Alergia a Lactose – Sintomas, O Que Evitar e Como Tratar

🕐 4/09/2019

Muitas pessoas pensam que a alergia à lactose e a intolerância à lactose são a mesma coisa. Apesar de alguns sintomas similares, são condições causadas por motivos diferentes.

Vamos falar abaixo sobre a alergia a lactose, seus sintomas e dar dicas de como tratar a alergia. Além disso, vamos mostrar o que evitar para não sofrer com os sintomas desconfortáveis e perigosos da alergia.

Alergia a lactose x Intolerância a lactose

A lactose é um açúcar presente no leite e em diversos produtos lácteos. Muitas pessoas sofrem com intolerância ou alergia a esse açúcar em alguma etapa da vida principalmente devido ao consumo de leite de vaca, mas outros tipos de leite como o de ovelha, cabra, búfalo e outros mamíferos também podem causar problemas.

A principal diferença entre a intolerância a lactose e a alergia a lactose tem a ver com a causa do problema. A intolerância a lactose envolve o sistema digestivo. Nos casos de intolerância, o seu organismo não é capaz de produzir a lactase, enzima responsável por digerir a lactose obtida através da dieta. Assim, em vez de ocorrer a digestão do açúcar do leite, a lactose não digerida se move para o intestino, onde é decomposta por bactérias presentes no órgão. Isso pode ser bastante desconfortável, mas não faz mal para a saúde.

Já a alergia à lactose tem a ver com o sistema imunológico. Se você tem alergia, o seu corpo reconhece a lactose como uma substância perigosa para o organismo e libera substâncias para combater a proteína, o que causa sintomas alérgicos. A alergia a lactose é bastante comum principalmente em crianças. Cerca de 2 a cada 100 crianças até 4 anos apresentam a alergia.

Sintomas da alergia a lactose

Os sintomas da alergia a lactose em adultos são bem menos comuns do que em crianças, mas também podem ser observados. Dentre eles, destacam-se sintomas na pele, sintomas respiratórios e gastrointestinais, que podem ocorrer isoladamente ou ao mesmo tempo.

– Alterações na pele

Reações na pele podem ser observadas logo após beber ou comer produtos lácteos ou um dia depois do consumo. É possível que ocorram erupções na pele que vão se espalhando pelo corpo, dando uma aparência de pele inflamada. Também podem ocorrer eczemas, que se caracterizam por manchas e coceiras na pele que fica seca.

Também há casos em que ocorre um inchaço nas camadas mais profundas da pele, o que é chamado de angioedema. Outros sintomas na pele incluem erupções cutâneas, inchaço nos lábios e na face e urticária.

– Problemas digestivos

De acordo com a World Allergy Organization, se você tem alergia ao leite, o consumo do produto pode inflamar todo o trato gastrointestinal, começando pela boca. Dessa forma, podem ser observados inchaço nos lábios quando você bebe leite, por exemplo. Além disso, o esôfago pode ficar inflamado, o que dificulta a deglutição, provocando náusea e vômitos. Também podem ocorrer sintomas semelhantes à doença do refluxo gastroesofágico que incluem inchaço, cólicas estomacais, gases, constipação ou diarreia.

– Problemas respiratórios

Os sintomas respiratórios relacionados com a alergia à lactose incluem alergia como rinite, que envolve sintomas como espirros, corrimento nasal, irritação na garganta e prurido na região nasal. Chiado, aperto no peito e falta de ar também podem ocorrer, mas são sintomas menos comuns.

Outro sintoma raro de alergia à lactose é uma reação asmática, que ocorre raramente devido à inalação de leite em pó ou vapor de leite fervente.

– Reação anafilática

Em casos graves de alergia a lactose é possível ocorrer anafilaxia, uma reação alérgica grave que pode levar à morte devido ao bloqueio das vias respiratórias e outros sintomas. Trata-se de uma emergência médica, pois é uma reação sistêmica, ou seja, afeta vários sistemas do corpo ao mesmo tempo. Em uma reação anafilática podem ocorrer sintomas gastrointestinais e respiratórios incluindo a dificuldade de respirar. Também podem ser observados sibilos, tremores, desmaios e convulsões.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através da análise do seu histórico médico para avaliar seus sintomas. Pessoas propensas a outros tipos de alergia como eczema, rinite ou asma têm maior probabilidade apresentar alergia à lactose. Além disso, crianças costumam ter maior incidência da doença.

Existem diversos testes para testar a intolerância à lactose. Porém, para confirmar a alergia, normalmente é feita a avaliação dos sintomas ou um teste cutâneo que envolve o uso de um líquido contendo o alérgeno aplicado diretamente sob a pele no antebraço ou nas costas. Se for observado um inchaço na região acompanhado ou não de coceira, você é alérgico à lactose.

O médico pode solicitar também um exame de sangue que mede a quantidade de alguns anticorpos no sangue envolvidos com a reação do sistema imunológico à lactose. Em caso de dúvidas, o profissional da saúde também pode pedir que você faça um teste oral com alimentos diversos que contêm lactose em quantidades crescentes para verificar como seu coro reage à substância.

Como tratar

O principal tratamento para alergia à lactose é evitar o consumo de leite e produtos lácteos e qualquer tipo de exposição à lactose. A alergia é algo muito sério que precisa de orientação médica, de preferência de um alergista, que ajudará a montar um plano alimentar para evitar a lactose de acordo com a gravidade dos seus sintomas.

Em alguns casos, o médico pode receitar anti-histamínicos para controlar sintomas de exposição acidental à lactose.

A anafilaxia, que é o sintoma mais grave da alergia a lactose, geralmente ocorre quando a pessoa não sabe que é alérgica ao açúcar do leite ou ingere lactose de forma acidental. Nesses casos, o médico provavelmente irá aplicar uma injeção de epinefrina para retardar ou interromper a reação alérgica.

Apesar desses recursos como os anti-histamínicos e as injeções de epinefrina, o ideal é realmente cortar a lactose da sua alimentação.

O que evitar

É possível viver bem com alergia à lactose tomando alguns cuidados simples. É essencial evitar o uso de alimentos e bebidas lácteas. Hoje em dia, temos diversas opções no mercado de produtos isentos de lactose. Basta ler os rótulos com cuidado ou ir em uma loja especializada no assunto.

Além dos alimentos comuns que contêm lactose, como leite e derivados como queijos e manteigas, também é preciso evitar alguns produtos como conservas de atum, bebidas energéticas e algumas gomas de mascar, que podem conter lactose em sua composição.

A seguir, preparamos uma pequena lista com os principais alimentos que devem ser evitados por quem tem alergia a lactose:

  • Manteiga ou margarina;
  • Queijo;
  • Quindim;
  • Leite;
  • Iogurte;
  • Sorvete;
  • Pudim;
  • Pães;
  • Molhos brancos;
  • Chocolate;
  • Cereais;
  • Bolos;
  • Bolachas;
  • Purê de batata;
  • Molhos de salada;
  • Carnes ou peixes enlatados.

Alguns dos alimentos listados acima podem ter versões sem lactose. Sempre confira o rótulo para ter certeza de que o produto que comprando é livre de lactose para evitar problemas.

Não é recomendado ingerir produtos que contêm quantidade reduzida de lactose, já que mesmo uma quantidade menor é capaz de gerar reações alérgicas.

Alergia a lactose tem cura?

Ainda não há uma cura para alergia a lactose. Porém, algumas pessoas podem ter uma diminuição dos sintomas conforme vão envelhecendo, pois o sistema imunológico acaba tendo menor probabilidade de reagir ao leite.

Alguns estudos científicos vêm sendo desenvolvidos para testar a imunoterapia como uma possível cura para a alergia a lactose. Nesses estudos, os pacientes recebem pequenas quantidades de produtos contendo lactose em doses gradualmente crescentes para tentar alterar a resposta do sistema imunológico em relação à lactose.

Atualmente, existem vários substitutos do leite disponíveis isentos de lactose, como o leite de arroz, leite de coco, leite de soja, leite de cânhamo e leite de nozes, por exemplo. Também são facilmente encontrados produtos de origem láctea sem lactose como iogurtes, sorvetes e até queijos.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já foi diagnosticado com alergia a lactose? Que sintomas foram sentidos assim que descobriu? O que seu médico recomendou como tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (7 votos, média: 3,43 de 5)
Loading...

6 comentários em “Alergia a Lactose – Sintomas, O Que Evitar e Como Tratar”

  1. OI Melissa descobri agora com.45 anos minha alergia a lactose. Sera q vc poderia me dar mais informacoes sobre esse tratamento da alergia q vc fez. No meu caso nao é intolerancia, mas sim.alergia com edemas e urticarias nos labios orelha e corpo inteiro. É bem grave!! Mas eu adoro tudo q contem leite e esta sendo bem dificil me acostumar c a retricao. Vc poderia m3 dizer onde posso encontrar esse tratamento?? Algum hospital ou medico em SP?? Obrigada.

  2. Fui diagnosticada com intolerante a lactose e alergia a leite..Fiz 7 exames ate chegar o resultado,tinha muita diarreia,fechava minha garganta ficava muito mal..É muito difícil você conseguir entender o porque depois de adulto acontecer isso e ainda mais eu sendo confeiteira.
    Mas estou tentando me adaptar aos poucos,mesmo eu tomando remédios para lactose não e suficiente por causa da alergia,o certo é fazer a dieta e não comer nada derivados de leite!

  3. Fui informada que a intolerancia a lactose provoca problemas respiratórios mas, segundo essa pesquisa, o que provoca é a alergia a lactose. obrigada.
    Ilda

  4. A imunoterapia citada na matéria já existe há 35 anos. É feita com uma vacina aplicada no braço semanalmente. Tenho 40 anos e fiz dos 5 aos 11. Ainda estava em fase de testes e fui uma das primeiras crianças a fazer esse tratamento. A lactose me dava alergia de pele, muito intensa, e, após o tratamento, nunca mais tive alergia. Tomo leite todo dia, como muitos derivados e não tenho nada. Considero, portanto, que existe cura sim. Mas a matéria lembrou bem: eu tinha alergia, não intolerância.

  5. Sou alergica a leite e só descobri na fase adulta, porque sempre estava doente com muita fraqueza, dores rinites e problemas gastrointestinais, mas nós exames de laboratório, não foi diagnosticado, só em um médico ortomolecular, depois q tirei o leite da minha alimentação voltei a estar bem, é sempre q ingiro algum alimento com leite tenho muitos sintomas, logo me arrependo.

Deixe um comentário