Rhodiola Rosea: O Que é, Para Que Serve, Benefícios e Efeitos Colaterais

Especialista:
atualizado em 28/12/2015

A Rhodiola rosea, também conhecida como Raiz de Ouro, é uma erva medicinal tradicional na China, usada para promover a vitalidade física e cognitiva. Os orientais acreditam que ela ajuda a combater a fadiga e a exaustão em situações estressantes prolongadas.

Evidências científicas mais recentes apontam que entre os seus benefícios estão a proteção contra a degeneração do sistema nervoso central e a promoção da longevidade. Pesquisas sobre seus efeitos contra o estresse fizeram com que a Rodiola se tornasse um dos fitoterápicos mais populares na Europa e ela está ganhando cada vez mais evidência também na América do Norte.

A seguir vamos explorar um pouco mais estes e vários outros possíveis benefícios desta erva que tem despertado tanto interesse.

O que é a Rhodiola rosea ?

A Rhodiola é uma planta perene de folhas suculentas, comum em regiões frias do mundo, como o Ártico da Sibéria Oriental, as Montanhas Rochosas da América do Norte e as montanhas da Ásia Central e Europa.

Não é à toa que esta planta da família Crassulaceae recebeu o nome de Raiz de Ouro: Há séculos suas raízes da têm sido usadas pelas culturas da Europa Oriental e da Ásia para melhorar a resistência física, a disposição, a longevidade e a resistência a doenças provocadas pelas altitudes. A característica comum de todos esses benefícios está na origem do seu benefício: o seu potencial adaptogênico. A Rodiola rósea possui compostos que são capazes de prevenir os efeitos físicos e químicos do cansaço e do estresse.

O que são substâncias adaptogênicas?

São consideradas adaptogênicas um grupo de plantas cujo extrato contém substâncias que aumentam a resistência global do organismo e ajudam a normalizar as funções vitais do corpo.

As ervas adaptogênicas permitem que o nosso corpo adapte-se à ação do estresse. Sempre que houver uma condição estressante, a ingestão de adaptogênicos produz algum grau de adaptação no corpo.

Os efeitos adaptogênicos têm sido reconhecidos tradicionalmente como a indução de uma imunidade e um efeito de normalização do organismo. Este conceito é amplamente difundido tradicionalmente ao redor da Europa e leste da Ásia. Especula-se que substâncias adaptogênicas tenham sido usadas tradicionalmente por Vikings escandinavos para preservar a robustez física.

Tais substâncias passaram a ser buscadas, estudadas e incorporada primeiro à medicina chinesa e, embora mais pesquisas sejam necessárias para determinar o mecanismo principal de ação dos adaptogênicos, sabemos que a Rhodiola é uma das principais ervas com esta característica.

A Rhodiola deixou para traz o caráter popular para se tornar alvo de estudo de pesquisas modernas

Ao longo da evolução das espécies, a Rhodiola rosea adaptou-se às condições adversas da altitude como o frio extremo, pouco oxigênio, pouca chuva e irradiação intensa do sol. A planta desenvolveu a produção de um grupo de compostos protetores poderosos que têm diversos efeitos benéficos em animais e seres humanos.

Os gregos já se impressionavam com a versatilidade da erva há mais de dois mil anos e seus benefícios se estenderam até os tempos atuais onde pesquisas modernas, baseadas em ensaios clínicos controlados, estudam as potenciais aplicações médicas desta planta singular.

Pesquisas identificaram a presença de seis grupos distintos de compostos químicos na raiz da Rhodiola rosea:

  • Fenilpropanóides
  • Derivados de feniletanol
  • Flavonoides
  • Monoterpernes
  • Triterpenes
  • Ácidos fenólicos

Para que serve a Rhodiola rósea

Rhodiola é uma planta cuja raiz é usada como medicamento. O extrato da raiz de Rhodiola serve para tratar muitas condições, mas ainda é preciso que mais pesquisas sejam feitas para que haja evidências científicas suficientes para determinar se ela é realmente eficaz.

A Rhodiola é usada para aumentar a energia, resistência, força e capacidade mental. Ela é reconhecida como um adaptogênico e serve para ajudar o corpo a se adaptar a resistir ao stress ambiental, físico, químico. Ele também é usada para melhorar o desempenho atlético, encurtando o tempo de recuperação após treinos longos, melhorar a função sexual, para a depressão, e para doenças do coração, como batimento cardíaco irregular e colesterol alto. Algumas pessoas usam Rhodiola para tratamento de câncer, tuberculose e diabetes, prevenção de gripes e resfriados, envelhecimento e danos no fígado. Ela também é usada para melhorar a audição, fortalecer o sistema nervoso e aumentar a imunidade.

5 Benefícios da Rhodiola rosea e indicações mais comuns

A parte da erva que é utilizada para a preparação de extrato de Rhodiola é a raiz. Dela provêm os vários benefícios atribuídos ao seu consumo.

1- Estimulante da memória e aprendizagem

Pesquisas demonstraram que Rhodiola rosea melhora a capacidade de memorização e concentração por períodos mais prolongados. Ela aumenta a atividade bioelétrica do cérebro o que melhora a sua energia para a concentração e a retenção memória.

Em um estudo recente, quarenta alunos foram escolhidos aleatoriamente para receber 50 mg de extrato de Rhodiola ou placebo duas vezes ao dia por um período de 20 dias.

Notou-se que os alunos que receberam o placebo demonstraram melhorias significativas na aptidão física, na função psicomotora, no desempenho mental, e no bem-estar geral.

Os indivíduos que receberam o extrato de Rhodiola rosea também relataram os mesmos resultados e adicionalmente também apresentaram redução estatisticamente significativa da fadiga mental, melhores padrões de sono, maior estabilidade do humor e uma maior motivação para estudar. Os valores médios mostraram, que os alunos que receberam o extrato de Rodiola foram superiores aos outros.

Dois estudos realizados com a Rhodiola rosea em ratos propuseram vantagens para várias áreas da aprendizagem e memória, em circunstâncias experimentais específicas. A administração oral de Rhodiola rosea na dosagem de 0,1 ml por dia durante um período de 10 dias levou a uma leve melhora nessas funções dos roedores, como por exemplo, na memória de longa data.

2- Protetora do sistema cardíaco

Pesquisas já demonstraram que o uso de Rhodiola rosea é eficaz para diminuir ou eliminar danos nos tecidos cardiovasculares derivados do estresse e de trauma.

Sua ação está na sua capacidade para diminuir a quantidade de catecolaminas e corticosteroides liberados pelas glândulas suprarrenais durante o estresse. A presença anormal destes hormônios do estresse causa elevação da pressão arterial, do colesterol e dos níveis de potássio. Fatores que aumentam o risco para doenças cardíacas.

Foi constatado também que a Rhodiola pode diminuir o nível de lipídeos no sangue e, assim, diminuir o risco de doenças cardíacas.

Ela também auxilia na captação de mais cálcio intracelular no coração promovendo assim um maior potencial para a contração muscular cardíaca, ajudando a regular os batimentos cardíacos e a neutralizar arritmias.

Além disso, o extrato de Rhodiola rosea também é útil na prevenção do declínio da força de contração do coração, causada por estresse ecológico, como, por exemplo, em condições de muito frio e altitude.

Nesse tipo de estresse, os benefícios do tratamento usando o extrato da Rhodiola rósea são conhecidos desde a antiguidade.

3- Anticancerígena

A administração da Rhodiola rosea parece ter um potencial anticancerígeno porque aumenta a resistência do organismo contra toxinas. Foi identificada uma série de compostos antioxidantes no extrato de Rhodiola rosea com capacidade significativa de eliminação de radicais livres.

A Rhodiola rósea também pode ser útil quando utilizada associada com outros agentes farmacêuticos como a droga ciclofosfamida, utilizada na contenção de células tumorais.

4- Imunidade

O estresse abala a imunidade e deixa o corpo vulnerável a uma variedade de doenças.

Estudos têm demonstrado que as medicações preparadas com extratos de Rhodiola revigoram o sistema imunológico porque restabelecem o equilíbrio metabólico do corpo, normalizam os hormônios através do controle da liberação de glicocorticoide no organismo e faz o indivíduo menos vulnerável à tensão e ao estresse.

Veja também: Como Controlar a Ansiedade e o Estresse – 10 Dicas Infalíveis 

5- Reduz a Fadiga e a depressão

Evidências preliminares sugerem que ingerir extrato de Rhodiola pode diminuir a fadiga em situações estressantes. Um extrato de Rhodiola específico mostrou diminuir a fadiga e aumentar a sensação de bem-estar em estudantes em épocas de provas e trabalhadores noturnos que foram testados.

Outras pesquisas também mostraram que tomar Rhodiola pode melhorar os sintomas de depressão leve a moderadamente grave logo após seis semanas de tratamento.

Outras indicações dos benefícios da Rhodiola

Suplementação ou reforço para:

  • Amenorreia ou supressão do fluxo menstrual
  • Astenia ou perda anormal de força
  • Hipertensão
  • Gripes e resfriados
  • Dores de cabeça
  • Depressão
  • Fadiga
  • Insônia
  • Esquizofrenia
  • Disfunção sexual masculina.

Muitos pesquisadores afirmam que as propriedades terapêuticas da erva são altamente eficazes no tratamento de condições astênicas como a deterioração no desempenho de trabalho, distúrbios do sono, falta de apetite, irritabilidade, cansaço e dores de cabeça. Condições essas que ocorrem depois de forte estresse físico ou mental ou após doenças virais e/ou bacterianas.

Dosagem recomendada

Na medicina tradicional chinesa, o pó da raiz da raiz de Rhodiola tem o nome de Hong Jing Tian. Eles recomendam tomar de três a seis gramas do pó diariamente para manter a vitalidade e a longevidade.

Na medicina moderna, os médicos prescrevem a suplementação com Rhodiola como estimulante para situações de cansaço, para doenças somáticas e infecciosas, em condições psiquiátricas e neurológicas e em indivíduos saudáveis, ​​para aliviar a fadiga e aumentar a capacidade de atenção, memória e produtividade do trabalho.

A dose comumente recomendada é de cinco a dez gotas de extrato de duas a três vezes por dia, de 15 a 30 minutos antes de comer durante um período de 10 a 20 dias.

Nos distúrbios psiquiátricos com maior comprometimento, começa-se com uma dose inicial de 10 gotas de 2 a 3 vezes por dia e a dose é aumentada gradativamente até 30 a 40 gotas a serem tomadas por até dois meses.

Efeitos colaterais da Rhodiola rosea – Cuidados durante a ingestão

É importante notar que as doses de extratos de Rhodiola administrados durante os ensaios clínicos relataram ausência de quaisquer efeitos secundários adversos. No entanto, a resposta clínica inicial sugere que o consumo de extrato de Rhodiola rosea entre 1,5 g e 2,9 g pode levar à insônia em vários pacientes por alguns dias.

Os extratos da planta não devem ser tomados durante a gravidez ou lactação. Isto se deve principalmente ao fato de que os cientistas ainda estão verificando a segurança do medicamento nestes casos. O cuidado na gravidez também deve ser maior visto que altas doses do extrato podem causar insônia, o que não é algo desejado nesse período.

Em geral, o uso de medicamentos preparados com o extrato da planta é considerado seguro. Na verdade, não há indícios de que a Rhodiola rosea tenha qualquer interação com drogas conhecidas ou algum tipo de nutriente. Dessa forma, podem ser tomadas misturas terapêuticas dos extratos da planta com outros medicamentos ou agentes nutritivos.

Vale ressaltar que ainda há investigações a respeito de interações da planta com outros adaptogênicos, como o ginseng. Por conseguinte, é válido ter cautela e sempre buscar ajuda médica antes de consumir qualquer medicamento, mesmo que seja natural.

Fontes e Referências Adicionais:
  • PANOSSIAN, A. Adaptogens: a historical overview and perspective. Natural Pharmacy, v. 7, n. 4, p. 19-20, 2003.
  • BREKHMAN, II; DARDYMOV IV. New substances of plant origin which increase nonspecific resistance. Ann Rev Pharmacol, v. 9, p. 419-30, 1969.
  • PANOSSIAN, A; WILKMAN G. Evidence- -based efficacy of adaptogens in fatigue, and molecular mechanisms related to their stress-protective activity. Curr Clin Pharmacol, v. 4, p. 198-219, 2009a.
  • Notice of Proposed Rulemaking, Federal Register, April 29, 1998a.
  • Rhodiola rosea: a possible plant adaptogen.
  • Colson SN,et al. Cordyceps sinensis- and Rhodiola rosea-based supplementation in male cyclists and its effect on muscle tissue oxygen saturation. J Strength Cond Res. (2005)
  • Panossian A, Wikman G, Sarris J.Rosenroot (Rhodiola rosea): traditional use, chemical composition, pharmacology and clinical efficacy. Phytomedicine. (2010)

Você já conhecia a Rhodiola Rosea? Conhece alguém que tenha tomado e obtido benefícios? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (341 votos, média: 3,82 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

53 comentários em “Rhodiola Rosea: O Que é, Para Que Serve, Benefícios e Efeitos Colaterais”

  1. Estou usando há mais ou menos dois meses e tenho notado uma melhora significativa nos si Tomás de depressao, insônia e ansiedade. Mas tenho tido uma irritação ocular, será que tem ligação?
    Por quanto tempo é seguro utilizar?

  2. Tenho usado há uma semana 100 mg de Rhodiola Rosea por dia, eu nunca encontrei nada tão parecido pra melhorar o stress, ansiedade e depressão.
    É realmente muito bom.

    Gostaria de saber se posso mistura-la com Mucuna Pruriens, alguém sabe dizer?

    Agradecido!

  3. BOM DIA, VC NÃO DEVE TOMAR COM ESTÔMAGO VAZIO, COMA UMA FRUTA, E TOME ELE COM ÁGUA. PENSE EM UM REMÉDIO MARAVILHOSA, PERFEITO. NÃO DEIXE NINGUÉM VICIADO, BEBA BASTANTE ÁGUA.

  4. Devido a problemas sentimentais aconselharam-me a tomar a Rhodiola
    Notei a sua eficácia ao fim de duas semanas mais ou menos.

  5. Você já conhecia a Rhodiola Rosea? SIM
    Conhece alguém que tenha tomado e obtido benefícios? EU ; capsulas “COGITUM RR3”

  6. Tomar de manha aprozalam de 2mg, e, após o almoço, antidepressivo venlafaxina 75mg juntamente
    com o Rhodia, a quase 01 (um) ano, até o líbido que tinha acabado voltou, sinto ótimo! Não fui no médico
    e tudo por conta minha. Mas aconselho a procurar o médico.

  7. ESTOU TOMANDO RHODIOLA ROSEA 300 JUNTAMENTE COM COEZIMA Q 10 EM CAPSULAS.

    TOMO TAMBÉM GINSENG E CATUABA.

    TOMO TAMBEM LEVEDURA DE CERVEJA.

    TENHO ANSIEDADE E FADIGA MENTAL.

    TEM ALGUM PROBLEMA?