Jejum intermitente

Jejum Ocasional Pode Ser uma Solução Rápida para Problemas de Saúde

Muitas pessoas rotineiramente fazem jejum durante algumas horas do dia ou mais, seja por motivos espirituais ou de saúde. Alguns dizem que o jejum limpa as toxinas do corpo. Outros desfrutam de uma consciência espiritual que desperta a fome. A dieta irregular de nossos ancestrais é frequentemente citada como uma base evolucionária para restringir deliberadamente nossa dieta moderna.

Mas todos que adotam o conceito de jejum ocasional podem gostar de algumas descobertas científicas recentes que apóiam a ideia de que o jejum promove a saúde. No ano passado, pesquisadores da Universidade de Ottawa relataram que o jejum intermitente combate a obesidade e os distúrbios metabólicos melhor do que a contagem de calorias. O pesquisador-chefe Kyoung-Han Kim relata:

“Jejum intermitente sem redução na ingestão de calorias pode ser uma abordagem preventiva e terapêutica contra a obesidade e distúrbios metabólicos.”

Os cientistas atribuem suas descobertas a uma mudança nas reações imunológicas nas células adiposas. Com a obesidade e a diabetes (um distúrbio metabólico prevalente) ainda aumentando, essa notícia pode ser bem-vinda para qualquer um que tente manter sua saúde sob controle.

No início deste ano, cientistas que investigaram o valor das dietas em jejum, em comparação com a contagem de calorias, encontraram um resultado surpreendente. Os pesquisadores colocaram a dieta 5:2, em que voluntários humanos comem normalmente por 5 dias e restringem severamente as calorias por 2 dias, contra uma dieta padrão em que os voluntários ingerem 600 calorias a menos por dia do que a quantidade calculada para manter seu peso.

A dieta 5: 2 venceu o embate, com os adeptos cumprindo sua meta de redução de peso de 5% em 59 dias, em comparação com 73 dias para os que contavam calorias. A surpresa surgiu quando os processos metabólicos dos participantes foram estudados após a perda de peso: as pessoas na dieta 5:2 eliminaram as gorduras (triglicerídeos) do sangue após uma refeição mais rapidamente do que o outro grupo.

Também foi encontrada uma redução maior na pressão arterial sistólica dos praticantes de jejum e outras diferenças metabólicas que precisarão de mais estudos.

Nas notícias mais recentes, cientistas do MIT mostraram que o envelhecimento das células-tronco pode ser regenerado pelo jejum. A capacidade de nossos corpos de transformar células-tronco – que são uma espécie de blocos de construção de células globais – em novas células de revestimento intestinal é fundamental para manter nossa saúde. Por causa do ambiente agressivo (pense nisso, as células de revestimento têm que sobreviver em um lugar onde todo o resto está sendo tratado como alimento e dividido em pedaços), nossas células de revestimento intestinal são substituídas a cada 5 dias.

À medida que envelhecemos, a capacidade das células-tronco de se transformar em novas células de revestimento diminui. Uma infecção intestinal ou um ciclo prejudicial de quimioterapia torna-se difícil de recuperar na velhice. Isso faz com que as células-tronco de camundongos em jejum dobrem sua capacidade regenerativa de grande interesse para o tratamento de tais condições em pacientes idosos. Mas também sugere que o jejum pode emprestar valiosos poderes às nossas células nos níveis biológicos mais básicos.

Vale lembrar que se você quiser tentar um jejum e suspeitar de algum problema de saúde, converse com seu médico antes de tentar quaisquer mudanças extremas em seus padrões alimentares.

Você já experimentou praticar o jejum intermitente alguma vez? Teve bons resultados? O que achou das descobertas dessas pesquisas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*