7 exames que confirmam a menopausa em caso de suspeitas

Especialista da área:
atualizado em 08/06/2022

A menopausa é muitas vezes um momento temido e difícil para muitas mulheres, já que uma vez que ela aparece, representa o fim do período reprodutivo e fértil para a mulher, anunciando a entrada em uma nova fase da vida.

Por estar tão carregada de significâncias culturais e simbólicas, a menopausa fica parecendo um mal maior do que realmente é. Na verdade, atualmente a medicina já conta com diversos tratamentos hormonais que regulam os sintomas negativos trazidos com o interrompimento da menstruação.

  Continua Depois da Publicidade  

Hoje em dia, com a evolução da ciência, é inclusive possível seguir com uma vida sexual ativa mesmo depois de entrar na menopausa.

Se você suspeita que está entrando nessa fase da vida, confira a seguir os principais exames que confirmam a menopausa e já fique por dentro dos cuidados para tomar.

O que é a menopausa?

Menopausa
A menopausa é um processo natural do envelhecimento feminino

A menopausa se caracteriza como um declínio natural dos hormônios reprodutivos da mulher, quando ela atinge uma certa idade, tendo os primeiros sinais a partir dos 40 ou 50 anos, e o momento de culminância se dando após 12 meses desde a última menstruação. 

Os sintomas mais comuns que vem junto com a interrupção da produção de estrogênio incluem ondas de calor, sudorese noturna, distúrbios do sono, falta de libido e secura vaginal.

A lista de sintomas que você deve acabar percebendo sozinha caso tenha entrado na menopausa são:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Insônia
  • Diminuição da libido
  • Redução da lubrificação vaginal
  • Irritabilidade e alterações de humor
  • Depressão
  • Dor nos seios, cabeça e articulações
  • Ansiedade
  • Fadiga
  • Ganho de peso
  • Fragilidade dos ossos

Por se tratar de um processo natural, existe uma série de tratamentos para a menopausa que visam o alívio dos sintomas. A secura vaginal, por exemplo, pode ser tratada com lubrificantes tópicos ou estrogênios, e alguns medicamentos podem reduzir a gravidade e a frequência das ondas de calor. Muitas vezes também, uma terapia hormonal oral pode ser prescrita.

Além do tratamento medicinal, a menopausa também requer muitas vezes um acompanhamento psicológico para ajudar a lidar com os sintomas e as mudanças no corpo.

Os exames necessários para diagnosticar e acompanhar a menopausa

Exame de sangue
Há uma série de exames que podem ajudar a confirmar a menopausa

Para diagnosticar com precisão a menopausa, existem exames específicos que avaliam os principais hormônios femininos, além da saúde dos ossos e do funcionamento dos órgãos em geral. 

Além de precisarem o aparecimento da condição no corpo feminino, esses exames também são essenciais para a manutenção da saúde da mulher durante essa fase específica.

Somente a partir de análises clínicas específicas é que um médico especialista consegue prescrever o tratamento adequado. Veja, a seguir, os principais exames que devem ser realizados.

1. FSH

Esse é um exame feito com base em amostras de sangue. O FSH é o chamado “Hormônio Folículo-Estimulante”, e ele tem como principal função estimular a maturação dos óvulos no período fértil. Os valores encontrados desse hormônio no sangue variam de acordo com o ciclo menstrual e idade da mulher.

  Continua Depois da Publicidade  

Quando eles se encontram elevados, significa uma diminuição na função dos ovários, indicando que a fertilidade está reduzida, podendo corresponder com a entrada da menopausa.

2. LH

Assim como o FSH, o LH (Hormônio Luteinizante) é responsável pela ovulação e produção de progesterona. Seus valores podem variar de acordo com a fase do ciclo menstrual, e assim como o anterior, quando se encontram em níveis altos no sangue, podem indicar a menopausa.

3. Cortisol

O cortisol é um hormônio produzido pelo organismo com o objetivo de ajudar na diminuição da inflamação e no controle do estresse. Quando se encontra em altas concentrações no sangue pode provocar diversos sintomas na saúde, incluindo mudanças no ciclo menstrual.

Esse exame pode ser solicitado também para avaliar se a elevação do cortisol é sinal de menopausa ou consequência de outros problemas que envolvem alterações nos níveis desse hormônio.

4. Outros exames de sangue

Além dos anteriores, outros fatores que indicam menopausa podem ser solicitados pelo médico, entre eles o medidor de AMH (Hormônio Antimülleriano) por exemplo, que costuma ser útil para mulheres com sintomas de perimenopausa, uma fase anterior ao interrompimento total da menstruação e que também apresenta impactos na saúde.

A menopausa precoce leva a um maior risco de osteoporose e fraturas, já que quando cessa a produção de certos hormônios no corpo, os ossos podem se fragilizar, assim como outras partes do corpo.

  Continua Depois da Publicidade  

Doenças cardíacas, problemas cognitivos, perda de libido, alterações vaginais e mudanças no humor são fatores que podem ter graves consequências na saúde. E portanto, é bom sempre fazer um acompanhamento com um endocrinologista, além de outros profissionais da saúde com outros exames de rotina para administrar a menopausa:

  • Hemograma completo  (para verificar se há um quadro de anemia)
  • Níveis de glicose (açúcar) no sangue
  • Perfil lipídico
  • Provas de função hepática (do fígado)
  • Níveis de colesterol
  • Nível de eletrólitos séricos para verificar se há comprometimento renal
  • Testes de função tireoidiana, que é a glândula responsável por alguns processos metabólicos
  • Testes de função renal, como exame da urina, ureia e creatinina no sangue.

5. Ultrassonografia pélvica

A ultrassonografia pélvica é um exame não invasivo e fundamental para avaliar as estruturas pélvicas. A região pélvica abriga os órgãos reprodutivos da mulher, que são as áreas de foco afetadas na menopausa.

Esse exame é feito com o auxílio de um dispositivo que emite ondas sonoras que geram imagens que serão transmitidas a uma tela, e depois impressas para visualização e diagnóstico do médico.

A ultrassonografia pélvica é um procedimento essencial na vida das mulheres não só que entram no período da menopausa, já que está presente no diagnóstico de diversas condições femininas de saúde.

6. Ultrassonografia mamária

A ultrassonografia mamária não é um exame que detecta menopausa, mas deve ser feito por mulheres nessa fase, já que o risco de desenvolver câncer de mama é maior, sendo um procedimento de rotina imprescindível para as mulheres depois dos 40 anos e também para as que que apresentam um tecido mamário denso.

Esse exame vai avaliar as características de nódulos que possam ter sido identificados nas mamografias, determinando se a sua composição é sólida ou líquida. A composição desses nódulos vai indicar se ele é maligno. O exame também pode ser utilizado para guiar uma punção, que vai determinar a conduta a ser adotada para tal caso.

A mamografia é obrigatória em mulheres acima de 40 anos, pois o ultrassom sozinho não pode detectar microcalcificações que, para alguns casos, são o único sinal da presença de um tumor maligno.

7. Densitometria óssea

Quando a menopausa é confirmada, o médico pode recomendar a realização de uma densitometria óssea. Esse exame é utilizado para diagnosticar a osteoporose (baixa densidade óssea) e osteopenia fase inicial da mesma doença.

A fragilidade óssea é um dos sintomas da menopausa, já que pode ser causada pela interrupção na produção de estrogênio, que é produzido pelos ovários e tem papel importante na vida da mulher, sendo responsável além de outras coisas, pela fixação do cálcio nos ossos.

Os exames que confirmam a menopausa são muito importantes tanto para o diagnóstico quanto para o posterior acompanhamento dessa fase na vida da mulher. Portanto, é fundamental nessa hora contar com o apoio de bons serviços para exames laboratoriais além de um médico especialista que te conheça e possa te acompanhar nesse processo.

Como cuidar da saúde sexual na menopausa

Uma pesquisa divulgada pela Revista Digital da Fapesp sobre os principais fatores que prejudicam a vida sexual das mulheres que entraram na menopausa revela que os principais problemas apontados pelas entrevistadas foram o desconforto e a dor durante a penetração.

Esses problemas, longe de serem incuráveis, são facilmente revertidos com medidas como aplicação de gel lubrificante e boa comunicação entre parceiros. Apontando para o fato de que com orientação médica, o uso de alguns medicamentos ou outros auxiliares, a vida sexual depois da menopausa pode ser ativa, e muitos problemas e queixas são fruto da falta de informações.

Caso você acredite que está entrando na menopausa, o melhor é optar por seguir com alguém que te conhece e esteja disponível para te acompanhar durante todo o processo. Além dos exames e do acompanhamento médico, é importante manter a confiança em si mesma, já que a menopausa não é uma doença, mas uma fase nova na vida que requer adaptações emocionais e psicológicas.

Fontes e referências adicionais

Você sabia da existência desses exames que confirmam menopausa? Já fez algum deles? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...

Sobre Equipe MundoBoaForma

Quando o assunto é saúde, você tem que saber em quem confiar. Sua qualidade de vida e bem-estar devem ser uma prioridade para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada e altamente qualificada, composta por médicos, nutricionistas e profissionais de educação física. Nosso objetivo é garantir a qualidade do conteúdo que publicamos, que é também baseado nas mais confiáveis fontes de informação. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados à saúde, boa forma e qualidade de vida.

Deixe um comentário