7 Benefícios da Schizandra – Para Que Serve e Propriedades

Especialista:
atualizado em 27/12/2019

Schizandra ou schisandra é uma planta – mais precisamente uma trepadeira – nativa do nordeste da China e de partes da Rússia, que é cultivada em fileiras longas. Veja quais são os benefícios da schizandra, para que serve essa planta e suas propriedades para a saúde.

A sua colheita acontece no final de julho e no começo de agosto. Essa planta trepadeira dá origem a uma fruta que pode tanto ser utilizada como alimento quanto para fins medicinais que ostenta um lugar de destaque na medicina tradicional chinesa.

Para alguns dos benefícios associados à schizandra, veremos abaixo que outras 2 plantas medicinais são usadas em conjunto e vale a pena você conferir em detalhes cada uma delas. São elas: a Rhodiola Rosea e o ginseng siberiano.

Para que serve – 7 benefícios associados à schizandra

1. Performance mental

O uso oral do extrato da fruta da schizandra sozinho ou acompanhado de rhodiola e do ginseng siberiano aparentemente melhora a concentração, a atenção e a velocidade do pensamento.

2. Hepatite

Os extratos da fruta da schizandra diminuem os níveis sanguíneos de uma enzima conhecida pelo nome de transaminase glutâmico pirúvica em pessoas que sofrem com a hepatite.

A transaminase glutâmico pirúvica é um marcador de dano hepático: um nível mais elevado da enzima significa que há mais dano e um nível mais baixo quer dizer que há menos dano.

Entretanto, preste atenção: não estamos dizendo que a schizandra seja a cura da hepatite ou de qualquer outro sintoma de problema no fígado. Se você sofre com uma dessas condições, deve procurar o médico que já cuida do seu tratamento antes de decidir usar os extratos da fruta da schizandra.

Elas devem ser incluídas no tratamento somente se o médico autorizar e de acordo com as orientações que forem passadas por ele. Automedicar-se com a schizandra, ou pior, utilizar os extratos da fruta da planta no lugar do tratamento prescrito pelo médico pode ser extremamente perigoso para a saúde.

3. Performance nos exercícios físicos

O consumo via oral do extrato da fruta de schizandra aparenta melhorar a coordenação e a resistência. No entanto, as evidências neste sentido são consideradas insuficientes.

4. Febre familiar do Mediterrâneo

A febre familiar do Mediterrâneo é uma doença inflamatória hereditária, caracterizada pela inabilidade do organismo para controlar ou interromper qualquer inflamação.

Pesquisas preliminares sugeriram que tomar um produto que combina schizandra, ginseng siberiano, andrographis e alcaçuz diminui a severidade e a frequência dos ataques da febre familiar do Mediterrâneo.

Entretanto, mais uma vez, alertamos que as evidências para o uso do produto neste sentido são consideradas insuficientes.

5. Miopia

Estudos iniciais sugeriram que a aplicação de uma solução de schizandra durante 20 a 24 dias pode melhorar a visão em crianças com miopia.

Por outro lado, a schizandra não melhora a visão em crianças que sofrem com a miopia progressiva. Como se não bastasse, as evidências relacionadas à efetividade do uso da planta para essa finalidade são consideradas insuficientes.

Vale destacar ainda que aplicar qualquer coisa no olho pode ser arriscado e que isso deve ser feito somente com a autorização e o acompanhamento do médico oftalmologista.

6. Pneumonia

Pesquisas preliminares sugeriram que tomar uma combinação de schizandra, rhodiola e ginseng siberiano duas vezes por dia durante 10 a 15 dias diminui a necessidade de usar antibióticos e melhora a qualidade de vida de pessoas com pneumomia.

Mas isso quando a combinação é empregada ao lado do tratamento padrão para a doença.

Antes de se empolgar como esse possível benefício, precisamos informar que existem alertas sobre as evidências a respeito da efetividade do uso desta combinação dentro do tratamento da pneumonia, sendo classificadas como insuficientes.

7. Outras condições

As evidências em relação à efetividade do uso da schizandra para a prevenção do envelhecimento precoce, a pressão arterial elevada, a prevenção do enjoo de movimento (cinetose), a diabetes e outras condições também são consideradas insuficientes.

Cuidados com a schizandra: efeitos colaterais, contraindicações e demais alertas

Mesmo que a fruta de schizandra seja considerada possivelmente segura quando consumida via oral de maneira apropriada, ou seja, com moderação, sem exageros, ela pode provocar azia, dor de estômago, erupção cutânea e coceira.

Caso experimente qualquer efeito colateral depois de utilizar a schizandra, procure rapidamente o auxílio do médico para verificar qual a gravidade do sintoma em questão.

Acredita-se que a ingestão de schizandra possa não ser segura para a gestação: existe alguma evidência de que ela pode fazer com que o útero contraia, o que pode resultar em um aborto. Por isso, recomenda-se que as gestantes não utilizem a schizandra.

Como não existe uma quantidade suficiente de informações a respeito da segurança do consumo de schizandra durante o período do aleitamento, a orientação é que as mamães que amamentam evitem usá-la.

Além disso, pelo menos um especialista alerta contra o uso da schizandra por parte de quem sofre com a epilepsia. O motivo exato para esse aviso não está claro, mas é possível que esteja associado a uma preocupação relacionada à possibilidade da schizandra estimular o sistema nervoso central.

Por conta dessa possibilidade da schizandra estimular o sistema nervoso central, outra preocupação existente é que ela pode piorar a pressão cerebral (intracraniana) alta.

Devido ao fato de aumentar o ácido estomacal, acredita-se que a schizandra pode piorar condições como as úlceras pépticas e a doença do refluxo gastroesofágico.

Outros cuidados essenciais

Antes de usar a schizandra para qualquer uma das condições ou problemas mencionados neste artigo ou para qualquer outra finalidade, é fundamental que você consulte o médico.

Isso é necessário para saber se ela realmente tem propriedades para ajudar o seu caso, assegurar que não te fará mal e saber em que dosagem máxima e por qual limite de tempo ela pode ser usada.

Até porque, como vimos anteriormente, muitos dos benefícios associados à schizandra não contam com evidências suficientes para embasá-los. Com isso, se incluí-la dentro de um tratamento já pode ser arriscado, utilizar a schizandra no lugar de qualquer tratamento indicado pelo médico é uma atitude perigosa, que jamais deve ser feita.

Na conversa com o médico a respeito da schizandra também é necessário perguntar ao profissional se não faz mal utilizá-la ao mesmo tempo em que um medicamento, suplemento ou outra planta que você já use.

O cuidado de consultar o médico sobre o uso da schizandra é essencial para todos, principalmente para pessoas que têm uma saúde mais vulnerável como crianças, adolescentes, idosos e pessoas que sofrem com alguma doença ou condição específica de saúde.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já conhecia a schizandra e os seus possíveis benefícios para a saúde? Pretende experimentar essa planta medicinal? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário