Tipos de cirurgia bariátrica – Benefícios, riscos e mais

Especialista da área:
atualizado em 08/08/2022

A obesidade e o sobrepeso são dois problemas muito frequentes no Brasil e no mundo, e seu tratamento normalmente envolve dietas, uso de diferentes tipos de medicamentos e a famosa cirurgia bariátrica.

Mas essa cirurgia não é um procedimento único, ou seja, existem diferentes tipos que podem se ajustar melhor a cada paciente.

  Continua Depois da Publicidade  

Por isso, no decorrer deste artigo nós iremos conhecer melhor os tipos de cirurgia bariátrica e descobrir o quão efetiva elas são na eliminação do excesso de peso.

Veja também: Obesidade multiplica em 12 vezes o risco de câncer em mulheres

O que é obesidade?

Obesidade
Quem sofre com a obesidade provavelmente já se perguntou se uma cirurgia bariátrica seria uma boa alternativa para o seu caso

De forma simplificada, a obesidade é o acúmulo excessivo de gordura no corpo, e, de acordo com a Organização Panamericana de Saúde (OPAS), ela pode ser diagnosticada a partir do índice de massa corporal, ou IMC. Nesse caso, diz-se que a pessoa é obesa quando ela possui um IMC igual ou maior que 30 kg/m².

Entretanto, esse cálculo nem sempre é tão exato, já que ele leva em conta apenas o peso total da pessoa, e não o percentual de gordura corporal.

Conheça as diferenças entre sobrepeso e obesidade.

  Continua Depois da Publicidade  

Por isso, além de utilizar o cálculo de IMC, deve-se incluir na avaliação o percentual de gordura corporal e a circunferência abdominal, além, claro, da avaliação das comorbidades que possam estar associadas à obesidade, como:

  • Hipertensão arterial e outras doenças cardiovasculares
  • Síndrome metabólica
  • Diabetes tipo 2
  • Problemas articulares
  • Apneia obstrutiva do sono
  • Refluxo gastroesofágico
  • Depressão

Quando a cirurgia bariátrica é recomendada?

Embora um IMC de 30 já indique que a pessoa é obesa, isso não significa que ela tem indicação para realizar a cirurgia bariátrica, pois, em geral, a recomendação é apenas para pessoas com IMC de pelo menos 35 ou 40.

Além disso, são avaliados também os outros problemas médicos que a pessoa possa ter, e o histórico de outros tratamentos para obesidade realizados nos últimos anos.

Assim, mesmo com essa recomendação baseada no IMC, existem casos de cirurgia para pessoas com IMC de 30 a 35 com problemas de saúde significativos que justifiquem a sua realização.

Preparativos antes da cirurgia

Paciente obesa
Antes da cirurgia bariátrica, o paciente deve passar por vários exames e avaliações médicas

Depois que o médico identificou a necessidade e avaliou que o seu paciente pode se submeter à cirurgia bariátrica, ele irá solicitar uma série de exames, como:

  • Avaliação cardiológica
  • Avaliação psicológica, principalmente para avaliar a presença de transtornos alimentares
  • Testes de sangue, como função hepática e renal
  • Testes de função pulmonar
  • Exames metabólicos, com avaliação de colesterol, triglicérides e glicemia
  • Testes de coagulação
  • Endoscopia digestiva
  • Ultrassonografias

Outros exames podem ser solicitados, a depender das comorbidades de cada paciente.

  Continua Depois da Publicidade  

Tipos de cirurgia bariátrica

Primeiramente, é importante deixar claro que a escolha do procedimento a ser realizado é feita pelo médico, que irá avaliar o peso inicial e as comorbidades do paciente, e assim decidir qual o tipo de cirurgia bariátrica que possui o melhor custo benefício.

Assim, dependendo dessa escolha, o paciente deve ser submetido a um tipo mais ou menos invasivo de cirurgia.

1. Derivação gástrica em Y de Roux

Essa cirurgia, também chamada de bypass gástrico, é realizada a partir da redução do volume do estômago, feito a partir do grampeamento de parte do órgão, associado a um desvio intestinal. 

Esse desvio, ou bypass, faz com que o alimento vá direto do estômago para uma parte mais distante do intestino delgado, o que causa uma sensação maior de saciedade, e reduz a absorção de nutrientes.

2. Gastrectomia vertical

Essa técnica é também conhecida como Sleeve, e envolve modificações apenas no estômago. Assim, o volume do órgão é reduzido, e ele passa a ter um formato mais alongado, semelhante a uma “manga de camisa” (sleeve, em inglês).

Além disso, essa cirurgia é a que possui o menor risco de deficiências vitamínicas pós-operatórias.

  Continua Depois da Publicidade  

3. Banda gástrica ajustável

Nesse caso, um anel de silicone é colocado na parte superior do estômago, o que leva à diminuição da quantidade de alimento que pode ser ingerido em cada refeição.

4. Duodenal Switch

Essa cirurgia é uma espécie de junção entre a Sleeve e o Bypass gástrico, uma vez que o estômago é reduzido (sem o uso dos grampos) e é realizado o desvio intestinal.

Pós-operatório

Logo após a cirurgia bariátrica, o médico irá prescrever uma dieta líquida, que inclui alimentos como caldos e sucos de frutas diluídos e coados. Esta dieta é utilizada para que o trato gastrointestinal se recupere depois da cirurgia, e dura cerca de duas semanas.

A fase seguinte proporciona uma dieta mista (líquida + pastosa), com a introdução lenta de alimentos com maior consistência. 

Outro ponto importante é que a quantidade de alimento deve ser bem controlada, para não exceder a capacidade do estômago e provocar náuseas e vômitos. Além disso, muitos pacientes precisarão utilizar algum multivitamínico, para compensar a redução da absorção de nutrientes essenciais. 

Veja também: Dieta pós bariátrica – O que pode comer e cuidados

Acompanhamento multidisciplinar no tratamento da obesidade

Consulta médica
Mesmo depois da cirurgia bariátrica, o paciente vai precisar ser acompanhado por diversos profissionais de saúde

Após se submeter à cirurgia, a pessoa irá passar por várias mudanças físicas e, possivelmente, psicológicas.

Assim, o acompanhamento por uma equipe multidisciplinar é indispensável. Essa equipe pode ser composta por diferentes profissionais, de acordo com as necessidades específicas do paciente, como:

  • Endocrinologista
  • Cardiologista
  • Psicólogo
  • Psiquiatra
  • Nutricionista

Além disso, o acompanhamento por um educador físico também é recomendado, para que a pessoa possa realizar atividades físicas com segurança, o pode auxilia tanto na perda de peso quanto na melhora da saúde como um todo. 

Possíveis complicações da cirurgia bariátrica

As complicações da cirurgia bariátrica são raras, mas, quando ocorrem, podem incluir:

Há ainda a possibilidade do surgimento de sintomas gastrointestinais após a alimentação, como diarreia, dor abdominal e enjoos.

Valores da cirurgia

O valor da cirurgia bariátrica é muito variável, e depende do tipo de procedimento, do local de realização e do médico que fará a cirurgia. 

Assim, a cirurgia mais simples fica em torno de R$ 15 mil, mas esse valor pode aumentar consideravelmente dependendo das características do paciente.

Você já conhecia todos esses tipos de cirurgia bariátrica? Acha que necessita fazer uma cirurgia desse tipo para conseguir perder peso? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela UFRJ em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento em transplantes no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela UFRJ em 2010. Dr. Lucio Pacheco é autor de diversos livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D'Or e do Hospital Copa D'Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Para mais informações, entre em contato.

Deixe um comentário