3 Principais causas de intoxicação alimentar

Especialista:
atualizado em 05/10/2020

Passar mal depois de comer é muito desagradável. Veja aqui as principais causas de intoxicação alimentar e com quais alimentos tomar cuidado.

A intoxicação alimentar é um problema sério. Os sintomas de uma intoxicação alimentar costumam incluir:

  • Diarreia;
  • Náuseas;
  • Fraqueza e mal estar;
  • Dor abdominal;
  • Perda de apetite;
  • Febre;
  • Vômitos;
  • Dor de cabeça.

Além disso, coceira no corpo, vermelhidão na pele e muitos outros sintomas podem surgir.

Vale lembrar que certos alimentos podem causar alergia em algumas pessoas. Por isso, é essencial estar atento aos sinais do seu corpo e ao que você come.

Principais causas de intoxicação alimentar

Na maioria dos casos, a intoxicação alimentar não precisa de tratamento. Mas ainda assim, é importante conhecer as causas para saber o que fazer.

1. Bactérias

As bactérias são as principais causas de intoxicação por alimentos – como a Salmonellla, a Escherichia coli, a Sthaphilococus aureus, a Listeria, a Campylobacter e a Clostridium botulinum, por exemplo.

De acordo com um estudo americano publicado em 2015, quase metade dos casos de contaminação por E. coli nos Estados Unidos entre 2008 e 2012 foram provenientes de carne bovina contaminada.

Além disso, as bactérias podem estar presentes em qualquer tipo de alimento, especialmente naqueles que não passam por nenhum tipo de cozimento ou resfriamento – como as verduras cruas, por exemplo.

A água contaminada também pode ser uma fonte de contaminação. Por isso, é melhor checar a origem da água e o tratamento que ela recebe antes do consumo.

2. Vírus

Alimentos também podem transmitir certos vírus. É o caso, por exemplo, do norovírus, do sapovírus, do rotavírus e do astrovírus.

Além disso, outro tipo de vírus que pode estar em algum alimento contaminado é o vírus da hepatite A.

3. Parasitas

Embora seja menos comum do que a intoxicação causada por bactérias, existe o risco de contaminação por parasitas.

O parasita mais comum em casos de intoxicação por alimentos é o Toxoplasma, causador da toxoplasmose. Apesar de ser o mais comum, esse tipo de infecção ainda é relativamente pouco observado.

Alimentos que mais causam intoxicação alimentar

carne-crua-contaminada

De fato, todos os alimentos que são ingeridos crus devem ser higienizados corretamente para evitar a intoxicação.

De modo geral, os seguintes alimentos são os mais prováveis de estarem contaminados:

  • Ovos;
  • Leite ou produtos lácteos não pasteurizados;
  • Água sem tratamento ou de origem duvidosa;
  • Carnes cruas ou mal passadas;
  • Aves mal passadas;
  • Peixes e frutos do mar;
  • Frutas e verduras mal higienizadas.

Também há o risco de contaminação por produtos químicos. Por esse motivo, sempre guarde os produtos de limpeza separados dos alimentos. Aliás, isso não só evita o contato entre eles como também reduz o risco de ingestão acidental.

O que esperar durante a intoxicação alimentar

Os sintomas de intoxicação normalmente somem sozinhos. No entanto, o vômito ou a diarreia em excesso pode te deixar desidratado.

Por isso, é importante se manter bem hidratado. Além disso, você pode priorizar alimentos leves para comer.

As melhores dicas para repor os líquidos perdidos e evitar a desnutrição são:

  • Ingerir muitos líquidos, como água, água de coco e bebidas esportivas ricas em eletrólitos;
  • Tomar chás calmantes como por exemplo a camomila;
  • Preferir alimentos leves e fáceis de digerir como arroz, torradas, cereais e bananas, por exemplo;
  • Evitar os alimentos gordurosos, açucarados ou picantes;
  • Ficar longe de bebidas lácteas, cafeína e álcool, pois podem irritar o estômago.

Por fim, o descanso é fundamental para o seu corpo se recuperar da intoxicação alimentar.

Só use remédios se o seu médico prescrevê-los. Apesar de serem incômodos, sintomas como diarreia e vômito tem um objetivo – que é o de expulsar do corpo aquilo que está te causando mal.

Assim sendo, se você tomar um remédio para parar a diarreia ou interromper o vômito, o seu organismo pode levar mais tempo para se recuperar totalmente.

Os sintomas duram pouco tempo. Em geral, eles aparecem algumas horas ou alguns dias depois de consumir o alimento contaminado e persistem por dois dias, em média.

Por fim, caso os sintomas persistam por muito tempo ou se você observar sinais de uma reação alérgica, procure atendimento médico rapidamente.

A saber, os principais sintomas de uma reação alérgica grave são:

  • Dificuldade para respirar;
  • Inchaço na garganta e no corpo;
  • Prurido;
  • Falta de ar;
  • Tontura;
  • Formigamento;
  • Alteração nos batimentos cardíacos.

Como prevenir a intoxicação alimentar

De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos), as medidas que ajudam a prevenir a intoxicação por alimentos contaminados são:

Cozinhar bem os alimentos

Alimentos crus com alto risco de contaminação como as carnes, os ovos e os peixes devem ser bem cozidos para minimizar as chances de contágio.

Certamente, você não deve se esquecer de higienizar bem os alimentos antes do preparo.

Separar os alimentos

A fim de evitar casos de contaminação cruzada, é importante separar outros alimentos da carne crua, por exemplo.

Armazenar corretamente

É importante armazenar os alimentos da forma correta para que eles não estraguem. Além disso, resfriar os alimentos evita que bactérias nocivas se proliferem.

Manter a cozinha limpa

Além dos alimentos, é essencial manter os utensílios de cozinha e o ambiente limpo.

Lavar as mãos

Por fim, mas não menos importante: lave bem as mãos. De fato, lavar as mãos especialmente antes de comer e durante o preparo dos alimentos reduz bastante o risco de sofrer com uma intoxicação alimentar.

Fontes e referências adicionais:

Você já teve intoxicação alimentar? Se sim, quais sintomas notou e o que fez para melhorar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário