Quais Vitaminas as Grávidas Devem Tomar e Cuidados a Ter

Especialista:
atualizado em 22/10/2019

Durante o pré-natal, as mulheres grávidas são orientadas a tomar vitaminas para que o bebê receba todos os nutrientes que necessita para um desenvolvimento pleno.

Mesmo ingerindo uma boa variedade de alimentos saudáveis, as vitaminas ainda são necessárias para as gestantes? Vamos responder a essa e outras perguntas e dar várias dicas de quais são as vitaminas realmente necessárias e quais cuidados as grávidas precisam ter para garantir a saúde do feto.

Vitaminas na gestação

O ser humano foi programado para obter todos os nutrientes de que necessita por meio da alimentação. Porém, com o passar dos anos e o surgimento de técnicas cada vez mais sofisticadas de refino dos alimentos pela indústria agrícola e alimentícia, muitos alimentos acabaram perdendo o seu valor nutricional.

Partindo desse raciocínio, parece importante suplementar a dieta com suplementos vitamínicos que vão oferecer todos os nutrientes que a mãe e o bebê precisam durante a gestação.

Mas e se uma mulher grávida tiver uma alimentação super saudável baseada apenas em alimentos naturais e sem a inclusão de alimentos industrializados ou refinados na dieta? Ainda assim será preciso usar vitaminas na gravidez?

A resposta é a que os leitores mais odeiam: depende.

Alguns fatores específicos de cada caso vão determinar a necessidade ou não de tomar vitamina para grávida. Alguns desses fatores a considerar são:

  • Presença de algum distúrbio alimentar ou desnutrição: Mulheres que sofrem de distúrbios alimentares ou estão desnutridas por algum motivo devem usar suplementos vitamínicos para suprir essas deficiências.
  • Hábito de fumar ou histórico de ingestão alta de álcool: O fumo e a ingestão de bebidas alcoólicas são hábitos nocivos para a saúde. Além disso, quem fuma apresenta uma maior necessidade de nutrientes específicos como o ácido fólico e a vitamina C.
  • Gravidez múltipla de gêmeos, trigêmeos ou mais: Mulheres grávidas de mais de um bebê podem não conseguir ingerir todos os nutrientes necessários através da dieta como uma gestante de apenas um bebê conseguiria sem grandes problemas.
  • Dieta vegetariana ou vegana: Pessoas que seguem uma dieta vegetariana ou vegana sem acompanhamento de um nutricionista podem deixar de ingerir determinados nutrientes em quantidades suficientes para suprir as necessidades dietéticas do feto.
  • Intolerância alimentar a um ou mais alimentos: Casos de intolerância alimentar ou alergias também podem dificultar a ingestão de certas vitaminas e minerais.

Outros fatores podem incluir:

  • Doenças crônicas;
  • Cirurgias bariátricas;
  • Problemas no sangue.

Esses pontos mencionados acima podem restringir a obtenção de nutrientes e prejudicar o desenvolvimento do feto.

Fatores como esses e o fato de muitas pessoas não terem um bom planejamento alimentar, não seguirem orientações de nutricionistas e comerem muitos alimentos industrializados e de baixo valor nutritivo deixam evidentes a necessidade de vitaminas durante a gravidez para ajudar a fornecer os nutrientes essenciais ao desenvolvimento da criança.

Quais vitaminas as grávidas devem tomar

De acordo com o American Congress of Obstetricians and Gynecologists, uma mulher grávida com uma alimentação variada que inclua boas fontes de proteínas, carboidratos, minerais, vitaminas e gorduras saudáveis é capaz de fornecer todos os nutrientes necessários para o feto.

Existem alguns nutrientes essenciais para o desenvolvimento do feto como o ácido fólico e o ferro, que estão presentes em quase todo tipo de vitamina para grávida, pois são indispensáveis para que o bebê se desenvolva bem. Geralmente, um único comprimido já contém as quantidades diárias necessárias de ácido fólico e ferro para as grávidas.

O ácido fólico pode ser um pouco mais difícil de absorver por meio da dieta, mas o ferro é encontrado em uma infinidade de alimentos, dos quais destacam-se a carne vermelha, as leguminosas como o feijão e vegetais verde-escuros.

Assim, as únicas vitaminas que grávidas devem ingerir são o ácido fólico e alguns outros nutrientes, desde que seja detectada uma deficiência nutricional. Vamos falar um pouco então sobre as vitaminas mais importantes para o feto e onde obtê-las.

Ácido fólico

O ácido fólico, folato ou vitamina B9 é um nutriente indispensável para reduzir o risco de defeitos congênitos no bebê como anencefalia e espinha bífida, por exemplo. A ingestão de ácido fólico adequada pela mãe também reduz o risco de outros problemas como fenda palatina, lábio leporino e até alguns problemas cardíacos. Além disso, o ácido fólico ajuda a reduzir o risco de casos de pré-eclâmpsia, em que a grávida desenvolve hipertensão durante a gravidez.

Essa vitamina pode ser encontrada em alimentos como as leguminosas – ervilha, feijão e lentilha – e em frutas cítricas, legumes e vegetais de folhas verdes escuras como laranjas, brócolis e cenouras, por exemplo.

Porém, é mais fácil para o corpo da grávida absorver o ácido fólico em quantidades adequadas para o feto na versão em suplemento. Mesmo mulheres que têm uma dieta exemplar são orientadas a não deixar de tomar essa vitamina durante a gestação.

Ferro

O ferro, diferente do ácido fólico, pode ser mais facilmente obtido através da dieta, mas ainda assim algumas mães, especialmente aquelas com histórico médico de anemia, podem apresentar deficiência de ferro mesmo consumindo alimentos ricos nesse mineral. A ausência de ferro no organismo pode aumentar o risco de parto prematuro, de baixo peso ao nascer e de mortalidade infantil.

Por esses motivos, o ferro é um mineral essencial durante a gestação e que deve ser ingerido através de suplementos vitamínicos quando necessário.

As fontes alimentares de ferro incluem cereais integrais como a aveia, leguminosas como a ervilha e o feijão, carne vermelha, vegetais como o espinafre, a couve e o brócolis e castanhas de caju.

Complementos nutricionais

Existem outras vitaminas e minerais que podem ser necessários para as grávidas e que nem sempre estão na prescrição médica no pré-natal.

– Ômega 3

Ácidos graxos essenciais como o ômega 3 são importantíssimos para o desenvolvimento do tecido cerebral, do sistema nervoso e da visão do bebê. Esse pode ser um complemento importante, já que muitos peixes gordurosos têm um alto teor de mercúrio que pode ser prejudicial para o feto em desenvolvimento. Assim, fica mais difícil bater a meta diária recomendada de ingestão de ômega 3, tornando necessário em alguns casos o uso do suplemento.

Apesar de não ser indicado que as grávidas comam alguns peixes gordurosos como o atum, o consumo de sardinha é liberado devido ao baixo risco dessa espécie de peixe acumular mercúrio. Além disso, é possível obter ômega 3 através da ingestão de oleaginosas, couve e linhaça.

– Cálcio

O cálcio, por exemplo, é um mineral que nem sempre está nas vitaminas pré-natais e que é indispensável para ajudar o feto a desenvolver ossos e dentes fortes além de músculos e nervos saudáveis.

Exemplos de alimentos ricos em cálcio incluem leite e derivados, tofu, feijão, ameixas secas, espinafre e brócolis.

– Vitamina D

Por fim, a vitamina D também é muito importante durante a gravidez pois ajuda a aumentar a absorção de minerais como o fósforo e o cálcio. O organismo do bebê precisa da vitamina D para que possa construir ossos e dentes saudáveis.

Dessa forma, a deficiência em vitamina D deve ser corrigida para evitar que o bebê tenha deformidades ósseas ou apresente atraso no desenvolvimento físico após o nascimento. Além disso, a deficiência em vitamina D pode aumentar o risco de complicações gestacionais como a diabetes gestacional e a pré-eclâmpsia.

A vitamina D pode ser encontrada em alimentos como carnes, ovos, peixes, leite e derivados. Tomar sol diariamente também é muito importante para a síntese desse nutriente pelo organismo.

– Outros

Além do ácido fólico, há médicos que indicam suplementos de outras vitaminas do complexo B para fortalecer o sistema nervoso do feto. Além disso, vitaminas como a vitamina A, a vitamina C e a vitamina E e minerais como o iodo e o zinco também podem ser recomendados quando necessário.

No entanto, a maioria dos médicos concorda que não é preciso o uso de suplementos vitamínicos para obter esses nutrientes quando a futura mamãe mantém uma dieta equilibrada.

Cuidados a ter com o uso de vitaminas para grávidas

1. Tome as quantidades necessárias de ácido fólico e ferro

Seja através da alimentação ou de suplementos, foque no consumo adequado de ácido fólico e de ferro.

Geralmente, na primeira consulta após descobrir que há uma gestação em curso, a grávida costuma ser orientada a tomar um suplemento de ácido fólico, que é o mais difícil de obter em grandes quantidades através da alimentação, e de ferro, já que muitas mulheres apresentam dificuldade de absorção ou anemia ferropriva.

2. Não tome vitaminas em excesso

Outras vitaminas precisam ser suplementadas para grávidas apenas se houver necessidade, já que algumas em excesso podem fazer mal para o bebê.

É o caso da vitamina A, por exemplo, que quando tomada em quantidades superiores às necessidades diárias pode causar defeitos congênitos. Se o seu médico sugerir um suplemento vitamínico de vitamina A, ele irá recomendar uma dose baixa e segura para o feto ou na forma de betacaroteno, que não apresenta tantos riscos para o bebê.

3. Evite tomar duas doses no mesmo dia

Também é importante tomar cuidado para não esquecer que já tomou uma vitamina e usá-la em dose dupla em um mesmo dia. Cometer esse erro um dia só não deve fazer mal, mas repetir o descuido com frequência pode prejudicar a saúde do bebê devido ao excesso de certos nutrientes. É uma boa ideia fazer uma tabela de controle e marcar sempre que tomar uma vitamina se isso te ajudar a lembrar qual já foi tomada no dia.

4. Observe os rótulos

Leia os rótulos, já que existem diversas marcas de vitamina para grávida e não há um padrão entre elas. As quantidades dos nutrientes nesses comprimidos podem variar muito e é preciso estar atenta para não ingerir vitamina demais nem de menos.

5. Cuidado com dietas restritas

Se você é uma grávida vegetariana ou vegana, é importante ter um acompanhamento nutricional para garantir a obtenção de vitaminas importantes como a vitamina B12, o ômega 3 e o zinco.

6. Não tome nada sem supervisão médica

Não é indicado tomar nenhum tipo de suplemento vitamínico, mesmo que “natural”, sem antes avisar o médico que a acompanha, já que existe o risco de o excesso desses nutrientes prejudicar o feto.

Dicas nutricionais para grávidas

Vitaminas contendo ácido fólico devem ser tomadas assim que a mulher descobrir que está grávida e, se possível, até mesmo antes de engravidar para garantir que o feto terá nutrientes suficientes a partir do momento da concepção. Já os outros nutrientes costumam ser obtidos através de uma boa dieta com acompanhamento nutricional, desde que não exista nenhuma condição de saúde grave ou restrição alimentar que impeça ou dificulte a absorção deles.

Desta forma, é indicado que as grávidas ou as mulheres que estão tentando engravidar tenham uma alimentação saudável e equilibrada desde o início da gestação, eliminando assim a necessidade de tomar uma grande quantidade de comprimidos por dia.

Segundo especialistas, as únicas vitaminas realmente necessárias para a saúde da mãe e do feto são o ácido fólico e a vitamina D. Ainda assim, a vitamina D só deve ser recomendada se for constatada uma deficiência da substância através de um exame de sangue. O mesmo raciocínio vale para o ferro, que pode ser obtido através de diversos alimentos e que só deve ser prescrito em casos de deficiência nutricional constatada em exame médico.

Tenha em mente que as vitaminas são um complemento nutricional e não devem ser substitutos de uma boa alimentação. Ou seja, é mais importante focar em uma boa alimentação que pode satisfazer praticamente todas as necessidades nutricionais do que tomar diversas pílulas por dia para suprir lacunas na sua má alimentação.

Mais dicas

Algumas mulheres têm dificuldade de engolir certas pílulas. Se uma vitamina indispensável para sua gravidez correr bem for difícil de engolir, você pode tentar algumas estratégias que incluem:

  1. Pedir para o médico indicar uma pílula menor ou com um revestimento diferente que seja mais fácil de engolir;
  2. Solicitar vitaminas pré-natais mastigáveis, quando disponíveis;
  3. Experimentar suplementos em pó que podem ser misturados com água.

Vitaminas contendo altas doses de ferro podem causar problemas gastrointestinais como mal-estar, náusea, diarreia ou constipação. Nesses casos, fale com o médico para reduzir a dose e incorpore mais alimentos ricos em ferro que não costumam fazer mal.

Se a sua dieta for bem variada, provavelmente não haverá necessidade de ingerir muitos suplementos vitamínicos além do ácido fólico. Na dúvida, peça um exame detalhado para o seu médico para identificar possíveis deficiências nutricionais e corrija apenas quando necessário. Ficar longe de alimentos industrializados ou de baixo valor nutricional e caprichar na ingestão de leguminosas, frutas, legumes, verduras e cereais é mais do que o suficiente para ter uma gestação tranquila e saudável.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já conhecia quais vitaminas as grávidas devem tomar especificamente? Durante a gestação, seu médico recomendou alguma? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário