6 Principais Sintomas de Gases

Quem sofre de gases sabe o quanto é constrangedor precisar aliviar o desconforto e não poder porque está rodeado de pessoas. Saiba que você não está sozinho. Faz parte do processo digestivo a produção de gases e há alguns alimentos que podem aumentar ou diminuir a produção deles.

Embora seja desconfortável e desagradável sofrer com gases, é possível tratar o problema facilmente por meio de mudanças simples na dieta e no estilo de vida.

Neste artigo, você vai conhecer os principais sintomas de gases para identificá-los sem erro e encontrar diversas dicas para aliviar o desconforto e tratar a condição.

Gases

O acúmulo de gases intestinais é um problema bastante comum. Na maioria das vezes, o gás aprisionado não é um sinal de nenhum problema de saúde. Ele apenas está ali como resultado do processo digestivo ou por causa de algo mais “pesado” que você comeu.

Geralmente, o acúmulo de gases é reduzido através de mudanças na dieta e de alguns hábitos diários. Porém, algumas pessoas podem apresentar excesso de gás no intestino mesmo tendo uma alimentação exemplar e tendo bons hábitos de vida. Nesses casos, é indicado procurar um médico para conduzir um diagnóstico e verificar se o excesso de gás é sintoma de algum outro problema de saúde.

Ainda que possa indicar algum desequilíbrio no sistema digestivo em alguns casos, a formação de gás na digestão é um processo normal e esperado. O gás pode ser formado tanto pela ingestão de ar durante a deglutição ou durante a ingestão de bebidas, por exemplo, como pode também ser formado durante o processo digestivo como um subproduto das reações que ocorrem durante a digestão dos alimentos.

Outro momento em que o gás pode ser formado ocorre quando o alimento não é totalmente quebrado no intestino delgado. Quando esse alimento chega no intestino grosso, as bactérias presentes ali finalizam o trabalho e digerem o resto do alimento, criando gás como um subproduto.

Existem alguns tipos de alimentos que podem contribuir para a geração de gases. Alguns deles incluem os feijões, os laticínios e os adoçantes artificiais.

Principais sintomas de gases

Os sintomas mais comuns relacionados à presença de gases em excesso no organismo são:

1. Arrotos

Os arrotos são mais frequentes quando as pessoas ingerem bebidas gaseificadas ou ingerem ar sem querer durante a deglutição dos alimentos.

Pessoas que arrotam muito podem estar engolindo muito ar e precisam prestar mais atenção na mastigação, no hábito de mascar chicletes e no uso de objetos como canudos para consumir líquidos, por exemplo, que aumentar a ingestão de ar.

Há pessoas que sentem até vontade vomitar por causa dos arrotos, principalmente após aqueles que surgem durante ou logo após as refeições.

2. Dor ou desconforto abdominal

Sentir dor abdominal devido ao acúmulo de gases é normal. Algumas pessoas podem sentir até cãibras. Isso acontece quando o gás ingerido ou produzido não se move como deveria através do intestino.

Porém, geralmente a dor passa ou é reduzida depois que o gás encontra um meio de sair do corpo.

3. Flatulência

O famoso “pum” ocorre quando o gás acumulado é liberado através do reto. Isso ocorre por causa do acúmulo de gases formados por meio da dieta e do processo digestivo.

Em casos raros, a flatulência em excesso pode indicar outros problemas de saúde, mas é absolutamente normal que uma pessoa saudável solte até 21 flatos por dia.

4. Inchaço abdominal

A presença de gás no trato digestivo pode resultar em inchaço abdominal, que pode ser apenas sentido ou até mesmo visível.

O inchaço abdominal é um dos sintomas de gases observado com mais frequência durante ou após uma refeição. Trata-se de uma sensação de que o seu abdômen está mais pesado e mais inchado do que antes ou uma sensação de plenitude.

5. Distensão abdominal

Muitas pessoas podem confundir o inchaço abdominal com uma distensão abdominal. No caso da distensão, existe um aumento real no tamanho do abdômen que pode ser facilmente notado.

6. Dor no peito

Pessoas com gases muitas vezes acham que estão tendo um ataque cardíaco, pois sentem uma dor anormal na região do peito, mas saiba que esse é um dos sintomas de gases no trato digestivo ou até mesmo no esôfago.

Algumas causas

Embora seja normal ter gases, o excesso deles pode ser um sinal de alerta e suas causas precisam ser investigadas. As principais causas de excesso de gases são as seguintes:

– Consumo de alimentos específicos

Como já mencionado, alguns alimentos específicos podem causar excesso de gases. Geralmente, são alimentos que tendem a formar gases durante o processo digestivo.

Exemplos incluem o feijão, o brócolis, o repolho e o milho. Bebidas gaseificadas e o hábito de mascar chiclete também pode causar o acúmulo de gases intestinais. Alguns substitutos do açúcar como o sorbitol, o xilitol e o manitol também podem resultar em excesso de gás em algumas pessoas.

A ingestão de bebidas carbonatadas como a cerveja e o refrigerante também pode aumentar a produção de gases.

Apesar de as fibras dietéticas serem essências para manter o funcionamento ideal do trato digestivo, o excesso delas na dieta pode aumentar a liberação de gases. Daí a importância de ter uma dieta sempre bem equilibrada e livre dos excessos.

– Ar engolido durante a deglutição

Ao comer ou beber, acabamos engolindo também um pouco de ar mesmo que a maioria de nós não perceba. Alguns hábitos nocivos podem contribuir para que engulamos mais ar ainda, tais como:

  • Comer muito rápido;
  • Falar enquanto come;
  • Mascar gomas de mascar;
  • Consumir bebidas por meio de um canudo.

A eliminação desses hábitos pode ajudar a reduzir a quantidade de gás que entra e, consequentemente, a quantidade que sai também.

Também há causas que são mais difíceis de controlar como o uso de próteses dentárias largas ou o contato involuntário com a fumaça.

– Intolerância à lactose

Pessoas intolerantes à lactose contêm quantidades insuficientes da enzima lactase no organismo, enzima esta que é responsável pela decomposição do açúcar presente no leite. Quem é intolerante acaba tendo dificuldade para digerir o leite, o que leva à formação de gases no intestino.

O grande problema é que muitas pessoas são intolerantes à lactose e não sabem. Assim, é importante ficar atento se você costuma sentir desconfortos gastrointestinais após ingerir leite ou outros produtos lácteos. A melhor forma de combater o problema é evitando o consumo de produtos lácteos ou ingerindo cápsulas de lactase toda vez que for consumir um laticínio.

Outros tipos de alergias ou intolerâncias alimentares também podem causar o mesmo tipo de problema como a intolerância à frutose e ao glúten, por exemplo.

– Síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável é um conjunto de sintomas que altera os padrões normais dos movimentos intestinais, causando dor e desconforto abdominal.

Essa síndrome também pode interferir no transporte dos gases através do intestino, fazendo com que a pessoa acumule mais gás do que normalmente o faria.

– Doença do refluxo gastroesofágico

Essa doença crônica ocorre quando o conteúdo presente no estômago retorna para o esôfago por meio do refluxo. Pessoas diagnosticadas com essa condição podem arrotar em demasiado como uma tentativa do organismo de aliviar o desconforto gerado pela volta do alimento do trato gastrointestinal para o esôfago.

– Supercrescimento bacteriano no intestino delgado

O supercrescimento de bactérias pode ser a causa do excesso de gases. Trata-se do aumento na quantidade de bactérias ou de mudanças dos tipos de bactérias que habitam o intestino delgado.

A presença dessas bactérias em excesso pode resultar na produção de gás extra, causando ainda outros sintomas desagradáveis como perda de peso e diarreia.

– Outras causas

Em casos mais raros, algumas condições de saúde podem interferir em como os gases se movimentam pelos intestinos. Tais condições incluem hérnias abdominais, síndrome de Dumping, aderências abdominais, câncer de cólon e câncer de ovário.

Como aliviar?

Se os seus gases são causados por alguma doença mencionada acima, é importante diagnosticar e tratar a condição sob supervisão médica.

Do contrário, é possível amenizar o problema com alguns ajustes na dieta e no estilo de vida.

Alguns medicamentos de venda livre podem promover alívio, mas seu uso não é indicado a longo prazo sem o aval de um médico. Exemplos incluem:

  • Carvão ativado: O carvão ativado pode ser ingerido antes ou depois das refeições. Ele atua absorvendo gases em excesso ou toxinas no organismo, que são eliminados pelas fezes.
  • Simeticona: A simeticona é um dos medicamentos mais usados por pessoas que sofrem de flatulência. O remédio atua quebrando as bolhas de gases dentro do organismo, o que ajuda os resíduos a passar pelo trato digestivo mais facilmente.
  • Lactase: Suplementos de lactase são úteis para pessoas que apresentam intolerância à lactose. A lactase é uma enzima que quebra as moléculas de lactose, ajudando na digestão.
  • Alfa-galactosidase: A alfa-galactosidase é outra enzima que pode auxiliar na quebra de carboidratos presentes em grãos e vegetais, o que ajuda na digestão e evita a formação de gases pelas bactérias intestinais.

Dicas para prevenir os gases

Adotar mudanças no estilo de vida é o meio mais simples de tratar e de prevenir os sintomas de gases no organismo.

1. Ingerir porções menores

Comer muitos alimentos de uma vez só pode causar o acúmulo de gases. A ingestão de porções menores e mais frequentes pode ajudar o corpo a digerir melhor esses nutrientes sem produzir gás em excesso.

2. Evitar mascar chicletes e balas

Como você já sabe, hábitos como esses são nocivos pois fazem com que você ingira mais ar, aumentando a concentração de gases.

3. Praticar exercícios físicos

As atividades físicas, quando praticadas regularmente, ajudam a reduzir o risco de constipação que poderia impedir a liberação adequada de gases. Assim, o exercício ajuda a regular a atividade digestiva e evitar o acúmulo de gases e sintomas desagradáveis como o inchaço abdominal.

4. Mastigar bem

Muitas pessoas têm o hábito prejudicial de praticamente engolir a comida sem mastigar o suficiente. Além de isso ajudar na sensação de saciedade, mastigar mais devagar ajuda a engolir menos ar e a dar tempo para o organismo processar o alimento que ele está recebendo da forma correta.

5. Não fumar

O fumo também pode aumentar a quantidade de ar que é ingerida, além de diversos outros problemas de saúde.

6. Checar as próteses dentárias

Se esse é o seu caso, é importante ir ao dentista regularmente para ajustar suas próteses. Uma prótese mal ajustada pode ficar larga demais e facilitar a entrada de ar durante as refeições.

Como saber a hora de procurar um médico?

Todo mundo tem gases, embora muitos não queiram admitir. Mas isso só passa a ser um problema que requer atenção médica quando:

  • Além dos sintomas de gases, outros são observados, como perda de peso, presença de sangue nas fezes, diarreia ou constipação;
  • Os gases são muito frequentes e estão te incomodando ou prejudicando a sua qualidade de vida e a sua socialização;
  • As dores são muito fortes.

Se você precisa se automedicar com frequência com medicamentos de venda livre para obter alívio, também é sinal de que você precisa visitar um médico para que ele verifique se há alguma causa por trás do excesso de gases e oriente uma alimentação mais adequada para aliviar esses desconfortos.

No entanto, em geral, a reeducação alimentar e a adoção de hábitos diários mais saudáveis são capazes de reduzir a produção de gases em excesso e melhorar a qualidade de vida das pessoas também em outras áreas.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já sentiu muitos desses principais sintomas de gases? Costuma ter crises com frequência? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário