6 Sintomas de intoxicação alimentar e o que fazer

Especialista da área:
atualizado em 20/10/2020

Você conhece os sintomas de intoxicação alimentar? Saiba aqui quais são os principais e o que fazer para melhorar da condição.

A intoxicação alimentar é bastante comum. Água não potável, alimentos contaminados, comida estragada, armazenamento inadequado são apenas alguns exemplos de fontes de intoxicação.

  Continua Depois da Publicidade  

De fato, mesmo tomando todos os cuidados com a higienização dos alimentos e com o consumo de água potável, é provável que você sofra uma intoxicação ao menos uma vez durante a vida.

Além da intoxicação alimentar, há casos em que os sintomas se dão por causa de uma alergia alimentar ou outro problema de saúde. Por isso, é sempre bom observar o que você comeu no dia em que se sentiu mal, especialmente se for uma ocorrência frequente.

A intolerância à lactose ou a alergia ao glúten, por exemplo, podem ser as causas de sintomas gastrointestinais desagradáveis.

Sintomas de intoxicação alimentar

A depender do tipo de intoxicação alimentar, os sintomas podem ser diferentes. Mas há um grupo de sintomas que são bastante comuns em casos como esses.

1. Náusea

A náusea ou enjoo pode surgir logo depois ou até horas após a ingestão do alimento contaminado. A depender da fonte de contaminação, o primeiro sintoma pode ocorrer até mesmo dias depois da intoxicação.

  Continua Depois da Publicidade  

Além da náusea, você pode sentir outros sintomas como suor frio, fraqueza nas pernas e ânsia de vômito.

2. Vômito

Como resultado da náusea, surge o vômito. A consistência do vômito pode variar, mas o que mais preocupa é o vômito totalmente líquido – especialmente se ele for constante.

De fato, nesse último caso, o vômito é um sinal claro de desidratação. Assim, é importante tentar manter-se hidratado ou se dirigir ao hospital mais próximo a fim de evitar a desidratação.

3. Febre

A febre é um sintoma que ocorre na maioria dos casos de intoxicação alimentar. De fato, ela é um sinal de que o seu corpo está lutando contra uma infecção.

Além disso, no caso da intoxicação alimentar, trata-se provavelmente de uma infecção causada por bactérias, vírus ou parasitas.

4. Dor abdominal

É provável que as cólicas abdominais sejam o primeiro sintoma de uma intoxicação alimentar.

  Continua Depois da Publicidade  

A dor abdominal pode ou não ser acompanhada de outros sinais, como a náusea, o vômito ou a diarreia, por exemplo.

5. Diarreia

A diarreia pode ser aquosa ou com sangue. De qualquer modo, é um sintoma desagradável e às vezes constrangedor.

Embora seja ruim, a diarreia é um sinal de que seu corpo está expulsando aquilo que te fez mal – o que é positivo.

No entanto, se a diarreia persistir por mais de dois dias ou vir acompanhada de sangue, é importante procurar um médico para avaliar a situação.

6. Mal-estar

O mal-estar se dá por causa de todo o enjoo que a intoxicação alimentar te causa. Além disso, é muito comum sentir cansaço e uma sensação de muita fraqueza.

Aliás, essa sensação de mal-estar também pode vir acompanhada de falta de apetite e falta de energia para as atividades rotineiras, por exemplo.

  Continua Depois da Publicidade  

O que fazer em casos de intoxicação alimentar

Na maioria dos casos, a intoxicação alimentar se resolve sozinha dentro de 48 horas. Mas é claro que em casos mais graves, é indispensável buscar atendimento médico.

A saber, os sinais de que você deve consultar um médico são:

  • Cólica abdominal muito intensa;
  • Vômito intenso e frequente;
  • Diarreia por mais de três dias seguidos;
  • Febre muito alta;
  • Boca seca e sede excessiva;
  • Pouca micção;
  • Tontura e vertigem;
  • Fraqueza;
  • Visão embaçada;
  • Formigamento nos braços;
  • Fraqueza muscular.

Se for o caso, o médico vai te avaliar e prescrever remédios que ajudem a controlar a diarreia e evitar as cólicas e o enjoo.

Em alguns casos, ele pode indicar antibióticos se suspeitar de uma infecção bacteriana. Apesar disso, nos demais casos, remédios não são necessários. O ideal é manter-se bem hidratado e focar em uma alimentação leve.

Além disso, é essencial repousar a fim de dar ao seu corpo um tempo para a recuperação.

O que comer para aliviar os sintomas de intoxicação

mão-segurando-copo-com-água

Além de beber bastante água e líquidos em geral para repor os fluidos e eletrólitos perdidos, é bom tentar manter alguma coisa no estômago.

Ainda que você não sinta fome, faz bem tentar comer alguma coisa assim que a náusea permitir.

A saber, alguns alimentos leves que são bem aceitos pelo estômago são:

  • Biscoitos de água e sal;
  • Torradas;
  • Batatas;
  • Gelatina;
  • Banana;
  • Aveia;
  • Canja de galinha;
  • Arroz;
  • Chás;
  • Sucos de frutas;
  • Bebidas esportivas;
  • Água de coco.

Além disso, você pode focar em qualquer alimento leve que tenha pouca gordura e que seja de fácil digestão.

Por outro lado, evitar produtos lácteos, gordura, frituras e alimentos condimentados, picantes ou açucarados é uma boa estratégia, pois isso ajuda a não sobrecarregar o seu sistema digestivo.

Por fim, em poucos dias, você vai se sentir melhor, seu apetite vai melhorar e você poderá retomar sua rotina.

Fontes e Referências Adicionais

Você já sentiu sintomas de intoxicação alimentar? Por isso, precisou de atendimento médico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho é especialista em Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Ultrassonografia - CRM 52.104130-4. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

Deixe um comentário