Quem tomou a vacina pode pegar ou transmitir o coronavírus?

Especialista da área:
atualizado em 09/03/2021

A vacinação contra a COVID-19 já começou no Brasil e no mundo. Mas muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre a imunização. Por exemplo, será que mesmo quem já recebeu a vacina é capaz de pegar ou transmitir o vírus?

  Continua Depois da Publicidade  

A microbiologista da Escola de Medicina da Universidade de Washington, Deborah Fuller, esclareceu ao Fórum Econômico Mundial (FEM) sobre isso. Confira o que ela disse:

A vacinação impede totalmente a infecção?

Vacina do coronavírus

Não. De acordo com Fuller, após receber a vacina, uma pessoa ainda pode se infectar. No entanto, as chances de que ela desenvolva um problema grave devido ao novo coronavírus são bem menores.

“Muitas pessoas pensam que as vacinas funcionam como um escudo, bloqueando completamente o vírus de infectar as células. Mas, na maioria dos casos, a pessoa vacinada está protegida da doença, não necessariamente da infecção”.

Ela, que trabalha em vacinas contra o novo coronavírus, destacou ainda que o sistema imunológico de cada pessoa é um pouco diferente do outro. “Quando uma vacina é 95% efetiva, isso significa que 95% das pessoas que recebem a vacina não vão ficar doentes”.

“Essas pessoas podem ser completamente protegidas da infecção ou ser infectadas, mas permanecer assintomáticas porque o seu sistema imunológico elimina o vírus muito rápido. Os 5% restantes podem se infectar e ficar doentes, mas é muito improvável que sejam hospitalizados”.

Enquanto a vacina não dá 100% de prevenção contra a infecção, ela fornece ao sistema imunológico uma grande vantagem contra o vírus.

Assim, independente de ganhar uma proteção contra a infecção ou contra algum nível da doença, é bem melhor estar com a proteção da vacina do que sem ela.

E quanto à transmissão?

De acordo com Fuller, a transmissão ocorre quando uma quantidade suficiente de partículas virais de uma pessoa infectada chegam ao organismo de outra pessoa. Teoricamente, qualquer infectado pode transmitir o novo coronavírus, mas a vacina diminui as chances de isso ocorrer.

“Se a vacinação não previne completamente a infecção, ela reduz significativamente a quantia de vírus que sai do nariz e da boca e reduz o tempo em que se expele o vírus. Uma pessoa que expele menos vírus tem menos probabilidade de transmitir à outra”, explicou.

  Continua Depois da Publicidade  

Em um estudo de fevereiro de 2021, pesquisadores israelenses testaram quase 3 mil vacinados em busca de sinais da infecção pelo novo coronavírus. A maioria não tinha o vírus detectável e aqueles que se infectaram tinham apenas ¼ da quantidade de vírus presente em não vacinados.

Menos coronavírus é igual a uma chance mais baixa de transmitir o vírus. Entretanto, a pesquisa ainda é um preprint, ou seja, um estudo que ainda não passou pela revisão de outros especialistas e ainda não saiu em um periódico científico.

Além disso, os pesquisadores ainda não sabem qual seria o ponto de corte (de chance de transmissão) para o coronavírus.

Como as vacinas não protegem 100% contra a infecção, autoridades como o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos continuam a recomendar o uso de máscaras e o distanciamento social mesmo após receber o imunizante.

E as novas variantes?

Nova variante do coronavírus

Toda vez que o novo coronavírus se replica, ele ganha novas mutações. Nos últimos meses, identificou-se novas variantes do vírus com maior poder de infecção. Ou seja, uma pessoa se infecta com uma quantidade menor do vírus.

Outras variantes são mais transmissíveis, o que significa que o infectado expele uma quantidade maior do vírus. Dados iniciais também indicam que pesquisadores encontraram pelo menos uma variante que parece ter mais competência para escapar do sistema imunológico.

Alguns estudos já mostraram que as vacinas podem ser ter menos eficiência contra certas novas variantes do novo coronavírus. Entenda por que as novas variantes desafiam as vacinas e veja como as vacinas protegem contra essas variantes do novo coronavírus.

“Se as pessoas vacinadas têm mais do vírus no corpo e se precisa de menos do vírus para infectar outra pessoa, há uma possibilidade maior que o vacinado possa transmitir novas variantes do coronavírus”.

  Continua Depois da Publicidade  

Está preocupado em não contrair o novo coronavírus? Então, aprenda com a nossa nutricionista como evitar o hábito que te coloca em risco de contágio:

Fontes e Referências Adicionais

Você já tomou a vacina da COVID-19? Continua seguindo as medidas de prevenção? Então, comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Equipe MundoBoaForma

Quando o assunto é saúde, você tem que saber em quem confiar. Sua qualidade de vida e bem-estar devem ser uma prioridade para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada e altamente qualificada, composta por médicos, nutricionistas, educadores físicos. Nosso objetivo é garantir a qualidade do conteúdo que publicamos, que é também baseado nas mais confiáveis fontes de informação. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados à saúde, boa forma e qualidade de vida.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário