Gases intestinais

O Que Causa Gases e Como Resolver Isso?

Todo mundo em algum momento sofre com gases. Algumas pessoas podem ter mais problemas que outras, mas a verdade é que o excesso de gases sempre se manifesta, seja por meio de arrotos, inchaço ou flatulências.

É normal que o corpo tente se livrar dos gases, mas em excesso eles podem causar situações constrangedoras e indicam que algo pode estar errado.

Segundo o National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney, é comum que uma pessoa saudável libere gases através de arrotos ou flatulências de 13 a 21 vezes por dia, especialmente após as refeições. Porém, ao perceber que os gases estão sendo liberados mais vezes do que esse intervalo considerado normal ou sentir desconfortos e dores, é importante identificar a causa do problema e tratá-lo.

Aqui, você vai descobrir o que causa gases e como resolver isso de forma eficaz.

Gases

Dependendo da nossa alimentação ou de condições de saúde pré-existentes, pode ocorrer um acúmulo de gases no organismo. Esses gases precisam ser eliminados de alguma forma e o nosso organismo usa dois mecanismos principais para se livrar deles: o arroto e a flatulência.

Os arrotos acontecem quando o gás escapa pela boca e a flatulência é o gás intestinal que escapa através do orifício anal. A sensação de inchaço abdominal ocorre quando o gás acumulado não é capaz de sair por nenhum desses canais.

É claro que alguns tipos de alimentos facilitam o acúmulo e a produção de gases intestinais. Mas mesmo com uma alimentação saudável, a formação de gases faz parte do processo normal de digestão.

A flatulência, por exemplo, é uma função biológica importante que permite a liberação de gases intestinais residuais da digestão. Algumas bactérias saudáveis presentes no intestino grosso fermentam os alimentos ingeridos por nós como carboidratos e fibras que não podem ser digeridos pelo intestino delgado. Essa fermentação gera gases que podem ser consumidos pelas próprias bactérias ou expelidos através do famoso “pum”.

Ou seja, o gás é um subproduto natural do processo digestivo. O problema está no excesso deles no organismo.

Principais sinais de acúmulo de gases

Apesar de ser normal produzir e liberar gases, o excesso deles deve ser evitado. Alguns sintomas de que você está com gases acumulados no organismo incluem:

  • Arrotos em excesso;
  • Dor ou cãibra na região abdominal;
  • Sensação de inchaço ou plenitude no abdômen;
  • Aumento do tamanho do abdômen (chamado também de distensão abdominal);
  • Flatulência excessiva.

Quando procurar um médico

Arrotar e soltar flatulências, principalmente após se alimentar, é normal e apesar de ser inconveniente em algumas situações, a liberação de gases raramente é um problema de saúde.

No entanto, se você sentir muita dor abdominal e esse problema estiver atrapalhando a sua produtividade no dia a dia, é hora de procurar ajuda. Além disso, sintomas mais graves podem ser sinais de algo mais sério. Assim, ao observar algum dos sintomas abaixo, não hesite em consultar um médico:

  • Alteração na consistência das fezes;
  • Perda de peso;
  • Mudança na frequência de evacuações;
  • Presença de sangue nas fezes;
  • Dor no peito;
  • Perda de apetite;
  • Constipação ou diarreia;
  • Náusea ou vômito frequentes ou recorrentes;
  • Dor abdominal prolongada.

O que causa gases

Além da alimentação e de dificuldades relacionadas ao processo digestivo, os gases também podem ser causados por outros fatores. Vamos conhecer agora o que causa gases:

1. Ar engolido

Muitos gases são liberados através do arroto. Esse tipo de gás se acumula no organismo devido ao processo de deglutição dos alimentos, em que acabamos engolindo um pouco de ar.

Se em dentro de cerca de 24 horas esse gás não for liberado através do arroto, ele passa por todo o sistema digestivo e sai por meio da flatulência.

Para evitar esse problema, evite usar canudinhos, comer muito rápido, mascar chicletes, chupar balas, falar enquanto mastiga e tomar bebidas gaseificadas. Todos esses hábitos acabam fazendo com que você engula mais ar durante a refeição.

2. Ingestão de determinados alimentos

Os alimentos ricos em fibras são os que mais aumentam a produção de gás. Alguns deles são: leguminosas como ervilha e feijão, legumes, frutas e grãos integrais. Alguns suplementos de fibras também podem causar acúmulo de gás no intestino. Embora causem mais gases, as fibras são indispensáveis para manter o bom funcionamento do trato digestivo e regular os níveis de colesterol e de açúcar sanguíneos.

Os substitutos dos açúcares como os adoçantes artificiais sorbitol, xilitol ou manitol também podem aumentar a quantidade de gás intestinal.

Veja em mais detalhes o motivo de alguns alimentos causarem mais flatulência do que outros.

  • Feijão: O feijão é um dos alimentos que mais causa flatulência. Ele é composto por carboidratos do tipo oligossacarídeos, que são mais difíceis de digerir e acabam sendo processados por bactérias no intestino através de um processo de fermentação que forma gases.
  • Laticínios: Algumas pessoas acumulam mais gases após consumir leite ou derivados lácteos como iogurtes e queijos, por exemplo. Isso pode ser um sinal de intolerância à lactose, situação em que há uma deficiência em uma enzima chamada lactase no corpo, que digere esse açúcar. Devido à impossibilidade de digerir esses alimentos, o corpo acaba acumulando gases e sofrendo outros sintomas como inchaço, náusea, cólicas abdominais e diarreia. Essa é uma condição que precisa ser diagnosticada para que o paciente passe a evitar ingerir alimentos que contenham lactose.
  • Vegetais crucíferos: Esses vegetais são ricos em fibras, carboidratos e enxofre. Exemplos incluem a couve, o brócolis, o couve-flor e o repolho. Eles são mais difíceis de digerir e por isso podem gerar gases no organismo. Além disso, a presença de enxofre em suas composições pode produzir mau cheiro nas flatulências. Uma forma de reduzir o acúmulo de gases causados pelo consumo desses alimentos sem deixar de ingerir seus nutrientes é por meio do cozimento deles, de preferência ao vapor, antes de comer.
  • Alimentos processados: Alguns alimentos altamente processados, como aqueles que são ricos em gorduras e açúcares artificiais, são mais difíceis de digerir, causando gases. O único jeito de consertar esse problema é limitando ou eliminando o consumo de comida processada.

3. Doenças e condições de saúde

Alguns distúrbios que afetam o sistema digestivo podem causar um aumento da dor desencadeada pelos gases. No entanto, algumas condições como a doença celíaca ou a síndrome do intestino irritável podem ser as responsáveis por esses sintomas. As condições médicas que podem aumentar fatores como dor, inchaço e excesso de gases incluem:

  • Doença intestinal crônica: A doença intestinal crônica pode se manifestar através da colite ulcerativa, da diverticulite ou da doença de Crohn. Todas elas são inflamações intestinais em que um dos sintomas observados é o excesso de gases no intestino.
  • Intolerâncias alimentares: Além da intolerância à lactose que já mencionamos, outros tipos de intolerâncias a alimentos específicos podem causar gases em excesso. É o caso por exemplo de intolerância à proteína do leite ou ao glúten, por exemplo.
  • Alterações na microflora: Qualquer tipo de alteração na microflora intestinal pode causar gases além do comum. Quando bactérias que vivem no intestino se proliferam mais do que deveriam em condições normais, uma pessoa pode sentir sintomas como diarreia, perda de peso e excesso de gases.
    Além de poder aumentar a produção de gases, os diferentes tipos de bactérias que estão no nosso organismo também podem afetar várias funções importantes como funções cognitivas, o peso corporal, o humor, o sistema imunológico e os níveis de energia do corpo. Por isso, é importante ter um equilíbrio e ter uma dieta saudável que inclua alguns probióticos para garantir a saúde a flora intestinal.
  • Constipação: A constipação é ainda pior do que a flatulência em excesso. Na constipação, a passagem dos gases é dificultada, o que causa muito desconforto e dores abdominais. Ingerir mais alimentos com fibras pode ajudar, mas as causas da constipação podem ser várias e em alguns casos precisam ser investigadas por um médico.
  • Indigestão: O excesso de gases também pode ser causado por problemas de indigestão, principalmente se o desconforto for sentido logo após as refeições. A indigestão dificulta a quebra dos alimentos em porções menores, o que pode deixar o processo digestivo mais lento e causar o acúmulo de gases e toxinas no organismo.
  • Estresse: Acredite ou não, o estresse também pode ser o que causa gases. O nosso corpo e nossa mente estão conectados. Se um não vai bem, o outro percebe e vice-versa. A ansiedade e o estresse podem acelerar ou retardar a sua digestão, o que aumenta a quantidade de gases intestinais.

4. Outras causas

Em alguns casos, o excesso de gases pode ser um sinal de que algo mais sério está acontecendo com o seu corpo, principalmente se outros sintomas mais graves são observados.

Se esse for o caso, procure um médico para que ele faça um diagnóstico preciso e descubra a fonte do problema, que pode ser uma síndrome do intestino irritável, uma gastroenterite, uma giardíase, um câncer no intestino, dentre outras condições de saúde que precisam ser investigadas e tratadas.

Como resolver isso? 

Como você já sabe, ter gases e liberá-los é normal. No entanto, se você está sofrendo com isso, existem algumas formas de evitar que eles se acumulem em grandes quantidades no organismo.

O primeiro passo é descobrir o que causa gases no seu caso. Se for uma doença, é preciso diagnosticar e tratar a condição de acordo com orientações médicas. Mas se o seu problema for apenas um excesso de gases sem causa específica, é possível reduzir esse acúmulo através de algumas medidas simples.

1. Evite alimentos que causam muitos gases

Essa dica é para aqueles que soltam gases demais. Pode ser que reduzindo o consumo de certos alimentos que causam flatulência e arrotos diminua a retenção de gases no organismo.

Tais alimentos incluem alguns vegetais como brócolis, cebola, repolho, couve-flor, aspargos, alcachofra, e couve e outros alimentos como grãos integrais, feijões, laticínios e algumas frutas como peras, pêssegos, ameixas e maçãs. Esses produtos contêm muitas fibras, açúcares e amidos que não são facilmente digeridos pelo organismo, que já vimos acima que é o que causa gases presos no intestino.

Vale lembrar que a maioria deles são alimentos saudáveis necessários para a nossa saúde e a ideia não é eliminá-los da dieta para sempre, mas apenas reduzir o consumo ou ingerir em porções menores.

Outros alimentos e bebidas que podem ser evitados ou ingeridos em menores quantidades incluem as bebidas gaseificadas e alimentos fritos ou gordurosos. Alguns adoçantes artificiais como o sorbitol também são mais difíceis de digerir e devem ser evitados.

Como cada organismo é diferente; uma boa ideia é manter um diário alimentar para observar o que causa gases em você e ingerir tais alimentos com menos frequência.

2. Tenha bons hábitos alimentares

Beber durante uma refeição não faz bem para o processo digestivo e pode facilitar o acúmulo de gases. Um hábito benéfico é deixar de beber junto com as refeições e deixar para fazer isso em outro momento: ou 30 minutos antes de comer ou 30 minutos depois. Isso porque quando ingerimos líquidos com as refeições, os ácidos estomacais acabam sendo diluídos e não decompões os alimentos da forma correta, prejudicando a digestão e promovendo a formação de gases.

Comer e beber lentamente também é um bom hábito para adotar. Além de ajudar na sensação de saciedade, esse hábito evita que você engula muito ar enquanto come, reduzindo os arrotos e as flatulências.

3. Use suplementos de enzimas digestivas

Algumas pessoas com problemas não frequentes de indigestão podem procurar enzimas digestivas que estão disponíveis como suplementos. Esse tipo de suplemento ajuda na digestão adequada dos alimentos se o seu problema estiver relacionado com a falta de enzimas que auxiliam o processo digestivo.

Suplementos de enzimas digestivas incluem a alfa-galactosidase, que ajuda a digerir os carboidratos, os grãos e alguns vegetais e a lactase, que auxilia na digestão de carboidratos que contêm lactose em sua composição.

Lembre-se, porém, que o uso de qualquer remédio ou suplemento é muito mais seguro sob orientação de um profissional da saúde.

4. Tente usar carvão ativado

O carvão ativado é encontrado em qualquer farmácia. Trata-se de uma substância que não causa nenhum efeito colateral e que contém poros que atuam absorvendo toxinas e gases presentes no organismo. Depois de fazer seu trabalho, o carvão ativado é eliminado nas fezes.

5. Use remédio de venda livre

Não existem muitas evidências clínicas sobre a sua real eficácia, mas medicamentos como a simeticona (Luftal) podem ajudar a quebras as bolhas de gases, facilitando a saída deles. No entanto, ele não ajuda na prevenção do problema.

6. Evite hábitos que façam você engolir ar

Fumar, mascar chicletes, chupar balas e ingerir bebidas com um canudo são alguns exemplos de atividades que podem fazer você engolir ar e acumular mais gases.

7. Pratique exercícios físicos

A atividade física ajuda a reduzir o risco de constipação que, por sua vez, pode prejudicar a liberação de gases intestinais. Assim, o exercício físico ajuda a regular seu processo digestivo, facilitando a saída dos gases e evitando o seu acúmulo. A yoga é uma ótima opção para melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Outras dicas

Alguns tipos de bebidas como vinho tinto e alguns chás de ervas ajudam a evitar a flatulência.

Além disso, usar roupas confortáveis e não muito apertadas facilita a circulação de gases no organismo e alivia o desconforto relacionado ao inchaço abdominal.

Se você tem alguma intolerância alimentar, procure ler os rótulos de todos alimentos que pretende consumir.

Por fim, se as dicas mencionadas nesse artigo não funcionarem, não deixe de consultar um médico se os gases presentes no organismo começarem a te fazer mal, pois isso pode ser um indício de algum problema de saúde que precisa ser tratado. O profissional será capaz de investigar o que causa gases em você e recomendar o melhor tratamento.

Referências adicionais:

Você acredita que tem um excesso de gases no organismo? Já tentou investigar o que causa gases no seu caso? O que foi recomendado? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*