Como a Meditação Pode Fortalecer seu Sistema Imunológico

Especialista:
atualizado em 25/05/2020

Você provavelmente já deve ter ouvido falar que uma dieta balanceada e saudável, a prática de exercícios e até da qualidade do sono são aspectos importantes para a imunidade. Mas de acordo com o reumatologista e imunologista clínico Leonard Calabrese, atingir uma nível ideal de saúde mental também é algo bem poderoso em termos de saúde imunológica.

Inclusive para o momento de pandemia do novo coronavírus que vivemos atualmente, saber como preservar a sua saúde mental durante a quarentena é essencial para ajudar no fortalecimento da imunidade.

Em artigo para a Cleveland Clinic, centro médico acadêmico americano, Calabrese explicou que a base dessa ideia é que o cérebro está intimamente conectado a cada órgão do corpo, especialmente o sistema imunológico.

“Às vezes, os nossos pensamentos são manifestados em outros órgãos, como quando temos aquela sensação estranha no estômago de que algo ruim está prestes a acontecer”, completou o reumatologista.

Os efeitos do estresse na saúde imunológica

De acordo com o imunologista clínico, enfraquecer o sistema imunológico é uma péssima ideia porque pode resultar em um aumento da inflamação corporal. Por sua vez, a inflamação corporal faz crescer as chances de uma série de doenças e deixa o organismo vulnerável a infecções comuns, alertou Calabrese.

Para entender como o estresse atua neste sentido, é necessário conhecer os dois tipos de estresse: o agudo e o crônico. “O estresse na sua forma aguda, chamado de reação de lutar ou fugir, é bom. Os nossos ancestrais aprenderem isso quando ameaçados por tigres de dente de sabre. Estresse em um nível crônico não é bom e, ao longo do tempo, pode derrubar a nossa saúde imunológica”, afirmou o reumatologista.

Segundo o PhD em fisiologia Andrew Goliszek, o estresse contínuo torna o organismo mais suscetível a doenças porque resulta no envio de sinais de defesa do cérebro para o sistema endócrino, que libera uma série hormônios que preparam a pessoa para situações de emergência e, ao mesmo tempo, reduz o sistema imunológico.

O estresse está muito associado ao hormônio cortisol – conforme Goliszek, o estresse inunda o organismo de cortisol. Não é à toa que ele é conhecido como o hormônio do estresse. Em surtos curtos, o cortisol pode estimular o sistema imunológico ao limitar a inflamação, informou a Cleveland Clinic.

O problema é que, com o passar do tempo, o organismo pode se acostumar a ter muito cortisol no sangue, algo que abre as portas para mais inflamação. Como se não bastasse, o estresse diminui os linfócitos do corpo, que são os glóbulos brancos que ajudam a combater infecções, apontou o centro médico acadêmico americano. Quanto mais baixo for o nível de linfócitos, maior será o risco de ser contaminado por vírus, completou a instituição.

Além disso, níveis elevados de estresse podem levar à ansiedade e depressão, gerando níveis ainda mais elevados de inflamação, acrescentou a Cleveland Clinic. De acordo com o centro médico acadêmico americano, em longo prazo ter continuamente níveis altos de inflamação indicam um sistema imunológico exausto e excessivamente fatigado, que não dá conta de trabalhar apropriadamente para proteger o organismo.

Uma abordagem de mente e corpo para treinar o sistema imunológico através da redução do estresse

Uma vez que o estresse exerce tamanha influência em relação ao sistema imunológico e à saúde física, é bem importante encontrar maneiras de controlá-lo. “Existem muitas evidências que treinar o sistema imunológico através da redução do estresse pode ser feito por meio da prática que alguns chamam de medicina mente-corpo”, afirmou Calabrese.

Segundo o imunologista clínico, ela abrange técnicas que quando praticados ao longo do tempo oferecem efeitos relaxantes para a mente e o espírito, mas também promovem efeitos anti-inflamatórios. “Eu alerto, entretanto, que embora não seja uma alegação ‘muito boa para ser verdade’, isso demanda empenho e trabalho duro para ser conquistado. Mas está ao alcance de todos nós”, afirmou o reumatologista.

Calabrese explicou que essas práticas foram classificadas em duas categorias: a ascendente, que enfatiza um componente físico proeminente, como a ioga ou o Tai Chi, e a descendente, que está centrada em práticas de mindfulness como a meditação.

É aí que entra a questão do mindfulness (atenção plena), técnica de meditação que envolve focar-se no momento presente, prestando atenção na respiração ou nas sensações do corpo, para diminuir sensações negativas como estresse e ansiedade, conforme definiu a Sociedade Brasileira de Coaching (SBCoaching).

As técnicas de mindfulness como meditação vêm em muitas formas e tipos de práticas e podem ser feitas em curto prazo ou ao longo da vida. Existe evidência de que um único dia de treinamento mindfulness pode ter um efeito tangível na maneira que os nossos genes são ativados e desativados.

Entretanto, Calabrese deixou um importante alerta: mesmo que ao longo do tempo a meditação possa acalmar e ajudar a atingir o objetivo de melhorar a saúde imunológica, é necessário tomar cuidado com as alegações falsas exageradas a respeito da meditação. “Não é uma solução tão simples”, advertiu Calabrese.

Além disso, precisamos ressaltar que a meditação e outras técnicas da medicina mente-corpo não estão sendo promovidas como as ferramentas milagrosas para fortalecer a imunidade, que excluem a necessidade de outros esforços. São técnicas que podem ser úteis, porém sozinhas elas não dão conta de cuidar da imunidade, até porque o estresse não é o único fator que enfraquece o sistema imunológico.

Não vai adiantar muita coisa aderir a elas se não forem adotados outros hábitos de estilo de vida importantes para a saúde do sistema imunológico, como ter uma dieta saudável com alimentos que aumentam a imunidade, praticar exercícios físicos com frequência, não fumar, limitar a ingestão de bebidas alcoólicas e dormir bem. Aprenda mais a respeito de como fortalecer o sistema imunológico.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já experimentou praticar meditação? Pretende fazer isso agora que sabe a ligação com o sistema imunológico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário