Dieta mediterrânea

Adotar a Dieta Mediterrânea na Terceira Idade Pode Prolongar a Vida, Diz Estudo

Ela tem sido apontada como a receita para uma vida saudável, prevenindo diversos tipos de males. Agora, os pesquisadores dizem que uma dieta mediterrânea ainda oferece benefícios na velhice e pode reduzir o risco de morte. A dieta Mediterrânea é tipicamente rica em peixe, nozes, legumes frescos, azeite e frutas.

“Como estamos enfrentando um processo de envelhecimento, em particular na Europa, é importante ver que tipos de ferramentas temos hoje”, disse Marialaura Bonaccio, epidemiologista do Instituto Neurológico do Mediterrâneo, IRCCS Neuromed, e autora principal do estudo.

“Todos nós sabemos que a dieta mediterrânea é boa para a saúde, mas há poucos estudos voltados para os idosos”, acrescentou. Estudos anteriores sugeriram benefícios ligados a doenças cardíacas e câncer.

Publicado no British Journal of Nutrition, o estudo analisou a saúde e dieta de 5.200 indivíduos com 65 anos ou mais da região de Molise, na Itália, que foram recrutados como parte de um estudo maior entre 2005 e 2010, e acompanhados até 2015, num período em que 900 mortes ocorreram.

Os participantes preencheram um questionário alimentar que refletia sua dieta no ano anterior ao cadastro, e cada um recebeu uma pontuação sobre o quão próxima sua dieta estava da dieta mediterrânea em uma escala de 0 a 9.

Os resultados revelam que aqueles que mais aderiram à dieta mediterrânea também eram mais propensos a realizar mais atividade física em seu tempo livre.

Quando fatores como idade, sexo, níveis de atividade, nível socioeconômico, fumo e IMC foram levados em consideração, aqueles com alta adesão à dieta (pontuação de 7 a 9 na escala) tiveram um risco 25% menor de qualquer causa de morte do que aqueles que só marcaram 0-3. Um aumento de um ponto na adesão à dieta foi associado a uma queda de cerca de 6% no risco de morte por qualquer causa.

Nenhuma ligação clara foi observada para causas específicas de morte, como câncer ou mortalidade cardiovascular, embora houvesse alguns sinais de redução no risco de doença arterial coronariana ou mortalidade cerebrovascular e mortalidade por “outras causas”.

A equipe também analisou se componentes específicos da dieta mediterrânea estavam mais fortemente ligados a uma redução na mortalidade do que outros, observando mudanças na redução do risco de morte associada a um aumento de dois pontos na adesão à dieta.

Os resultados mostram que, mesmo quando itens individuais são removidos, a dieta quase sempre permanece benéfica, mas que um aumento de gorduras saturadas, a inclusão de peixe ou a diminuição de uma quantidade moderada de álcool na dieta parecem ter alguns dos maiores efeitos na redução do tamanho do benefício.

A equipe observa que o estudo não pode provar que a dieta mediterrânea está por trás do efeito; só revela uma relação. Além disso, os auto-relatos de ingestão de alimentos podem ser propensos a erros, e os participantes foram questionados apenas uma vez sobre sua dieta e outras áreas de sua vida.

No entanto, a equipe afirma que as descobertas sugerem que a culinária mediterrânea pode ajudar os idosos a aumentar suas perspectivas de uma vida mais longa.

Os resultados foram apoiados por uma análise que incluiu outros seis estudos com foco em pessoas idosas que, juntos, sugeriram uma queda de 5% no risco de morte por todas as causas, com cada ponto mais aderência à dieta mediterrânea. “Se você começar um bom estilo de vida saudável quando for jovem, provavelmente seu benefício será ainda maior”, disse Bonaccio, “mas mesmo se você for idoso e começar a ter um estilo de vida saudável, incluindo dieta, pode viver mais.”

Naveed Sattar, professor de medicina metabólica da Universidade de Glasgow, que não esteve envolvido no estudo, foi cauteloso. “O estudo apenas sugere que a dieta mediterrânea pode ser boa para a vida mais longa, mas não prova que todos os dados deste trabalho são de observações e não ensaios”, disse ele. “Pode ser que as pessoas que se mantêm bem tenham uma dieta melhor, pois o apetite pode ser alterado por problemas de saúde.”

“Eu diria que desenvolver e manter hábitos alimentares mais saudáveis é muito mais importante no início da vida, pois uma vez estabelecidos os hábitos, eles geralmente são mantidos”.

Você já passou dos 65 anos e mantém um estilo de vida e dieta saudáveis? O que acha da dieta Mediterrânea? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 3,25 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*