é bem provável que a creatinina esteja alta por causa do seu nível de atividade física ou devido ao alto consumo de proteína. O importante é avaliar todas as causas possíveis devem antes de tirar uma conclusão.

O tratamento só é necessário quando for atestado que os rins estão doentes. Nos demais casos, apenas alterações simples no estilo de vida podem reduzir a creatinina naturalmente, como praticar atividades físicas menos extenuantes do que de costume (apenas se os níveis de creatinina altos estiverem prejudicando a saúde) e alterações na dieta.

Em casos de doenças renais, é preciso usar medicamentos específicos ou se submeter a tratamentos como a diálise, procedimento em que uma máquina é utilizada para filtrar o sangue no lugar dos rins e assim remover as impurezas e toxinas presentes nele.

Dieta

Alguns hábitos alimentares simples que podem ajudar a reduzir os níveis de creatinina no sangue são mostrados logo a seguir.

– Diminua o consumo de proteína animal

Limitar o consumo de proteínas de acordo com o que é indicado para peso, idade e nível de atividade física é muito importante para não sobrecarregar os rins.

Reduzir a ingestão de carne vermelha cozida é uma ótima medida para diminuir os níveis de creatinina, já que no cozimento da carne, a creatina presente no tecido muscular animal se decompõe em creatinina, que é absorvida diretamente pelo sangue. A redução no consumo de outras proteínas animais como produtos lácteos e derivados também ajuda na diminuição da creatinina.

Às vezes, apenas trocar as proteínas animais por algumas fontes de proteínas vegetais já ajuda a reduzir a creatinina alta. Tente ingerir mais leguminosas como o feijão, o grão de bico e a lentilha, por exemplo, no lugar da carne vermelha.

– Consuma fibras

O consumo de fibras dietéticas também parece ser benéfico para reduzir a creatinina sérica. Segundo estudo de 2015 publicado no periódico European Journal of Clinical Nutrition, a fibra alimentar auxilia pacientes com doença renal crônica a diminuir os níveis de creatinina.

Desta forma, é muito importante aumentar a ingestão de alimentos ricos em fibras como os legumes, as sementes, as verduras, as frutas e os grãos integrais além de beber bastante água.

– Beba água

Atenção especial deve ser dada à ingestão de líquidos. A desidratação e a falta de fluidos podem resultar em uma elevação ainda maior nos níveis de creatinina, além de poder causar outros problemas como o acúmulo de pedras nos rins. Assim, beba bastante água e outros líquidos saudáveis à sua dieta como chás de ervas, por exemplo.

– Evite suplementos à base de creatina

Pessoas que já apresentam níveis altos de creatinina no sangue não devem tomar suplementos de creatina.

Geralmente, a creatina é procurada por atletas e praticantes de atividades físicas para aumentar a energia dos músculos. Porém, toda a creatina que não for utilizada pelos músculos para geração de energia é convertida em creatinina, fazendo com que os níveis do composto aumentem.

Outras dicas

Embora não existam estudos suficientes para confirmar a eficácia de ervas na redução da creatinina, algumas das ervas e especiarias mencionadas a seguir podem ser úteis no tratamento de doenças renais. São elas: sálvia, urtiga, camomila, dente de leão, canela, ginseng e chicória.

Suplementos de quitosana também parecem ajudar a reduzir os níveis de creatinina em pessoas que sofrem de insuficiência renal.

Creatinina alta é preocupante?

Apenas o teste de creatinina não é suficiente para afirmar que alguém apresenta uma doença renal. Outros fatores como sexo, idade, nível de atividade física e porte físico podem influenciar nos níveis de creatinina.

Não fique preocupado se o seu exame de sangue vier com um nível de creatinina acima do que é considerado normal, pois tal resultado precisa ser avaliado em conjunto com outros testes para que um diagnóstico possa ser feito.

É sempre bom complementar o diagnóstico com um exame de urina que vai avaliar a quantidade de creatinina que está sendo excretada através da urina e também se há presença de outras proteínas que podem indicar que os rins não estão funcionando direito.

Se você é um praticante assíduo de atividades físicas ou um fisiculturista, dificilmente seus níveis de creatinina estarão dentro do intervalo de referência devido ao volume maior de massa muscular que você tem em relação a outras pessoas da mesma idade. A grande sacada é não se guiar por apenas uma alteração no exame de sangue e sempre buscar um diagnóstico mais preciso e completo antes de tirar conclusões precipitadas sobre sua saúde.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já foi diagnosticado com creatinina alta? O que seu médico recomendou como tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (21 votos, média: 4,14 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário

4 comentários em “Creatinina Alta – O Que Significa, Sintomas, Dieta e O Que Fazer”

  1. sinto muita dor na barriga e na altura dos rins, tive febre e dor nas costas, meu médico pediu exame de sangue e a creatinina deu 2,80mg/dL, metodo : enzimatico em quimica seca

    • Meus pés estão inchando durante o dia, no exáme de creatinina de 1,23, os outros exames de sangue estão normais assim como a diabetes e pressão alta controladas
      Alguma recomendação?

  2. Eu era bem magro e de 2016 pra ca pratico musculacao e ganhei bastante massa e minha cretinina hoje ta em 1.4 devo me preocupar? Alem de musculacao corro e ando de bike.

  3. Ja foi diagnosticado com insuficiência renal cronica, mesmo deixando de comer carne vermelha a creatinina continua alta, mas amei as informações dadas aqui.