Ácido Lático – O Que é, Para Que Serve, Exame, Função e Dicas

O ácido lático é um resíduo produzido durante a respiração anaeróbica que ocorre quando fazemos um grande esforço físico. Assim, quando fazemos atividades intensas como a corrida, por exemplo, pode ocorrer um acúmulo dessa substância nos músculos, o que pode causar cãibras musculares e outros problemas.

Além de mostrar qual é a real função do ácido lático no organismo, iremos falar sobre o exame que identifica o composto no sangue e também sobre sua aplicação na estética.

Ácido lático – O que é?

Para compreender o que é o ácido lático, é necessário entender um pouco sobre o metabolismo humano. As nossas células obtêm energia de forma rápida por meio da quebra de carboidratos como a glicose. O ácido lático nada mais é do que um subproduto do metabolismo desses carboidratos para produção de energia.

Vamos entender um pouco mais sobre esse metabolismo a seguir.

Para que serve o ácido lático

Em um treino pesado de força ou em um treino aeróbico HIIT, por exemplo, nossos músculos precisam de energia extra na forma de adenosina trifosfato, o famoso ATP que é produzido por meio da transformação dos nutrientes provenientes dos alimentos em energia.

O ATP pode ser produzido a partir da glicose, que é rapidamente absorvido e é um dos nutrientes mais fáceis de serem quebrados pelo organismo. Tal processo pode acontecer tanto na presença quanto na ausência de oxigênio e evidências mostram que o ATP é produzido mais rápido na ausência de oxigênio.

Assim, a energia pode ser obtida através da respiração aeróbica (que usa oxigênio) e da respiração anaeróbica (que não precisa de oxigênio).

Quando realizamos atividades que requerem menos energia como caminhar, o ATP é produzido por meio da respiração aeróbica porque o suprimento de oxigênio é constante. No entanto, ao nos exercitarmos intensamente, o suprimento de oxigênio para as fibras musculares pode não ser suficiente. Para garantir que o corpo terá energia para completar a atividade, o metabolismo coloca em ação a respiração anaeróbica por meio da qual a glicose pode ser convertida em energia mesmo sem oxigênio.

Além de não necessitar de oxigênio, a respiração anaeróbica acontece em menos etapas, o que promove uma obtenção rápida e eficaz de energia.

Mas o que isso tudo tem a ver com o ácido lático?

Metabolismo do ácido lático

No metabolismo, a glicose é decomposta em um produto chamado piruvato, que é convertido em energia através de uma série de etapas na presença de oxigênio. Quando o oxigênio é limitado durante uma atividade física, o corpo passa a converter o piruvato em lactato para permitir que a produção de energia ocorra em menos etapas na ausência de oxigênio. Isso garante que nossas células tenham energia a qualquer momento.

O lactato é uma substância que vive em equilíbrio com o ácido lático. Assim, quando há muita produção de lactato, o seu excesso é convertido em ácido lático para tentar manter esse equilíbrio. O que ocorre durante atividades físicas intensas é um acúmulo de ácido lático e uma alteração no pH das células, o que prejudica a geração de energia e causa sintomas de fadiga.

A produção de ácido lático em excesso é, na verdade, um mecanismo natural de defesa do corpo, que dá um sinal de que seu corpo está extremamente desgastado pelo esforço e evita que você se desgaste ainda mais.

Acúmulo de ácido lático

Durante a realização de atividades físicas intensas, o ácido lático pode se acumular nos músculos e na corrente sanguínea, já que o lactato derivado dele não pode ser imediatamente convertido em glicose devido ao oxigênio limitado durante o exercício físico.

Nesses casos, as cãibras e a sensação de queimação durante exercícios de repetição surgem. No final da atividade, a respiração continua mais rápida e ofegante, o que permite que você inspire mais oxigênio do que o normal. Esse oxigênio extra reage com o ácido láctico ou lactato em excesso, fazendo com que as cãibras e a fadiga desapareçam.

Mesmo que esse acúmulo aconteça, trata-se de um problema temporário. O próprio metabolismo dá conta de se livrar desse excesso, seja por meio da respiração ou pela conversão do ácido láctico em lactato, que em seguida é convertido em glicose para obtenção de mais energia.

Dessa forma, a fadiga sentida durante os treinos geralmente se deve ao excesso de ácido láctico ou lactato no organismo, mas tal desconforto não persiste por longos períodos de tempo.

Outras funções do ácido lático

O ácido lático também pode ser produzido ainda na boca quando as bactérias convertem glicose e outros carboidratos em ácido lático. O excesso deles na boca pode causar cárie dentária.

Outra curiosidade em relação ao ácido lático é que ele também pode ser aplicado para a beleza. Já utiliza-se o ácido lático na estética como um agente de limpeza em vários produtos cosméticos para a pele. Nesses casos, o ácido lático natural ou sintético é incluído nas fórmulas de shampoos, maquiagens e outros produtos para o cabelo e para a pele para remover resíduos e deixar a pele mais limpa e saudável.

Isso acontece porque o ácido lático é um alfa-hidroxiácido, que é um composto capaz de penetrar as camadas mais profundas da pele para promover uma ação esfoliante e hidratante. Por isso ele é muito usado na estética em processos de peeling e em composição de produtos para o tratamento de acne, envelhecimento precoce e estrias.

Exame de ácido lático

Se a presença de ácido lático em excesso quando estamos praticando alguma atividade mais intensa é normal, por que existem exames de ácido lático?

Existe uma condição de saúde chamada de acidose lática. O ácido lático alto no sangue em situações normais pode indicar um problema de saúde e causar vários sintomas desagradáveis muito parecidos com aqueles que sentimos durante um treino muito pesado ou intenso.

A acidose lática é diagnosticada por meio de um exame de sangue em jejum. Geralmente, é indicado que o paciente não faça atividade física antes do exame para não alterar os resultados.

Além disso, pode ser que o sangue seja removido por uma veia no dorso da mão para evitar apertar o punho ou o braço durante a extração do sangue, o que pode momentaneamente aumentar as concentrações de ácido lático no sangue.

O ácido lático é importante não só durante a atividade física, mas também quando o corpo está passando por alguma infecção ou doença que limita a obtenção de oxigênio, por exemplo. É por isso que altos níveis de ácido lático no sangue podem indicar que o corpo está enfrentando um problema de saúde.

Tipos de acidose lática

Existem dois tipos de acidose lática. A acidose lática do tipo A é causada por hipoperfusão tecidual (quando o corpo fica deficiente em oxigênio) causada por problemas como sepse, insuficiência cardíaca, hipovolemia ou parada cardiorrespiratória. Também pode ser causada por problemas no fígado.

Já a acidose lática do tipo B é resultante principalmente devido à pratica de exercício físico, mas também pode estar relacionada ao uso de medicamentos, ao alcoolismo e a doenças renais, hepáticas e a alguns tipos de câncer.

Sintomas da acidose lática

A acidose lática pode prejudicar o pH ideal do corpo e causar sintomas como:

  • Dor muscular;
  • Respiração rápida;
  • Dor de estômago;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Peles ou olhos amarelados (icterícia);
  • Suor;
  • Ardor;
  • Cólicas;
  • Desorientação;
  • Fraqueza muscular;
  • Leve dificuldade de respirar;
  • Queimação nos músculos;
  • Exaustão.

Analisando os resultados do exame

A principal causa da acidose lática, como já mencionamos, é o exercício intenso. Nesses casos, o ácido lático só se acumula durante o exercício. Porém, existem algumas condições de saúde que podem causar acidose lática e é por isso que o exame é tão importante. Geralmente, a acidose lática ocorre em condições em que se é difícil respirar ou obter oxigênio suficiente para a respiração.

Desta forma, a acidose lática pode ser causada por:

  • Doenças cardíacas: Condições de saúde como insuficiência cardíaca ou até mesmo um ataque cardíaco reduzem o fluxo de sangue e de oxigênio pelo corpo, aumentando os níveis sanguíneos de ácido lático.
  • Sepse: A sepse é uma infecção grave que afeta todo o corpo causada por vírus ou bactérias que pode limitar o fluxo de oxigênio no organismo.
  • Uso de medicamentos: Alguns medicamentos como o paracetamol, a metformina usada no tratamento da diabetes e os inibidores da transcriptase reversa usados para tratar a AIDS também podem resultar em acidose lática. Tais medicamentos também podem prejudicar o funcionamento do fígado e dificultar o metabolismo do lactato.
  • Câncer: As células cancerosas produzem ácido lático. Assim, em alguns casos o acúmulo de ácido lático pode indicar a presença de um câncer.
  • Alcoolismo: Beber álcool em excesso pode causar problemas como a cetoacidose alcoólica e a acidose lática.
  • Síndrome do intestino curto: Mesmo sendo uma doença rara, essa síndrome pode causar um acúmulo de ácido lático no organismo devido ao crescimento de bactérias no organismo delgado.

Outras possíveis causas são:

  • Doença pulmonar, acúmulo de fluidos nos pulmões ou insuficiência respiratória;
  • Choque cardiogênico;
  • Insuficiência hepática;
  • Deficiência de vitamina B, especialmente a B1;
  • Convulsões;
  • Leucemia;
  • Diabetes descontrolada;
  • Anemia grave;
  • Asfixia;
  • Intoxicação por monóxido de carbono;
  • Cólera;
  • Malária.

O que fazer

A forma mais eficaz de lidar com o ácido lático alto é identificando o problema através do diagnóstico médico e tratando a causa. Os tratamentos variam de acordo com a causa que for detectada.

Em casos de emergência, como quando a pessoa está com dificuldades de obter oxigênio, é importante tratar o sintoma e aumentar a oxigenação dos tecidos do corpo através da ajuda de máscaras de oxigênio, aparelhos e melhorar a circulação sanguínea por meio de fluidos intravenosos.

Pessoas que passam mal durante atividades físicas devem procurar um treino mais leve ou realizar pausas durante a atividade para descansar e se manter bem hidratado.

Dicas

Respeite seus limites durante a prática de exercícios físicos para evitar que sintomas graves de acidose lática sejam observados. O segredo é observar o seu corpo e fazer pausas sempre que sentir que for necessário. Além disso, é interessante aumentar a dificuldade aos poucos para evitar picos de ácido lático no sangue que podem fazer você passar mal.

Beba bastante água, pois a hidratação ajuda a remover o excesso de ácidos do organismo. Também vale a pena ter uma boa alimentação e dormir bem para que seu corpo se recupere melhor durante a atividade física.

Em casos de ácido lático alto por causa de um medicamento ou doença específicos, não deixe de conversar com um médico para determinar o melhor tratamento.

Sintomas leves de acidose lática durante ou logo após um treino são normais. Significa que seu corpo se esforçou e está se recuperando. Se os sintomas persistirem, é sinal de que algo está errado e você deve procurar ajuda.

Referências adicionais:

Você já sofreu com sintomas do acúmulo e ácido lático no organismo? O médico especializado passou que exame e tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 3,00 de 5)
Loading...

1 comentário em “Ácido Lático – O Que é, Para Que Serve, Exame, Função e Dicas”

Deixe um comentário