Diástase Abdominal – O Que é, Tratamento, Exercícios e Cirurgia

Condição que se caracteriza pelo afastamento de determinados músculos abdominais, a diástase abdominal pode atingir até 30% das mulheres no pós-parto.

Apesar desses números, no entanto, veremos a seguir que não são apenas as gestantes que sofrem com a doença que, se não tratada, pode causar de problemas estéticos a dores nas costas.

O que é?

Conhecida como diástase do músculo reto abdominal ou então diástase abdominal pós gravidez, a diástase se apresenta na forma de um estiramento causado pelo enfraquecimento da musculatura abdominal.

Durante a gestação, o útero em expansão provoca um alongamento dos músculos abdominais, o que pode causar uma separação das duas bandas musculares que se encontram na região central do abdômen. No local onde os dois músculos se separaram pode passar a haver um abaulamento – ou uma espécie de “espaço” onde a barriga se torna mais protuberante.

De maneira simplificada, é como se houvesse uma linha mais funda entre os seios e o umbigo que separasse o abdômen verticalmente em dois.

Em geral, a diástase tem início ainda durante a gestação, embora seja mais notável imediatamente após o parto. E apesar da separação entre os músculos começar a diminuir nos meses que se seguem ao nascimento do bebê, alguns centímetros de separação podem ainda estar presentes por muito mais tempo.

Causas

Uma das principais causas da diástase abdominal é a falta de fortalecimento dos músculos abdominais. E muito embora a gravidez seja um dos principais fatores de risco associados à diástase abdominal, a condição também pode ser causada por exercício abdominal intenso, rápido ganho de peso e levantamento excessivo de peso.

Outros fatores de risco para a diástase abdominal:

  • Múltiplas gestações;
  • Idade superior a 35 anos;
  • Já ter dado à luz a um bebê com peso acima da média;
  • Gestação de gêmeos.

Sintomas

Os sintomas da diástase abdominal mais frequentes costumam ser dores na região lombar e nas nádegas e o surgimento de uma protuberância no meio do abdômen quando se faz algum tipo de esforço (como ao tossir, sentar ou levantar).

Diagnóstico

Para saber se você tem diástase, deite no chão e flexione o tronco levemente até ficar em um ângulo de 45 graus. Quando estiver nessa posição, passe a mão sobre o abdômen e verifique a presença de um pequeno espaço separando os dois lados da musculatura abdominal.

Um espaçamento de um a dois dedos pode ser considerado normal e muito provavelmente retornará ao padrão pré-gravidez com alguns exercícios específicos. Já uma distância de 3 a 4 dedos entre os músculos pode ser indicativa de diástase abdominal mais severa, situação que irá necessitar de uma atenção especial.

O vídeo abaixo (em inglês) dá dicas de como fazer o autodiagnóstico da diástase abdominal pós-gravidez.

Embora ao medir o tamanho do espaçamento entre a musculatura abdominal você possa ter uma noção da gravidade do quadro, apenas um médico poderá de fato dar o diagnóstico final da sua condição através de um ultrassom ou tomografia.

Vale lembrar que, como o corpo necessita de um certo tempo para retornar ao normal após o parto, recomenda-se fazer o teste acima somente seis meses após o nascimento do bebê.

Tratamento

O tratamento da diástase abdominal irá depender da severidade da condição. Nas situações de uma diástase leve – de até 2 dedos de espaçamento – é possível reverter o quadro com exercícios de fortalecimento feitos em casa ou procedimentos estéticos menos complexos, como a drenagem linfática, a carboxiterapia ou mesmo a tradicional acupuntura.

A drenagem linfática pode ser bastante útil para a mulher que está tentando recuperar a forma no pós-parto, pois ajuda a reduzir a retenção de líquidos e diminui o aspecto inchado da região abdominal.

Já para as situações em que o músculo encontra-se amplamente dividido, a opção pode ser o tratamento cirúrgico para realinhar a musculatura. Confira abaixo como funcionam os exercícios e a cirurgia para a diástase abdominal.

Exercícios

Um dos mitos mais comuns sobre a diástase abdominal é que ela não tem cura em nenhuma situação. Na verdade, não somente é possível minimizar o risco da doença como também existem maneiras de diminuir o espaço entre os músculos abdominais através de exercícios localizados (nos casos de diástase mais severa os exercícios podem atenuar, mas não revertem o quadro).

O fortalecimento do músculo abdominal mais profundo, conhecido como músculo transverso do abdômen, pode ajudar a prevenir a diástase abdominal e também diminuir o espaçamento entre os músculos.

Veja alguns exercícios para prevenir e tratar a diástase abdominal:

1. Fortalecimento Pélvico (exercício de Kegel)

how-diastasis-works-4

  • Deite com as costas em um colchonete no chão e flexione os joelhos;
  • Coloque as mãos espalmadas no chão e eleve a pelve, mantendo os pés e a cabeça no chão;
  • Retorne à posição inicial e repita o movimento;
  • Mantenha os músculos da região vaginal contraídos durante o exercício;
  • Faça pelo menos 50 repetições por dia.

2. Rotação Invertida de Tronco

how-diastasis-works-5

  • Deite com as costas no chão, estique os braços nas laterais e eleve as pernas a 900 do chão (como na figura 1 acima). Flexione os joelhos de maneira suave, sem movimentos bruscos;
  • Traga as duas pernas para o lado direito do corpo, tocando o chão com a parte externa do pé direito;
  • Volte novamente à posição inicial, alternando os lados durante as repetições;
  • Durante todo o exercício lembre-se de manter os braços e o ombro no chão;
  • Comece com 5 repetições diárias e vá aumentando à medida que seu condicionamento progredir e você estiver se sentido mais confortável com os exercícios.

3. Sentado Invertido

como-funcionam-os-exercicios-de-kegel1-1024x682

  • Deite-se com as costas no chão;
  • Flexione os joelhos e mantenha os braços esticados nas laterais do corpo;
  • Ainda com os joelhos flexionados, eleve as pernas até que os joelhos estejam acima do nível do peito;
  • Eleve os glúteos em direção à cabeça, sempre mantendo os ombros sobre o chão;
  • Faça pelo menos 5 repetições diárias;

Outros exercícios 

Os vídeos abaixo trazem outros exemplos de exercícios para a diástase abdominal que podem ser feitos antes, durante e a após a gestação:

1. Prevenção

Clique para ver o vídeo

2. Compressão abdominal

Clique para ver o vídeo

3. Compressão abdominal com elevação da pelve

Clique para ver o vídeo

4. Rolagem do tronco

Clique para ver o vídeo

Cirurgia

carros

A cirurgia deve ser considerada somente como o último recurso para o tratamento da diástase abdominal, pois é um processo invasivo que necessita de anestesia e pode assim trazer riscos à paciente.

A técnica mais comum para a cirurgia de diástase abdominal consiste em uma incisão na porção inferior do abdômen, que promove o descolamento do tecido até a altura do umbigo – ou, em casos específicos, até um pouco acima.

Em seguida ao corte, o cirurgião plástico irá fazer uma reaproximação dos músculos retoabdominais, que serão fixados por uma pele que recobre a musculatura abdominal de maneira semelhante à uma cinta.

Durante o procedimento também é possível diminuir o volume do abdômen e redefinir a cintura, graças à realização da abdominoplastia associada à cirurgia de diástase abdominal.

O tempo de recuperação da cirurgia é bastante individual e irá depender do grau de diástase e do potencial de cicatrização de cada organismo, mas no geral são necessários alguns meses para que o corpo volte à sua forma pré-gestação.

Prevenção

Apesar de não ser possível evitar a diástase abdominal em 100% dos casos, um dos melhores tratamentos para a condição ainda é a prevenção.

Exercícios moderados que fortaleçam os músculos reto abdominais e um cuidado maior com a nutrição (a fim de evitar o excesso de peso) durante a gestação podem ajudar a minimizar os riscos do surgimento do problema.

Evitar a prática de exercícios de alta intensidade e deixar um intervalo de pelo menos dois anos entre as gestações também pode ajudar a diminuir o risco do surgimento da diástase abdominal.

Dicas

  • Não tenha pressa de voltar à forma pré-gestação. O corpo necessita de tempo para normalizar a produção de hormônios e durante a amamentação fazer exercícios pesados ou então entrar em dieta pode colocar a saúde em risco;
  • Ainda que já tenham se passado vários meses após o parto, evite fazer atividade física de alta intensidade. Dê preferência para exercícios leves de fortalecimento, que utilizem o peso do próprio corpo;
  • Tenha como finalidade fortalecer e estabilizar os músculos reto-abdominais, para que o restante da musculatura abdominal fique alinhada e possa trabalhar de maneira adequada;
  • Evite os exercícios abdominais convencionais, sobretudo aqueles que exigem rotação de tronco e quadril, pois eles poderão agravar ainda mais o quadro de diástase abdominal pós gravidez. Opte por atividades mais leves, como a natação e a caminhada, que ajudam a fortalecer a musculatura sem colocar o abdômen sob pressão;
  • Outra dica para prevenir a diástase abdominal é tomar cuidado com a postura durante a gestação. Apesar dos desconfortos da gravidez, mantenha uma postura firme e tente prestar atenção à maneira como anda, senta e se deita;
  • Algumas posturas da yoga, como “cachorro olhando para cima” (urdhva-mukha-svanasana), “gato-vaca (Gomukhasana) e “cobra” (bhujangasana) podem causar um distensão excessiva do abdômen e devem ser evitadas por quem tem diástase abdominal;
  • Ao tossir ou realizar outra tarefa que exija grande esforço da musculatura abdominal, coloque a mão sobre a barriga e pressione levemente a musculatura para evitar que o abdômen se expanda;
  • Embora não existam estudos que comprovem sua eficácia, uma cinta abdominal poderá ajudá-la a diminuir os ricos de diástase durante a gestação e também melhorar a recuperação muscular no pós-parto;
  • Converse com seu médico sobre sua alimentação durante e após a gestação para prevenir o ganho excessivo de peso e facilitar a eliminação dos quilos extras da gravidez;
  • Antes de se submeter à cirurgia para correção da diástase abdominal, procure profissionais certificados e com boas recomendações. Sempre que possível, recorra à opinião de pelo menos dois profissionais distintos antes de se comprometer a fazer um procedimento invasivo e com riscos à saúde.

Referências adicionais:

Você sofre de diástase abdominal pós-gravidez? Como descobriu essa condição? Como tentou fazer o seu tratamento? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (82 votos, média: 3,56 de 5)
Loading...

30 comentários em “Diástase Abdominal – O Que é, Tratamento, Exercícios e Cirurgia”

  1. Eu tenho Diastase, queria saber se não fizer o tratamento oq acontece. E tbm se tem exercício q eu possa fazer em casa…

  2. Bom dia! Tenho 31 anos e uma filha de 6 anos, quando estava grávida descobri que tinha Diastase abdominal e hérnia umbilical, após o parto tive 3 crises de dor por conta da Hérnia aí fiz a cirurgia…Mas a Diastase não fiz nada, usava somente uma cinta, voltei a malhar e fazia abdominal todos os dias e não obtive melhoras 🙁 . Atualmente não faço musculação somente funcional e vou fazer pilates, pois pesquisei e vi que ajuda a fortalecer os músculos do abdômen. Estou só fazendo um comentário sobre meu problema caso seja parecido com o de alguém pra compartilharmos nossos tratamentos e resultados.

    • Renata entra nesse perfil da gesele monteiro ela.é personal gestante especializada em diastase https://instagram.com/gizelemonteiro?utm_source=ig_profile_share&igshid=x7hg1kubnrtk

  3. Olá pessoal meu nome é Aryane tenho 33 anos e 5 filhos …minha filha mais velha tem.18 anos e meu caçula tem 1 ano e 11 meses..as três primeiras gestações minha foi tranquila depois que ganhei os bebés voltei o corpo rapidinho mais na quarta gestação botei rápidoso que fiquei com um pouquinho de barriga mais era uma barriga diferente e bem pequena não me incomodava em nada agora do meu último filho comsegui voltar no peso que tava antes de engravidar só que a barriguinha continua agora um pouco maior, só que não é uma barriga caída ela é um pouco alta e nesta última gestação sentir na gravidez inteira muita dor nas costas e muita perca urinária..só que mesmo depois de 1 ano e 11 meses continuo com muita dor nas costas..por isso comecei a pesquisar por vários assuntos na internet e comecei a fazer pompoarismo..
    E algumas exercicios físicos pra vê se perdia a barriga mesmo eu fazem exercicios e minha alimentação sempre foi ótima porque não gosto de porcariada nem de frituras nem de lanches essas coisas..eu gosto e de verduras..legumes …peixes ..frangos..frutas …ovos …e do mesmo jeito perdi celulite emagreci mais só mesmo veste a barriga continuava…aí fui de novo pesquisar e descobrir que tenho Diastase fiz como explicaram e tenho na região do umbigo três dedo de largura e 3 dedos de cumprimento e comecei a dois dias a fazer exercicios de compressão e também o de assoalho pélvico..depois volto e conto pra Vocês se deu resultado
    E mais ou mesmo 4 semanas pra ver resultado até mais

  4. Pessoal, procura por Giselle Monteiro no youtube, ela é especialista e trata da diástase de vários tipos. ela tem um programa que trata. Não passem por cirurgia antes de verificar com ela!

  5. Eu tenho e morro de vergonha da minha barriga por isso nao gosto nem de ficar olhando no espelho desde novinha tenho o sonho de fazer a cirurgia mas nao tenho condicoes ja escrevi para varios programas mas nao tive resposta?

  6. Já fiz a cirurgia de sbdominoplsstia pra corrigir minha diástase , mas depois de 15 anos descobri que continuo com a diástase , será que pode dar novamente ou foi uma cirurgia mal frita e será que posso fazer novamente. Obrigada

    • Olá
      Aconteceu comigo fiz abdome correção não só da diástase pela estética tbm, 1 ano e meio sinto uma dor muito forte na barriga de desmaiar depois disso percebi que estou com a diástase novamente. Procurei o meu médico disse estar normal que não tem nada , que diástase não se olha deitada e sim em pé que era coisa da minha cabeça. Hoje faço academia e hit pra recuperar isso!
      Acredito que algo deu errado sim!

  7. Eu descobri que sofro deste mal e a gravidade porque a minha já está em mais de 4 dedos uma hernia umbilical tudo após a segunda gestação, minha luta é porque apesar de ter indicação cirúrgica e sentir muitas dores tenho um problema de coagulação sanguínea hiper fibrinólise e percebo bastante resistência médica em fazer a cirurgia, consegui ontem uma carta de encaminhamento para um especialista da Unicamp pra ver se realizam a cirurgia. Porque já se vão 2 anos e 6 meses de dores, e até mudança no habito intestinal.

  8. Boa tarde,

    Fiz abdominoplastia em dezembro/17 e amarrou o músculo porque tinha diástase, já tem 8 meses de cirurgia e sinto dores quando faço abdominal, será que está normal?

  9. Fiz uma cirurgia apendicite negro dada e tenho uma bola do lado direito abaixo umbigo já fiz ressonância, ultra-som e comprovou diastase, cinto dores quando estou com a bexiga cheia, quando faço esforço.
    E caso cirúrgico segundo medico e estético, mas é as dores?

    Desde já meus agradecimentos
    Aguardo retorno

  10. Fiz o exame de ultrassom e descobri q minha diástase é de 7cm será q foi causada por ter tido um bebê de 4kg. Não sei oq fazer. Será q tem algum tratamento estético para amenizar. Oi é só cirúrgico.???

  11. Boa noite! Na verdade, tenho uma pergunta. Tive uma bebê, quando a outra ainda estava com 1 ano e 4 meses, há nove meses, e verifiquei que tenho diastase abdominal e acho que não é a mais simples. Qual medico devo procurar?

    • Primeiramente, consulte o médico responsável pelo seu parto. Ele pode indicar o melhor para você procurar em seguida.

  12. Fix uma bateria de exames para realização de um procedimento cirúrgico (abdominoplastia e silicone) é na ultra foi diagnosticado “planos musculares preservados, exceto pela presença de diastese dos músculos abdominais, em região epigastrica “.
    Será que poderei realizar as cirurgias?

  13. Bom dia, tive gestação de gêneros e fiquei com esta protuberancia, qual médico devo procurar, outra coisa ouvi dizer que o SUS faz esta cirurgia é verdade?

  14. Drenagem, carbox e acupuntura? Não faz o menor sentido esses tratamentos para diástase. O correto seria corrente russa ou corrente aussie.

  15. Oi, tive o segundo bb há 1 ano e 3 meses e descobri que tenho diastase pq pedi para o médico fazer uma ecografia. Sinto meu abdomen inchado, mas não tenho dor. Meu filho nasceu com 4300kg, tenho 40 anos e por isso a separacao dos musculos foi grande.

    Faço drenagem e continuo malhando para perder mais 5 kg que me faltam, quando alcançar meu objetivo retornarei para fazer o exame e ver se melhorou. Com certeza vou fazer os exercicios recomendados aqui.

    Mas nao fugirei da cirurgia, pois fiquei também com uma hernia no umbigo. Penso em fazer junto a abdomenplastia. Já que é inevitavel o procedimento…

  16. Olá boa tarde eu tenho aquele problema de barriga avental eu pesava107 kls hj estou com (97) e pra mim fazer a cirurgia eu preciso estar com quantos quilos pra mim fazer cirurgia muito obrigado

  17. Oi bom dia, estive lendo o artigo descobri que também tenho diástase. Minha última gravidez foi a 5 anos e a minha barriga cresceu muito, parecia de gêmeos… Fiz uma Dieta para emagrecer só q a barriga não diminuía a saliência, fiz o teste ontem. Será q consigo voltar a musculatura da barriga acho que tem uns 3 a 4 dedos de espessamento? Desde já agradeço. Abraços

  18. Oi, faz cinco anos a minha última gravidez e pelo teste que vocês colocaram aqui eu tenho diastase, mesmo agora será que eu consigo reverter o quadro? Pelo teste a minha é a mais simples.

  19. Bom dia olha eu diástase sei pq fiz uma cirurgia de hérnia vai fazer um ano próximo mês e já voltou ,e outra na hora da cirurgia escutei o médico falar q eu tenho afastamento dos músculos do abdome e um oco grande na barriga então foi aí q descobrir q tenho diástase ,tive duas gravidez ,da última filha vai fazer três anos em novembro ,sinto dor no abdômen .isso me incomoda pois o esseco de pele ,n gosto de me olhar no espelho.

  20. Bom dia,

    Somente mulheres que passaram pela gestação podem apresentar a diástase? Tenho curiosidade porque sou excessivamente magra e tenho uma protuberância no abdômen igual ao desenho. Quando deito e levanto as pernas, a mesma sobressai. Gostaria de saber se pode ser este problema.
    Agradeço já a resposta.

    • Poxa, tenho o mesmo problema… a barriga inchada e é até durinha, mais baixa… parece até início de gravidez, já noto isso tem uns 4 anos… sou magra e quase não tenho gordura abdominal, já conseguiu descobrir o que é?

Deixe um comentário