5 Causas do Sono Excessivo – Durante o Dia, Após Refeições e Mais

Se você olhar à sua volta, não é só você que está lutando para ficar acordado. Irá perceber quantas pessoas estão com sono no trabalho, ônibus, restaurante, aonde for, e isso pode atrapalhar muito a vida profissional e pessoal. Por isso, conheça as principais causas do sono excessivo e saiba como tratar cada uma delas.

O sono excessivo pode ter consequências graves. Você pode, por exemplo, cochilar no carro enquanto espera um sinal vermelho e acabar causando um acidente, dormir em lugares públicos e ser roubado, perder o emprego, esquecer a comida no fogão, dentre outras consequências.

  Continua Depois da Publicidade  

O sono excessivo tem sido associado à hipertensão arterial, diabetes, doenças cardíacas e ganho de peso. As pessoas estão trabalhando demais e propositalmente se limitam a seis horas quando deveriam dormir sete ou oito.

Veja também quais são os principais tipos de distúrbios do sono, seus sintomas e tratamentos, e aproveite para conhecer algumas opções de chás que tiram o sono para ajudar a combatê-lo durante o dia.

Às vezes não é fácil descobrir a causa do sono excessivo, mas algumas condições de saúde podem ser a resposta. Por isso, é importante conhecê-las para que possa saber qual tratamento será melhor para seu caso.

5 causas do sono excessivo

Existem muitas causas da sonolência excessiva, e às vezes, um distúrbio do sono subjacente é o responsável. A maioria dos distúrbios do sono atrapalham a noite de descanso, geralmente encurtando o tempo de sono ou reduzindo a qualidade, e como resultado, a pessoa fica sonolenta durante todo o dia.

As causas mais comuns são:

1. Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS)

A apneia obstrutiva do sono ocorre quando os músculos da parte posterior da garganta relaxam demais para permitir a respiração normal. Esses músculos suportam as estruturas incluindo o palato mole e a úvula – um pedaço triangular de tecido pendurado no palato mole, na língua e nas tonsilas.

Quando os músculos relaxam, suas vias aéreas se estreitam ou se fecham quando você respira, fazendo com que a sua respiração possa ser inadequada por cerca de 10 a 20 segundos, o que pode diminuir o nível de oxigênio no sangue e causar um acúmulo de dióxido de carbono.

Quando isso acontece, o seu cérebro sente que a respiração está prejudicada, e por um breve momento, te desperta do sono para que possa reabrir a sua via aérea. Você pode acordar com uma falta de ar transitória que se corrige rapidamente ou com uma ou duas respirações mais profundas, fazendo um som ofegante ou como se estivesse bufando.

Esse despertar geralmente é tão rápido que você nem se lembra dele no dia seguinte, porém, ele interrompe continuamente os ciclos naturais do sono, seja os estágios mais leves ou os mais profundos. Como resultado, você não terá a quantidade de sono suficiente e saudável e irá se sentir com sono excessivo no dia seguinte.

Muitas pessoas com essa condição não percebem que a têm, por isso, se você está com sono excessivo durante o dia, especialmente se ronca, tem pressão alta ou excesso de peso (um dos fatores associados à SAOS), é recomendável que seu médico investigue se você sofre com esse distúrbio do sono.

  Continua Depois da Publicidade  

Tratamento para apneia obstrutiva do sono

  • Modafinil e Armodafinil, medicamentos estimulantes que podem ajudar a aliviar a sonolência em pessoas que não respondem suficientemente bem ao CPAP.
  • Pressão Positiva nas Vias Aéreas (CPAP), tratamento onde um dispositivo nasal é ligado a uma máquina com uma unidade de ventilação que ajuda a manter as vias aéreas abertas. O CPAP é o tratamento mais comum e utilizado para a apneia obstrutiva do sono.
  • Se você é obeso, perder peso pode diminuir o risco de apneia do sono, pois irá reduzir os depósitos de gordura no pescoço e reduzir muitos dos outros riscos associados à apneia do sono, como doenças cardíacas.
  • Terapia com aparelho oral, na qual os dispositivos movem a língua, o maxilar inferior ou o palato mole para frente e consequentemente movem as vias aéreas.
  • Se os outros tratamentos não funcionarem, a cirurgia pode ser uma opção.

Além dos tratamentos para a apneia do sono, é importante gerenciar outras condições como a hipertensão arterial.

2. Insônia

A insônia é uma das causas mais comuns do sono excessivo a qualquer horário. De acordo com a Sleep Foundation, Fundação do Sono dos Estados Unidos, a insônia é a dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo mesmo quando a pessoa tem chance de fazê-lo.

As pessoas com insônia podem se sentir insatisfeitas com o sono e geralmente apresentam um ou mais dos seguintes sintomas: falta de energia, distúrbios do humor, fadiga, dificuldade de concentração e diminuição do desempenho no trabalho ou na escola.

Ela pode ser caracterizada com base em sua duração.

A insônia aguda é breve e geralmente acontece por causa das circunstâncias da vida, como quando você não consegue dormir na noite anterior a uma prova importante, ou depois de receber notícias ruins ou estressantes. Por isso, muitas pessoas podem sofrer com esse tipo de interrupção do sono, mas resolvem sem a necessidade de qualquer tratamento.

Tratamentos para insônia

  • Tratamentos cognitivos e comportamentais para a insônia, como técnicas psicológicas, treinamento de relaxamento, restrição de sono, controle de estímulo e terapia cognitivo-comportamental. Algumas dessas técnicas você pode aprender e fazer sozinho, enquanto que para outras é melhor recorrer à ajuda de um terapeuta ou especialista do sono.
  • Benzodiazepínicos hipnóticos e não hipnóticos e agonistas de receptores de melatonina são as principais classes de medicamentos prescritos para insônia.
  • Na medicina alternativa, há medicamentos que podem ajudar certas pessoas dormir.

Veja mais detalhes sobre os tratamentos para insônia, de opções naturais a remédios mais comuns.

3. Narcolepsia

A narcolepsia é um distúrbio neurológico que afeta o controle do sono e da vigília. Uma pessoa com narcolepsia sente-se sem vontade de fazer as coisas e brevemente adormece durante o dia, seja enquanto fala, faz uma refeição ou até mesmo dirige. Esses ataques repentinos de sono podem ocorrer durante qualquer tipo de atividade ou a qualquer hora do dia.

Além de se sentir com sono excessivo durante o dia, as pessoas com essa condição costumam ter um sono ruim durante à noite, o que agrava ainda mais o problema de sonolência diurna.

Em um típico ciclo de sono, as pessoas entram nos estágios iniciais do sono e em seguida em estágios mais profundos, e por fim, cerca de 90 minutos depois, no sono de movimento rápido dos olhos – REM.

No caso das pessoas que sofrem de narcolepsia, o sono REM ocorre quase que imediatamente no ciclo do sono, bem como periodicamente durante as horas que está acordado. É no sono REM que as pessoas podem experimentar sonhos e paralisia muscular.

  Continua Depois da Publicidade  

Esse sintoma geralmente começa entre os 15 e 25 anos, mas pode se tornar aparente em qualquer idade. Em muitos casos, a narcolepsia não é diagnosticada, e por isso não é tratada.

Tratamento para narcolepsia

  • Antidepressivos como os tricíclicos ou os inibidores da receptação da serotonina podem ajudar na cataplexia, alucinações e paralisia do sono.
  • Estimulantes como modafinil, armodafinil, dextroanfetamina ou metilfenidato são muito utilizados para ajudar as pessoas a ficarem acordadas.
  • O oxibato de sódio é um depressor do sistema nervoso central que ajuda a controlar a cataplexia quando uma pessoa de repente se sente fraca ou entra em colapso.

Duas ou três sonecas durante o dia podem ajudar a melhorar a sonolência diurna causada pela narcolepsia, bem como uma dieta saudável e a prática de exercícios físicos regulares podem melhorar os sintomas da narcolepsia.

4. Síndrome das pernas inquietas

A síndrome das pernas inquietas (SPI) é um distúrbio caracterizado por sensações desagradáveis nas pernas e um forte desejo de movê-las.

Essa síndrome também pode causar movimentos bruscos das pernas a cada 20 a 30 segundos durante a noite, e em alguns casos, pode inclusive afetar outras partes do corpo.

Os sintomas podem aparecer ou piorar enquanto você dorme ou descansa, e como eles geralmente pioram durante à noite, podem interromper o sono e levar ao sono excessivo durante o dia, que é quando você precisa estar acordado.

Tratamento para a síndrome das pernas inquietas

  • Converse com o seu médico sobre um remédio ou medicamento herbal que esteja tomando e possa estar piorando seus sintomas, como por exemplo medicações para tratar náuseas, hipertensão arterial, alergias, resfriados, depressão ou problemas cardíacos.
  • Tome vitamina B12 ou suplementos de folato se o seu médico disser que seus níveis estão mais baixos do que o recomendado.
  • Mantenha uma dieta saudável, faça exercícios físicos regularmente e experimente técnicas de relaxamento, como massagens e banhos quentes.
  • Não consuma cafeína, bebidas alcoólicas e nicotina.

Se esses passos não forem suficientes, há vários tipos de medicamentos úteis para esses sintomas, mas lembre-se sempre de falar com o seu médico antes de começar o tratamento com qualquer um deles.

  • Benzodiazepínicos como clonazepam, lorazempam, temazepam e diazepam;
  • Remédios anticonvulsivos, como carbamazepina, valproato e gabapentina;
  • Opiáceos como metadona, codaína e oxidona para sintomas leves dessa síndrome;
  • Remédios antiparkinsonianos, como carbidopa / levodopa, pramipexol, pergolida e ropiniroole.

5. Depressão

Sentimentos de tristeza, ansiedade e desesperança que estão sempre presentes são sintomas de depressão. Outros sintomas incluem problemas com concentração e esquecimento, bem como a perda de energia. Muitas vezes, as atividades que antes eram prazerosas não são mais, e os sintomas físicos da depressão podem incluir dores nas costas ou dores de estômago.

A depressão está fortemente relacionada a problemas de sono e sonolência, mas nem sempre é fácil dizer se são os problemas de sono que contribuem para a depressão ou se é ela quem causa os problemas de sono. Em alguns casos, ambos podem ser os responsáveis.

Problemas de sono excessivo e depressão podem compartilhar fatores de risco e respondem ao mesmo tratamento. Sintomas como apneia obstrutiva do sono, insônia e síndrome das pernas inquietas estão ligados à depressão, e pessoas que sofrem com insônia podem ter 10 vezes mais chances de sofrerem com a depressão.

Tratamento para depressão

Há vários tratamentos para depressão, porém os mais comuns e utilizados são:

  • Exercício físico e mudanças na dieta, além de limitar o consumo de cafeína e bebidas alcoólicas.
  • Terapia comportamental cognitiva (TCC), que envolve direcionar pensamentos que levam a sentimentos depressivos e mudar comportamentos que pioram a depressão.
  • Medicamentos como antidepressivos e anticonvulsivantes estabilizadores do humor ou lítio para depressão associado ao transtorno bipolar.

Existem opções de tratamento comportamental, médico e psicológico para distúrbios do sono. Caso você sinta sono excessivo, é importante conversar com o seu médico, pois se a raiz do problema for algum distúrbio de sono, poderá começar a tratá-lo e melhorar a sua noite de sono e se sentir mais alerta e produtivo no dia seguinte.

Vídeos:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você costuma sentir sono excessivo durante o dia de trabalho ou estudos? Conhece a possível causa do seu problema? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário