Redução Drástica de Calorias Pode Fazer Você Viver Mais, Diz Estudo

Pesquisas já mostraram há anos que reduções acentuadas na quantidade de alimentos consumidos podem ajudar os peixes, ratos e macacos a viverem mais. Mas havia muito poucos estudos com humanos.

Agora, alguns pesquisadores descobriram que quando as pessoas cortam calorias de forma severa, elas podem retardar seu metabolismo e, possivelmente, o processo de envelhecimento.

A fisiologista clínica Leanne Redman, que liderou o estudo no Pennington Biomedical Research Center, em Baton Rouge, diz que o primeiro desafio foi encontrar pessoas dispostas a participar. Afinal, eles teriam que diminuir seu café da manhã, almoço e jantar em até 25%.

E ela acrescenta que nenhum deles estava acima do peso. Ela recrutou 53 voluntários saudáveis. Um terço comeu suas refeições regulares, enquanto o resto entrou no plano severo de redução de calorias por dois anos.

“Eu não sei se você entende o rigor do que significa seguir uma restrição calórica todos os dias”, diz ela, mas os voluntários estavam comprometidos.

Não surpreendentemente, as pessoas cortando calorias perderam peso – em média, 11,5 kg. Aqueles no grupo de controle ganharam até 2 kg.

Mas a perda de peso não era o ponto da pesquisa. Redman queria saber se essa redução drástica de calorias poderia afetar a rapidez com que as pessoas envelhecem.

Para o teste, os participantes passaram 24 horas em salas especiais que mediram suas taxas metabólicas via gás, oxigênio e dióxido de carbono e como isso mudava com o tempo.

Redman notou que, para aqueles que faziam dieta restrita, seu metabolismo diminuía e se tornava mais eficiente.

“Basicamente, isso significa apenas que as células precisam de menos oxigênio para gerar a energia que o corpo precisa para sobreviver; assim, o corpo e as células estavam se tornando mais eficientes em termos de energia”, explica Redman. E se menos oxigênio for necessário para queimar energia, então os subprodutos perigosos desses radicais livres podem ser reduzidos.

“O oxigênio pode na verdade ser prejudicial para tecidos e células, e assim se as células se tornaram mais eficientes, então eles têm menos oxigênio sobrando que pode causar esse dano”, diz ela, que pode acelerar o envelhecimento.

O estudo foi publicado na revista Cell Metabolism no mês passado.

Agora, essas descobertas não provam diretamente que a redução drástica de calorias realmente ajudará as pessoas a viver mais. As pessoas teriam que ser seguidas durante suas vidas inteiras para provar isso. Mas o estudo descobriu que a pressão sanguínea, o colesterol e os triglicérides estavam mais baixos no grupo de restrição calórica. Quando esses números são altos, podem levar a doenças que reduzem a vida das pessoas.

O desafio é que a maioria das pessoas pode não ser capaz de fazer uma dieta severa com restrição calórica, ou até mesmo querer fazê-la. E diminuir o metabolismo pode causar outros problemas.

O bioquímico Valter Longo, que estuda a longevidade na Universidade do Sul da Califórnia, diz que restringir severamente as calorias por um tempo pode levar a uma maior propensão a ganhar peso no final das contas.

“Basicamente, você tem que comer progressivamente menos para manter o mesmo peso”.

“Se você considerar que 70% dos americanos estão com sobrepeso ou obesos, você pode ver como, para a maioria das pessoas, isso seria um grande problema”, diz Longo. Isso pode levar a mais efeito sanfona, em que as pessoas que saem da dieta comem mais e voltam ao peso anterior ou ganham ainda mais peso.

Ele também está preocupado com o potencial de perda de massa muscular e com um sistema imunológico debilitado em pessoas com dietas com alta restrição de calorias.

No lugar disso, Longo é um defensor dos mini-jejuns. Estas são reduções curtas de calorias para apenas 900 calorias por dia durante cinco dias por mês, o que ele diz trazer os benefícios do jejum sem os efeitos potencialmente negativos a longo prazo. Longo escreveu o livro sobre isso: The Longevity Diet, em que enfatiza a importância de comer mais frutas e vegetais e menos carne.

Pode não prolongar a sua vida, diz ele, mas pode certamente ajudará a manter um peso saudável e evitar as doenças crônicas que podem encurtar a sua vida.

Você restringiria a sua quantidade de calorias diárias a fim de viver por mais tempo? Acredita que essa relação pode realmente existir? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário